Vasco

Vasco

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

CRAQUES PROPAG

A propaganda na vida dos atletas surgiu no inicio do século 20, quando o remo era o esporte predileto do Rio de Janeiro, a capital do país. Lojas os levavam, nos horários de pique, para atração de freguesia. Depois, eles passaram a anunciar produtos, que recebiam em pagamento – tempo dos reclames.


O primeiro futebolista brasileiro a virar garoto-propaganda foi o atacante Leônidas da Silva, campeão carioca, em 1934, pelo Vasco.
Leônidas da Silva
Ao voltar da Copa do Mundo-1938, na França, como o principal artilheiro e o apelido de “Diamante Negro”, a graça virou marca de chocolate, no início da década-1940. Quem armou o lance foi o jornalista José Maria Scassa, que tirou da fabricante Lacta dois contos de reis. Depois, quando ainda não era politicamente incorreto anunciar o tabagismo, Leônidas emprestou o seu nome à maior fábrica de cigarros do país, a Sudan, que pagou-lhe 15 contos de reis. Para atrair mais o consumidor, havia figurinhas com jogadas dele dentro dos maços.
 
Leônidas contava ter levado um golpe em sua primeira aparição publicitária. Ao assinar um autógrafo, durante visita à fábrica de goiabada Peixe, no dia seguinte, o viu ao lado de sua foto, publicado pelos jornais, valendo propaganda da marca, que  presenteou-lhe com apenas uma caixa do produto.
CAMPEÕES MUNDIAIS – O título da Copa do Mundo-1958, na Suécia, valeu anúncios de roupas para vários jogadores. O vascaíno Bellini, considerado muito bonitão, foi um dos muito procurados. Pelé, convocado para a Seleção Brasileira graças aos jogos com a camisa do Vasco, em 1957,  vendia saúde pelo Biotônico Fontoura.  Veio bi, em 1962, e Garrincha – fez um jogo pelo Vasco, em 20 de julho de.... – famoso pelo seu apetite sexual, anunciou para a Ducal, com sentido dúbio: “Garrincha avisa aos papais: são duas por dia” – duas bicicletas Monark sorteadas, diariamente.
 Quem também aproveitou o lance foi a fabricante Alpargatas, que sacou:  Garrincha é camisa 7 e tem 7 filhas. Logo, deve anunciar as sandálias “Sete Vidas”.
 Enfim, os futebolistas não pararam mais de divulgar produtos. Emerson Leão, goleiro vascaíno na década-1980, não teve o menor constrangimento em anunciar frango, como “o homem que mais entende de frangos no país”. Quando  o gol vergonhosamente sofrido derruba a carreira de qualquer camisa 1. Eleito o jogador das pernas mais bonitas da Copa do Mundo-1974, na Alemanha, Leão anunciou cuecas, também. 
Só dois futebolistas se arrependeram de anúncios feitos: Pelé e Gérson. O primeiro, quando era garoto, após o Mundial-1958, anunciou a Caninha Pelé. Arrependido, jurou e nunca mais anunciar fumo e álcool. E cumpriu. De sua parte, o “Canhotinha de Ouro” promoveu o cigarro Vila Rica, dizendo gostar de levar vantagem em tudo. Os pretensos politicamente corretos caíram de pau em cima dele, criando a “Lei de Gérson”,  que passou a ser sinônimo de mau-caratismo.
................

Em 1923, não havia propaganda visando ao público infantil. Então, sabendo que as mães obrigavam os filhos pequenos a beberem uma colher de sopa de Biotônico Fontoura, antes do almoço, os fabricantes fizeram a primeira propaganda do setor.
O tempo passou e o Brasil sagrou-se campeão mundial de futebol, em 1958, na Suécia. Foi quando surgiu um garoto que viria a ser o “Rei do Futebol”, usando a camisa 10. Pelé, era o nome da fera. Para a Copa do Mundo de 1962, no Chile, esperava-se que ele fosse o grande nome, o que uma contusão no segundo jogo o impediu. Bem antes disso, o Biotônico Fontoura colocou na revista “O Cruzeiro”, a de maior circulação nacional, uma propaganda (foto) em que ao craque anunciava as vantagens do seu produto.
Pelé tornou-se, também, o "Rei do Mercado Publicitário", sendo um dos mais procurados pelos anunciantes. Praticamente,. já anunciou produtos de todos os setores do comércio. Em inícios de carreira, quando ainda era um garoto inexperiente, chegou a fazer propagada de uma pinga, mas logo foi advertido que futebol e cachaça eram grandes adversários. Então, renegou o anúncio e, nunca mais, divulgou produtos nocivos à saúde do atleta, como bebidas e cigarros.
 
                                      





Pelé não é “rei” só do futebol. Do marketing, também. Tem associado a sua imagem a centenas de produtos, tornando-se um dos divulgadores mais fortes do mundo. Cálculos de analistas do mercado publicitário dizem que a marca do craque valerá R$ 600 milhões, pelas próximas duas décadas. Nesse campo, Pelé é, também, camisa 10. De acordo com revistas especializadas em cifras,  ele acumula R$ 30 milhões anuais, anunciando produtos, que já foram de pilhas a tapetes, passando por quase tudo o que já foi para as prateleiras do planeta. E não cobra menos de R$ 2 milhões por anúncio. Nesta foto, Pelé divulga as pilhas Ray-O-Vac. Rolou por ocasião da Copa do Mundo de 1982. E bem que as “amarelinhas” poderiam se chamar de “Ray-O-Vasco”, pois Pelé se declara torcedor vascaíno. Não é mesmo?


 
O "Rei Pelé" foi a capa da edição Nº 196, de novembro de 2010, da revista "FourFourTwo" pela passagem das sus 70 temporadas de vida de glórias. Com a chamada "Pelé at 70" e o subtitulo"The Rebirth of the New York Cosmos", a publicação anunciava, em sua capa, que aquilo era algo exclusivo, em 20 páginas contando tudo sobre a carreira do "Atleta do Século, bem como outras atividades marcantes de sua trajetória neste planeta. Afinal, os marcadores achavam que ele não era deste. Pelé, também, fez um comercial para o magazine, como está aí à mostra
Durante os preparativos do Santos para o Campeonato Mundial Interclubes que a FIFA realizaria no Japão, para ganhar espaço na mídia internacional, o presidente santista, Luís Álvaro de Oliveira, anunciou a sua disposição de inscrever Pelé na disputa. Brincadeira! Aos 72 anos de idade, o "Rei do Futebol" não teria como encarar o preparo físico de uma rapaziada bem mais nova com. No dia da estreia do Peixe, em 14 de dezembro de 2011, Chico Caruso, do jornal carioca "O Globo" publicou esta charge do "Camisa 10", completamente cidadão civil, ao lado do craque Neymar.


 


 













Nenhum comentário:

Postar um comentário