Vasco

Vasco

sábado, 21 de novembro de 2015

CALENDÁRIO DA COLINA - NOVEMBRO, 21

  O 21 de novembro apresenta uma particularidade: vitórias em tempo de entressafra. Mesmo assim, com chicotadas doedeiras. Casos ocorridos nas décadas-1950/70/90, em épocas sem mexer com taças e faixas. Mas a data tem pancada pra cima do maior rival. Anote:

VASCO 3 X 1 CANTO DO RIO - Cumprimento de obrigação dominical, em São Januário, pelo Campeonato Carioca-1948. Era o 17º encontro com o time de Niterói, por aquela disputa, tendo, naquela tarde, Ademir Menezes, Ismael e Chico cumprido o dever de casa, passado pelo professor "Flávio Costa. Foram à luta: Barbosa, Augusto e Wilson; Ely, Danilo e Jorge; Friaça, Ismael, Dimas, Ademir e Chico. Naquela temporada, o "Almirante" terminou vice, com o mesmo número de vitórias e marcando mais gols do que o campeão, que fez dois pontos a mais.
VASCO 5 X 2 CANTO DO RIO  - Jogado, também, em  um domingo, em São Januário, valendo pelo Campeonato Carioca-1954, figurando como o 29º confronto entre os dois times, e com o "Almirante" elevando para 17 o número de pugnas invictas diante do rival. Vavá (2), Sílvio Parodi, Ademir e Sabará cumpriram a pauta de Flávio Costa, que seguia treinando a rapaziada: Victor Gonzalez, Paulinho de Almeida e Mirim; Ely, Amaury  e Dario; Sabará, Ademir Menezes, Vavá, Pinga e Parodi.   

VASCO 5 x 2 SÃO CRISTÓVÃO. Foi uma tarde de Pinga. Jogou pro Santo quatro goles na caneca. De quebra, o ‘Pernambuquinho’ Almir completou a tonteira. O pancadão valeu pelo Campeonato Carioca-1959 e foi na casa do adversário, o estádio da Rua Figueira de Mello, em um sábado. Eunápio de Queirós apitou e Francisco de Souza Ferreira, o Gradim, escalou: Miguel, Dario, Russo e Bellini;  Écio e Coronel; Sabará, Roberto Pinto, Almir, Delem e Pinga. O "cara" do dia, Pinga, isto é, José Lázaro Robles – vascaíno entre 1953 a 1962 – é o quarto artilheiro da história vascaína, só suplantado por Roberto Dinamite, Romário e Ademir Menezes. Viveu entre 11 de fevereiro de1924 a 8 de maio de 1996, aparecendo, em algumas estatísticas, com 250 gols, e em outras com 232, em 466 jogos. A diferença de 18 gols é porque, antigamente, não havia preocupação com as estatísticas. 

VASCO 1 x 0 FLAMENGO –  O jogo estava duro. Caminhava para o chamado "branco no placar". Até que, aos 33 minutos do segundo tempo, Roberto Dinamite decidiu a parada. Valia pelo Campeonato Brasileiro-1976, em uma tarde de domingo, no Maracanã, testemunhado por 52.026 almas. Paulo Emílio era o treinador de: Mazaropi; Gílson Paulino, Abel Braga, Gaúcho e Marco Antônio; Zé Mário e Zanata; Luís 'Fumanchu' (Alcides), Galdino (Jair Pereira) , Roberto Dinamite e Luís Carlos Lemos. Está no caderninho como o oitavo "Clássico dos Milhões", por Brasileirões.  
VASCO 3 X 2 AMERICANO-RJ - Os domingos de vitórias cruzmaltinas ndos 21 de novembro não ficavam restritos a São Januário e ao Maracanã.  Em seu compromisso pela Copa Rio-1993, o "Almirante" andou um pouco mais e foi vencer longe de casa, no Estádio Godofredo Cruz, em Campos. Jardel (2) e Gian deixaram os anfitriões zangados. Cláudio Vinícius Cerdeira apitou e Alcir Portela incumbiu de vencer: Caetano, Pimentel, Alexandre Torres, Jorge Luís, Ayupe; Leandro Ávila, Júnior, França, Yan, Jardel e Gian (André Pimpolho).   

Acrescente à VASCODTA 21 de novembro:  Vasco 0 x 0 América-MG, em 1979; Vasco 0 x 0 Botafogo, em 1995, e Vasco 2 x 2 Vitória-BA, em 1999.

Nenhum comentário:

Postar um comentário