Vasco

Vasco

sexta-feira, 15 de julho de 2016

O VASCO NOSSO DE CADA DIA - 15.07

Em 15 de julho de 1931, o Vasco excursionava pela Europa. Em Portugal, mantinha um grande cartaz, por ter goleado o Benfica, três dias antes, por 5 x 0. Isso, já tendo vencido os espanhóis Barcelona e Celta – este, goleado, por 7 x 1. Então, a turma da capital portuguesa se uniu, para lavar a honra lusitana.
Animados para a refrega, os lisboetas montaram um combinado, à base de jogadores de Benfica, Vitória e Casa Pia, e foram para o 'relvado'. Mas não teve jeito. Igualmente aos benfiquistas, foram abatidos: 4 x 2. O amistoso, apitado por Santos Junior,  teve gols vascaínos marcados por Russinho (3) e Nilo. O time, treinado por Harry Welfare, foi: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Carvalho Leite, Nilo, Russinho e Mário Matos.

Benfica e Sporting são velhos conhecidos dos torcedores cruzmaltinos. Quanto ao Casa Pia (escudo acima), que time é este? Fundado, por estudantes, em 14 e julho de 1920, o Casa Pia Atlético Clube chegou vencendo, invicto, as principais competições portuguesas, o Campeonato Distrital e a Taça da Associação (1920/1921). Em 1938/39, disputou o I Campeonato Nacional Português, com Acadêmico, Acadêmica, Barreirense, Benfca, Belenenses, Sporting, e Porto. Em 1964/1965, pela II Divisão Nacional, ficou 32 jogos seguidos sem perder. O clube venceu seis campeonatos nacionais amadores e uma Série E, a terceirona portuguesa. (escudo reproduzido de weltfusballerarchiv.com). Agradecimento
TAÇA GUANABARA-1967 - A Federação Carioca de Futebol colocou a saca-rolha nas mãos do “Almirante” e deu-lhe a missão de abrira a disputa, até então separada do Campeonato Carioca. Sem problemas!  O “Time da Virada” foi ao gramado do Maracanã naquele 15 de julho encarar o Fluminense,  em um sábado, e explodiu a boca do balão. Aos 15 minutos, viu o adversário fazer a festa. Mas, ainda no primeiro tempo, Nei Oliveira empatou, aos 42. Na etapa final, no primeiro minuto, cobrando pênalti, o zagueiro Brito armou mais um “vira-vira” na história da rapaziada. Gualter Portela Filho foi o juiz e a renda atingiu NCr$ 22.408,45 (cruzeiros novos), uma das muitas moedas brasileiras do passado inflacionário. Treinado pro Gentil Cardoso, o time teve: Franz; Jorge Luiz, Brito, Fontana e Oldair; Danilo Menezes e Salomão; Jodir, Nei, Paulo Bim e Luisinho. 

 DETALHE: Hércules Brito Ruas, que estufou os cordéis a cidadela tricolor”, como falavam os "speekers" de antigamente, terminou a temporada-1967 com sete gols na conta. Até dois de outubro de 2011, ele era o maior zagueiro-artilheiro da “Turma da Colina”, título que perdeu quando Dedé deixou o dele em Vasco 2 x 2 Corinthians, e terminou o ano com 11 bolas no filó. Portanto, o Britão manteve um recorde na Colina por 44 anos.

 
EMPATES PALESTRINOS  -  Esta é para o torcedor que gosta de detalhes. Anote: na data 15 de  julho, o Vasco empatou, por duas vezes, pelo mesmo placar, com um mesmo adversário paulista, que o enfrentou usando dois nomes diferentes. Em 1937, em uma quinta-feira, teve pela frente o paulista Palestra Itália, com o qual ficou no 0 x 0, amistosamente, no Parque Antárctica, em São Paulo. O time era treinado pro Harry Welfare e formou com: Joel, Poroto e Itália; Oscarino, Zarzur e Calocero; Raul, Lindo (Mamede), Kuko, Feitiço e Orlando (Luna). Entre 28 de setembro de 1924 e 28 de agosto de1938, houve 20 amistosos, nos quais os cruzmaltinos venceram cinco e empataram 11.

Em 1951, o duelo já foi pela Copa Rio, uma espécie dos atuais Mundiais,  e o time paulistano já se chamava Sociedade Esportiva Palmeiras. Rolou novo 0 x 0, mas em um domingo, no Maracanã. Oto Glória era o chefe desta rapaziada: Guimarães, Augusto e Clarel; Ely, Danilo e Alfredo II; Tesourinha, Vasconcelos, Friaça, Maneca e Dejayr. O jogo foi assistido por 77.488 torcedores, sendo que 63.668 compraram ingressos, para a renda chegar a Cr$ 1.914.325,00. O juiz era o inglês Edward Graigh. (foto reproduzida de www.crvascodagama.com.br). Agradecimento.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário