Vasco

Vasco

sábado, 27 de maio de 2017

HISTORI&LENDAS DA COLINA - CAPITÃO

1 - Augusto da Costa foi lateral-direito vascaíno e capitão da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1950. Jogador da "Turma da Colina", entre 1945 e 1954, era um carioca, nascido em 22 de outubro de 1922. Em 20 jogos pelo time da então Confederação Brasileira de Desportos, obteve 14 vitórias, três empates e três derrotas. Campeão da Copa Rio Branco-1947 e do Campeonato Sul-Americano-1949, marcou um gol nessa sua "história selecional".
XERIFE NA DEFESA vascaína e policial na vida privada, mandava no seu time e no adversário. Mas não prendia a bola.

2 - Alfredo Eduardo Ribeiro Mena Barreto de Freitas Noronha: nascido em Porto Alegre-RS, em 25 de setembro de 1918. Vascaíno em 1942, trocou o Vasco, pelo São Paulo, e por aquele clube disputou a Copa do Mundo de 1950. Além dos 2 x 2 com a Iugoslávia, naquele Mundial, fez mais 15 outros jogos pela Seleção Brasileira, com 12 vitórias, 3 empates e 2 derrotas. Campeão das Copas Rio Branco-1947 e 1950, e do Campeonato Sul-Americano-1949.
NOME POMPOSO no tempo em que atleta de futebol era cidadão de segunda classe

3 - Em 31 de março de 1928, o Vasco enfrentou o uruguaio Montevidéu Wanderers, para inaugurar as arquibancadas atrás de uma das balizas e os refletores do seu estádio. Venceu, por 1 x 0, com um gol olímpico de Sant'Anna, no segundo tempo. Torcedores fanáticos dizem que foi o primeiro do mundo, naquela situação. Lenda! Pode ter sido o primeiro do Brasil, pois em 2 de outubro de 1924, em Argentina 2 x 1 Uruguai, o "hermano" Onzari já havia marcado o gol batizado por“ olímpico” – um sarro nos uruguaios que, em junho, haviam voltado da França com a medalha de ouro dos Jogos Olímpicos.

4 - Os vascaínos fanáticos dizem, também, que Vasco 1 x 0 Wanderers foi o primeiro jogo sob luz artificial no país. Outra lenda. A primazia é do Villa Izabel, que, em 1914, disputado dois jogos à noite, iluminados por faróis de bondes estacionados ao lado do muro de seu campo, no Jardim Zoológico do Rio de Janeiro. Mais: os gaúchos das cidade de Pelotas, em 25 de dezembro de 1915, promoveram um amistoso noturno, entre União x Brasil.

5 - Roberto Dinamite venceu Amadeu Pinto da Rocha, candidato de Eurico Miranda, em 2008, e tornou-se presidente do Vasco, encerrando fase de mais de 20 anos de domínio euriquistas. Foram 140 votos, contra 103 de Amadeu. Primeiro ex-atleta presidente do clube, Roberto assumiu o cargo em 1º de julho. “Joguei 20 anos no Vasco..... tem que ser uma equipe campeã, mas não só em campo. Também fora... Era a vontade dos torcedores de todo o Brasil... A vitória não é só minha. É conquista da nossa chapa, que representa de 10 a 20 milhões de torcedores”, discursou Roberto, após a vitória já clara antes de 1h da manhã, quando vencera a eleição para o Conselho Deliberativo, por 146 x 113.
DINAMITU O CORONEL e abriu uma nova era na Colina, valendo reeleição, em 2011
6 - O Vasco rasgava o caminho para o seu primeiro título de campeão carioca da Série A. Era o ano da sua estreia na elite. Em 8 de julho de 1923, cerca de 35 mil torcedores, pelos cálculos do jornal ”O Imparcial”, lotavam até a pista de atletismo do estádio das Laranjeiras, do Fluminense, para ver o primeiro “Jogo do Século”. O Flamengo abriu 2 x 0, no primeiro tempo. Ceci empatou, no início do segundo. Junqueira fez 3 x 1, e Arlindo o segundo da rapaziada. Depois, o Vasco igualou o placar. Mas o juiz Carlito Rocha, do Botafogo (na época, os árbitros eram pessoas dos cubes) anulou o gol, para o time líder não ser campeão invicto. Então, Flamengo 3 x 1, no apito. Valeu uma grande comemoração dos torcedores rivais, que fizeram uma tremenda passeata festiva, das Laranjeiras até a Lapa. Roubazaço!
7 - Os confrontos Vasco x Botafogo marcam três empates na data 22 de setembro: 2 x 2, em 1947; 1 x 1, em 1979, e 2 x 2, em 2010. Contra a Portuguesa-RJ, interessantemente, em 21 de março de 1973, uma quarta-feira, em São Januário, pelo primeiro turno do Campeonato Carioca (Taça Guanabara), os vascaínos mandaram 3 x 1. Em 21 de março de 1976, um domingo, no estádio Luso-Brasileiro, pela mesma disputa, o placar foi repetido. A “ZEBRA” É IGUAL a mulher de malandro. Gostou de apanhar na mesma data.
8 - Gols do juvenil Roberto Dinamite: 10 em 1970; 16 em 1971; 10 em 1972 e 10 em 1973. Ainda juvenil, marcou 3 em 1972, jogando pelo time profissional. Em 1973, ano em que assinou o primeiro contrato (maio), foram 23 tentos, 10 pelo Campeonato Carioca, 12 do Brasileiro e 4 de amistosos.
OS GOLEIROS JÁDESCONFIAVAM do que viria pela frente. (Roberto é o penúltimo agachado à direita. Foto reproduzida da Revista do Vasco).
9 - Em 1974, como Vasco campeão brasileiro, pela primeira vez, Roberto Dinamite totalizou 39 gols na temporada, sendo 20 no Brasileiro, 18 pelo Carioca e um amistosamente. Em 1975, subiu a sua marca para 49: Brasileiro 14; Carioca14; Taça Guanabara (era uma disputa à parte) 12; Taça Libertadores 3 e mais 6 em amistosos. Em 1976, 40 bolas no barbante, sendo 14 do Brasileiro; 5 do Carioca; 10 da Taça Guanabara e 11 em amistoso. Em 1977, 44 choros de goleiros, sendo 7 do Brasileirão; 9 do Carioca; 16 da Taça GB e 12 de 12 amistosos. Em 1978, mais 44: 14 no Nacional; 19no Carioca e 11 em amistosos. 1979, aumento, para 54: 10 do Brasileiro; 13 do Carioca; 15 da Taça Guanabara; 5 no Carioca Especial e 11 em amistosos.
ONDE HOUVESSE REDE, o Dinamite as explodia.

10 - Gols de Roberto Dinamite nos Campeonatos Brasileiros da década de 1980: 1980 (8); 1981 (14); 1982 (12); 1983 (9); 1984 (16); 1985 (16); 1986 (5);1987 (6); 1988 (3); 1989 (9). Gols de Roberto Dinamite pelo Vasco: Total: 708, pela, pela temporada principal do Rio de Janeiro em 1977, 1982, 1987, 1988 e 1992; Taça Guanabara de 1976, 1977, 1986, 1987, 1990 e 1992; Taça Rio de 1975, 1977, 1980, 1981, 1984 e 1988; Copa Rio de 1984, 1988, 1992. Artilharias de Roberto Dinamite – Estadual-RJ de 1978 (19 gols); 1981 (31) e 1985 (12). E o maior goleador dos regionais do RJ, com 279 gols. Também, o principal da história de São Januário com 184 balanços de redes. Seu último gol vascaíno foi em Vasco 1 a 0 Goytacaz, pelo Estadual, em 26 de outubro de 1992, São Januário. Pela Seleção Brasileira, Roberto Dinamite fez 26 gols. Além disso, marcou para o Barcelona-ESP ( 3); Portuguesa de Desportos (11); Rio Negro-AM (2; Seleção Brasileira de Masters (2), pela Copa Pelé; Despedida do Júnior (2), em um amistoso na Itália. Total:754.
NO MÊS 10, o camisa 10 cruzmaltino parou de cruzmaltinar as redes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário