Vasco

Vasco

quinta-feira, 15 de abril de 2021

MUITO TRABALHO NO DIA DO TABALHO

 01.05.1934 – No Brasil, o primeiro de maio é o Dia do Trabalho. Certo? Crtíssimo! Só que, no dito cujo, ninguém trabalha. Curte o feriadão no clube, no convescote, no passeio, etc. Mas há quem leve a coisa ao pé da letra. Caso do groto do placar de Vasco da Gama 5 x 2 Flamengo, do Campeonato Carioca de1934, em uma terça-feira. Era pra ele ficar quietinho, em São Januário, mas Alessandro, Orlando e Gradim e Almir (2) estragaram o seu feriadão, lhe levando fainas. Outro que teve muito trabalho foi o árbitro Ovaldo Kropf de Carvalho, que teve de  ordenar sete ressaídas de bola. Harry Welfare era o chefe da moçada vascaína, que chamava-se: Marques, Domingos da Guia e Itália; Gringo Fausto e Mola; Orlando, Almir, Gradim, Nena e D´Álessandro. 

OBS: a temporada carioca-1934 teve dois campeonatos, o oficial, pela Associação Metropolitana de Esportes Athléticos, e o da Liga Carioca de Footaball, porque, em 1933, houve cisão, devido a adoção do profissionalismo. O Vasco da Gama venceu a parada de sua turma, com oito vitórias, dois empates e duas quedas. Marcou 28 e bobeou em 16 bola eu foram parar em sua rede.

quarta-feira, 14 de abril de 2021

HISTORI & LENDAS DE DIAS CINQUEIROS

 31.07.1930 -  Nada de peninha de hermanos. O Almirante desbravador de  mares bravios navegou  pelas mais calmaa água de São Januário, em uma quinta-feira, e sapecou  5 x 1 Huracan, amistosamente. Tempos de comando do time entregue a  Harry Welfare,  que antotou os tentos de sua rapaziada com sendo marcados por Mário Mattos (2), Paes, Russinho e Fausto dos Santos. Turma do sacode: Jaguará, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto  e Mola; Bahianinho, Paes, Russinho, Mário Mattos e Sant´Anna.   

31.07.1932 – Duas temporadas depois, com 5 x 2 Bangu, parecia que o Almirante estava cultivando goleadas decrescentes. Que nada! Diante dos alvirrubros, grandes freguesões, de quanto batesse estava de bom tamanho. Daquela vez, no mesmo gramado do São Januário citado acima, a moçada chegou a abrir três gols de frente, por Gringo, Orlando e Mário Mattos - no primeiro tempo. No segundo, Gringo e Mattos repetiram suas proezas filósofais, voltando a bater no filó, pelo Campeonato Carioca, em um domingo: Machado,  Lino e Itália; Tinoco, Henrique e Mola; Bahiano, Gringo, Galego, Mário Mattos e Orlando.

terça-feira, 13 de abril de 2021

FLAMENGUICICES NA ESQUINA DA COLINA

 20.07.1996 – Todo dia é bom para bater em flamenguista, diz o torcedor vascaíno. Mas duas vezes, em um mesmo mês, nem se fala! Ainda que seja em tempos espaçados, como aqui: Vasco 3 x 2 Flamengo, amistoso, no Estádio Vivaldo Lima, de Manaus. A Turma da Colina era chefiada por Carlos Aberto Silva e a pátota da vez incluía: Carlos Germano; Vítor Pereira, Sandro, Alex Pinho e Cássio; Luisinho, Leandro Ávila e Juninho Pernambucano; Gian (Cristiano), Pedro Renato (Brener)(Alessandro) e Válber (Vítor). O Clássico dos Milhões manauara teve assistência de 25 mil pagantes e as redes estufadas, vascainamente, por Juninho Pernambucano, Válbere Vítor Pereira.

16 de julho de 2006 -  Desbundante! Vasco 1 x 0 Flamengo, com time reserva e com gol de zagueiro em fim de linha. Rolou no em um domingão, no Maracanã, valendo pelo Campeonato Brasileiro. Mas em partida testemunhado por apenas 7.774 almas. Paulão, o becão que balançou a roseira, aos 30 minutos do segundo tempo, tinha 33 nos costados e uma vida de cigano da bola. Estava em seu sétimo time. Em São Januário, ganhou moral com o treinador Renato Gaúcho Portaluppi. Matadores de Urubu :  Cássio; Claudemir, Paulão, Eder e Hugo (Madson); Ygor Roberto Lopes, Alberoni (Amaral) e Ernane; Abedi e Faioli (Ricardinho).

segunda-feira, 12 de abril de 2021

TRAGEDAÇA DA COLINA - FLUMINADO-1988

  O Vasco da Gama havia sido bicampeão estadual-RJ, em 1987/1988. E tinha tudo para ser o campeão brazuca na última destas duas temporadas,  quando o Campeonato Brasileiro teve o nome de Copa União.  Foi o melhor time das duas etapas classificatórias, mas não chegou às fases decisivas. No primeiro turno,  fez 27 pontos, em 12 compromissos, com 7 vitórias, 3 empates, 2 derrotas e saldo de 8 gols, sendo o primeiro do Grupo B. No returno, a campanha foi ainda melhor, sem derrotas. Repetiu os 27 pontos da fase anterior (23 de 6 vitórias e 5 empates, além de 4 pontos extras), em 11 jogos sem derrotas. Teve um saldo de 12 gols.

 Para chegar à segunda fase do Brasileirão-1988, o Vasco teria que eliminar o Fluminense, em um “mata-mata” de dois jogos.  Um adversário que fora o pior do Grupo A do segundo turno, com apenas duas vitórias (5 derrotas e 4 empates). Juntando-se os dois turnos classificatórios, o Vasco colocou 16 pontos de vantagem sobre os tricolores.  E veio a definição da vaga às quartas-de-final, após uma paralização das disputas, na virada do ano. No primeiro duelo, o Vasco caiu, por 0 x 1. Recuperou-se no segundo, mandando 2 x 1. Como era necessário uma prorrogação, perdeu, por 0 x 2. E de nada adiantou a sua melhor campanha geral em dois turnos, somando 54 pontos, oito a mais do que o segundo colocado no geral, o Internacional-RS (46) e 10 à frente do terceiro, o Bahia (44).  

 Pelas rodadas seguintes,  os baianos eliminaram Sport Recife e Fluminense, enquanto os gaúchos tiraram Cruzeiro e Grêmio. E foram para as finais, com título indo para a Bahia. Detalhe, o Bahia foi campeão com 56 pontos, um menos do que a fatura total do Vasco (57).  O regulamento deixou o time do treinador Carlos Alberto Zanata, ex-meio-campista vascaíno, em quinto lugar, atrás, ainda, de Internacional (55),  Fluminense (42) e Grêmio-RS (41). Coisas de cartola brasileiro.    

 

domingo, 11 de abril de 2021

HISTORI & LENDAS - FLAMENGADADA

 10.03.1929  - O Flamengo ainda não era o maior rival do Vasco da Gama, mas o América. Ganhar dos rubro-negros, no entanto, era muito prazeroso, pois eles haviam perseguido muito os vacaínos, por estes abrigarem, em seus times, negros e brancos pobres. Uma das vitorias muito comemoradas daquele tempo está escrita em goleada: 4 x 1. Par que isso acontecesse, o duelo passou, primeiramente, pelo remo. Os dois clubes precisavam reforçar as suas guarnições e, para juntar uma graninha, marcaram dois amistosos no futebo, com o primeiro no campo da Rua Paysandu - o segundo ficou para  16 de maio. 

Cerca de de 15 mil torcedores prestigiaram, mas se incomodaram pela falta de emoções na pequena área, durante um primeiro tempo sem gols. N a etapa final, porém, Fausto dos Santos foi o cara. Encaçapou três: aos 2, aos 11 e aos 35 minutos, este batendo pênalti - Mário Mattos completou a balaiada, aos 37.  
O segundo tempo teve, também, algo incomum no futebol. Insatisfeito com tantas reclamações dos jogadores flamenguistas, o árbitro Diego Rangel expulsou-se de campo, aos 15 minutos, sendo substituído por Fernando Gonçalves. Treinado pelo inglês Harry Wefare, o Vasco da Gama alinhou: Valdemar, Lino e Itália; Brilhante (Nesi), Tinoco e Mola; Baiano, Oitenta e Quatro, Fausto, Mário Mattos e Santana.