Vasco

Vasco

terça-feira, 31 de maio de 2011

REVISTA PRELIMINAR VASCO Nº 2

domingo, 15 de maio de 2011

VASCO LANÇA REVISTA PRELIMINAR

 
2
 Em 24 de outubro de 2010,  Vasco lançou a revista "Preliminar", para distribuição gratuita aos torcedores que vão aos seus jogos. No instante da entrada no estádio, uma equipe uniformizada fazia a distribuição. Uma das atrações da publicação foi a história em quadrinhos, criada pelos desenhistas Brenno Dias, de 22 anos, e Denis Melo, de 21m que falaram ao o site oficial do clube, como reproduz o "Kike da Bola":
Brenno - Conheci o Denis pela internet. Quando a chance de trabalhar juntos surgiu, a gente deu início com o gol monumental do Juninho. Depois, fizemos do Edmundo, do Cocada... Inclusive, o quadrinho do Edmundo é o que mais me agrada. Foi um grande momento, para o clube, aqueles seis gols do 'Animal'. O Vasco tem muita história e tradição. É uma grande fonte de inspiração. Especificamente, nesse aspecto fica fácil. Complicada é só escolher o tema. A gente fica perdido para selecionar o momento que pode passar mais emoção.
Denis -  O processo é um pouco demorado. Faço o esboço e mostro ao Brenno. Caso ocorra a aprovação dele, começo a trabalhar um desenho de página inteira. Geralmente, uso pincel e bico de pena.
DESCRIÇÃO - Os editores definem a ''Preliminar Vasco" como um 'match programme' (serviço de jogo), em formato magazine padrão. com 16 paginas e impressão em papel couchê, proporcionando alta qualidade visual. Conforme informam, a tiragem média é de 15 mil exemplares, podendo alcançar 80 mil nos dias de grandes jogos no Maracanã. "O índice de retenção da "Preliminar" pelos torcedores chega a 92%", revela a Stadium Comunicação. Mais informações em (41) 3082-8783 ou pelo e-mail  comercial@preliminararena.com.br

sexta-feira, 13 de maio de 2011

FOTO DO DIA - SEGURA PEDRO PAULO

 
 A imagem que você vê foi publicada pela revista "O Cruzeiro" e é da partida em que os vascaínos venceram aos botafoguenses, em 5 de outubro, por 2 x 1, pelo Torneio Roberto Gomes Pedrosa, na presença de 80 mil animados torcedores, no Maracanã.  Pedro Paulo  faz a defesa, observado pelo zagueiro Brito. Vale ressaltar que ele foi dos poucos goleiros a defender um pênalti cobrado pelo alvinegro Quarentinha (Valdir Lebrego), que tinha um dos chutes mais forte do futebol brasileiro, na década-1960.  

The image you see was published by the magazine "O Cruzeiro" and is the game in which Vasco won the Botafogo, on October 5, for 2 x 1, the Tournament Roberto Gomes Pedrosa, in the presence of 80,000 excited fans at Maracana. Peter Paul's defense, observed by defender Brito. It is noteworthy that he was of the few goalkeepers to defend a penalty charged by Quarentinha alvinegro (Valdir Lebrego), which had one of the strongest kicks of Brazilian football, in the late-1960.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

CRUZMALTINOS DA FLORESTA

  Dentro de um carro de transporte escolar, humildes e apertadamente instalados, os jogadores do Vasco do Acre aguardavam, pacientemente, o motorista que os levaria ao Kingston Hotel, em Taguatinga. Era quarta-feira de cinzas (13/2/2002) e eles haviam acabado de perder para o  Brasiliense, por 1 x 0, resultado que encerrava a segunda aventura na Copa do Brasil. Pior do que isso, para quase todos aqueles rapazes saídos das categorias de base do clube, só viajar durante quatro horas de vôo, entre Rio Branco e Brasília, não sobrando tempo para nada conhecer.
Para jogar em Brasília, há 12 anos, o Vasco do Acre usou um dos quatro jogos de camisas presenteados pelo então presidente do Vasco da Gama-RJ, o também então deputado federal Eurico Miranda. Não era fácil conseguir uniformes idênticos no Acre. Celsimar Maciel, o preparador físico, garantia que o máximo que se podia fazer na terrinha é comprar camisas brancas, ou pretas. e pintar as listras e a cruz de malta com uma tinta que não se apaga às primeiras lavagens, pois na capital acreana não havia fábricas.

CERTIDÃO- O Vasco do Acre foi fundado no dia 28 de julho de 1952, por um grupo de desportistas que incluía um ex-governador acreano, Ronaldo Magalhães, Toninho Almeida e alguns cariocas que viviam no perto dos seringais. Em 2002, o clube fez meio século de bola rolando, mas não pode badalar muito. Para representar o Acre na Copa do Brasil, o máximo que conseguiu foi uma ajuda, de R$ 1 mil, do governo estadual, que colocou o seu logotipo nas camisas, e quantia idêntica do Supermercado Araújo.
Os vascaínos acreanos se consideram donos da maior torcida estadual, levando uma média de 3 mil torcedores aos seus jogos. Mesmo assim, o time tem poucos títulos estaduais: campeão amador acreano, em 1962, e no profissionalismo, em 99 e 2001. Em 2001, teve a sua primeira participação na Copa do Brasil, perdendo os dois jogos contra o Ji-Paraná, de Rondônia.
Contra o Brasiliense, em Rio Branco, venceu, por 2 x 1. No jogo de volta, em Taguatinga, fez quantas faltas pôde, fechou-se na defesa, contra-atacou, mas deixou de eliminar o time da casa, porque aos 45 minutos do segundo tempo o atacante Evilásio, cara a cara com o goleiro, chutou para fora. Quando nada, o Vasco acreano mostrou aos brasilienses um ótimo lateral esquerdo, o "russo" Ananias, tão habilidoso com a bola que parece tê-la produzido a partir do látex das seringueiras de sua terra.
O Vasco acreano jogou no DF com: Máximo; Paquito, Marco Anônio, Josué e Ananias; Serginho, Mamud, Ciro (Léo) e Siqueira: Índio (Evilásio) e Marcelo Lopes (Paulinho). O técnico Marcelo Altino e Josué foram expulsos de campo. O preparador físico Celsimar Maciel dirigiu o time durante quase todo o segundo tempo



domingo, 8 de maio de 2011

MUSA VASCAÍNA DO DIA - DORA BRIA


Com certeza, Dora Bria foi uma das mais belas torcedores cruzmaltinas. Foi porque o destino a levou, tão bela e tão jovem, durante um acidente automobilístico. Enquanto esteve por aqui, ela foi definida pela jornalista Cristina Rigitano, da extinta revista carioca "Manchete", como uma mulher de "corpo esculpido e belos olhos de ressaca". Beleza!
A vascaína Doira Bria foi a principal windsurfista brasileira. Mandou ver por aqui e no exterior, mundial e olimpicamente, o que fazia de sua vida um autêntico vendaval, pois andava, também, além das pranchas que a levavam para o mar, diante de câmeras fotográficas frenética captando os melhores ângulos de sua divina beleza.
Dora se dizia "caretona", quando tentava arrumar patrocínios e os patrocinadores lhe passavam desconcertantes cantadas. Rebatia com um "chega pra lá" na medida. Preferia ser conhecida como uma mulher desportistas sem vícios, amante da natureza. Nestas foto, sem crédito, da edição de 5 de agosto de 1995, ela contava 35 anos temporadas vividas aqui pelo planeta, desfilando charme, muita personalidade e beleza. Por isso, é uma das eternas musas cruzmaltinas.       
 
Certainly, Dora Bria was one of the most beautiful cheerleaders cruzmaltinas. It was because fate brought her, so beautiful and so young, during an automobile accident. While here, she was defined by journalist Cristina Rigitano, the former Rio magazine "Headline" as a woman "sculpted body and beautiful eyes hangover". Beauty!The Vasco Dora was the main Brazilian windsurfer. Sent to see here and abroad, worldwide, magisterially, which made his life a real whirlwind, as he walked, too, as well as planks into the sea, before frenzied cameras capturing the best angles of its divine shape.Dora was said "caretona" when trying to arrange sponsorship and sponsors spent her disconcerting sung. He countered with a "come over there" as far. I would rather be known as a sports drug-free nature lover. These photo without credit, issue of August 5, 1995, I had lived here 35 years seasons the planet, parading charm, plenty of character and beauty. So it is one of the eternal muses cruzmaltinas. 
 
 Loira, olhos verdes e um corpo de modelo fotográfico. Por isso, Dora Bria foi capas de várias revistas, entre elas Manchete e Playboy, entre 1993 e 2000. Ela tornou-se a primeira “brasuca” no circuito mundial de windsurf, tendo trazido um tri sul-americano e sido hexacampeã brasileira. Durante quatro anos consecutrivos, figurou entre as cinco melhores do mundo em ondas grandes. Vascaína, ela viveu por 49 temporadas neste planeta, tendo a sua vida tragada por um acidente automobilístico, perto do quilômetro-256, em São Gonçalo do Abaeté-MG. Com pistsa escorregadia,  sua camionhoneta Mitsubishi L-200 derrapou, invadiu a pista de sentido contrário e bateu de frente com uma carreta Volvo.
Filha do romeno Vasile com a brasileira Dora, foi irmã de Mauro e viveram viveram infância e adolescência nos bairros do Méier e Tijuca, do Rio de Janeiro. Desde pequena, Dora era desportista. Voleira no Colégio Marista São José,  treinou pelos times do Monte Sinai e do Tijuca Tênis Clube. Formou-se engenheira química, pela Universidade Federal-RJ, foi  aprovada em concurso público, mas preferiu ser windsurfista. Pouco praticado por mulheres no Brasil, ela abriu o windsurf para elas. Queria-o, também,  como meio de integração social para crianças carentes. O então prefeito carioca, César Maia, prometeu batizar uma das ruas cariocas com o nome de Dora Bria, alegando que a vascaína trabalhara pela inclusão social pelo esporte, além de sentir que “sua beleza exaltava a mulher carioca”. A Rua Dora Bria fica no bairro Recreio dos Bandeirantes, com o CEP 22.790.829.
 

sábado, 7 de maio de 2011

ÁLABUM DA COLINA - PÁGINA 1968

 Será que você estava aqui naquela tarde de domingo do Rio de Janeiro, em 1968? Dá pra sacar a energia da galera cruzmaltina. Naquele dia, o Vasco vence o grande freguês Botafogo, por 2 x 0. Se você estava lá, era um dos 81.517 pagantes que assistiram ao clássico, com gols de Buglê e de Nei Oliveira.Valeu pelo turno do Campeonato Carioca, em 24 de abril, e a rapaziada foi escalada, assim, pelo técnico Paulinho de Almeida, ex-lateral-direito vascaíno: Pedro Paulo; Ferreira, Brito, Fontana (Sérgio) e Lourival; Buglê (Paulo Dias) e Danilo Menezes; Nado, Nei, Bianchini e Silvinho.
As fotos que você foram reproduzidas da revista carioca semanal “O Cruzeiro” ano XV, Nº 19, de 11 de maio de 1968. Observe, na de baixo, que é de momentos antes da abertura do placar.
 

As 

sexta-feira, 6 de maio de 2011

KIKE BALL AND VASCO DA GAMA

This is a blog dedicated to the research of the history of Club de Regatas Vasco da Gama , founded in Rio de Janeiro , Brazil , on August 21, 1898 , four young practicing rowing - Henrique Ferreira Monteiro , Luís Antônio Rodrigues , José Alexandre D' Avelar Rodrigues and Manuel Teixeira de Sousa Júnior - in honor of the portuguese explorer discoverer of the sea route to India .Until 1915, Vasco da Gama only competed in rowing. From the following year when he joined the football, it became one of the most admired clubs in the country, for its stance against social injustice. Currently has one of the largest Brazilian twisted .
Nacional champion on four occasions, the Vasco team also has conqusitou continentel the title on two other occasions , and various international This is a blog dedicated to the research of the history of Club de Regatas Vasco da Gama , founded in Rio de Janeiro , Brazil , on August 21, 1898 , four young practicing rowing - Henrique Ferreira Monteiro , Luís Antônio Rodrigues , José Alexandre D' Avelar Rodrigues and Manuel Teixeira de Sousa Júnior - in honor of the portuguese explorer discoverer of the sea route to India .Until 1915, Vasco da Gama only competed in rowing. From the following year when he joined the football, it became one of the most admired clubs in the country, for its stance against social injustice. Currently has one of the largest Brazilian twisted . Nacional champion on four occasions, the Vasco team also has conqusitou continentel the title on two other occasions , and various international tournaments .The Vasco da Gama uses stark white shirt, or black with a diagonal band (black or white). 
It is the caravel of portuguese maritime chievements, bringing the Cross of the Order of Christ in red. 
The shorts and socks are also the shirt , white or black .Vasco da Gama has a stadium, located in General Almério de Moura , opened in 1927 , and was once the largest in Brazil . Kike Ball search to cruzmatina history since december 15, 20010 , having been visited by 120 000 "vaconautas" .The shield you see has been reproduced from the official website do clube - www.crvascodagama.comcombr - to which we appreciate . And you are welcome to Kike Ball. (fotos reproduzidas do site oficial do clube - www.crvasdogama.com.br). Agradecimento
 

quinta-feira, 5 de maio de 2011

KLIKE MONTAGEM - SELEVASC0-1950


Como o Vasco era a base da Seleção Brasileira da Copa do Mundo -1950, o “Kike”  preparou esta montagem  da “SeleVasco”. Pena que o time tivesse os flamenguistas Juvenal e Bigode, que “entregaram a rapadura diante dos uruguaios, transformando o sonho de título mundial em tragédia. A foto tem: Barbosa, Augusto, Danilo, Juvenal, Bauer e Bigode (em pé), Maneca, Zizinho, Ademir Menezes, Jair Rosa Pinto e Chico (agachados), além dos massagistas Johnson (E) e Mário Américo (D). Além  dos “entregadores”, só não eram cruzmaltinos o zagueiro Bauer e os meias Zizinho e Jair. Mesmo assim, o “Mestre Ziza”  fez duas partidas  com a jaqueta da “Turma da Colina”,  em 1955, e Jair passara por São Januário, entre 1943/46, além de ter disputado, em 1957, alguns jogos pelo combinado Vasco-Santos.
 

quarta-feira, 4 de maio de 2011

MUSA VASCAÍNA DO DIA - MARCELA


Esta é a lindíssima modelo Marcela, que foi a "Musa do Vasco" do Campeonato Brasileiro de Futebol da temporada-2008. A cada dia que passa ela fica mais bela e aprimora o seu jeito de fotografar para as campanhas das quais participa. Quando ela pinta no meio da galera, agita o time com muita energia positiva. Deus, que a privilegiou, com tanta beleza e inteligência, que a conserve assim.  (Reprodução de papel de parede).

This is the beautiful model Marcela, who was the "Musa do Vasco" of the Brazilian Football Championship of the 2008 season. With each passing day she becomes more beautiful and improves her photography to the campaigns she participates in. When she paints in the middle of the crowd, she shakes the team with lots of positive energy. God, who privileged it, with such beauty and intelligence, that it preserves it. (Wallpaper playback).

terça-feira, 3 de maio de 2011

HISTORI&LENDAS DA COLINA - REMO

Oito remadores copeiros e comemorativos
A temporada de 1958 era para nunca terminar, em São Januário. O Vasco ficou campeão em terra e mar. No futebol, conquistou o Torneio Início e o "SuperSuper" Campeonato Carioca, além do Torneio Rio-São Paulo. No remo, estabeleceu a invejável marca de 15 títulos consecutivos.
A história do “Quinzão” foi incrível. A rapaziada definiu o caneco em uma prova (última do dia), em que o favorito era o Botafogo, na “oito com”. Se o rival vencesse, colocaria um ponto à frente do Vasco, no somatório geral, e interromperia a hegemonia do clube na modalidade. Mas um bico de proa à frente manteve o status da “Turma da Colina”.
Aquele fora o 60º Campeonato Carioca de Remo, disputa iniciada no ano do surgimento do Club de Regatas Vasco das Gama, em 1898. Nela, os cruzmaltinos totalizaram 6 pontos, contra 55 do Bota fogo; 39 do Flamengo; 5 do Icaraí; 4 do Guanabara e 1 do Santa Luzia e do Internacional. 
Anote os vencedores da Colina:
QUATRO COM – Nélson Guarda, João Oliveira, Manuel Barbosa e Arlindo Schmidt, em 8min20 seg; SKIFF – Álvaro Lobão, com 8min17seg; DOUBLE SKIFF – Álvaro Lobão e César Sreno, com 8min22seg4; OITO – Arlindo Schmidt, Jorge Rodrigues, Nélson Guarda, Benedito de Sá, João Jorge Castro, João Rajão, Cecílio Matos e Dezir Morais, com 6min35seg.
Com o 15º caneco, o Vasco totalizava 35 títulos estaduais, deixando o segundo ganhador, o rival Flamengo, bem atrás, com apenas 12. Superioridade inconstestável

segunda-feira, 2 de maio de 2011

CORREIO DA COLINA - SUMIDO

"Por volta de 1992, mais ou menos, eu assisti a um jogo do Vasco e gostei muito de um garoto chamado Pedro Renato. Depois, ele sumiu e nunca mais tive notícias. O que é feito dele?” Cândido Roseno Fillho, de Rio Verde-GO.
Pela última notícia ouvida pelo “Kike”, o meia Pedro Renato Teixeira Baptista havia voltado para Bom Jesus de Itabapoana-RJ, onde nascera, em 15 de agosto de 1973. Realmente, desde os tempos em que jogava futsal o garoto encantava aos vascaínos. Fez parte do time que deu ao Vasco o seu único título da Taça São Paulo Júnior, em 1992, ao lado de Valdir “Bigode” e de Leandro Ávila, que vingaram bem. Lançado no time principal, pelo treinado Mário Jorge Lobo Zagallo, aos 17 anos de idade, Pedro Renato teve a sua carreira abalada, em 1994, ao sair de um pega, com o Flamengo, com graves lesões na fíbula e na tíbia. Ficou um tempão em recuperação e, na volta aos gramados, só disputou sete jogos, com dois gols marcados.
Dois anos depois, Pedro Renato já não encantava mais aos vascaínos. Foi parar no Olaria, onde, também, não emplacou. Voltou à Colina, um semestre depois, para encerrar o seu ciclo por lá. Em 1997, esteve emprestado ao América-RJ e, depois, foi tentar a sorte em Portugal, o seu fim de linha. Totalizou 43 apresentações e oito gols com a jaqueta cruzmaltina, entre 1990 e 1996,tendo estreado em 16 de dezembro de 1990 no 1 x 1 Botafogo, entrando no segundo tempo, na vaga de Sorato. Seu primeiro gol aconteceu em 17 de outubro de 1993, em Vasco 2 x 0 Fluminense.  


domingo, 1 de maio de 2011

LUZARDO - A GRAÇA DA COLINA



Luzardo Alves da Costa foi um artistas nascido no bairro de Jaguaribe, em João Pessoa, na Paraíba. Viveu por 84 temporadas, entre 1932 e 2016. Aos oito anos de idade, descobriu a vocação pelo desenho, usando carvão e pedaços de tijolos, e usando como tela as calçadas da rua onde morava. Além de criar para revistas e jornais paraibanos, ele trabalhou, também, no Rio de Janeiro. Estas charge, por exemplo, é da última fase da Revista do Esporte, semanário carioca que existiu entre 1959 e 1970. Além de chargistas, Luzardo lançou livro, também.

Luzardo Alves da Costa was an artist born in João Pessoa, Paraíba, and lived for 84 seasons between 1932 and 2016. He began drawing at the age of eight years, using charcoal and pieces of bricks, on the sidewalks of the Jaguaribe neighborhood, where was born. In addition to his land, Luzardo also worked in Rio de Janeiro where he made barbecues like this one you see, the last phase of the Sport Review, a weekly magazine that existed between 1959 and 1970. In addition to papers for newspapers and magazines, Published books, too.