Vasco

Vasco

segunda-feira, 27 de março de 2017

HISTORI&LENDAS DA COLINA - CARRANZA

 1 -  A Espanha é um velho terreiro de estragos cuzmaltinos. Por lá, o Vasco já goleou o Celta, de Vigo, por 7 x 1, em 7 de janeiro de 1931; o Barcelona, por 7 x 2, em 23 de junho de 1957, e o Valência, por 4 x 1, em 19 de junho de 1947. Também, de lá, já carregou as taças Tereza Herrera e Ramon de Carranza, as mais importantes do torneios internacionais promovidos pelo futebol espanhol. Sem falar que foi colocando na roda a então considerada melhor equipe do mundo, o Real Madrid, em 1957, com 4 x 3. que a rapaziada conquistou aquele que foi uma espécie de primeiro campeonato mundial de futebol interclubes, o Tornei de Paris.

3 - O Vasco já disputou  74 partidas contra equipes espanholas. Venceu 33 (44,59%) e empatou 18 (24,32). Os adversários foram: Athlétic Bilbao, Atlético Madrid, Barcelona, Bétis, Cádiz, Celta, Elche, Espanyol, Huelva, La Coruña, lãs Palmas, Logroñes, Málaga, Mallorca, Múrcia, Rayo Vallecano, Real Madrid, Sevilla e Zaragoza.        
3 -  Um ano e três meses depois do primeiro Brasil x Espanha, um combinado espanhol formado por Atlético de Madrid e Espanyol, pintou por São Januário, para um amistoso. Era 18 de agosto de 1935. Melhor para a  “Fúria” se não tivesse adentrado ao tapete verde da Colina. Os vascaínos sapecaram 4 x 0. Quatro dias depois, houve uma revanche, no mesmo local, com placar de 1 x 1. Treinado pelo inglês Harry Welfare, a "Turma da Colina" de 1935 era: Rei, Domingos da Guia (Osvaldo) e Itália;  Oscarino, Zarzur e e Calocero (Gringo); Orlando Rosa Pinto, Gradim, Luiz Carvalho, Nena e Luna.

4 - A Seleção Brasileira já encarou os espanhóis em oito vezes. Venceu a metade, empatou duas e escorregou em duas. Marcou 11 gols e sofreu oito. A primeira foi em 27 de maio de 1934, pela segunda Copa do Mundo, no estádio Luigi Feraris, na italiana Genoa. Para levar um time, a então Confederação Brasileira de Desportos (CBD), que brigava, com a Federação Brasileira de Futebol, pelo comando da modalidade no país, ganhou a parada, por ser filiada à FIFA, e levou a patota, em meio a uma luta entre profissionalismo e amadorismo no Brasil. Entre os carinhas conquistados, a CBD tirou o centroavante Leônidas da Silva do Vasco, por uma boa grana. E foi dele o gol brasileiro, na escorregada, por 1 x 3, que eliminou a rapaziada.
5  O segundo duelo Brasil x Espanha rolou durante a Copa do Mundo de 1950, no Maracanã. O Brasil sapecou 6 x 1, com quatro gols vascaínos, de Ademir (2) e Chico (2), e mais três representantes da Colina na partida, o treinador Flávio Costa, o goleiro Barbosa, o lateral-direito e capitão Augusto, e o apoiador Danilo. O confronto estava empatado: uma vitória para cada lado. O desempate rolou em 6 de junho de 1962, no estádio Sausalito, em Viña del Mar, pela Copa do Mundo de 1962, no Chile. Brasil 2 x 1, de virada, com dois gols de Amarildo, atacante que encerrou a carreira no Vasco.

6 -Em 1978, pelo Mundial de Argentina, em 7 de junho, no estádio Municipal de Mar del Plata, não houve gols: 0 x 0. O representante cruzmaltino na partida foi o atacante Dirceu Guimarães. Jorge Mendonça, que fez parte da "Turma da Colina", mais tarde, também entrou no jogo. Em 1º de junho de 1986, no Jalisco, da mexicana em Guadalajara, pela Copa de 1986, Sócrates enfiou as cicuta goela a dentro da espanholada 1 x 0. E assim se conta a história de Brasil x Espanha, pelo caneco do mundo.
7 - Amistosamente, Brasil e Espanha se pegaram, pela primeira vez, em 8 de julho de 1981, na Fonte Nova, em Salvador, com Brasil 1 x 0. Em 12 de setembro de 1990, quando o ex-apoiador Paulo Roberto Falcão esteava como treinador e lançava uma seleção inexperiente, de jogadores novos, a “Fúria” mandou 3 x 0, no espanhol estádio El Molinón, em Gijon. Da "turma experimental", o zagueiro Paulão esteve por São Januário, em 1992. Por último, rolou Espanha 0 x 0 Brasil, amistosamente, em 13 de novembro de 1999, no também espanhol Balaídos, em Vigo. Nesta, Anderson, cria do Vasco e que defendia o francês Lyon,  nos segundo tempo, a Jardel, outra cria da Colina e que estava defendendo o português Porto.

8 - O Vasco  foi o primeiro e único não-europeu a vencer um campeão da antiga Copa dos Campeões da União Europeia de Futebol-UEFA, disputada entre 1953 a 1960. Em 1957, mandou 4 x 3 no então melhor time do mundo, o espanhol Real Madrid, na final do Torneio de Paris, que seria o Mundial de Clubes da época. Deixou os franceses encantados.  Nove anos antes, o Vasco havia se tornado o primeiro brasileiro a ganhar uma disputa no exterior, o Campeonato Sul-Americano de Clubes Campeões, disputado no Chile. Com isso, soma duas conquistas continentais, com a Taça Libertadores de 1998, no ano do centenário.
9 - O Vasco tem quatro títulos brasileiros –  1984/89/97/2000 – e 22 taças de campeão estadual. No Brasileirão, são do Vasco os três primeiros artilheiros: Roberto Dinamite, com 190 gols, Romário, com 154, e Edmundo, com 153.

10 - Pelo lado social, o Vasco enfrentou (e venceu) a discriminação racial e teve o primeiro presidente sem a pele branca do futebol brasileiro, o mulato Cândido José de Araújo. Por toda a sua grandeza, é dono da quarta maior torcida do país, com a sua marca valendo R$ 323,2 milhões (oitava de maior valor no futebol abrasileiro), mereceu, do governador Sérgio Cabral Filho, a criação do “Dia do Vasco da Gama”, que se comemora em 2 de julho, pela lei Nº 5.052.

2 comentários:

  1. 17. 18/ago/1935 4x0 Comb. Atlético Madrid-Espanyol (ESPANHA) Amistoso Internacional
    18. 22/ago/1935 1x1 Comb. Atlético Madrid-Espanyol (ESPANHA) Amistoso Internacional
    peguei estas informações no site do mauro prais. Não era bem a seleção espanhola

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A correção já foi feita, Muito obrigado e fique de olho em eventuais pisadas na bola, pois o Kike é nosso, da torcida cruzmaltina. Valeu, GM

      Excluir