Vasco

Vasco

domingo, 17 de julho de 2016

O VASCO NOSSO DE CADA DIA - 17.06

A dupla FLA-FLU comeu poeira diante da "Turma da Colina" nos 17 de junho. Principalmente os tricolores. Sobrou, também, para pernambucanos, manauaras, brasilienses e trêsrienses. Cosias pavorosa! Para eles.  
 
VASCO 5 X 1 FLUMINENSE representou a penúltima partida que daria à “Turma da Colina” o bi do Torneio Municipal. Melhor não poderia ter sido. Além de garantir um título, antecipadamente, ainda aconteceu dentro da casa rubro-negra, no estádio da Gávea. Foi um dia show do artista (da bola) Lelé, que fez o filó vibrar por três vezes. Nnão dava para segurar. O “Expresso da Vitória” já andava atropelando. Tanto que até o zagueiro Berascochea marcou  gol –  é claro que Ademir Menezes, também, não deixou de comparecer ao placar. O jogo foi apitado por Oscar Pereira Gomes e o técnico Ondino Vieria usou esta rapaziada: Barcheta, Nilton, Berascochea, Rafaganelli, Argemiro, Rubens, Djalma, Isaías, Lelé, Ademir Menezes e Chico. A competição foi em turno único, por pontos corridos. O Vasco, literalmente, atropelou.. Fez seis pontos a mais do que o segundo colocado, em nove jogos,  marcando 41 e ficando com o incrível saldo de 31 tentos. Confira datas e placares: 29.04.1945 – Vasco 3 x 0 Bangu; 06.05 – Vasco 6 x 1 São Cristóvão; 13.05 – Vasco 5 x 1 Flamengo; 20.05 – Vasco 6 x 0 Bonsucesso; 27.05 – Vasco 2 x 1 Canto do Rio; 03.06 – Vasco 5 x 3 Botafogo; 10.06 – Vasco 3 x 1 Madureira 17.06 - Vasco 5 x 1 Fluminense e 24.06 - Vasco 6 x 2 América.

VASCO 5 X 2 AMÉRICA-PE - Em 17 de junho de 1951, o América, de Recife, queria a revanche dos 3 x 0 sofridos ante o Vasco, em 16 de junho de 1949, em casa, no primeiro dos dois amistosos já disputados por ambos. Insistiu e levou outra chinelada: 5 x 2. O novo duelo no Nordeste foi uma festa para os gaúchos Tesourinha e Chico. Cada um marcou dois gols. Até o xerifão Ely do Amparo, que não era disso, balançou a rede. Quem comandava a patota era Oto Martins Glória, que mandou pro forró, também, um “matador” da terra, Ademir Marques de Menezes, que ficou devendo.. Bem com um outro atacante impiedoso, Albino Cardoso Friaça. Tudo bem! Tinham créditos!
 
VASCO 7 X 2 COMBINADO DE MANAUS - No 17 de junho de 1965, os amazonenses chamaram a moçada para um amistoso, em suas águas, e foram engolidos com a força de uma pororoca: 7 x 2 – Mário "Tilico" (3) e Araquém (2) pintaram nas redes. O "Kike" não encontrou os outros dois autores. Os vascaínos mostravam as suas caras aos manauaras desde 22 de fevereiro de 1953, quando deixaram o Nacional de 4 x 1. Com aquilo, conquistaram torcedores e fizeram grandes apresentações em Manaus, graças a ídolos como Orlando  Peçanha de Carvalho, Ademir Menezes, Pinga, Vavá e Roberto Dinamite, entre outros. Antes do encontro com o Combinado, o Vasco havia, durante excursões ao Amazonas, vencido mais três amistosos: 01.03.1953 – 8 x 1 América-AM; 08.101955 – 2 x 1 Fast; 09.10.1955 – 6 x 1 América-AM.   
 
VASCO 2 X 0 BRASÍLIA - Segundo encontro entre os dois times – no primeiro, em 1977, Vasco 3 x 0, em São Januário, local deste novo prélio, em um sábado pela segunda fase do Campeonato Braisleiro-1978. Paulinho, aos  17, e Paulo Roberto, aos 89 minutos, escalados pelo treinador Orlando Fantoni, bimbaram as redes, para esta rapaziada: Mazaropi; Orlando, Marcelo, Gaúcho e Marco Antônio; Zé Mário, Guina e Zanatta; Helinho (Paulo Rberto), Ramon Pernambucano (Wilsinho) e Paulinho. O Brasília, dirigido por Cláudio Garcia, era: Deo; Chavala, Luís Carlos Teixeira, Emerson Braga e Odair Galetti; Lindário, Ernani Banana e Péricles; Nei, Rogério e Edmar (Zezinho Maranhão).

VASCO 1 X 0 CAMPO GRANDE-RJ - Embora tivesse placar apertado, foi vitória importante, por apagar início de fumaça sobre a Colina. O time do técnico Mário Jorge Lobo Zagallo tropeçara nas três rodadas iniciais do Estadual-1981, perdendo para os velhos rivais América e Flamengo, e empatando, por placar de peladas, por 3 x 3, com o Volta Redonda. Após a recuperação, com 4 x 1 Madureira, passar pelo “Campusca” aliviou o clima em São Januário, local da pugna, assistida por 4.239 pagantes, apitada por Aluísio Felisperto e com gol marcado por Roberto Dinamite, aos 23 minutos do segundo tempo. Foi um jogo nervoso, come Orlando recebeu o cartão amarelo e Dudo sendo expulso de campo. O time: Mazaropi; Rosemiro, Orlando, Leo e Sérgio Pinto; Dudu, Marquinho (Zandonaide) e Renato Sa; Wilsinho (Catinha), César e Roberto.
 
VASCO 3 X 1 FLUMINENSE -   Vasco 3 x 1 Fluminense, em 1992, foi em uma quarta-feira, no estádio do Madureira, isto é, Aniceto Moscoso, à Rua Conselheiro Galvão, Nº 130. Apenas 1.069 torcedores pagaram ingressos, deixando mais de oito mil lugares vagos na casa que comporta 10 mil almas. Jorge  Fernando Rabello (RJ) Nelsinho Rosa era o  comandante da “Esquadra do Almirante”, que bombardou o “inimigo”, com “tiros” de Macula, aos 6, e Sorato, aos 31 minutos do primeiro tempo, e de Valdir ‘Bigode’, aos 26 da etapa final. Os impiedosos foram: Carlos Germano; Dedé, Tinho, Sidney (Alê) e Cássio; Luisinho, Leandro Ávila e Macula; Luis Cláudio, Valdir e Sorato.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário