Vasco

Vasco

segunda-feira, 30 de março de 2015

FERAS DAS COLINA - VALDIR BOCCARDO

A história da rivalidade Vasco-Flamengo é repleta de atletas que trocaram de camisa. No basquetebol, uma delas foi vivida por Valdir Geraldo Boccardo que, após sete temporadas usando a blusa rubro-negra, trocou-a pela jaqueta de número 13 da “Turma da Colina”, em 1965.
 A mudança de Sérgio teve participação direta de uma ação vascaína. Em fevereiro de 1964, os dois rivais decidiam o Campeonato Carioca de 1963, atrasadamente. Como o Vasco carregou o caneco, Sérgio foi apontado como o culpado pela derrota rubro-negra, por ter-se casado na época da decisão. O jogador, no entanto, contestou as acusações, alegando ter  interrompido a sua lua-de-mel, no segundo dia, para encarar os cruzmaltinos.
 Sem mais clima no Fla, Sérgio foi para São Januário. Ele, que sempre usara a camisa 13, dizia não temer o azar associado àquele número, por ser católico e jamais ter usado uma outra numeração. E tornou-se um grande reforço das Colina.
 Em seu currículo, Valdir anotava os títulos de campeão mundial-1959, pela Seleção Brasileira; latino-americano universitário-1963;  carioca-1959/60/62/64; do interior paulsita, por São José dos Campos-1957 e brasileiro, pela seleção carioca-1961/1964. Isso, além das medalhas de bronze do Pan-Americano-1959 e Sul-Americano-1960.
Além de basquetebolista, era era professor de Educação Física e lecionava a matéria “Técnicas de Basquete”, tendo sob o comando mais de mil alunos. Contrário ao profissionalismo na modalidade, entendia que as rendas dos jogos não dariam para um clube dispor de um atleta em dedicação exclusiva. Além de que a maioria dos seus colegas era estudantes universitários. Por isso, não tinha medo de declarar que profissionalismo no basquete só vingariae “se o nível intelectual do jogador baixasse ao ponto de igualar ao do futebol”, no qual a maioria,  malmente, passava  do curso primário. 
Desprezado pelo Flamengo, com tantas conquistas, Valdir ajudou o Vasco a ganhar o charmoso título de campeão carioca do quarto centenário do Rio de Janeiro-1965.  

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário