Vasco

Vasco

terça-feira, 8 de agosto de 2017

HISTORI&LENDAS - INDICADO PELO REI

1 -  Qual torcedor vascaíno lembra de um ponta-direita que apareceu fazendo muito sucesso no Juventus, o “Moleque Travesso” da capital Paulista? Difícil! O carinha chegou a São Januário indicado pelo “Rei Pelé”, que o via como um dos melhores pontas-direitas do futebol paulista, em 1968. Nem só ele. O árbitro Armando Marques, considerado o então melhor do país – era, também, treinador na praia carioca e grande observador do que rolava do seu lado nos gramados –, o considerava a maior revelação da pauliceia.Com o aval do “Camisa 10 e do Primeiro Juiz”, Antoninho seria o camisa 7 que o “Almirante” queria revessando com o titular e pernambucano baixinho Nado. O teve, por empréstimo gratuito. Ponteiro habilidoso, Antoninho agradou à torcida cruzmaltina mostrando-se bom driblador, passador e fazendo centros, como mandava o figurino, para os homens de área. O Vaco o levara juntamente com o zagueiro Fernando e o meia Benetti. 

2 - Vasco 2 x 1 Corinthians, no domingo 14 de março de 1926,  marca o inicio dos confrontos entre ambos. Foi amistosamente, no campo da Rua Paysandu, no Rio de Janeiro. De lá par cá, os dois já se encontraram por nove competições – Campeonatos Brasileiro e Mundial de Clubes; Copas Sul-Americana e do Brasil e Torneios Rio-São Paulo, Roberto Gomes Pedrosa, Rivadávia Correa Meyer e Octogonal de Verão –, além de amistosos, com maior frequência pelo Brasileirão (48), Rio-São Paulo (28) e amistosos (20). O maior placar foi 5 x 0, em três oportunidades, sendo duas favoráveis ao Vasco, no sábado 14 de abril de 1928, em São Januário, e no domingo 16 de dezembro de1934, no mesmo local, ambos amistosamente. No meio desses estragos, houve o empate, por 5 x 5, em São Januário, no 17 de abril de 1955, pelo Torneio Rio-São Paulo.   

3 - Campanha do título de campeão carioca-1936: 05.07. 1936 - Vasco 3 x 1 Madureira; 12.07 - Vasco 5 x 0 Olaria; 19.07 - Vasco 2 x 1 Andarahy; 26.07 - Vasco 1 x 0 Botafogo; 23.o8 - Vasco 3 x 1 Bangu; 30.08 - Vasco 1 x 2 São Cristóvão; Decisão Turno - 13. 09 - Vasco 2 x 0 São Cristóvão; Returno - 04.10 - Masco 0 x 1 Madureira; 18.10  - Vasco 5 x 0 Olaria; 25.10 - Vasco 2 x 3 Andarahy; 01.11 - Vasco 0 x 0 Botafogo; 15.11 - Vasco 2 x 0 Bangu; 22.11 - Vasco 3 x 2 São Cristóvão. Finais - 06.12. Vasco 0 x 1 Madureira; 13.12 - Vasco 2 x 1 Madureira; 14.03.1937 - Vasco 2 x 1 Madureira.

4 - Pelo Campeonato Carioca-1963, o Vasco disputou 24 jogos, vencendo 11, empatando 7 e caindo em 5. Marcou 39 e sofreu 23. Célio Taveira, com 14 tentos, foi o principal artilheiro. O time ficou em 6º lugar. 
Em 1966, o Vasco ficou devendo. Terminou em quinto lugar, com 19 pontos, em 18 jogos, com oito vitórias, três empates e sete derrotas. Marcou 23 e sofreu 22 gols, o que lhe deixou com o ínfimo saldo de uma bola na rede. O time que encerrou a temporada: Valdir Apple; Ari, Sérgio, Ananias e Silas; Oldair e Danilo Menezes; Nado, Adilson, Acelino e Morais.

5 - O "Almirante" tentou, mas, por duas vezes, na mesma data – 17 de dezembro –, não conseguiu atravessar o mar do América: 1 x 1, em 1955, e 0 x 0, em 1967. Agora, está impossível, pois o "Diabo" anda pelas divisões inferiores do Estadual-RJ.  Mais adiante, em 14 de dezembro de 1978, Vasco 0 x 0 Vitória-ES, não valeu nada. Em 14 de dezembro de 1997,  Vasco 0 x 0 Palmeiras valeu a mão na taça do Brasileirão, carregada uma semana depois, no Maracanã, pelo mesmo 0 x 0.

6 - Em 6 de dezembro de 1979, o Vasco recebeu o Uberlândia, no Maracanã, e mandou 5 x 0, pelo Campeonato Brasileiro. Como o time visitante era do Triângulo Mineiro, Roberto Dinamite “triangulou” três bolas em suas redes.
O rebu rolou em uma quinta-feira, valendo pela terceira fase da disputa, sob o testemunho de 10.663 pagantes.


Zico (E) ao lado de Geovani
7 - 24.03.1993 – Zico, o maior ídolo da história da torcida do Flamengo, engrossou a “Turma da Colina”, homenageando o seu amigo Roberto Dinamite, que despedia-se dos gramados. Foi em amistoso, no Maracanã, contra o espanhol La Coruña. Zico saiu do estádio direto para o aeroporto Tom Jobim, a fim de cumprir compromissos no Japão. Três anos depois, Zico voltou a irritar a torcida do Fla, declarando, na Turquia, onde treinava o Fenerbahce: "Tenho muito carinho pelo Vasco, único clube presente à minha despedida, no Maracanã, representado pelo presidente Calçada (Antônio Soares). Ele me entregou uma placa que guardo com muito carinho. Um reconhecimento que jamais esquecerei. Tenho muito respeito pelo Vasco", disse ele, em 8 de novembro de 2006, revelando, ainda que o seu filho Thiago, dispensado pelo Flamengo, poderia ir para o Vasco.  (Foto reproduzida do jornal Correio do Brasil)

 8 - 25.11.1971 – Com um chute fortíssimo, de fora da área, Roberto virou “Dinamite”, marcando o seu primeiro gol pelo time A de São Januário. A vítima foi o goleiro Gainete, do Internacional-RS, abatido, nos 2 x 0 vascaínos, valendo pelo então chamado Campeonato Nacional. No dia seguinte, o “Jornal dos Sports” saiu com a manchete “Explode o Garoto Dinamite”. Na realidade, o apelido não surgira depois do golaço. Na segunda fase do Brasileiro, durante os treinos para enfrentar o Atlético-MG (21.11.1971), Roberto se destacara nos treinos e ganhara a vaga de titular. No dia anterior ao jogo o mesmo jornal anunciou: "Vasco escala garoto-dinamite". Eliomário Valente e Aparício Pires, vascaínos, sacaram tudo e criaram o apelido quando o garoto ainda era um juvenil.

9- Carlos Roberto de Oliveira, nascido em Duque de Caxias-RJ, em 13 de abril de 1954, totalizou 47 partidas com a camisa da Seleção Brasileira. Venceu 28, empatou 14, perdeu cinco e mandou 26 bola nas redes. Dessas, 38 foram contra seleções nacionais (22 vitórias, 11 empates e cinco quedas, marcando 20 tentos); 9 diante de seleções estaduais, clubes e combinados (seis vitórias, três empates e cinco visitas ao filó). A Fifa considera só 20 como jogos oficiais (11 vitórias, um empate e uma vez atrás no placar, deixando neles nove gols. Pela seleção olímpica, foram cinco compromissos, com um vencido, dois empatados e dois perdidos. Marcou só um gol. Seu último jogo foi com a camisa vascaína, em 24 de março de 1993, contra o espanhol Deportivo La Coruña, que venceu, por 2 x 0, no Maracanã. 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário