Vasco

Vasco

domingo, 30 de setembro de 2012

HISTÓRIA DA HISTÓRIA - EMPATAZAÇO

VASCO 1 X 1 RIVER PLATE, em 22 de julho de 1998 - quando o Almirante estava comemorando 10 de idade - na casa do adversário, o Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, foi o grande resultado da rapaziada nesta data. Classificou-a à final da Taça Libertadores, para encarar o equatoriano Barcelona, de Guaiaquil. 
Para a Turma da Colina, foi uma “final antecipada”, devido a força dos dois times – no jogo de ida, em  São Januário,  Vasco da Gama 1 x 0.
O empate com os riveristas aconteceu em uma noite de quarta-feira, assistido por 55 ml pagantes. Os “hermanos” abriram o placar, aos 21 minutos do primeiro tempo, por intermédio do lateral-esquerdo Sorín. Aos 37 da etapa final, o árbitro chileno Guido Aros marcou uma falta, contra os anfitriões, pela esquerda do ataque vascaíno, da altura da intermediária. Juninho Pernambucano, que havia entrado em campo, na vaga de Luizão,  bateu forte. A bola fez um impressionante voo direto – para a torcida vascaína, uma eternidade, até chegar à rede –, pelo alto, rumo ao canto direito defendido pelo goleiro Burgos. Um golaço, que evitou a prorrogação.
 Treinado por Antônio Lopes, o time vascaíno jogou com: Carlos Germano; Válber, Odvan, Mauro Galvão e Felipe: Luisinho, Nasa, Ramon e Pedrinho (Vagner); Donziete “Pantera” e Luizão (Juninho Pernambucano). (Foto reproduzida de www.crvaascodagama.com.br). Agradecimento.





sábado, 29 de setembro de 2012

CALENDÁRIO - 29 E 30 DE SETEMBRO


                                   29 DE SETEMBRO
Domingão de bola rolando no Maracanã-1969. Disputava-se o Torneio Roberto Gomes Pedrosa, que se tornaria, dois anos depois, o Campeonato Brasileiro, e o o Vasco mandava 3 x 2 pra cima do Santos. Por aquela época, o "Peixe" tinha quem com a sua camisa 10 ELE mesmo! O “Rei do Futebol”. Portanto, esta pode ser considerada a maior vitória na data 29 de setembro. O calendário vascaíno registra, também, goleadas sobre o Resende-RJ, em 1942, e 4 x 0 Portuguesa de Desportos, em 2002. Nem só o "Rei" sofreu diante das maldades do "Almirante". Vamos confeir, rapaziada!   
VASCO 7 X 0 RESENDE não foi mais do que uma obrigação da “Turma da Colina”, amistosamente, em um domingo, na casa do adversário. Afinal, o time da Colina era a atração e, infinitamente, superior. Tanto que, em 20 de outubro de 1940, quando haviam disputado o primeiro dos dois amistosos dessa curta história, a equipe do interior fluminense fora goleado, por 5 x 1. No jogo de 29 de setembro de 1942, a festa foi de Xavier, que compareceu às redes em quatro oportunidades –  Lelé e o zagueirão Zarzur completaram a balaiada.  A estatística registra mais três vitórias cruzmaltinas, pelo Estdual, com o primeiro jogo em São Januário e os outros no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda-RJ: 30.01.2008 – Vasco 5 x 2; 04.02.2009 – Vasco 2 x 0; 04.02.2010 – Vasco 1 x 0.

VASCO 3 X 2 SANTOS  aconteceu quando Pelé contabilizava 822 gols no currículo. Naquele dia, ele não balançou a rede vascaína. Treinado por Paulinho de Almeida, o time de São Januário teve: Pedro Paulo; Ferreira, Moacir, Fontana e Eberval: Alcir e Buglê; Nado (Raimundinho/Fernando), Nei Oliveira, Valfrido e Silvinho. O Santos reve: Laércio; Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Oberdan e Rildo; Clodoaldo e Lima (Marçal); Amauri, Toninho, Pelé e Edu (Abel).
O Vasco enfrentava Pelé desde 7 de abril de 1957, quando o então futuro “Rei do Futebol” fazia o seu 15º jogo pelo time principal santista e, ainda, não era titular e nem já havia balançado a rede. Por ocasião desse primeiro encontro, o "Peixe" mandou 4 x 2, na Vila Belmiro, comemorando o seu 45º aniversário, durante a “Semana Alvinegra”, que teve, também, o Corinthians. Dali, até 1971, foi assim o duelo:

07.04.1957 – Vasco 2 x 4 Santos; 01.06.1957 – Vasco 2 x 3 (28º jogo e 1 gol, totalizando já 15 na carreira profissional); 22.03.1958 – Vasco 1 x 0 (88º jogo); 17.05.1959 – Vasco 0 x 3 (175º jogo, 1 gol e total de 188); 24.04.1960 – Vasco 0 x 0 (270º jogo - 294 gols); 02.03.1961 – Vasco 1 x 5 (342º jogo - 342 gols); 13.04.1961 – Vasco 2 x 1 (349º jogo - 380 gols); 16.02.1963 – Vasco 2 x 2 (472º jogo, 2 gols, totalizando 555); 04.04.1965 – Vasco 3 x 0 (592º jogos – 695 gols); 01.12.1965 – Vasco 1 x 5 (644º jogo – 778 gols); 08.12.1965 – Vasco 0 x 1 (646º jogo, 1 gol no jogo e total de 780); 26.03.1967 – Vasco 2 x 1 (715º jogo, 1 gol e total de 835); 29.09.1968 – Vasco 3 x 2 (822º jogo – 923 gols); 10.12.1968 – Vasco 1 x 2 (842º jogo, 1 gol e total de 937); 19.11.1969 – 1 x 2 Santos (912º jogo 1 gol e 1000º da carreira/foto revista Grandes Clubes); 24.10.1971 – Vasco 0 x 2 (1.061º jogo- 1094 gols); 28.11.1971 – Vasco 0 x 0 (1066º jogo); 09.12.1971 - Vasco 0 x 4 (1069 jogos); 14.10.1873 - Vasco 1 X 1 (jogo 12.01); 21.707.1974 - Vasco 2 x 1 (jogo 1242 e total de 1.214 gols).   

VASCO 4 X 0 PORTUGUESA valeu pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro-2002, em um domingo, em São Januário. Geder, 26, e Valdir ‘Bigode’, aos 46 minutos do primeiro tempo, abriram os trabalhos. No segundo, Valdir voltou à rede, aos 6, para Léo Lima fechar a sessão, aos 46, reprovando a Lusa e seus "lusitanos". O jogo foi apitado por Márcio Rezende de Freitas (MG), Antônio Lopes era o treinador vascaíno e o time foi: Fábio; Glaydson, Geder (Rogério Pinheiro), Marcelo e Edinho (Rogério Corrêa);  Haroldo, Henrique, Rodrigo Souto e Ramon; Valdir e Petkovic (Léo Lima) – sobre Santos 3 x 2 Vasco, conforme o combinado, você lerá na matéria abaixo desta. 

                                                                    30 DE SETEMBRO
Há vascaíno que considera o “Clássico dos Milhões” um campeonato à parte. Se é,  a rapaziada mandou bem, de virada, em 1928. No entanto, para outros torcedores, vale mais o que fica de muito no caderninho. Por exemplo, uma goelada pra cima do Bangu, em  1945. Sendo assim...
VASCO 2 x 1 FLAMENGO foi dominical, no campo da Rua Paysandu, pelo Campeonato Carioca. Para o adversário, parecia muito complicado enfrentar os vascaínos, tanto que tinha dois treinadores, Joaquim Guimarães e Juan Carlos Bertoni. Mas, nem assim, eles conseguiram segurar a rapaziada.  Do lado da Colina, o inglês Harry Welfare era o treinador.  Os “matadores” foram Américo e Paschoal  e o “Time da Virada” teve: Jaguaré, Hespanhol e Itália; Brilhante, Nesi e Mola; Paschoal, Russinho, Américo, Pepico e Santana. Aquele era o 10º encontro com os "urubunaceos", com quatro vitórias cruzmaltinas – 3 x 2, em 29.04.1923; 2 x 1, em 12.09.1926; 3 x 0, em 03.06.1928, e 2 x 1 em 30.09.1928 – e dois empates – 1 x 1, em 15.11.1925 e 2 x 2 em 16.06.1926.  

VASCO 6 x 2 BANGU, pelo Campeonato Carioca-1945 rolou em um domingo, em São Januário, apitado por Alderico Solon Ribeiro, com renda de Cr$ 17.619,90. Lelé, de  pênalti, aos 6; Isaías, aos 9; Chico, aos 15; Berascochea, aos 26 e Lelé, novamente, aos 34 minutos do primeiro tempo horrorizaram. Na etapa final, o xerifão Berascochea saiu lá de trás e voltou ao terreno banguense, aos 81 minutos, para acabar de acertar as contas. Os vascaínos eram viajantes do atropelador “Expresso da Vitória”, pilotado pelo maquinista uruguaio Ondino Vieira. Traçou aquela por conta de: Barbosa, Augusto e Sampaio; Ely, Berascochea e Argemiro; Djalma, Lelé, Isaías, Ademir Menezes e Chico. Antes o "Almirante" havia feito 50 jogos contra o Bangu, confronto iniciado em 3 de junho de 1923, com vitória por 3 x 2. Até ali, haviam sido 39 triunfos e seis empates. Diferençaça!

VASCO 1 X 0 AMÉRICA integrou rodada do Campeonato Carioca-1961. Jogado no Maracanã, teve por árbitro Waldemar Meireles. Renda e renda: Cr$ 796.617,00. Saulzinho, aos 53 minutos, marcou o tento da vitória do time do treinador Paulo Amaral, que mandou a campo: Ita; Joel Felício, Bellini e Dario; Écio e Barbosinha; Sabará, Lorico, Saulzinho Pinga e Ronaldo. Técnico: Paulo Amaral. 

VASCO 1 X 0 BONSUCESSO abriu, para os cruzmaltinos, o returno do Campeonato Carioca-1962 . Também preliado no Maracanã, mas com  arbitragem de Cláudio Magalhães e gol marcado por Saulzinho. O treinador era Jorge Vieira e o time alinhou: Humberto Torgado, Paulinho, Brito, Barbosinha, Coronel, Maranhão, Lorico, Sabará, Vevé, Saulzinho e Da Silva. 
 VASCO 1 X 0 BANGU é do terceiro turno do Estadual-1979. Jogado em um domingo, o gol marcado por Guina, aos 4 minutos do primeiro tempo, estabeleceu 16 confrontos de invencibilidade cruzmaltina sobre os alvirrubros, pelas disputas oficiais regional. Até então, em 120 pegas, o "Almirante" havia faturado 78 e igualado 21. Às redes, comparecera em 309 oportunidades. Em rodada-dupla, na preliminar para Botafogo x Americano, o jogo foi apitado por Mario Rui de Sousa, com a equipe da Colina sendo: Leão, Orlando (Paulinho II), Gaúcho, Ivã e Marco Antônio; Zé Mario, Dudu e Afrânio (Katinha); Guina, Paulinho e Zandonaide. 

VASCO 2 X 0 CAMPO GRANDE abriu o returno do Estadual-1984, por sinal, vencido pelos vascaínos, que levaram pra casa a Taça Rio. O jogo rolou na casas do adversário, o Estádio Ítalo Del Cima, no carioca bairro de Campo Grande, apitado por
 José Roberto Wright, com renda de Cr$ 26 850 000 e o diminuto público de 5 370 pagantes. Marquinho foi o "cara" do jogo, balançando a rede, aos 18 e aos 30 minutos do primeiro tempo. Edu  Coimbra era o treinador e a sua patota tinha: Roberto Costa; Donato, Ivã, Nenê e Aírton; China, Geovani e Marquinho (Oliveira); Mau­ricinho, Roberto Dinamite e Rômulo. 

 A "Vascodata" 30 de setembro inclui  Vasco 0 x 0  Rio Negro-AM, em um domingo no demolido Estádio Vivaldo Lima, em Manaus. Valeu pela primeira fase do Campeonato Brasileiro-1973 e vale menção por ter sido o primeiro encontro entre os dois times por Brasileiros. O técnico vascaíno era Mário Travaglini, que escalou: Andrade: Paulo César, Renê, Moisés e Alfinete: Alcir. Zanatata e Ademir (Nenê); Jorginho Carvoeira, Roberto Dinamite e Luís Carlos Lemos.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

HISTÓRIA DA HISTÓRIA - CANECO-1977

.  


VASCO 0 (5) X FLAMENGO (4) - Em 28 de setembro de 1977, uma quarta-feira, o Vasco conquistou o seu 14º título de campeão do futebol carioca, ao empatar, por 0 x 0, com o Flamengo, e depois vencê-lo, por 5 x 4, nas cobranças de pênalti de um jogo extra.
O Maracanã recebeu 152.059 pagantes e escutou o apito de Giese do Couto. Valeu a Tala Vargas Neto, em homenagem a um antigo presidente da Federação Carioca de Futebol e sobrinho do ex-presidente Getúlio Vargas.
O treinador era Orlando Fantoni mandou aogramado: Mazaropi; Orlando ‘Lelé’, Abel Braga, Geraldo e Marco Antônio; Zé Mário, Zanata (Helinho) e Dirceu;  Wilsinho (Zandonaide), Roberto Dinamite e Paulinho. 
Para chegar àquela conquista, os vascaínos disputaram 25 jogos, vencendo 26, empatando três e perdendo somente um. Marcaram 60 gols, dos quais 25 foram de Roberto Dinamite. Ganharam os dois turnos, eliminando a necessidade de uma decisão. Confira data, placar e goleadores, abaixo:

CAMPANHA: Taça Guanabara (1º turno) -  27.03.1977 – Vasco 2 x 1 Goytcaz (gols de Roberto Dinamite (2); 03.04.1977 – Vasco 6 x 0 Bangu (Ramon (2), Orlando ‘Lelé” (2), Roberto Dinamite e Luís Fumanchu; 06.04.1977 – Vasco 4 x 0 Campo Grande (Roberto Dinamite, Ramon, Luís Fumanchu e Orlando “Lelé”); 10.04.1977 – Vasco 0 x 1 América; 13.04.1977 – Vasco 3 x 0 Olaria (Roberto Dinamite, Dirceu Guimarães e Luís Fumanchu); 17.04.1977 – Vasco 7 x1 Madureira (Roberto Dinamite (2), Ramon (2), Carlos Alberto Zanata (2)  e Luís Fumanchu; 24.0.1977 – Vasco 3 x 0 Flamengo (Roberto Dinamite (2) e Zanata); 27.04.1977 – Vasco 3 x 0 São Cristóvão (Roberto Dinamite, Ramon e Marco Antônio); 01.05.1977 -  Vasco 1 x 0 Volta Redonda (Zanata); 08.05.1977 – Vasco 1 x 0 Fluminense (Ramon); 15.05.1977 – Vasco 3 x 1 Portuguesa (Roberto Dinamite, Luís Fumanchu e Dirceu);  18.05.1977 -  Vasco 2 x 1 Bonsucesso (Roberto Dinamite (2); 25.05.1977 - Vasco 3 x 0 Americano (Ramon (2) e Roberto Dinamite); 29.05.1977 – Vasco 2 x 0 Botafogo (Roberto Dinamite (2).

 Segundo turno – 17.07.1977  – Vasco 2 x 0 Campo Grande (Abel e Orlando ‘Lelé’); 24.07 – Vasco 3 x 0 Portuguesa (Roberto Dinamite (2) e Ramon; 27.07 – Vasco 3 x 0 Bonsucesso (Roberto Dinamite, Paulo Roberto e Paulinho); 31.07 – Vasco 2 x 0 Americano (Ramon e Marco Antônio); 07.08 – Vasco 0 x 0 Flamengo; 17.08 – Vasco 5 x 0 Goytacaz (Roberto Dinamite (2),  Paulinho, Dirceu e Zandonaide); 21.08 – Vasco 2 x 0 Botafogo (Roberto Dinamite e Dirceu); 04.09 – Vasco 2 x 0 América (Roberto Dinamite e Helinho); 07.09 – Vasco 1 x 0 São Cristóvão (Helinho); 10.09 – Vasco2 x 0 Madureira ( Helinho e Jorginho contra); 13.09 – Vasco 3 x 0 Olaria (Ramon (2) e Paulinho); 18.09 – Vasco 0 x 0 Volta Redonda; 21.09 -  Vasco 2 x 0 Bangu (Roberto Dinamite (2); 25.09 – Vasco 2 x 0 Fluminense (Paulinho e Edinho contra); 28.09 – Vasco 0 (5)x (4) 0 Flamengo.  

GALERIA DE TÍTULOS DO REGIONAL CARIOCA: 1923, 1924, 1926, 1929, 1930, 1931, 1934, 1936, 1944, 1945, 1947, 1949, 1950, 1952, 1956, 1958, 1970, 1977, 1982, 1987, 1988,  1992.1993,1994, 1998 e 2003, 2015. 










quinta-feira, 27 de setembro de 2012

ÁLBUIM A COLINA - PÁGINA-1997

 PASSSADAS 15 TEMPORADAS, O VASCO DA GAMA PUBLICOU ESTA                 COMEMORAÇÃO DO TÍTULO DE CAMPEÃO BRASILEIRO DE 1997

Edmundo foi um "Animal" indomável, o craque do campeonato, batendo o recorde de gols: 29 pipocas na chapa. Abaixo, Edmundo e Evair comemoram mais um gol.






quarta-feira, 26 de setembro de 2012

HISTÓRIA DA HISTÓRIA - CANECO ERASMO

  Fato marcante na data 17 de fevereiro de 19732. A Turma da Colina estava com fome de títulos  papou mais um usando por deglutidor um caneco, isto é, a taça do Torneio Erasmo Martins Pedro.O Vasco da Gana nem precisou vencer para carregar mais um troféu para as prateleiras da Colina, pois o empate, por 0 x 0, com o América-RJ, em um sábado, em São Januário, foi suficiente. 
A disputa contou, ainda, com as participações dos grandes riais Flamengo e Botafogo e Flamengo. Este, por sinal, foi vencido durante o penúltimo jogo, por 1 x 0, no 10 de fevereiro, com marcado por Eduardo Gonçalves de Andrade, o Tostão, aos 34 minutos do segundo, também em São Januário.
No jogo do caneco, os vascaínos escalados pelo treinador Mário Travaglini foram: Andrada; Paulo César, Miguel, Moisés e Pedrinho; Alcir e Zanata; Jorginho Carvoeiro (Luis Carlos, Roberto Dinamite (Luis Fumanchu), Tostão e Dé.
OBS: esta foi uma das conquistas vascaína de título com pouquíssimo público pagante: 2.252 . 

A striking fact of February 17, 19732. Turma da Colina was hungry for titles, but one more using a mug for swallowing, that is, the cup of the Erasmo Martins Pedro Tournament.
Vasco da Ghana did not even need to win to load another trophy to the shelves of Colina, because the tie, by 0-0, with América-RJ, on a Saturday, in São Januário, was enough.
The dispute also counted on the participation of the great Flamengo and Botafogo and Flamengo rials. This, by the way, was won during the penultimate game, by 1 x 0, on February 10, with scored by Eduardo Gonçalves de Andrade, Tostão, at 34 minutes of the second, also in São Januário.
In the game of the cup, the Vasco players selected by coach Mário Travaglini were: Andrada; Paulo César, Miguel, Moisés and Pedrinho; Alcir and Zanata; Jorginho Carvoeiro (Luis Carlos, Roberto Dinamite (Luis Fumanchu), Tostão and Dé.
NOTE: this was one of the Vasco's title achievements with very little paying public: 2,252.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

HISTÓRIA DA HISTÓRIA - PAZ NA BOLA

                Em 31 de julho de 1937, o Vasco disputou, com o América, o jogo que ficou conhecido por Clássico da Paz. Nem, tanto! No placar, bagunça cruzmaltina: 3 x 2. 
O zagueiro Itália
 Esta história começa em 19 de julho da mesma temporada, quando os presidentes vascaíno Pedro Pereira Novaes e o americano Pedro Magalhães Correia reuniram-se, secretamente, na Associação dos Empregados do Comércio do Rio de Janeiro, para criar uma estratégia pacificadora do futebol carioca, que vivia com duas entidades, a Liga Carioca de Futebol e a Federação Metropolitana de Desportos. Do encontro saiu uma proposta aceita pelos outros 10 membros das duas “brigonas”.
A comemoração do novo momento deu-se 12 dias depois, com um amistoso Vasco x América, em disputa da Taça Pinto Bastos e do Bronze da Vitória, este oferecido pela revista O Cruzeiro – o Vasco ficou com a posse definitiva de ambos.
VASCO 3 x 2 AMÉRICA  rolou em São Januário, apitado por Sanchez Diaz e assistido por 25 mil pagantes. Lindo (2) e Raul marcáramos gols dos cruzmaltinos, treinados pelo uruguaio Carlos Scarone, que mandou a campo: Joel, Poroto e Itália; Oscarino (Rainha), Zarzur e Calocero; Lindo, Kuko, Raul, Feitiço e Luna (Orlando).                                      

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

CALENDÁRIO - 24 E 25 DE SETEMBRO

NASCIMENTOS: Sérgio Silva de Souza Júnior,[1] mais conhecido como Maricá (Maricá24 de setembro de 1979[2]), é um ex-futebolista brasileiro que atuava como lateral-direito.
Começou nas categorias de base do Vasco da Gama - 1997 a 2001 -  por 135 jogos e 3 gols.  
Vasco da Gama



                                                    24 DE SETEMBRO
Peixe afogado, maior rival levando virada, paraenses amigos de fé desconsiderados e "manezinhos" da ilha de Florianópolis dando trabalho. Histórias dos 24 de setembro.  
   

VASCO 2 X 1 FLAMENGO -  Em 1950, com o “Expresso da Vitória” nos trilhos, o maior rival foi o atropelado do 24 de setembro. De virada, em uma tarde de domingo, no Maracanã, pelo Campeonato Carioca em que o título foi parar na Colina. Ademir Menezes e Alfredo II  marcaram os tentos do jogo apitado por George Dickens e ouvido por   43.976 pagantes. Flávio Costa era o chefe da turma formada por: Barbosa, Augusto e Wilson; Ely, Danilo e Jorge; Alredo II, Maneca, Ademir Menezes, Ipojucan e Dejayr.

VASCO 3 X 0 TUNA LUSO - O “apanhão” da vez tinha ligações lusitanas. Mas os “lusos cariocas” não queriam nem saber. Mandaram ver pra cima dos paraenses, pelo Campeonato Brasileiro-1986, no Estádio Governador Alacid Nunes, em Belém, em uma quarta-feira, diante 5.242 pagantes, que deixaram na casa a graninha de Cz$ 87 mil, 370 cruzados, moeda que “mandou dizer” que não era coisa do português colonizador. José de Assist Aragão-SP apitou a pugna, que teve “golos” de Gersinho, aos 31 minutos do “primairo” tempo; Mazinho, aos 7, e Geovani, aos 32 da etapa final. O técnico vascaíno era Joel Santana e seus “gajos” assinavam: Acácio; Chiquinho, Fernando, Juninho e Pedrinho; Josenlton, Mazinho, Geovani e Gersinho (Santos); Romário e Zé Sérgio.

VASCO 1 X O FIGUEIRENSE - Teve gol marcado pelomeia Ademir, aos 35 minutos do primeiro tempo,  valendo pelo Campeonato Brasileiro-1975, na casa do adversário, o catarinense Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. A "Turma da Colina" do dia era: Mazaropi, Toninho, Miguel, Renê, Deodoro, Alcir, Zanata, Ademir, Freitas (Carlinhos), Roberto Dinamite e Luís Carlos Lemos, treinados por Mario Travaglini.

 VASCO 2 x 0 NITEROI - Jogo do primeiro turno do Estadual-1980, no Estádio Casio Martins, em Niterói, apitado por Luís Carlos Dias Braga, conferido por 10 283 almas. Paulo César "Caju", aos 37 minutos do primeiro tempo, e Marquinho Carioca, também chamado de  Marco Antônio II´,  aos 23 da etapa final, visitaram as redes, erpresentando este time: Mazaropi; Orlando, Ivã, Leo e Marco Antônio; Pintinho, Paulo Cesar e Marco Antônio II; Wilsinho; . Roberto e João Luis (Guina). O treinador era Mário Jorge Lobo Zagallo.
 A "Vascodata" 24 de setembro inclui: 24.09.1939 – Vasco 1 x 1 São Cristóvão;  24.09.1989 – Vasco 2 x 2 Bahia; 24.09.2006 – Vasco 0 x 0 Botafogo.


                                                                              25 DE SETEMBRO
O 25 de setembro é repleto de vitórias importantes, viradas e muitos gols, Até em empates. Digamos que está no caderninho como uma data emocionante, ou, como diria o torcedor vascaíno Roberto Carlos: "Um dia de muitas emoções! É só conrferir:

VASCO 4 X 1 SÃO CRISTÓVÃO foi uma castigadas de rival dentro da casa dele,  à Rua Figueira de Mello. Não dava mesmo para nenhum santo fazer milagre naquele 25 de setembro de 1949,  pois, naquela temporada,  o "Almirante" ficou esperando os adversários aparecerem. Como não apareceram, ficou campeão carioca, o seu terceiro título invicto, com sete pontos de frente sobre o segundo colocado, vencendo 18 e empatando dois jogos em 20 disputados. O apito da pugna com o "time alvo" ficou por conta de McPerson Dundas e os gols cruzmaltinos foram marcados por Nestor (2), Heleno de Freitas e Maneca. O técnico Flávio Costa usou: Barbosa, Laerte e Wilson; Alfredo II, Danilo e Ipojucan; Nestor, Maneca, Ademir Menezes,  Heleno de Freitas e Mário.

VASCO 2 X 1 MADUREIRA, pelo Campeonato Carioca-1963, foi uma glória de Oto Glória, que venceu dentro da casa do adversário, no estádio da Rua Conselheiro Galvão. Apitado por José Monteiro, o pega teve placar virado por Lorico, aos 11 minutos, e Maurinho, após o time ver a sua rede balançar, aos 9 minutos. Time virador: Ita, Joel Felício, Brito, Barbozinha e Dario; Écio e Lorico; Sabará, Milton, Altamiro e Maurinho.  Aquela, no entanto, não foi uma boa temporada estadual  cruzmaltina. O time terminou em sexto lugar, cinco pontos atrás do campeão.

 VASCO 3 X 1 PORTUGUESA está no caderninho como mais uma vitórias vascaína de virada. O juiz Eunápio de Queiroz ficou na dúvidas se foi o zagueiro Brito que marcou gol contra, ou se o responsável seria Marques, da "Lusa da Ilha do Governador", aos 30 minutos. O certo foi o "Almirante" lançou a "Zebra", aos 35, por intermédio de Célio, para Maranhão, aos 64, e Nado, aos 66, completarem o serviço. Zezé Moreira era o treinador que mandou a campo: Édson Borracha; Ari, Brito, Fontana e Oldair; Maranhão e Alcir; Nado, Célio, Madureira e Danilo Menezes.

VASCO  2 x 0 FLUMINENSE foi o último jogo doa segundo Campeonato Estadual de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, em 1977. Disputado por 15 times, em turno e returno, pelo sistemas todos conta todos, não precisou de decisão entre vencedores de etapas, pois o Vasco papou as duas, em temporadas estadual com 25 vitórias, quatro empates e apenas uma escorregada. Os três pontinhos foram testemunhados, no Maracanã,  por 89.368 pagantes, que anotaram gols de Paulinho e de Edinho (contra). Orlando Fantoni era o treínador e dessa rapaziada: Mazaropi; Orlando ‘Lelé’, Abel, Geraldo e Marco Antônio; Zé Mário e Zanata (Helinho); Wilsinho, Roberto Dinamite, Paulinho (Zandonaide) e Dirceu.

VASCO 3 X 2 PALMEIRAS 1988  foi jogo de placar apertado, mas vitória de grande importância, por ter sido com mando do adversário, no Morumbi, em São Paulo, e encerrando uma série de nove jogos sem vencer o adversário, pelo Brasileirão unificado.  Roberto Dinamite, aos 35; Vivinho, aos 60, e Ernâni, aos 74 minutos, resolveram a parada valendo pelo primeiro turno do Campeonato Brasileiro-1988. A esquadra do "Almirante" do tia transportou: Acácio: Paulo Roberto 'Gaúcho', Célio Silva, Marco Aurélio e Lira; França, Paulo Roberto, Bismarck e Ernâni; Vivinho e Roberto Dinamite (Sorato).

VASCO 2 X 1 CORITIBA, em noite de uma quinta-feira, em São Januário, valeu pela fase única do Campeonato Brasileiro-2003, com o "Animal" Edmundo e Danil Sacramento mexendo no placar cruzmaltino, aos 44 e aos 88 minutos, respectivamente. A rapaziada daquele embalo noturno foi: Fabio, Alex Silva, Wescley, Henrique, Edinho, Ygor, Rubens (Fabiano), Da Silva, Morais (Coutinho), Régis Pitbull , Danilo Sacramento e Edmundo.


VASCO 3 X 0 CRUZEIRO foi a marca da categoria do meia Diego Souza, na tarde de um domingo, pela 26º rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro-2011, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas-MG. Com aquele placar, o "Almirante" manteve a ponta do Brasileirão, com 49 pontos, dois acima do segundo colocado. Diego Souza iniciou o seu show, aos 40 minutos. Recebeu passe de Marcio Careca e bateu cruzado para fazer: Vasco 1 x 0, o resultada da etapa inicial. O segundo gol saiu aos 12 minutos do segundo tempo. Fagner tabelou com Juninho Pernambucano,  e cruzou para Diego Souza só ter o trabalho de empurrar a bola para o fundo das redes: Vasco 2 x 0. Aos 35 minutos, Juninho lançou Diego Souza, que aplicar um "lençol" e fechou a conta: Vasco 3 x 0. O técnico Cristóvão Borges armou este time do dia: Fernando Prass, Fagner, Dedé, Renato Silva e Marcio Careca; Romulo, Eduardo Costa, Fellipe Bastos, Juninho Pernambucano (Diego Rosa); Diego Souza (Leandro) e Elton. 

Também fazem parte da "Vascodata" 25 de setembro: 1932 – Vasco 3 x 3 Carioca-RJ; 1938 – Vasco 3 x 3 São Cristóvão; 1955 – Vasco 1 x 1 Fluminense; 1983 – Vasco 2 x 2 Bangu; 1994 – Vasco 4 x 4 Seleção da Coreia do Sul;  2001 – Vasco 2 x 2 Boca Juniors-ARG.




Peixe afogado, maior rival levando virada, paraenses amigos de fé desconsiderados e "manezinhos" da ilha de Florianópolis dando trabalho. Histórias dos 24 de setembro.  


VASCO 6 X 3 SANTOS - A "Turma da Colina" disputava amistosos com o "Peixe" desde 1927. Já havia vencido três e empatado dois, em sete jogos, quando foram para mais um, no 24 de setembro de 1953, na Rua Teixeira de Castro, no Rio de Janeiro, em uma quarta-feira. E jogou a iscas na goela do bicho, isso é,  Pinga (2), Dejayr (2), Alvinho e Ademir Menezes. Aquela foi a vitória sobre os santistas com o maior número de gols. Antes, rolara 4 x 0, em 1933; 4 x 0 em 1988 e 4 x 0 em 2007, com as três refregas em São Januário, fora da “Era Pelé”. Com o “10” no “relvado”,  há 5 x 1, em 1970, e 3 x 0, em 04.04.1965, ambas no Maracanã. Na Vila Belmiro, já pintou 5 x 3, em 26 de agosto de 1995.  Totalizando: 18 amistosos, com 10 vitórias e quatro empates.
   

VASCO 2 X 1 FLAMENGO -  Em 1950, com o “Expresso da Vitória” nos trilhos, o maior rival foi o atropelado do 24 de setembro. De virada, em uma tarde de domingo, no Maracanã, pelo Campeonato Carioca em que o título foi parar na Colina. Ademir Menezes e Alfredo II  marcaram os tentos do jogo apitado por George Dickens e ouvido por   43.976 pagantes. Flávio Costa era o chefe da turma formada por: Barbosa, Augusto e Wilson; Ely, Danilo e Jorge; Alredo II, Maneca, Ademir Menezes, Ipojucan e Dejayr.

VASCO 3 X 0 TUNA LUSO - O “apanhão” da vez tinha ligações lusitanas. Mas os “lusos cariocas” não queriam nem saber. Mandaram ver pra cima dos paraenses, pelo Campeonato Brasileiro-1986, no Estádio Governador Alacid Nunes, em Belém, em uma quarta-feira, diante 5.242 pagantes, que deixaram na casa a graninha de Cz$ 87 mil, 370 cruzados, moeda que “mandou dizer” que não era coisa do português colonizador. José de Assist Aragão-SP apitou a pugna, que teve “golos” de Gersinho, aos 31 minutos do “primairo” tempo; Mazinho, aos 7, e Geovani, aos 32 da etapa final. O técnico vascaíno era Joel Santana e seus “gajos” assinavam: Acácio; Chiquinho, Fernando, Juninho e Pedrinho; Josenlton, Mazinho, Geovani e Gersinho (Santos); Romário e Zé Sérgio.

VASCO 1 X O FIGUEIRENSE - Teve gol marcado pelomeia Ademir, aos 35 minutos do primeiro tempo,  valendo pelo Campeonato Brasileiro-1975, na casa do adversário, o catarinense Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. A "Turma da Colina" do dia era: Mazaropi, Toninho, Miguel, Renê, Deodoro, Alcir, Zanata, Ademir, Freitas (Carlinhos), Roberto Dinamite e Luís Carlos Lemos, treinados por Mario Travaglini.

 VASCO 2 x 0 NITEROI - Jogo do primeiro turno do Estadual-1980, no Estádio Casio Martins, em Niterói, apitado por Luís Carlos Dias Braga, conferido por 10 283 almas. Paulo César "Caju", aos 37 minutos do primeiro tempo, e Marquinho Carioca, também chamado de  Marco Antônio II´,  aos 23 da etapa final, visitaram as redes, erpresentando este time: Mazaropi; Orlando, Ivã, Leo e Marco Antônio; Pintinho, Paulo Cesar e Marco Antônio II; Wilsinho; . Roberto e João Luis (Guina). O treinador era Mário Jorge Lobo Zagallo.


O jogo marcou o lançamento de um novo uniforme para a "Turma da Colina " e teve gols marcados por Yago Pikachu e Marrony. Assim, o time do "Almirante" subiu para 28 pontos, subiu duas posições e saiu de campo na 16ª colocação do Campeonato Brasileiro , fechado a rodada 26.
Mais um modelo para o colecionador de camisas 
O próximo compromisso será na quinta-feira, diante do Santos, no Pacaembu, a partir das 20h, em jogo atrasado ainda da da 3ª rodada.
O primeiro tento da noite de ontem sai aos 28 minutos, quando Andrés Ríos roubou a bola e saiu na cara do gol. O argentino driblou Douglas e foi derrubado pelo goleiro, que acabou expulso. Pênalti que Pikachu cobrou, com categoria, e abriu o placar: 1 x 0. O Bahia empatou  com gol do ex-vascaíno Gilberto, campeão estadual em 2016, fechando o primeiro tempo no 1 x 1.
Rafael Ribeiro, de www.vascodagama.com.br, fotografou Pikachu
 agradecendo a Deus pelo seu gol, de pênalti.
O gol cruzmaltino da vitória foi aos 32 minutos da etapa final. Pikachu fez cruzamento de bola, na medida, para Marrony, que ganhou de Nino Paraíba e cabeceou , sem chances de defesa para o goleiro do Bahia.: 2 x 1.
Com este resultado, o time vascaíno sai da zona de rebaixamento.  

CONFIRA A FICHA TÉCNICA 24.09.2018 (segunda-feira) – VASCO 2 X 1 BAHIA. 6ª rodada do Campeonato Brasileiro. Estádio: São Januário-RJ. Juiz: Público:12.804 pagantes.  Renda: R$ 285.695,00. Gols: Yago Pikachu, aos 31 e Gilberto, aos 48 min do min do 1º tempo; Marrony, aos 32 min do do 2º tempo. VASCO: Martín Silva; Lennon (Giovanni Augusto), Leandro Castán, Luiz Gustavo e Ramon; Willian Maranhão, Yago Pikachu, Thiago Galhardo (Marrony) e Fabrício (Kelvin); Andrés Rios e Maxi López. Técnico: Alberto Valentim. BAHIA: Douglas, Nino Paraíba, Douglas Grolli, Everson e Léo; Nilton (Marco Antônio), Gregore, Paulinho (Fernando), Elber (Flavio) e Ramires; Gilberto. Técnico: Enderson Moreira.

 A "Vascodata" 24 de setembro inclui: 24.09.1939 – Vasco 1 x 1 São Cristóvão;  24.09.1989 – Vasco 2 x 2 Bahia; 24.09.2006 – Vasco 0 x 0 Botafogo.
 








 

 


domingo, 23 de setembro de 2012

VASCO DAS CAPAS - ROBERTO & ZICO

                                               

Editada pelo jornalista A. Vivaldo de Azevedo, a revista "FUTEBOL 2000" (abaixo) surgiu em 1977 – custava Cr$ 20 cruzeiros – , com a proposta de expor seus temas, "com caráter didático", aprofundando estatísticas e visitando a memória da maioria dos acontecimentos do futebol brasileiro e mundial.
Publicada pela TRI Editora e Publicidade Ltda, tinha por endereço a Rua 1º de Março Nº 7, sala 208, no Rio de Janeiro. Roberto Dinamite, o maior ídolo da história vascaína, figurou na capa da edição de estreia, ao lado do seu grande amigo rubro-negro Zico. Nas páginas 4, 5 6, sob o título “Zico & Roberto, a dupla de ouro do futebol”, os dois eram ditos “os melhores jogadores de ataque do futebol carioca e brasileiro. Representam ...a garantia de arrecadações...”.
Além da ficha, que marcava 18.05.1973 como a data do primeiro contrato assinado pelo goleador, com o Vasco, a revista apresentou os 26 jogos disputados pelo Dinamite,, pela Seleção Brasileira, entre 30.09.1975 e 14.07.1977, bem como a estatística dos seus gols, até julho daquele ano, quando já totalizava 345 partidas e 220 bolas nas redes.
Depois daquilo, Roberto e Zico voltaram a figurar juntos em uma mesma capa de revista, na "Manchete Esportiva" Nº 69, de 6 de fevereiro de 1979. Os dois eram tão amigos que, na despedida do Dinamite dos gramados, Arthur Antunes Coimbra, o Zico, fez questão de participar, e, como maior ídolo da história flamenguista, vestiu a camisa cruzmaltina, para jogar ao lado do "parceiro", em um amistoso contra o espanhol La Coruña, em 24 de março de 1993, no Maracanã. Mas aquilo ocorrera, também, com um outro rubro-negro (antes de ser banguense), Zizinho, que foi vascaíno, em 1956, para ter o prazer de voltar a correr em campo do lado e com a mesma camisa do 'Queixada' Ademir Menezes.

sábado, 22 de setembro de 2012

HISTORI&LENDAS DA COLINA - PAULAÇOS

1 - O Vasco enfrentou o São Paulo em 12 oportunidades durante a década-1960. Com sete vitórias e dois empates, etabeleceu dois tabus: de cinco temporadas, entre março de 1960 a maio de 1965, e de três temporadas, que foi de março de 1966 a novembro de 1969. A maioria dos jogos (7) valeu pelo Torneio Rio-São Paulo. Dois foram pela Taça de Prata e um pelo Torneio Roberto Gomes Pedrosa,  ambos embriões diretos do atual Campeonato Brasileiro. Houve, ainda, um amistoso e um jogo por um torneio octogonal internacional de verão.

2 - A estatística: 16.03.1960 – Vasco 2 x 1; 29.05.1960 – Vasco 4 x 2; 04.01.1961 – Vasco 2 x 2 São Paulo; 27.03.1961 – Vasco 2 x 0; 17.03.1963 – Vasco 1 x 0; 12.04.1964 – Vasco 1 x 1 São Paulo; 04.07.1965 – Vasco 2 x 1; 09.06.1965 – Vasco 1 x 4; 09.03.1966 -  Vasco 1 x 0; 14.05.1967 -  Vasco 0 x 0 São Paulo; 27.10.1968 – Vasco 3 x 2; 16.11.1969 – Vasco 0 x 3.  

3 - 1 - A data 15 de março tem duas vitórias vascaínas contra o Botafogo. Explica-se: por 3 x 0, em 1944, contra o time alvinegro carioca, em 2.00, diante do xará paraibano. 

4 -Frente ao rival do Rio de Janeiro, valeu pelo Torneio Relâmpago, com gols por Djalma (39 min) e Chico (42 e 75). Técnico: Ondino Viera. Time: Yustrich, Zago e Rafagnelli; Alfredo II, Ely e Argemiro; Djalma, Lelé, Isaias, Jair e Chico. Diante do time paraibano, rolou pela Copa do Brasil-2000, no Estádio Almeidão, em João Pessoa, com gols por Edmudo (28 min);  Dedé (85), e Paulo Miranda (90). Treinador: Abel Braga. Time:  Hélton; Paulo Miranda, Odvan, Alexandre Torres e Felipe; Amaral, Nasa e Alex Oliveira (Helder); Pedrinho (Marica), Edmundo e Viola (Dedé).


sexta-feira, 21 de setembro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 21 A 23 DE SETEMBRO

                                                21 E SETEMBRO
Nem só pequenas presas caíram nas garras do cruel "Almirante" nos 21 de setembro. O “grande” Botafogo foi avariado por duas vezes. Apanhou em 1947 e em 1980. Também, caíram  no castigo o Olaria e o Campo Grande.

VASCO 2 X 1 BANGU apresentou o atacante Sant´Anna como o "cara", marcando os dois  tentos da vitória, que valeu pelo Campeonato Carioca-1930, em São Januário.  Naquela temporada, a rapaziada era considerada a favorita ao título, por manter o time-base campeão carioca-1929 – Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Pachoal, Russinho, Carlos Paes, o apelidado "84", Mário Mattos e SantÁnna.  Mas terminou vice, com um ponto a menos do que o Botafogo. Em 20 jogos, os vascaínos venceram 14, um a menos do que os alvinegros, empataram três e perderam mais três, totalizando 60 gols marcados e 30 sofridos.  

 VASCO 2 x 0 BOTAFOGO  rolou na casa do rival, em General Severiano, em um domingo, pelo Campeonato Carioca-1947 , com gols de Dimas (2), no segundo tempo. Flávio Costa era o técnico e o time teve: Barbosa, Augusto e Rafagnelli; Ely, Danilo e Jorge; Djalma, Maneca, Dimas, Ismael e Chico. Naquele ano, foi covardia. O Vasco passou, como um trator, por cima da concorência. Em 20 jogos, venceu 17 e empatou três. Foi o segundo título carioca invicto da rapaziada, na era do profissionalismo, com sete pontos de frente sobre o vice e carregado o caneco por antecipação. Pra variar, em 21 de setembro de 1980, mais uma pancadinha nos alvinegros, 1 x 0, no Maracanã, em um domingo, também, pela temporada oficial carioca com gol de Pintinho. O treinador era o “alvinegro” Mário Jorge Lobo Zagallo, que tinha: Mazaropi; Pauliho Pereira (Léo), Orlando ‘Lelé”, Ivan e Marco Antônio; Pintinho, Paulo César ‘Caju” e Marquinho; Wilsinho, Roberto Dinamite e João Luís. 

VASCO 3 x 0 OLARIA foi outra partida vascaína na casa alvinegra de General Severiano. Era uma quinta-feira de Campeonato Carioca-1961, teve renda de  Cr$ 351.200,00 cruzeiros, apito de Aírton Vieira de Morais, o “Sansão” e gols de Sabará (2) e Lorico.  O time, treinado por Paulo Amaral, foi Ita; Joel, Bellini e Dario; Écio e Barbosinha; Sabará, Sauzinho, Lorico, Pinga e Ronaldo.

VASCO 7 X 0 CAMPO GANDE foi caçada em um campa era grande, o do Maracanã, a um adversário “pequeno”, em uma noite de sexta-feira, de terror para o adversário. Até o zagueiro Barbosinha, que não era disso, e o meia Lorico, que era pouco disso – fez três – , bagunçaram as redes.  Sabará, que chamava-se Onophre, deixou dois e completou a farofa na cozinha do “Campusca”, tempero do 21 de setembro de 1962, sob o apito de Frederico Lopes, válido pelo Campeonato Carioca. Treinado por Jorge Vieira, o "Terror do Maraca" naquela noitada era: Humberto Torgado (Ita); Paulinho de Almeida e Brito; Barbosinha e Dario; Maranhão e Lorico; Sabará, Vevé, Saulzinho e Da Silva.  

VASCO 2 X 0 BANGU, EM 1977

VASCO 1 X 0 BOTAFOGO, pra variar, no 21 de setembro de 1980, foi mais uma pancadinha nos alvinegros, 1 x 0, é claro, com placar trocado. Aconteceu no Maracanã, em um domingo, pela temporada oficial carioca de 1980, com gol de Carlos Alberto 'Pintinho'. O treinador era o “alvinegro” Mário Jorge Lobo Zagallo, que tinha: Mazaropi; Paulinho Pereira (Léo), Orlando ‘Lelé”, Ivan e Marco Antônio; Pintinho, Paulo César ‘Caju” e Marquinho; Wilsinho, Roberto Dinamite e João Luís. 

A "Vascodata" 21 de setembro tem, também, três empates "semvergoinhos":  21.09.1960 - Vasco 2 x 2 Portuguesa-RJ;  21.09.1969 – Vasco 2 x 2 Fluminense;    21.09.1985 – Vasco 1 x 1 Bangu.


                                                               22 DE SETEMBRO
Dois cariocas e um mineiro entram nos exemplos de que não se deve mexer com o "Almirante" quando ele sai a navegar. Na data 22 de setembro aconteceu isso:
  
VASCO 2 X 1 FLUMINESE - A casa era a do Fluminense. O dia, um domingo. Sem reverência, a rapaziada foi às Laranjeiras e bateu no anfitrião, com dois gols de Paschoal, em 22 de setembro de 1929, pelo Campeonato Carioca. O time, treinado pelo inglês Harry Welfare, era um timaço: Jaguaré, Brilhante e Italia; Tinoco, Fausto e Mola; Paschoal, Russinho, Carlos Paes, Mário Mattos e Sant´Ana. Até aquela vitória vascaína, os dois times já haviam se encarado por 11 vezes, pelo Campeonato Carioca, com cinco vitórias da "Turma da Colina", quatro dos tricolores e dois empates. O duelo começara, amistosamente, em 11 de março de 1923, com Vasco 3 x 2, em um domingo, em Figueira de Mello. Pela temporada oficial estadual, os dois se pegam desde 20 de maio de 1923, com Vasco 1 x 0 e gol de Arlindo. O local serviu de sede, ainda, para a segunda e terceira partidas oficiais deles, pelo regional, vencidas pelos cruzmaltinos, pelos mesmos 2 x 1, em 29 de julho de 1923, e em 17 de maio de 1925.

VASCO 3 x 0 OLARIA,  pelo Carioca-1966, teve gols de Nado, Alcir e Célio, em uma quinta-feira, no Maracanã. Zezé Moreira era o treinador deste time: Edson Borracha; Ari, Brito, Fontana e Oldair; Maranhão e Alcir;  Nado, Célio (foto), Madureira e Danilo Menezes. Aquela temporada estadual foi um terror para os cruzmaltinos. Ficaram em sexto lugar no primeiro turno do Campeonato Carioca, com cinco vitórias, dois empates e quatro derrotas, marcando 16 e sofrendo 12 gols, enquanto no returno terminaram em quinto, com três vitórias, um empate e três reveses. Marcaram 7 e sofreram 11 tentos.    

VASCO 2 x 0 ATLÉTICO-MG foi jogado em domingo, no Maracanã, pelo Torneio Roberto Gomes Pedrosa-1968. O ex-lateral-direito vascaíno Paulinho de Almeida era o treinador, Buglê e Adílson, irmão do vascaíno Almir Albuquerque, fizeram os gols, e o time esteve assim:  Pedro Paulo; Ferreira, Brito, Fontana e Eberval: Buglê e Danilo Menezes: Nado, Adílson, Valfrido (Bianchini) e Silvinho.  (Foto de Célio reproduzida da Revista do Esporte Nº 360, página 35)


                                 O CLÁSSICO DA GRIPE ASIÁTICA                              
  A tabela do prijeiro turno do Campeonato Carioca-1957 marcava para o dia 22 de setembro o pega Vasco das Gama x Botafogo.  Pelo momento, o Rio de Janeiro vivia dias difíceis com a gripe asiática atacando a sua população. Chegou-se até a penasr em suspensão da disputa.
 Entre os dois clubes, o Vasco da Gama era o mais prejudicado pelo problema, tendo o goleiro Carlos Alberto Cavalheiro, o defensor Laerte, o atacante Vavá e o treinador Martim Francisco atingidos pela questão. Por isso, o clube lutou para não jogar naquele dia.
Líder da competição, o Botafogo, que estava inteiro, não topou adiar o clássico, do qual o árbitroe scaslado, Antônio Viug, também, não pode comparecer, devido a asiática que o levou para a cama. fazendo-o passar o apito da pugana para....
 Com o treinador vascaíno Martim Francisco melhor da saúde e fazendo questão de ir para a partida, ele viu o seu time levar dois gols na etapa iunicial, marcados por Garrincha e por
Didi, este cobrando pênalti.  
Semi mutilado, sem o seu goleiro titular, Carlos Alberto,  e o seu goleador, Vavá, substituídos, respectivamente, por Hélio e Livinho, o Vasco não via boas perspectivas naquele clássico, ao ver o placar crescendo. E agradeceu a Deus por ter virado de etapa pedendo por apenas dois gols de diferença.     
 Veio o segundo tempo e Martim Francisco mandou o seu time atacar, mesmo desarticulado. Livinho diminuiu a diferença er Pinga, em grande jogada individual, empatou, desmoralizando a  marcação pro zona do trinador alvinegro Zerzé Moreira.

 Wilson Lopes de Souza, que foi chamado por “ladrão” pelos dois times, dirigiu o clássico, que rendeu a sensacional soma de Cr$ 1 milhão,453.mil, 403,cruzeiros e teve os dois times formando assim:: VASCO DA GAMA: Hélio, Paulinho e Bellini; Cléver, Laerte e Orlando Peçanha; Sabará, Livinho, Almir, Valdemar e Pinga. BOTAFOGO: Amauri, Thomé e Nilton Santos; Servílio, Beto e Pampolini; Garrincha, Didi, Paulinho Valentim, Édson e Quarentinha.



                                                                 23 DE SETEMBRO
Goleadas pra cima do Bonsucesso e do  Madureiram, nos 23 de setembro. É o "Almirante"  navegando pelas primaveras dos velhos tempos. Tempinho depois, foi mais brando,  com  Campo Grande.
  
VASCO 6 x 1 BONSUCESSO, em um sabadão, foi dia de festança do Lelé fez a festa. Sapecou três bolas nos barbantes da Colina. Ademir Menezes, Isaías e Djalma, também, botaram o “Bonsuça” pra dançar naquele Campeonato Carioca-1944. "Tadinho" dos rubro-anis! Nos três jogos anteriores, sem perdão, eles haviam sido castigados, por 8 x 1 (23.07.1944), 5 x 0 (28.08.1943) e 5 x 1 (30.06.1943). E tinha maldades bem piores, antes: 8 x 0 (22.12.1940) e  5 x 0  (23.10.1937).

VASCO 5 X 2 MADUREIRA foi goleada dominical, também em São Januário, pela temporadas oficial carioca-1951. O “cara” daquela tarde foi Edmur, com três tentos – Friaça e Maneca completaram a pancada. Otto Glória era o treinador desta rapaziada maneira: Barbosa, Augusto e Clarel; Ely, Alfredo II e Jorge; Tesourinha, Ipojucan, Maneca, Friaça e Edmur.  Vascaínos e tricolores suburbanos se enfrentavam, pelo Estadual, desde 12 de maio de 1935, quando a “Turma da Colina”mandou 5 x 1. Depois, outras grandes sacanagens cruzmaltinas foram os 6 x 0 (24.08.1941), os 6 x 1 (05.09.1948) e os 9 x 1 (15.10.1950).


VASCO 2 X 0 CAMPO GRANDE-RJ  remonta às jornadas vitoriosas do glorioso treinador Joel Santana, que foi zagueiro da "Turma da Colina" . O pega rolou em São Januário, pelo Estadual-1992, apitado por Paulino Rodrigues e com o menor público das história da cassa, em jogos cruzmaltinos: 394 testemunhas. Bismarck, aos 24, e Roberto Dinamite, aos 90 minutos, compensaram a decepção nas catracas. Quem compareceu ao gramado: Carlos Germano, Cássio, Alê, Alex e Eduardo; Sídney (Luciano), Leandro, Bismarck e William; Roberto Dinamite (Hernande) e Valdir. Técnico : Joel Santana

(Na foto reproduzida de gloriasdopassadoblogspot.com Edmur é o primeiro agachado à direita, ao lado de Ipojucan, Ademir Menezes, Maneca e Chico, em uma formação vascaína de 1952).


                                         24 DE SETEMBRO
Peixe afogado, maior rival levando virada, paraenses amigos de fé desconsiderados e "manezinhos" da ilha de Florianópolis dando trabalho. Histórias dos 24 de setembro.  
   

VASCO 2 X 1 FLAMENGO -  Em 1950, com o “Expresso da Vitória” nos trilhos, o maior rival foi o atropelado do 24 de setembro. De virada, em uma tarde de domingo, no Maracanã, pelo Campeonato Carioca em que o título foi parar na Colina. Ademir Menezes e Alfredo II  marcaram os tentos do jogo apitado por George Dickens e ouvido por   43.976 pagantes. Flávio Costa era o chefe da turma formada por: Barbosa, Augusto e Wilson; Ely, Danilo e Jorge; Alredo II, Maneca, Ademir Menezes, Ipojucan e Dejayr.

VASCO 3 X 0 TUNA LUSO - O “apanhão” da vez tinha ligações lusitanas. Mas os “lusos cariocas” não queriam nem saber. Mandaram ver pra cima dos paraenses, pelo Campeonato Brasileiro-1986, no Estádio Governador Alacid Nunes, em Belém, em uma quarta-feira, diante 5.242 pagantes, que deixaram na casa a graninha de Cz$ 87 mil, 370 cruzados, moeda que “mandou dizer” que não era coisa do português colonizador. José de Assist Aragão-SP apitou a pugna, que teve “golos” de Gersinho, aos 31 minutos do “primairo” tempo; Mazinho, aos 7, e Geovani, aos 32 da etapa final. O técnico vascaíno era Joel Santana e seus “gajos” assinavam: Acácio; Chiquinho, Fernando, Juninho e Pedrinho; Josenlton, Mazinho, Geovani e Gersinho (Santos); Romário e Zé Sérgio.

VASCO 1 X O FIGUEIRENSE - Teve gol marcado pelomeia Ademir, aos 35 minutos do primeiro tempo,  valendo pelo Campeonato Brasileiro-1975, na casa do adversário, o catarinense Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. A "Turma da Colina" do dia era: Mazaropi, Toninho, Miguel, Renê, Deodoro, Alcir, Zanata, Ademir, Freitas (Carlinhos), Roberto Dinamite e Luís Carlos Lemos, treinados por Mario Travaglini.

 VASCO 2 x 0 NITEROI - Jogo do primeiro turno do Estadual-1980, no Estádio Casio Martins, em Niterói, apitado por Luís Carlos Dias Braga, conferido por 10 283 almas. Paulo César "Caju", aos 37 minutos do primeiro tempo, e Marquinho Carioca, também chamado de  Marco Antônio II´,  aos 23 da etapa final, visitaram as redes, erpresentando este time: Mazaropi; Orlando, Ivã, Leo e Marco Antônio; Pintinho, Paulo Cesar e Marco Antônio II; Wilsinho; . Roberto e João Luis (Guina). O treinador era Mário Jorge Lobo Zagallo.
 A "Vascodata" 24 de setembro inclui: 24.09.1939 – Vasco 1 x 1 São Cristóvão;  24.09.1989 – Vasco 2 x 2 Bahia; 24.09.2006 – Vasco 0 x 0 Botafogo.


                                                                              25 DE SETEMBRO
O 25 de setembro é repleto de vitórias importantes, viradas e muitos gols, Até em empates. Digamos que está no caderninho como uma data emocionante, ou, como diria o torcedor vascaíno Roberto Carlos: "Um dia de muitas emoções! É só conrferir:

VASCO 4 X 1 SÃO CRISTÓVÃO foi uma castigadas de rival dentro da casa dele,  à Rua Figueira de Mello. Não dava mesmo para nenhum santo fazer milagre naquele 25 de setembro de 1949,  pois, naquela temporada,  o "Almirante" ficou esperando os adversários aparecerem. Como não apareceram, ficou campeão carioca, o seu terceiro título invicto, com sete pontos de frente sobre o segundo colocado, vencendo 18 e empatando dois jogos em 20 disputados. O apito da pugna com o "time alvo" ficou por conta de McPerson Dundas e os gols cruzmaltinos foram marcados por Nestor (2), Heleno de Freitas e Maneca. O técnico Flávio Costa usou: Barbosa, Laerte e Wilson; Alfredo II, Danilo e Ipojucan; Nestor, Maneca, Ademir Menezes,  Heleno de Freitas e Mário.

VASCO 2 X 1 MADUREIRA, pelo Campeonato Carioca-1963, foi uma glória de Oto Glória, que venceu dentro da casa do adversário, no estádio da Rua Conselheiro Galvão. Apitado por José Monteiro, o pega teve placar virado por Lorico, aos 11 minutos, e Maurinho, após o time ver a sua rede balançar, aos 9 minutos. Time virador: Ita, Joel Felício, Brito, Barbozinha e Dario; Écio e Lorico; Sabará, Milton, Altamiro e Maurinho.  Aquela, no entanto, não foi uma boa temporada estadual  cruzmaltina. O time terminou em sexto lugar, cinco pontos atrás do campeão.

 VASCO 3 X 1 PORTUGUESA está no caderninho como mais uma vitórias vascaína de virada. O juiz Eunápio de Queiroz ficou na dúvidas se foi o zagueiro Brito que marcou gol contra, ou se o responsável seria Marques, da "Lusa da Ilha do Governador", aos 30 minutos. O certo foi o "Almirante" lançou a "Zebra", aos 35, por intermédio de Célio, para Maranhão, aos 64, e Nado, aos 66, completarem o serviço. Zezé Moreira era o treinador que mandou a campo: Édson Borracha; Ari, Brito, Fontana e Oldair; Maranhão e Alcir; Nado, Célio, Madureira e Danilo Menezes.

VASCO  2 x 0 FLUMINENSE foi o último jogo doa segundo Campeonato Estadual de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, em 1977. Disputado por 15 times, em turno e returno, pelo sistemas todos conta todos, não precisou de decisão entre vencedores de etapas, pois o Vasco papou as duas, em temporadas estadual com 25 vitórias, quatro empates e apenas uma escorregada. Os três pontinhos foram testemunhados, no Maracanã,  por 89.368 pagantes, que anotaram gols de Paulinho e de Edinho (contra). Orlando Fantoni era o treínador e dessa rapaziada: Mazaropi; Orlando ‘Lelé’, Abel, Geraldo e Marco Antônio; Zé Mário e Zanata (Helinho); Wilsinho, Roberto Dinamite, Paulinho (Zandonaide) e Dirceu.

VASCO 3 X 2 PALMEIRAS 1988  foi jogo de placar apertado, mas vitória de grande importância, por ter sido com mando do adversário, no Morumbi, em São Paulo, e encerrando uma série de nove jogos sem vencer o adversário, pelo Brasileirão unificado.  Roberto Dinamite, aos 35; Vivinho, aos 60, e Ernâni, aos 74 minutos, resolveram a parada valendo pelo primeiro turno do Campeonato Brasileiro-1988. A esquadra do "Almirante" do tia transportou: Acácio: Paulo Roberto 'Gaúcho', Célio Silva, Marco Aurélio e Lira; França, Paulo Roberto, Bismarck e Ernâni; Vivinho e Roberto Dinamite (Sorato).

VASCO 2 X 1 CORITIBA, em noite de uma quinta-feira, em São Januário, valeu pela fase única do Campeonato Brasileiro-2003, com o "Animal" Edmundo e Danil Sacramento mexendo no placar cruzmaltino, aos 44 e aos 88 minutos, respectivamente. A rapaziada daquele embalo noturno foi: Fabio, Alex Silva, Wescley, Henrique, Edinho, Ygor, Rubens (Fabiano), Da Silva, Morais (Coutinho), Régis Pitbull , Danilo Sacramento e Edmundo.


VASCO 3 X 0 CRUZEIRO foi a marca da categoria do meia Diego Souza, na tarde de um domingo, pela 26º rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro-2011, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas-MG. Com aquele placar, o "Almirante" manteve a ponta do Brasileirão, com 49 pontos, dois acima do segundo colocado. Diego Souza iniciou o seu show, aos 40 minutos. Recebeu passe de Marcio Careca e bateu cruzado para fazer: Vasco 1 x 0, o resultada da etapa inicial. O segundo gol saiu aos 12 minutos do segundo tempo. Fagner tabelou com Juninho Pernambucano,  e cruzou para Diego Souza só ter o trabalho de empurrar a bola para o fundo das redes: Vasco 2 x 0. Aos 35 minutos, Juninho lançou Diego Souza, que aplicar um "lençol" e fechou a conta: Vasco 3 x 0. O técnico Cristóvão Borges armou este time do dia: Fernando Prass, Fagner, Dedé, Renato Silva e Marcio Careca; Romulo, Eduardo Costa, Fellipe Bastos, Juninho Pernambucano (Diego Rosa); Diego Souza (Leandro) e Elton. 

Também fazem parte da "Vascodata" 25 de setembro: 1932 – Vasco 3 x 3 Carioca-RJ; 1938 – Vasco 3 x 3 São Cristóvão; 1955 – Vasco 1 x 1 Fluminense; 1983 – Vasco 2 x 2 Bangu; 1994 – Vasco 4 x 4 Seleção da Coreia do Sul;  2001 – Vasco 2 x 2 Boca Juniors-ARG.