Vasco

Vasco

sábado, 31 de março de 2018

HISTÓRIA DA HISTÓRIA - 'SELEVASCO'

Em 1989,  o “Almirante” foi ao fundo do cofre e montou um timaço apelidado por “SeleVasco”.  Nenhum exagero!. A rapaziada beliscou o caneco do Brasileirão, sem discussões, inclusive, disputando a última partida na casa do adversário.

Entregue ao treinador Nelsinho Rosa, o grupo patinou durante o Estadual-RJ e não contava mais com os grandes "matadores” Roberto Dinamite e Romário. No entanto, aplicando um golpe de mestre pra cima do seu maior rival, o Flamengo, levou o baiano Bebeto pra Colina, a fim de suprir a falta dos dois. Veio o torneio nacional e a moçada escreveu cinco vitórias, quatro empates e só uma escorregada, durante a primeira fase.
Reproduzido de www.crvascodagama.com.br
Era animador para um time que não usava a faixa de campeão brasileiro há 15 temporadas. Mas a segunda fase não foi tão boa, com dois empates e uma queda diante dos flamenguistas.
 No entanto, a “Turma da Colina” fez a volta por cima, tendo por um dos destaques uma cria da casa, o meia-atacante Bismarck.
Lançado no time A duas temporadas antes, ele esteve vascaíno até 1993, tendo feito 301 jogos e marcado 106 gols, oito deles durante o Brasileirão-89, quando foi o principal artilheiro do time.  
 Vasco da Gama 1 x 0 São Paulo foi a finalíssima daquela campanha, em 16 de dezembro de 1989, no Morumbi-SP, com arbitragem de Wilson Carlos dos Santos e gol marcado por Sorato, aos cinco minutos, com o time alinhando: Acácio, Luís Carlos Winck, Marco Aurélio, Quiñónez, Mazinho; Zé do Carmo, Boiadeiro, Bismarck; Bebeto, Sorato e William. Treinador: Nelsinho Rosa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário