Vasco

Vasco

sexta-feira, 23 de julho de 2021

DUAS HISTORI & LENDAS DE LATERAIS

 Quase em uma mesma data, separadas por 48 horas, o Almirante teve seu time comandado por dois ex-laterais-direitos. Vejamos a quase-coincidência, coincidente no placar: 

24 de março de 1968 - Vasco da Gama 1 x 0 Campo Grande-RJ - pega do Campeonato Carioca, em São Januário, com presença de 7.004 pagantes e Bianchini  na caçapa. O chefe da rapaziada era o ex-latral-direito vascaíno Paulinho de Almeida, que formou o  time assim: Pedro Paulo; Ferreira, Brito, Fontana e Lourival; Bugleux e Danilo Menezes; Nado, Nei, Bianchini e Silvinho.

22 de março de (quarta-feira) - Vasco da Gama 1 x 0 Madureira - Taça Rio, terceira rodada, em São Januário-RJ, com gol por Pikachu e público de 3.218 pagantes. Não pagou as despesas da partida. O Almira era teinado pelo esnobe seu ex-lateral-direito, Mílton Mendes, que ia aos jogos usando ternos elegantérrimos, sapatos carérrimos e passava todo o jogo, com um terço nas mãos, pedindo a Deus para prejudicar o adversáro.  Seu time: Jordi; Gilberto, Jomar, Rafael Marques e Henrique; Jean (Julio dos Santos), Douglas, Andrezinho (Escudero), Yago Pikachu e Nenê; Luis Fabiano (Thalles). 

quinta-feira, 22 de julho de 2021

GASTOU E ECONOMIZOU COM GRINGAIADA

 A caderneta do cruel Almirante ,tambpem como um tsunami. E que, tmabçem, foi piedoso com quem pintou pela frente. Na primeira anotação ele fala dos hermanos independientistass, varridos por seis. Ou meia-dúzia – você decide! Na economizada no placar, aludiu a súditos de uma rainha. Fique sabendo:

25 e julho de 1954 - Vasco da Gama 6 x 1 Independiente-ARG - um domingo com amistoso e placar desmoralizante, na colombiana Medellin. O treindor Flávio Costa comandava uma rapaziada trepidante que alinhava goleadores de escol, como os daquele dia:  Ademir Menezes (2), Vadinho (2), Hélio e Alvinho. Escalação do sacode: Ernâni, Paulinho e Bellini; Ely do Amparo, Laerte e Dario; Hélio, Vadinho, Ademir Menezes, Alvinho e Pinga. OBS: depois daquela seistação, o Almra voltou a encontrar os hermranos na Colombia, em novo amistoso, no  14 de fevereiro de 1960. Mas, daquela vez, ficou em cima do muro: 1 x 1. 

5 de maio de 1956 - Vasco da Gama 2 x 0  Sheffield Wednesday-ING - tempos do treinador mineiro Martim Francisco, descendente os Andradas que brilharam na história política do antigo império do Brasil. A sua rapaziada favia um rolé pela Europpa, quando pegou pela frente o time inglês, em sábado, no estádio. E desceu-lhe a porrada, no único duelo entre eles, com a turma do dia sendo:Hélio, Dario e Haroldo; Laerte, Orlando e Coronel; Ademir Menezes, Maneca, Vavá, Livinho e Djayr.

 

quarta-feira, 21 de julho de 2021

CHUPOU BAGAÇO DA LARANJA NA ESQUINA

 A Turma da Colina mandou no placar da maioria dos amistosos disputados com o Fluminense, o que não rola mais há quatro décadas. Quando amassou a turma das Laranjeiras, a rapaziada deixou na mesa um copo com laranjada azeda. Prove as provas:  

27 de fevereiro de 1977 - Vasco da Gama 2 x 0 Fluminense -  penúltimo amistoso com os tricolores. Preliado em um domingo, no Marcanã, foi prestigiado por 22. 202 pagantes e teve  gols marcados por Orlando Lelé e Luís Fumanchu. O treinador era o mineiro Orlndo Fantoni e o time da vez alinhou: Mazzaropi; Orlando Lelé, Abel Braga, Geraldo e Luís Augusto; Zé Mário, Zanatta e Dirceu; Luís Fumanchu, Ramon Pernambucano (Uiliam) e  João Paulo.  

28 de fevereiro de 1981 - Vasco da Gama 2 x 1 Fluminense - último amistoso entre os dois, disputado no Estádio Hermenegildo Barcelos Amaral, em Cabo Frio. Assistido por 12 mil pagantes, teve gols vascaínos por Zandonaide e César, com o treinador Mário Jorge Lobo Zagallo escalando: Mazzaropi (Jair); Rosemiro, Orlando, Ivane João Luís; Dudu Coelhão,  Zandonaide (Guina) e Marquinho; Alcides (IWilsinho), Roberto Dinamite e César. 

2 - Vasco e Fluminense disputaram 13 amistsoso, desde 11 de março de 1923, quando o Almira sapecou 3 x 2, no gramado da Rua Figueira de Melo. O segundo foi no 4 de dezembro de 1927, nas Laranjeiras, a casa tricolor, com nova vitória vascaína: 1 x 0. Em 1928, houve mais dois, com cada um vencendo um. Em 1929 e em 1930, rolou repeteco nessa história, com a vitória vascaina sendo por 4 x 1, dentro das cozinha tricolada das Laranjeiras. Em 1931, foi pior: 4 x 0, nomesmo local. Por ali os dois rivais deram um tempo na amistosidade só retornada em 1937, com uma vitória para cada lado e o Vasco mandando 4 x 0, em São Januário. Nova paradinha e retorno em 6 de novembro de 1943, para a Turma da Colina sapecar 6 x 1, nas Laranjeiras. Chupu até o bagaço da laranja, mas escorregou, em 6 de abril de 1947. Passada uma década, em 1957, mais uma vitória pra cada time, repetecadas em 1959 e em 1962. Depois vem os contados acima de 1977  de 1981. 

 

terça-feira, 20 de julho de 2021

SETAÇADAS LÁ NAS ESQUINAS DA COLINA

 Time paulista que não se cuidassse diante de Romário, já viu! Ele encaçapava, sem chances de perdão. Mandava pra forca. O campineiro Guarani e o paulistano xará da capital e do Estado sentiram a tragédia nos costados. Conferindo:

05.08.2001 – Vasco da Gama 7 x 1 Guarani de Campinas-SP – sacodasço valendo pela segunda rodada da primeira fase do Campeonato Brasileiro, em um domingo, diante de 4.844 pagantes. Preliado em São Januário-RJ, teve machucação bugrina por conta de Romário (3); Juninho Paulista Jorginho e Botti. O treinador era Joel Santana e o time impiedoso alinhou: Helton, Patrício, Alexandre Torres (Géder), Odvan e Gilberto; William, Jorginho (Fabiano Eller), Botti (Siston) e Juninho Paulista; Euller e Romário.

25.11.2001 – Vsco da Gama 7 x 1 São Paulo-SP  - sacanagem quinta-feirana, em São Januário, valendo pela 36ª rodada do Brasileirão. Farra redeira para Romário (3) Gilberto, Euller, Léo Lima e até o zagueiro Dedé, presenciados por 23.989 pagantes. Noite de terror pra o time tricolor paulista, quando o seu maior nome, o goleiro Rogério Ceni, expulso de campo. O Almirante machucante era comandado pelo treinador Paulo Césr Gusmão, que mandou para a bagunça: Hélton, Rafael (Ely Thadeu (Botti)), Géder, João Carlos e Gilberto; Jamir (Dedé), Donizete Oliveira, Fabiano Eller e Léo Lima; Euller e Romário. 

segunda-feira, 19 de julho de 2021

DUAS HISTORI&LENDAS DE PORTUGADAS

 No Brasil, o mês de julho é, tadicionalmente, marcado pra rolar férias escolares e dos parlamentares e magistrados. De sua parte, o Almirante nunca tira férias para interromper as suas maltratações aos desafiantes. Veja só o que aconteceu com estes portuguinhas:   

22 de julho de 1931 - Vasco da Gama  9 X 2 Combinado Varzim/Boa Vista - pelo visto, os portugueses não tiverasm vistas nada boas olhando para as redes, durante este amistoso que fez parte da primeira excursão de um clube carioca ao solo europeu. Pega transcorrido na  Cidade do Porto, após vitórias sobre os espanhóis Barcelona (2 x 1) e Celta (7 x 1), e mais três portugas: Befica (5 x 0); Combinado de Lisboa (4 x 2) e Futebol Clube do Porto (3 x 1). Da refregas contra o combinado descombinado acima, quarto em Portugal, Tinoco (3), Benedito (3), Santana (2) e Fernando maltrataram os gajos no filó. O treinador era o inglês Harry Welare e o time chocante teve: Valdemar, Itália e Nesi; Fernando, Mola e Bahianinho; Benedito, Rainha, Ghizone, Mário Matos e Santana.

24 de julho de 1931  - Vasco da Gama 6 x 2 Ovarense-POR -  quinto compromisso da excursão em que a rapaziada saiu goleando times portugueses e espanhóis, Nos “relvados” lusitanos, os cruzmaltinos haviama estreado 12 dias antes desse estrasgo, na cidade de Ovar. O saco de maldades dos vacaínos foi aberrto por Russinho (3), Nilo, Bahianinho e Carvalho Leite. O chefes Harry Welfare contou com: Valdemar, Nesi, Fernando, Rainha, Mola, Bahianinho, Nilo, Carvalho Leite, Russinho, Benedito e Santana.