Vasco

Vasco

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

VASCO DAS CAPAS - CORONEL

Coronel, médio-esquerdo do time líder do campeonato, vitorioso no encontro de domingo frente ao Botafogo", anuncia a edição da "Esporte Ilustrado" Nº 973, de 29 de novembro de 1956. Fotografado por Alberto Ferreira, ele estava no clássico em que o Vasco havia vencido os alvinegros, seis dias antes, por 3 x 2, no Maracanã, com gols de Pinga, Livinho e Valter, pela sétima rodada da temporada carioca.
Naquele clássico, apitado por Frederico Lopes, com renda de Cr$ 995 mil, 898 cruzeiros e 50 centavos, o time cruzmaltino, treinado por Martim Francisco, jogou com: Carlos Alberto, Paulinho de Almeida e Bellini; Laerte, Orlando e Coronel; Lierte, Livinho, Vavá, Valter e Pinga. O Vasco liderava, com 29 pontos ganhos, com 13 vitórias e três empates – perdera só duas partidas. Em 18 jogos, seu ataque marcara 53 gols, enquanto a defesa sofrera 13, lhe deixando o espetacular saldo de 38 tentos.
A segunda página da edição, em folha cheia, trazia a foto do segundo gol vascaíno, o de Livinho. E já que a publicação era ‘ilustrada”, como o seu nome anunciava, as páginas 6 e 7, com 30 fotografias de Alberto Ferreira, e 12 e 13, as centrais, com mais oito, traziam farto registro daquele duelo, também clicado por José Santos. No texto de abertura do assunto, assinado por José Romeu Viana, ele começa criticando a violência do alvinegro Bob, ao atingir Livinho, no rosto, a cinco minutos do final do encontro. Aquele e “outros incidentes concorreram bastante para apagar o brilho da vitória vascaína... justa e merecida...” em um duelo no qual ...“o Botafogo já nos primeiros minutos procurava forçar o último reduto vascaíno”, contou ele, escrevendo, pouco adiante que ...”o Vasco jamais perdeu a serenidade e continuava sempre a sua ação para um objetivo predeterminado”. O redator entregava o lado esquerdo da defesa botafoguense, onde ”Rubens claudicava bastante”, e  “o boqueirão existente do lado direito”. Eram  explicações para o “placar” favorável aos vascaínos, que tiveram gráficos dos gols, desenhados por William Guimarães, na penúltima folha. A edição trazia, ainda, a chamada de capa “Vasco, 13 vezes campeão de remo”, com matéria nas páginas 21/22, ilustradas por oito fotos de David Umbelino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário