Vasco

Vasco

sexta-feira, 23 de junho de 2017

HISTÓRIA DA HISTÓRIA - BARCELONA-1957

Não foi a maior goleada vascaína na Europa, pois a rapaziada já havia mandado 11 x 0, respectivamente, contra Osrtesund, da Suécia (22.05.1959) e Trondheim, da Noruega (01.06.1961). Mas o sapeca, por 7 x 2 Barcelona, na Espanha, foi o que mais repercutiu. Aconteceu em 23 de junho de 1957, há seis décadas, portanto.
 Enquanto, no Rio de Janeiro, o “Jornal dos Sports” dizia que o Vasco havia sido um “furacão e varrido o futebol mundial”, na Espanha, uma revista dava a entender que a “Turma da Colina” era formada por professores, ensinando burros a jogar bola.
O massacre foi amistoso, no estádio Les Corts, quando o “Barça” ainda não tinha o Camp Nou, e o nome do dia foi o então médio gaúcho Laerte, com três tentos – Vavá (2), Válter Marciano e Wilson Moreira completaram o pancadão.

Defesa vascaína segura por baixo e por cima
Não fora uma goleada sobre um time franco, pois o Barcelona-1957 havia sido campeão da Copa do Rei e, no ano seguinte, campeão espanhol e da Taça das Feiras, que deu origem à Copa da UEFA (União Européia de Futebol), atual Liga Europa. Quem jogava em seu time era o atacante Evaristo de Macedo (passou pela Seleção Brasileira) que, futuramente, seria seu treinador.
O elevado placar poderia se surpresa para quem não tivesse conhecimento do que seria o Vasco do técnico Martim Franciso. A moçada, porém, batia, arrebentava, como fizera dias antes, quando traçara o também espanhol Real Madrid, então melhor time do planeta, por 4 x 3, na final do Torneio de Paris, na França, e sapecara 4 x 2 Athletic Bilbao, trazendo o Troféu Teresa Herrera, buscado na cassa do adversário.

Professores vascaínos ensinam
burrões espanhóis jogar futebol


 
Vasco 7 x 2 Barcelona, apitado pelo espanhol Gómez Contreras, rolou em um domingo à noite, com esta formação cruzmaltina:  Carlos Alberto Cavalheiro; Dario, Viana, Orlando e Ortunho; Laerte e Válter Marciano; Sabará, Livinho, Vavá e Pinga. O “Barça”, treinado por Doménec Balamanyá, tinha: Ramallets, Olivella, Brugué (Rodrí), Segarra, Flotats, Vergés (Gracía), Basora (Tejada), Villaverde, Martínez, Evaristo e González.
Na marcha do placar, Laerte abriu a conta, aos três minutos. Mais três, depois, Vavá foi lá, para o mesmo Laerte voltar ao filó, aos 11, deixando o primeiro tempo nos 3 x 0. 
Na etapa complementar, Vavá, aos 6, "removimentou" o placar, que anotou o primeiro tento espanhol, aos 10, por Villaverde. Válter fez o dele, aos 35. No minuto seguinte, o anfitrião reduziu o vexame, por Martínez, mas Wilson Moreira ainda fez mais um para os vascaínos. Grande noite! 
IMAGENS REPRODUZIDAS DO CENTRO DE MEMÓRIA DO VASCO DA GAMA. AGRADECIMENTO
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário