Vasco

Vasco

sexta-feira, 30 de junho de 2017

VASCAINÊROS E FLAMENGUÊROS-12 - TELÊ

 Sim!  Telê Santana, também, foi vascaíno. Por pouco tempo. Mas foi.  Tudo por causa de uma conversa fiada, com o jornalista Teixeira Heizer, quando assistiam a um jogo, no Maracanã. Já aposentado, há um ano e meio, ele contou ao escriba que vinha batendo umas peladinhas, de futebol de campo e de salão, para não ficar “enferrujado”. Foi, então, indagado se ele admitia voltar aos gramados.
Mineirinho esquivo, de conversa marota, Telê achava que sairia pela tangente, dizendo que só voltaria ao futebol profissional  se fosse para atender pedido de um outro grande amigo, o seu lançador, Zezé Moreira. Se deu mal! A conversa chegou aos ouvidos do homem, que não perdeu tempo e o convocou a comparecer a São Januário.

Telê estava com 34 anos – nascera em 26 de julho de 1931 –, mas conservava o biótipo dos tempos em que defendera Fluminense, Guarani de Campinas-SP e Madureira-RJ. Evidentemente, não apresentaria bom preparo físico, mas, em seu primeiro treino vascaíno, em 1965, reviveu a boa visão de jogo, o  bom passe e  jogadas inteligentes. Diante do que vira, o presidente Antônio Soares Calçada ofereceu-lhe Cr$ 350 mil cruzeiros mensais e ele assinou contrato, por quatro meses de duração, garantindo ter a certeza de que poderia ser útil ao Vasco e não estar "recalcando" chuteiras por vaidade.
Reproduzido de www.canafla
Por demorar pouco por São Januário, em fase de jejum de títulos, Telê não ajudou ao “Turma da Colina” a carregar nenhum caneco. Isso foi fazer como treinador do Flamengo, ajudando-o a levar as taças da Copa Porto e de Troféu Clássico das Multidões e Troféu Seis Anos da Rede Manchete de TV, todos em 1989.

Telê Santana estreou rubro-negro, em 23 de outubro de 1988, goleando o Guarani de Campinas-SP, por 5 x 1. Ficou até 19 de setembro de 1989, quando entregou o cargo, devido desentendimento com o atacante Renato Gaúcho, que era muito amado pela torcida. Nesse seu tempo na Gávea, Telê encontrou Zico, o maior ídolo da história do clube,  em final de carreira.

 


 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário