Vasco

Vasco

domingo, 31 de maio de 2015

HISTORI&LENDAS CRUZMALTINAS

1 – No dia 25 de maio de 1947, ao empatar, por 2 x 2, com o Flamengo, o Vasco chegava à oitava partida da invencibilidade, de 20 jogos, ou quase sete anos, sem perder do seu maior rival. Confira a sequência dos oito duelos: 13.05.1945 - Vasco 5 x 1 Flamengo - Torneio Municipal; 16.09.1945 - Vasco 2 x 1 Flamengo - Campeonato Estadual; 18.11.1945 - Vasco 2 x 2 Flamengo - Campeonato Estadual; 24.03.1946 - Vasco 2 x 0 Flamengo - Torneio Relâmpago do RJ; 19.05.1946 - Vasco 3 x 1 Flamengo - Torneio Municipal; 03.08.1946 - Vasco 2 x 2 Flamengo - Campeonato Estadual; 06.10.1946 - Vasco 4 x 3 Flamengo - Campeonato Estadual; 25.05.1947 - Vasco 2 x 2 Flamengo - Torneio Municipal.

2 - Principal artilheiro do Campeonato Carioca de 1962, com 18 gols, Saul Santos Filho, natural de Bagé, na fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai, teve uma boa marca nos amistosos de 1963. Das 55 balançadas de rede mandadas pela "Turma da Colina", 16 foram dele, em 27 compromissos, com 14 vitórias, 14 empates e só sete quedas. Pela época dos amistosos em Lagos, na Nigéria, o Vasco excursionava, com time comandado por Jorge Vieira. Durante toda a temporada-1963, os tentos de Saulzinho foram contra: 06.01 – Alajuelense (1); 10.01 – América-MEX (1); 17.01 – El Oro-MEX (1); 11.04 – Colo Colo-CHI (1); 05.05 – Stad Abidijan (3); 25.05 – Seleção da Nigéria (4); 09.06 – Al –Mareikh-SUD (1); 13.06 – Málaga-ESP (1); 16.06 – Mônaco (1); 18.06 – Elche-ESP (2).   

3 – O artilheiro Célio Taveira Filho, maior goleador vascaíno na década-1960 e neto de Antônio Taveiras, remador da primeira conquista cruzmaltina, em 1905, encarou o Vasco, pela primeira vez, em uma quinta-feira de 1967, no Maracanã, valendo a Taça Governador Negrão de Lima. Ele jogava pelo Uruguai oNacional, de Montevidéu, a partir dos inícios da temporada-1967. Saiu da Colina levando os títulos de campeão do Torneio Pentagonal do México-1963; da primeira Taça Guanabara-1965 e do Torneio Rio-São Paulo-1966. E encarou os velhos companheiros formando nesta nova patota: Dominguez, Ubinas, Manicera, Mujica (Ancheta), Alvarez; Viera, Bita (Cúria), Montero, Célio, Paz (Techera) e Uruzmendi. Treinado por Zizinho e com gols marcados por Moraes e Paulo Bim, o time vascaíno alinhou naqueles 2 x 0: Fraz; Ari (Nilton Paquetá), Ananias e Jorge Andrade; Oldair, Maranhão e Danilo Menezes; Zezinho, Bianchini, Paulo Bim e Moraes.

4 - Vasco já enfrentou o Vitória-ES em quatro ocasiões, todas amistosasamente e na capital capixaba. Confira: 27.11.1949 – Vasco 4 x 2; 27.05.1951 – Vasco 8 x 4; 06.10.1954 – Vasco 2 x 1; 14.12.1978 – Vasco 0 x 0 Vitória-ES.  

5 – O Vasco e Canto do Rio se pegaram em sete ocasiões pelo Torneio Municipal, que era chamado, também, por Campenato Metropolitano, por reunir só times da cidade do Rio de Janeiro: 02.05.1943 – Vasco 1 x 2; 09.04.1944 – Vasco 2 x 1; 27.05.1945 – Vasco 2 x 1; 05.05.1946 – Vasco 6 x 0; 17.05.1947 – Vasco 5 x 0; 16.05.1948 – Vasco 4 x 2; 13.05.1951 – Vasco 3 x 0.   

 5 - Vasco e Benfica já cruzaram seis mares, com três vitórias vascaínas e dois empates. Sobrou só um naufrágio. Assim rolaram as águas da galera: 12.07.1932 – Vasco 5 x 0 Benfica (amistoso); 30.06.1957 – Vasco 5 x 2 Benfica (amistoso);  18.01.1972 -  Vasco 0 x 2 Benfica (Torneio Internacional de Verão-RJ); 16.081984 – Vasco 1 x 1 Benfica (amistoso); 07.02.1987 – Vasco 1 x 1 Benfica (Torneio de Luanda); 14.06.1987 – Vasco 3 x 0 Benfica (Copa TAP-EUA).

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário