Vasco

Vasco

domingo, 31 de março de 2019

VA(SCO)CILÃO ENTREGADOR

 Foi a mesma coisa da final do Estadual-RJ do ano passado.  O time vascaíno tinha a bola dominada no ataque, a entregou ao adversário, que empatou na último lance da partida. Coisa de time amador, sem cérebro. Se bem que o árbitro concedeu cinco minutos de prorrogação, tempo que não houve de paralizações durante a partida, como, também, na final de 2018, contra o Botafogo.
Mas o adversário busco mais a vitória. No segundo tempo, por exemplo, os "lebreis da Colina" ficaram esperando a banda passar, assistindo o rival tentar o gol. A bola pune, já dizia Muricy Ramalho. E o Vasco mereceu ser punido, pois seus jogadores, durante as cobranças de pênaltis que definiram o campeão,  chutaram dois pênaltis para fora e um avisando ao goleiro onde iria a bola.
Rossi, Tiago Reis e Werley, que treinam todos os dias e não conseguem acertar uma bola na rede, de tão perto, foram os  cartas que deram um tremendo prejuízo ao Vasco. E aos torcedores pobres que saíram dos bairros mais longes do Maracanã e gastaram o dinheiro que lhe fará falta durante a semana. Gastaram para ter alegria e ficarão sem comida na mesa, por causa desses lebreias querenunciaram ao jogo, covardemente, no segundo tempo.
 FICHA TÉCNICA - 31.03.20-18 (domingo)  VASCO 1 (1) x 1 (3) Flamengo. Estádio: Maracanã-RJ. Final da Taça Rio de Janeiro. Juiz: Rodrigo Nunes de Sá. Público: 34.776 pagantes (38.787 no total). Renda: R$ 1.361,328,00. VASCO: Fernando Miguel; Cáceres, Werley, Leandro Castan (Ricardo) e Danilo Barcelos; Bruno Silva (Raul), Lucas Mineiro e Bruno César (Thiago Galhardo); Rossi, Tiago Reis e Marrony. Técnico: Alberto Valentim.  FLAMENGO: César; Rodinei, Thuler (Bill), Rhodolfo e Trauco; Hugo Moura, Ronaldo (Vinícius) e Arrascaeta; Vitinho, Lucas Silva (Vitor Gabriel) e Uribe. Técnico: Leomir (auxiliar). 
                                            MENINAS MAIS DIGNAS
 E, já que os marmanjos com "cérebro de peixe", são incapazes de vencer os reservas do Flamengo,  as mulheres fazem mis bonito. As "Meninas da Colina" estrearam com pé direito na Série A-2 do Campeonato Brasileiro, ontem, vencendo o Aliança-GO, por 3 x 1, no Estádio Nivaldo Pereira, em Nova Iguaçu-RJ. A destaque  foi a atacante Rhaizza, marcando os três gols vascaínos.
Com a vitória, o Vasco está na liderança do Grupo 5, ao lado do Taubaté-SP. O próximo compromisso será diante do Fluminense, no próximo dia 13,, nas Laranjeiras.
Escalação do Vasco:  Yasmin, Gabrielly, Carolaine (Anna Beatriz), Kaylla e Thaís; Juliana Pacheco, Larissa (Estefani), Bruna (Laina) e Kaylane; Juliana Almeida e Rhaizza - Técnico: Antony Menezes
Foto reproduzida de www.crvscodagama.com.br/Mateus Lima/Fotopress
 - agradecimento

O DOMINGO É UMA MULHER BONITA - BELAS BAIANAS NO TEMPLO DE CARNÁ

1 - O glorioso e arrojado  site www.bahiatodahora.com.br exibiu esta "gataça" brindando as vistas do carnavalesco de 2017 e  mostrando ter peito pra encarar a folia – não consta o nome da bela baiana.
Nos  tempos em que a ditadura dos generais-presidente mandaram no Brasil, por 21 anos, entre 1964  a 1985, a censura às revistas masculinas, como Ele & Ela, da Editora Bloch, e Playboy, então lançada pela Abril, só permitia publicar um seio de fora por foto.
 O cara que determinou isso era tão "intelijegue", que não desconfiava ser impossível a uma mulher nascer com apenas um seio. Nem nos filmes de exagero, como Mad Max e os estrelados por Arnold Schwarzenegger, isso ocorria. Enfim, no Carnaval da Bahia, acontece, no "Bloco do Colírio".    
The site www.bahiatodahora.com.br exhibited this "gataça" offering the views of the carnavalescos and showing chest to face the revelry. At a time when the dictatorship of the generals-president who sent in Brazil, for 21 years, between 1964 and 1985, censorship of men's magazines, such as He & She, of Editora Bloch, and Playboy, then released by Abril, only allowed to publish One breast out per photo. The guy who determined this was so "smart" that he did not suspect it was impossible for a woman to be born with only one breast. Neither the films of exaggeration, like Mad Max and those starring Arnold Schwarzenegger, did. Finally, in the Carnival of Bahia, happens, in the "Bloco do Colírio".

2 - O escrivão da frota de Pedro Alvares Cabral, o muito observador Pero Vaz de Caminha, encantado com as meninas baianas, enviou este segundo relato sobre a terra ao seu senhor , no Lisboa:      
- Mui Digníssimo, Altíssimo, Adoradíssimo Rei! Como  informei-lhe, pela missiva anterior, as meninas baianas mostram um requebrado capaz de sintonizar mouros e cristãos no mesmo tom. Olhe só que graça e energia.     Nestas fotos, as primeira que fiz  após o achamento das terras d´além mar que ora tomamos posse, elas não estão peladas, para desespero da nossa tripulação, mas, normalmente, vivem com as suas vergonhas de fora. Aqui, dançam, em louvor a Momo, uma divindade que anima as suas vidas durante um período do ano. Mas não se preocupe com isso, pois este tal de Momo não ameaça Vossa coroa. É um sujeito muito gordo, que caminha muito devagar e só faz animar as nativas.
Ao receber a missiva, o Rei de Portugal chamou o comandante de sua Marinha e o avisou:
-  Preciso enviar a Rainha às Índias, para ela conhecer melhor as especiarias locais, e parar de me encher o saco, dizendo que falta tudo no palácio.    
- Perfeitamente, Majestade. Vou providenciar melhorias na melhor das nossas caravelas e deixar os aposentos reais em condições de receber, condignamente, o meu Rei e a minha Rainha - disse o chefe da Marinha lusitana.
- Mas quem lhe disse que eu viajarei juntamente com a Rainha, oh gajo?
- Pôijs, pôijz, oh não, Majestade? - espantou-se o súdito de Sua Majestade.
- Não! Enquanto a Rainha estiver navegando para as Índias, eu estarei indo para a Bahia. Lá tem umas índias muito mais + mais. Veja estas fotos que o Caminha me enviou, oh pá! – e mostrou o material ao homem.
- Majestade! O que é que o senhor ainda está fazendo aqui, que ainda não viajou? Aliás, se possível, me inclua fora desta viagem às Índias, com a Rainha, e me aliste nesta sua rota para a Bahia – pediu o comandante da Marinha.
- E o que é que você está ainda fazendo aqui, que ainda não estamos em alto mar? Queres perder o emprego? - ameaçou o soberano.
 Quando o Rei e o comandante de sua Marinha chegaram à Bahia e viram as meninas baianas exibindo o seu requebrado no Carnaval, o senhor dos mares nunca d`antes navegados, só teve uma atitude:
- Lavre aí uma ordem de expulsão do Cabral da Marinha lusitana.
- Motivo, Majestade - indagou o Ministro das Justiça, que ele levou junto.
- Demorou demais a descobrir a Bahia - sentenciou o venturoso rei lusitano.  

Fotos reproduzidas d www.simoesfilhoonline.com.br e de www.rols.news.com.br . Agradecimento desate blog que não é comercial, só histórico e cultural.

sábado, 30 de março de 2019

SANTO ATRAPALHOU SÃO JANUÁRIO

O time do Vasco da Gama estava invicto desde  o dia 4 de agosto, treinado por Martim Francisco e disputando o primeiro turno do Campeonato Carioca. Vinha de  1 x 0 Portuguesa-RJ; 3 x 1 Olaria; 3 x 1 Madureira; 3 x 2 Bangu e 1 x 0 América, além de 1 x 1 Bonsucesso.
Na tarde de 14 de setembro, ninguém esperava ver o "Almirante" afogando nas ondas do São Cristóvão, time que era só de "preencher tabela". Principalmente, depois que Piga abriu o placar do Maracanã. Mas, pelo final do "match", o "Santo" empatou.
Os "pisões" do dia foram: Carlos Alberto Cavalheiro; Paulinho de Almeida e Bellini; Laerte, Orlando Peçanha e Dario; Sabará, Valdemar, Vavá, Almir e Pinga. Uma tragédia para a "Turma da Colina", afinal aquele era um perdido ponto preciosíssimo.   

O VENENO DO ESCORPIÃO - GUANABARA, ESTADO GOVERNADO POR "PREFEITÃO"


 Com esta charge, o cartunista Carlos Estêvão, queria dizer, pela revista carioca “O Cruzeiro”, que o governador da Guanabara, Carlos Lacerda, teria no 1961 um “abacaxi para descascar”, termo que à época significava algo nada fácil de resolver. Se bem que descascar tal fruta nem é tão complicado assim. 
Talvez, Estêvão quisesse prever dificuldades vindouras, pela perda de verbas federais, devido a transferência da capital federal para Brasília. Na verdade, um “abacaxi” bem mais espinhoso era o Estado do Rio de Janeiro, com maiores tamanho geográfico e população, e muitíssimas cobranças do seu povo. 
Com a obrigação de administrar somente a "Cidade-Estado" do Rio de Janeiro, o governador, então, virou foi um “prefeitão”.
A Guanabara  - palavra de origem do indígena tupi guaná-pará, que significa seio-mar - tornou-se o Estado  pelas disposições transitórias da Constituição-1946 e a Lei 3.752, de 14 de abril de 1960, chamada “Lei San Tiago Dantas”. Usando a sigla GB, existiu até 1975, quando a lei complementara Nº 20, de 1º de julho de 1974, com o Brasil presidido pelo general Ernesto Geisel, fez a sua fusão com o Estado do Rio de Janeiro, que valeu a partir de 15 de março de 1975. 
 Muitos pensam que Carlos Lacerda foi o primeiro governador da Guanabara, mas este foi o mineiro – de Alfenas – José Sette Câmara, advogado e diplomata, que viveu entre 14 de abril de 1920 a 30 de agosto de 2008.08. Nomeado pelo então presidente da República, Juscelino Kubitscheck, ele governo a GB até 5 de dezembro do mesmo 1960, quando passou o cargo o primeiro governador eleito, Carlos Lacerda, que comandou os gunanabarinos até 1965.
Entre os “abacaxis” descascados por Lacerda estiveram remoção de favelas para outras regiões; criação das Vilas Kennedy e Aliança, e da Cidade de Deus ; construção da adutora do Rio Guandu; modificações paisagísticas da cidade do Rio de Janeiro; abertura do Túnel Rebouças; alargamento da Praia de Copacabana; construção da maior parte do Parque Eduardo Gomes; a Companhia Estadual de Telefones instalou telefones em bairros distantes do centro, como IrajáBento RibeiroBanguCampo GrandeSanta Cruz, na baixada de JacarepaguáBarra da Tijuca e nas ilhas do Governador e Paquetá.  
Carlos Lacerda nasceu em Vassouras-RJ e viveu entre 30 de abril de 1914 a a 21 de maio de 1977. Advogado e jornalista, como político, esteve filiado à UDN-União Democrática Nacional. De sua parte, Carlos Estêvão, pernambucano, de Recife, viveu entre 16 de setembro de 1921 a 14 de julho de 1972. 

sexta-feira, 29 de março de 2019

OS GAROTOS IMPIEDOSOS DA COLINA

HISTORI & LENDAS D COLINA - XERIFÃO

1 - O zagueiro José de Anchieta Fontana nasceu no último dia do ano de 1940, na cidade de Santa Teresa. Jogando ao lado de Brito, formou uma das mais respeitadas zagas do futebol carioca, tendo a "terrível barreira" sido convocada para os preparativos da Seleção Brasileira rumo à Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra. Mas ele foi cortado, perto da disputa, por motivo de lesão.

 2 - Fontana viveu até 10 de setembro de 1980 e foi vascaíno, de 1962 até 1968. Antes, passara pelos capixabas Vitória, em 1958, e Rio Branco, de 1959 a 1962. Defendeu, também, o Cruzeiro, de 1969 a1972. Pela Seleção Brasileira, disputou a Copa do Mundo-1970, no México, tendo feito só um jogo. Mas atuou em outras 10 jogos, com oito vitórias, dois empates e uma pisada na bola. Desses jogos, sete foram contra seleções nacionais - quatro vitórias, dois empates e uma escorregada - e quatro contra clubes e combinados, vencendo todas.
 
3 - Na década-1950, torcedores fanáticos inventaram que o mais famoso dos cartolas da história do futebol espanhol, Santiago Bernabeu, presidente do Real Madrid, por mais de 50 anos, havia rompido relações com o Vasco, porque o seu clube fora vencido pelos cruzmaltinos, na final do Torneio de Paris, em 1957. Acrescentavam que o homem não admitia o melhor time do mundo cair ante uma equipe sul-americana, de uma região habitada por gente subdesenvolvida. Lenda brava!

4 - Em 1962,quando o Real Madrid excursionou ao Brasil, Don Santigo pediu ao empresário para não marcar jogo contra os vascaínos. Não devido à derrota na capital francesa, mas lembrando-se da briga entre os dois times durante aquela partida. No entanto, demoveram-lhe da ideia, alegando que os tempos eram outros, bem como jogadores e dirigentes vascaínos. E o amistoso aconteceu, no Maracanã. Tem até foto dele, confraternizando-se com dirigentes do Vasco, em uma revista do clube.

 5 - Santiago Bernabeu era advogado e industrial, dono de dezenas de fábricas e uma das maiores fortunas espanholas. Nascido em 8 de junho de 1893, era cinco anos mais velho do que o Vasco. Natural de Almansa, foi meia-direita e centroavante do Real, a partir dos 14 anos de idade. Em 1912, com 17, já era profissional. Chegou a ser capitão do time e marcou 194 gols, em 495 jogos, até parar, em 1927. Pela tremenda dedicação ao clube, após pendurar as chuteiras, ganhou um cargo de diretor, ocupado por oito anos. Em seguida, tornou-se presidente homenageado, com o seu nome ao estádio do clube. Viveu até 2 de junho de 1978, como 11ºpresidente "merengue".

6 - Das nove vezes em que o Vasco enfrentou o Real Madrid, em só em uma – 31 de maio de 1956 – a partida rolou no Estádio Santiago Bernabeu. Por sinal, o time da casa formou uma autêntica seleção espanhola, para encarar a “Turma da Colina".

quinta-feira, 28 de março de 2019

VASCO DA GAMA 1 X 0 BANGU

                                     Reprodução de www.vasco.com.br
O placar garantiu passagem para a final da Taça Rio, no domingo, diante do Flamengo. Caso a rapaziada conquista o caneco, mesmo já tendo levado o da Taça Guanabara, ainda não levará o Estadual, pois terá de jogar mais duas partidas, por dois resultados iguais.
O JOGO - O Vasco buscou o gol desde o início. Logo aos 3 minutos, Marrony ajeitou para Mineiro, que chegou bateu rasteiro. Aos 11, Mineiro lançou Danilo, que cruzou na área. A zaga afastou sobrou para Rossi, que bateu, sem sucesso. Dois minutos depois, Marrony avançou pela direita e cruzou, Rossi bateu, o goleiro espalmou e a bola sobrou para Tiago Reis, que mandou por cima.
A melhor chance do primeiro tempo veio aos 26. Após triangulação de Rossi, Tiago Reis e Cáceres pela direita, o paraguaio tocou para Bruno na entrada da área. O camisa 10 acertou uma bomba, obrigando o goleiro adversário a fazer linda defesa. Aos 31, Cáceres cruzou para Rossi, que cabeceou perto da trave. Aos 40, Danilo Barcelos tentou na cobrança de falta, mas parou no goleiro. Aos 47, Bruno César tentou de longe e o goleiro mandou para escanteio.
Tiago Reis, fotografado por Rafael Ribeiro, nos braços das galera
O segundo tempo começou como o primeiro. O Cruzmaltino, empurrado pela torcida, buscava o gol. Aos 8, Danilo cobrou falta da intermediária e Lucas Mineiro subiu mais que todo mundo, mas mandou para fora.
 Um minuto depois, Rossi arrancou e tocou em Bruno César, que viu a ultrapassagem da Danilo Barcelos. O lateral chutou cruzado e o goleiro defendeu. A insistência deu resultado aos 11. Tiago Reis recebeu cruzamento  na medida de Rossi e testou bonito para abrir o placar: VASCO 1 x 0.
Aos 25, Cáceres cobrou lateral direto para área e Rossi tentou um voleio, mas pegou mascado. Dois minutos depois, Tiago Reis recebeu na área, girou bonito e bateu cruzado, mas o goleiro defendeu. O Vasco controlava o jogo e passou a valorizar a posse de bola. O adversário chegou a esboçar uma pressão no fim, mas o resultado não mudou. Aos 47, Thiago Galhardo quase marcou em chute cruzado. Três minutos  depois, fim de jogo e Vascão na final.

FICHA TÉCNICA - 28.03.2019 (quinta-feira) - VASCO 1 x 0 BANGU - semifinal da Taça Rio. Estádio: Maracanã-RJ. Juiz: Wagner do Nascimento Magalhães. Público:19.289 pagantes. Renda: não divulgada. Gol: Tiago Reis, aos 11 min do 2º tempo. VASCO - Fernando Miguel; Cáceres, Werley, Leandro Castán e Danilo Barcelos; Bruno Silva, Lucas Mineiro e Bruno César (Thiago Galhardo); Rossi (Marcelo Mattos), Tiago Reis (Yago Pikachu) e Marrony. Técnico: Alberto Valentim. BANGU - Jefferson Paulino; João Lucas (Robinho), Anderson Penna, Rodrigo Lobão e Dieyson; Felipe Dias (Alex Chander), Marcos Júnior e Felipe Adão (Rhainer); Yaya Banhoro, Anderson Lessa e Jairinho. Técnico: Ado.

quarta-feira, 27 de março de 2019

CANARINHOS NA ESQUINA DA COLINA

Em 1950, o Vasco disputou dois jogos-treinos com a Seleção Brasileira. No primeiro, 3 x 3, em São Januário, com gols de Álvaro, Xaxá e Nena (contra). O segundo rolou no Maracanã, com 2 x 3 selecionado, e Jair e Vasconcelos comparecendo ao filó. Barbosa e Alfredo atuaram pela "Turma da Colina” nos dois jogos, e Augusto, Ely e Chico no segundo. O Jair vascaíno das duas escalações não é o Jair Rosa Pinto, que havia sido cruzmaltino bem antes.

Vasco 3 x 3 Seleção Brasileira foi em 9 de junho de 1950, durante os preparativos para a Copa do Mundo, apitado por Oto Vieira. Os vascaínos Maneca e Ademir Menezes, além de Baltazar (Corinthians) marcaram os tentos alviazuis, já que o selecionado nacional ainda não era canarinha. O Vasco teve: Barbosa; Laerte (Gim) e Wilson; João Martins, Lola e Alfredo; Ferrinho, Jair, Álvaro Xaxá, Ipojucan e Ismar. A equipe do treinador Flávio Costa alinhou: Castilho; Augusto (Nilton Santos) e Juvenal (Nena); Bauer, Danilo (Rui) e Noronha (Bigode); Maneca, Zizinho (Jair), Adãozinho (Baltazar), Ademir e Chico (Rodrigues). Técnico: Flávio Costa.
Vasco 2 x 3 Seleção Brasileira rolou em 18 de junho, com o “Time da Colina” defendido por: Barbosa, Augusto e Laerte; Ely, Lola e Alfredo; Jair, Vasconcelos, Álvaro Xaxá, Lima e Chico. O escrete: Castilho, Nilton Santos e Nena; Bauer, Danilo e Bigode; Maneca, Ademir Menezes, Baltazar, Jair e Rodrigues. Neste jogo, Ademir Menezes balançou, por duas vezes, as redes cruzmaltinas, e Rodrigues fez o outro gol.

BRINCADEIRA DE TORCEDOR – Como o Vasco tinha Barbosa, Augusto, Danilo, Maneca, Ademir, Chico e Ely na Seleção Brasileira, para esta ganhar do Vasco, foi preciso o Vasco ajudar.
O jogo-treino de 18 de junho de 1950 representou a primeira vez em que a camisa vascaína desfilou pelo gramado do Maracanã. Depois, ela voltou ao “Maraca”, ainda sem ser em um jogo oficial, na tarde de 30 de julho do mesmo ano, no 1 x 0 sobre o Madureira, com gol de Ipojucan, pelo Torneio Início do Campeonato Carioca, que só terminaria em janeiro de 1951. Oficialmente, o primeiro jogo vascaíno no estádio foi em 27 de agosto de 1950, com 3 x 2 diante do Bangu, pelo Cariocão, com gols de Ademir Menezes.
DETALHE: Como jogo-treino e Torneio Início não contam nas estatísticas, Ademir Menezes então, fica sendo o vascaíno a marcar o primeiro gol oficial do Vasco no Maracanã.

DEU BODE NA ESQUINA DA COLINA


terça-feira, 26 de março de 2019

A MUSA DO DIA - MORENA DA MANCHETE

Um show de fotos de lindas morenas brasileiras, exibindo a escultura que a natureza lhes deu, era um dos diferenciais da revista "Manchete", do grupo empresarial Adolpho Bloch. Na matéria "E Deus criou o Verão", escrita por Albani Mota, com fotos de Indalécio Wandereley e de Oskar Sjöestedt, uma das moreníssimas clicadas foi esta jovem, não identificada no texto. De acordo com a legenda, a menina usava "um biquini que desafia as leis das física e seria capaz de embaralhar as teorias de (Isac) Newton". Realmente! Tá na cara! Esta foto saiu na edição Nº 1.185, de 31 de janeiro de 1987, quando a semanário estava comemorando 35 temporadas nas bancas. Além da gatinha que você vê, trazia uma belíssimo ensaio com a "sereia" Liiza Brunet, beijada por ondas das praias carioca, em um verão com o filamento de mercúrio dos termômetros ultrapassando os 40 graus. Razão mais do que suficiente para os turistas estrangeiros deixarem o frio em suas casas e virem à Cidade Maravilhosa verem maravilhas que só o Brasil tinha. E continua a ter. De montão!
FOTO REPRODUZIDA DA REVISTA "MANCHETE"
...
A show of photos of beautiful Brazilian brunettes, showing the sculpture that nature gave him, was one of the differentials of the magazine "Headline", the business group Adolpho Bloch. In 'And God created the Summer ", written by Albani Mota, with pictures of Indalécio Wandereley and Oskar SJOESTEDT, one of moreníssimas clicked was this young, unidentified. According to legend, the girl wore "a bikini that defies the laws of physics and be able to shuffle the theories of Isaac Newton." Really! Okay in the face! The photo is of the edition No. 1,185, of January 31, 1987, when the weekly comemoranva 35 years. Besides the "gataça" brought an essay with "mermaid" Liiza Brunet lapped by waves of Rio's beaches in summer with the filament of mercury thermometers exceeding 40 degrees. More than enough reason for foreign tourists leave the cold in their homes and come to see the Marvelous City wonders that only Brazil had. And continues to have. The heap

HISTORI&LENDAS - EXPULSADEIRA

1 - Está na mesma data, de 23 de  abril: duas expulsões de campo. Em 1955, o "sargentão" Flávio Costa era o treinador vascaíno e tinha compromisso contra o Santos, no Maracanã, pelo Torneio Rio-São Paulo. Pelé ainda não pintava no pedaço e a sua futura camisa 10 era usada pelo ex-vascaíno baladeiro Vasconcelos, amante dos embalos das noite. O Vasco vencia, mas Flávio Costa precisou substituir Pinga, que era um dos ídolos da torcida. Mandou Alvinho para o gamado, mas precisou voltar a mexer no time. Então, trocou Alvinho, por Iedo, que foi expulso de campo. E não deu mais pra mexer em nada, nem no placar, que ficou Vasco 2 x 0. O time da época tinha: Vitor Gonzalez; Paulinho de Almeida e Bellini; Amauri, Adésio e Dario; Sabará, Ademir Menezes, Vavá, Pinga (Alvinho/Iedo) e Parodi.   

2 - Rolava 1980  e o Vasco havia ido a Recife, encarar o Náutico, pelo Campeonato Brasileiro, no estádio do Arruda.  Aos 13 minutos, o meia Guina marcou o gol que deixou a conta final em 1 x 0. Com tal placar, os vascaínos quebravam o tabu, de três jogos, sem vitórias sobre o “Timbu”, em confrontos pelo Brasileiro unificado. Fazia de tudo para acabar com aquela história. E, já que era assim, para não deixar o anfitrião empatar, o meia-atacante Jorge Mendonça aprontou bagunça e foi convidado a se retirar do gramado. Trocou o convite por três pontos. O Vasco do dia teve: Mazaropi; Léo, Orlando, Juan e Paulo César; Dudu, Guina e Jorge Mendonça; Katinha, Paulinho (Aílton) e Roberto Dinamite.
 

segunda-feira, 25 de março de 2019

HISTORI & LENDAS DA COLINA - MINASMAR


  1 - A primeira vez em que ao time vascaíno concentrou-se para um descanso total foi em 1923, na cidade mineira de Mar de Espanha. O local, a estância hidromineral da Fazenda Rocha, foi oferecido por um associado do clube, o historiador cruzmaltino José da Silva Rocha, o Rochinha, que viria a ser o 35º a presidir o clube, em 1963.
COM MAR NO RJ, VASCO FOI PARA MAR DE MINAS GERAIS, ONDE NÃO TEM MAR.

2 - Nos inícios dos Campeonatos Cariocas, os árbitros era indicados pelos clubes. Entre outros, o Vasco indicou Francisco Alberto da Costa, Eduardo Pinto da Fonseca, Mílton de Castro Menezes, Carlos Gomes de Farias, Paiva Anciães, José Pereira Peixoto, José Pinto Lopes e Diogo Rangel. Já o primeiro representante vascaíno fora do Rio de Janeiro foi Achilles Astuto, “embaixador” junto à entidade paulista de remo, em 1925.
PARA LIDAR COM PAULISTAS REMADORES, SÓ MESMO ALGUÉM MUITO ASTUTO.

3 - Locais onde os vascaínos já se alojaram: Rua Teófilo Otoni Nº 89; Clube Dansante e Recreativo Estudantino Arcas Comercial, no Largo do Capim; Sociedade Dramatica Filhos de Talma à Rua da Saúde Nº 293, onde ocorreu a fundação, em 1898; Ilha das Moças; Travessa Maia Nº 15; Rua do Passeio Nº 18; Rua Santa Luzia; Sede do Calaboauço; sede náutica na Lagoa Rodrigo de Freitas; Edifício Cineac 9º andar, na Avenida Rio Branco Nº185, e Rua General Almério de Moura.
O ALMIRANTE ANVEGOU, NAVEGOU, E FOI ANCORAR O SEU BARCO NA COLINA

4 - A primeira bandeira do Club de Regatas Vasco da Gama foi de flanela e oferecida pela guarnição da canoa Zoca.
AINDA BEM QUE, NOS VELHOS TEMPOS, AINDA NÃO HAVIA FLANELINHAS.

SÃO PEDRO NÃO PÁRA O ALMIRANTE

Sílvio Parodi e Pinga preferiam jogar a seco
Ainda não havia Pelé, e São Pedro deveria estar muito zangadão com a “bolinha de gude” que vascaínos e santistas vinham jogando, pelo Torneio Rio-São Paulo-1955. 
Rolava um sábado bom para a farra, mais precisamente, 24 de abril. Responsável pela chave do Céu, de repente, Pedrão resolveu sacanear a rapaziada. 
Foi lá no registro d´água da casa de Deus, que estava com as suas contas, absolutamente, em dia, e abriu a torneira, com vontade, sobre a cabeça da moçada.
Ainda não havia, também, o cartolão corintiano Vicente Matheus, para avisar que "vai pra chuva quem quer se queimar". No entanto, antecipando-se, em décadas, ao aviso, os atacantes vascaínos Sílvio Parodi, um paraguaio malandrinho, e o paulista Pinga, temendo um novo dilúvio , preferiam jogar a seco, e foram buscar proteção debaixo do guarda-chuva do fotógrafo Sales, que abrigou ainda, o seu colega José Santos, da revista “Esporte Ilustrado”.
Como São Pedro maneirou a barra depois, Vavá e Ademir Menezes, dois pernambucanos, de uma terra onde pouco chove, choveram duas pipocas na chama do “Peixe”. E o Vasco, armado por Flávio Costa, mandou 2 x 0, no Maracanã, “nadando” com: Victor Gonzalez; Paulinho de Almedia e Belline; Amauri, Adésio e Dario; Sabará, Ademir, Vavá, Pinga (Alvinho)(Iêdo) e Parodi. O Santos comandado por LuisAlonso Peres, o Lula, pecou por causa de: Walter; Helvio e Feijó; Cássio, Formiga e Urubatão; Del Vechio (Elzo), Valter Marciano, Alvaro, Vasconcelos e Pepe (Del Vechio). A renda foi de Cr$ 158 mil.554 cruzeiros e 20 centavos, e a foto, que não tem crédito, saiu na edição de N º 891, de 05.05.55, de "Esporte Ilustrado".

domingo, 24 de março de 2019

HISTORI& LENDAS DA COLINA - PACOTI

   MIRABOLANTE  INVENCIONICE DE TORCEDOR EM BOTECO
 
 
O cearense Pacoti emplacou na Colina
Francisco Nunes Rodrigues, o Pacoti, tinha por ídolo, quando garoto, em Quixadá, no Ceará, um “matador” apelidado por Puskas. Por causa dele, entrou para o ofício.
Mandado buscar, de teco-teco, em sua terra, pelo Calouros do Ar, ele não agradou ao técnico do time de Fortaleza e voltou, de trem, pra casa. Mas deu a volta por cima. Mandou 36 bolas nas rede, em 18 jogos, pelo Sport Recife, em 1958, recorde de média de gols, na época.
Recado dado, Pacoti foi levado pelo Vasco da Gama, de avião. Tempos depois, Pacoti "saía" de campo lendo Vasco 5 x 2 Real Madrid no placar, durante excursão à Europa, quando Ferenc Puskas (o original), aproximou-se dele, parabenizou-lhe pelos três gols marcados e o convidou a participar das comemorações do aniversário de Don Alfredo Di Stefano.
Puskas sentou-se do seu lado e disse que era uma satisfação  conhecer um dos maiores artilheiro da Europa. Estava informado sobre os estragos que o grande Pacoti fazia nas excursões vascaínas ao Velho Mundo.
  De arrepiar: o Vasco jamais mandou 5 x 2 no Real Madrid. Foi o contrário. Tais números rolaram em Caracas, na Venezuela, pela Pequena Copa do Mundo, em 01.07.1956. Naquele jogo, nem Pacoti e nem Puskas estiveram presentes E nem era aniversário de Di Stefano, que nasceu em 4 de julho de 1926.

O DOMINGO É UMA MULHER BONITA - BIANCA, A GATA DA COPA DO MUNDO

O Kike encontrou esta revista, atrasadamente, pois faz quase uma temporada que a Copa do Mundo da Rússia-2018 passou. Ficou encantado com o ensaio nota mil, posado pela modelo vascaína Bianka Cabral. A "Sexy" a elegeu sua "Musa da Copa" e o Kike a elege musa de todos os Mundiais, pois a sua formosura não é igualada, facilmente. Bianka, que tatuou um escudo do Vasco da Gama perto do ombro, comparece a muitos jogos da rapaziada, quando não está trabalhando, e já até já viajou para o exterior, engrossando a torcida do Clube da Faixa. Ela é 100% bela e 100% vascaína, para  glória da galera da "Turma d Colina". Valeu! Bom domingo, rapaziada!

sábado, 23 de março de 2019

VASCO X BANGU - HOJE -- 19H

AGUARDAR TEXTO

O VENENO DO ESCORPIÃO - PRESIDENTE, USAR O CARGO SERÁ UM BOM NEGÓCIO?

   Ser presidente da República do Brasil parece não ser bom negócio. Pelo menos, para 24 por cento dos 38 que chegaram ao cargo. Pior para quatro deles que foram parar na cadeia, enquanto dois bateram as botas antes de assumir o cargo, e um outro na metade do poder. Além disso, ainda, tivemos empeachment, impedimentos e derrubadas, como veremos abaixo.

Deodoro  da Fonseca - proclamou a república, em 1889,  e renunciou, dois anos depois, tendo em seu período de governo sido ditador e impopular. Traiu o Imperador Pedro II, o responsável pelo seu sucesso na carreira militar.

Hermes da Fonseca – governou, de 2010 a 2014. Após deixar o cargo pssou alguns meses preso, por motivos de comportamento político.

Rodrigues Alves - bateu as botas antes de tomar posse, em 2018.

Júlio Prestes, eleito, em 1030, não tomou posse, porque Getúlio Vargas comandou uma revolução e ficou com o poder.

Geúlio Vargas – suicidou-se, em 1954, após ter sido ditador.

Café Filho – impedido de voltar ao governo, em 1955.

Michel Temmer, reproduzido de www.congresso em foco, é o segundo
ex-presidente preso, em menos de duas temporadas 

Carlos Luz – Impedido de seguir governando, em 1955, após substituir Café Filho

Juscelino Kubitscheck - teve fim trágico, durante acidente automobilístico, quando fazia uma viagem.

Jânio Qudros, renunciou em 1961, "pressionado por terríveis forças ocultas"

João Goulart – derrubado pelos militares que fizeram a Revolução de 1964. exilou-se no Uruguai.

Castelo Branco – marechal e primeiro chefe da Revolução-1964. Governou, de 1964 a 1969. Depois, exlpodiu durante um acidente de avião

Costa e Silva – leevado por enfarto, em 1969, no meio do poder.

Pedro Aleixo -  impedido de tomar posse, em 1969, quando Costa e Silva teve o problema de saúde quem o tirou do poder.

Tancredo Neves - bateu as botas antes da posse em 1985, devido diverticulite aguda

Fernando Collor – sofreria empechment, em 1995, mas renunciou ao cargo, antes.

Dilma Roussef – governou de  2011 a 2016 e também sofreu empeachment

Michel Temmer  - governo, de 2016 a 2019 – está preso desde a última sexta-feira, acusado de ter recebido propina.

sexta-feira, 22 de março de 2019

GUERREIRO VASCONET DA COLINA

 Você está acostumado a ver reproduzidos por aqui belos trabalhos artísticos da turma do site www.paixaovascao.com.br, não é mesmo? Mas, hoje, o "Kike" deparou-se com este no www.netvasco.com.br, que é o principal site esportivo brasileiro e um dos maiores do mundo, comandado pelo nosso amigo Fernando Ramos, torcedor vascainíssimo. 
Concorde que é um belo selo, exibindo um almirante guerreiro,  sem citar o autor do traço. 
Se alguém souber, por favor, nos informe, para colocar o crédito, informar a sua graça ao planeta.
 Enquanto isso, o "Almirante" segue lutando contra tudo e contra todos, aliás desde que que começou a rolar a bola, enfrentando a ira dos que não o aceitavam praticando-o a democracia epidérmica e na carteira de dinheiro.
 Salve NetVasco, pela sua ideia brilhante. Brilhantíssima. Valeu! 

NA BOCA DA URNA DA VELHA COLINA


A maioria dos vascaínos mais chegados ao Kike, em Brasília, elegeu os 4 x 2, de  29 de março de 1992, e os 4 x 1, de  3 de dezembro de 1999, ambos pelo Campeonato Brasileiro, como as maiores atuações de Edmundo diante do Flamengo.s. No primeiro desses jogos, o “Animal”,  assistido por 92.982 pagantes, abriu a conta, aos 7 minutos. Um golaço, tão bonito que até a torcida do rival elogiou. Bebeto, aos 41 da mesma etapa, aumentou. No segundo tempo, Flávio Paiva, aos 66 e aos 78, esticou o placar, para 4 x 0. No finalzinho, eles descontaram.
O Vasco arrasador daquela tarde de domingão ensolarado no Maracanã foi: Régis; Luís Carlos Winck, Alexandre Torres, Jorge Luiz e Eduardo; Luisinho, Geovani e William; Bismarck, Edmundo (Flávio Paiva) e Bebeto. O chefe da rapaziada chamava-se Joel Santana.
No segundo arraso, no mesmo "Maraca", era uma noite de quarta-feira, diante de 75.493 almas, Edmundo aprontou, aos, aos 16, aos 55 e aos 87 minutos, para Maricá fechar a porteira, aos 90.  O time da noitada teve:  Carlos Germano; Felipe Alvim (Maricá), Alex, Mauro Galvão e César Prates; Nasa, Nélson, Juninho Pernambucano (Moisés)  e Edmundo: Bebeto e Evair (Fabrício Eduardo) (Fabrício). O treinador era Antônio Lopes.

quinta-feira, 21 de março de 2019

MUSA DO DIA DA COLINA - JAMBELÍSSIMA

Salve! Lindo pendão da Colina! Quem o desfralda é a mais linda, ainda, modelo Jamila Sandoro, a campeã de simpatia entre as torcedoras vascaínas. Esta foto, reproduzida do seu "facebook", foi clicada durante um instantinho em que ela descansava dos treinos, ao que tudo indica, para beber os energéticos recomendados pelos nutricionistas e que ajudam a ter muita energia.  

Hail! Beautiful Hill Tassel! Whoever unfurls it is the most beautiful, yet, model Jamila Sandoro, the champion of sympathy among the Basque fans. This photo, reproduced from her "facebook", was clicked during a snapshot in which she rested from training, it seems, to drink the energy recommended by nutritionists and help to have lots of energy.

HISTORI& LENDAS DA COLINA - REMEXIDA


1 - Está na mesma data, de 23 de  abril: duas expulsões de campo. Em 1955, o "sargentão" Flávio Costa era o treinador vascaíno e tinha compromisso contra o Santos, no Maracanã, pelo Torneio Rio-São Paulo. Pelé ainda não pintava no pedaço e a sua futura camisa 10 era usada pelo ex-vascaíno baladeiro Vasconcelos, amante dos embalos das noite. O Vasco vencia e Flávio Costa precisou substituir Pinga, que era um dos ídolos da torcida. Mandou Alvinho para o gamado, mas precisou voltar a mexer no time. Então, trocou Alvinho, por Iedo, que terminou expulso de campo. E não deu mais pra mexer em nada, nem no placar, que ficou Vasco 2 x 0. O time da época tinha: Vitor Gonzalez; Paulinho de Almeida e Bellini; Amauri, Adésio e Dario; Sabará, Ademir Menezes, Vavá, Pinga (Alvinho/Ledo) e Parodi.   

2 - Rolava 1980  e o Vasco havia ido a Recife, encarar o Náutico, pelo Campeonato Brasileiro, no estádio do Arruda.  Aos 13 minutos, o meia Guina marcou o gol que deixou a conta final em 1 x 0. Com tal placar, os vascaínos quebravam o tabu, de três jogos, sem vitórias sobre o “Timbu”, em confrontos pelo Brasileiro unificado. Fazia de tudo para acabar com aquela história. E, já que era assim, para não deixar o anfitrião empatar, o meia-atacante Jorge Mendonça aprontou bagunça e foi convidado a se retirar do gramado. Trocou o convite por três pontos. O Vasco do dia teve: Mazaropi; Léo, Orlando, Juan e Paulo César; Dudu, Guina e Jorge Mendonça; Katinha, Paulinho (Aílton) e Roberto Dinamite.
                               
3 - Quatro jogadores que vestiram a camisa cruzmaltina foram capitães da Seleção Brasileira em Copas do Mundo: Leônidas da Silva; Hideraldo Luiz Bellini, Orlando Peçanha de Carvalho e Carlos Caetano Bledhorn Verri, o Dunga.

quarta-feira, 20 de março de 2019

VASCO DA GAMA 2 X 0 RESENDE - TAÇA RIO

Jogo resolvido durante o primeiro tempo , com gols de Tiago Reis, garoto nascido em Brasília, e por Bruno César. Assim, a "Turma da Colina" atinge oito pontos e fica com o  segundo lugar do Grupo B da Taça Rio. 
O próximo jogo será no sábado, diante do Bangu, a partir das 19h, em São Januário, pela última rodada da fase de classificação da TRJ-19.
No primeiro gol,  aos quatro minutos, Marrony evitou a bola sair, pelo lado esquerdo e pela linha de fundo, e fez um passe para trás, onde estava Tiago, que fazia a sua primeira partida como titular, O garoto bateu sem chances de defesa: 1 x  0.
Rafael Ribeiro flagrou a alegria do garoto brasiliense Tiago Reis
  A rede balançou, novamente, aos aos 17. O lateral Cáceres subiu no apoio, fez grande jogada e cruzou rasteiro para Marrony finalizar. O goleiro deu rebote, Bruno César completou e marco o seu primeiro gol vascaíno: 2 x 0. 
CONFIRA A FICHA TÉCNICA  - 20.03.2019 (quarta-feira) - VASCO 2 X 0 RESENDE - Taça Rio. Estádio: da Cidadania, em Volta Redonda-RJ. Juiz:Luis Antônio Silva dos Santos  Público:  5.269. Renda:R$ 122.050,00. Gols: Tiago Reis, aos 4, e Bruno César, 17 min do 1º tempo. VASCO: ​Fernando Miguel; Raul Cáceres, Werley, Leandro Castan, Danilo Barcelos; Bruno Silva (Thiago Galhardo), Lucas Mineiro; Bruno César (Fellipe Bastos), Rossi; Marrony e Thiago Reis (Yago Pikachu). Técnico: Alberto Valentim. ​RESENDE: Ranule; Dieguinho, Rhayne (Domingues), Lucas Tavares, Murilo; Joseph, Léo Silva, Vitinho, Arthur Faria (Filipe Sousa); Jeanderson e Zambi (Mateus Totô. Técnico: Edson Souza

HISTORI & LENDAS - CAPITÃO MILÃO

1 -- Em 23 de fevereiro, pelo Torneio Rio-São Paulo-2000, o zagueiro Mauro Galvão atingiu mil jogos na carreira. Em Vasco  2 x 1 São Paulo, com dois gols de Romário. um em cada tempo, em uma quarta-feira, em São Januário. Conferiram  7.750 pagantes, valendo pelas semifinais, com apitação por Romildo Corrêa-S). À caminho do "milão", o  então capitão vascaíno passou porr Internacional-RS, Bangu, Botafogo e Seleção Brasileira.  O time do dia teve:  Helton; Jorginho Amorim (Maricá), Odvan, Mauro Galvão e Gilberto;  Válber, Felipe (Alex Oliveira), Amaral e Paulo Miranda (Rogério); Viola e Romário. Técnico: Antônio Lopes.

2 - Quem se lembra de Odvan, o "zagueiro-zagueiro"? Pois ele também balançava a rede, fazendo o trabalho da turma lá da frente. Um dos seus tentos foi em 24 de fevereiro de 2015, em Vasco 3 x 1 São Paulo, ao sete minutos, em uma quarta-feira, no Morumbi, a casa do adversário, pelo Torneio Rio-São Paulo. Odvan (e mais 10) daquele dia formaram este Vasco, dirigido pelo delegado Antônio Lopes: Carlos Germano; Zé Maria, Odvan, Mauro Galvão e Felipe; Nasa, Paulo Miranda, Juninho Pernambucano (Vagner),e Ramón; Donizete (Zezinho) e Luizão (Guilherme).

3 - Um outro defensor vascaíno  não  muito de botar a bola na rede, em "jogada", era o apoiador Fellipe Bastos. Só quando batia falta perigava o emprego dos goleiros. Mas, um dia, o Vasco fez 6 x 1 Comercial-MS, pela Copa do Brasil-2011, em São Januário, e ele chegou com pressa a rede: aos dois minutos. "Raridade rara" do acima. O Vasco do apressadinho do dia teve: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Anderson Martins e Ramon (Márcio Careca); Rômulo (Eduardo Costa), Fellipe Bastos, Felipe (Bernardo) e Jéferson; Marcel e Éder Luís. Técnico: Ricardo Gomes.

4-  Na data 24 de fevereiro, o Vasco já bateu em dois Fluminenses. Contra o tricolor as Laranjeiras, por 4 x 2, em 1996,  pela Taça Cidade Maravilhosa, no estádio Caio Martins, em Niterói, que recebeu 2.406 pagantes.  Já o Flu, de Nova Friburgo-RJ foi avariado por 4 x 0, em 1979,  pelo Campeonato Estadual Especial, em São Januário. Marco Antônio (2), Orlando e Washington Oliveira foram os impiedosos

terça-feira, 19 de março de 2019

TRAGÉDIAS DA COLINA - ESCORREGADAS


1 -Durante a excursão de 1956, o Vasco escorregou no tomate. Só venceu os turcos Besiktas (07.04 – 2 x 0 - e 15.04 – 3 x 1) e Galatassaray (11.04 – 1 x 0), com todos os jogos em Istambul. No mais, só escorregadas: 31.03 - 2 x 5 Anderlecht, em Bruxelas, na Bélgica; 08.04 – 0 x 2 Fenerbhacen, em Istambul; 14.04 – 3 x 4 Ankara, em Ankara, na Turquia; 18.04 – 0 x 0 Estrela Vermelha, em Belgrado, na extinta Iugoslávia. 22.04 – 2 x 4 Roma, em Roma, na Itália; 25.04 – 0 x 2 Grasshopers, em Zurique, na Suíça.
ESCORREGOU NÃO SÓ NO TOMATE, MAS NA HORTA INTEIRA.

2 - Se tem algo que torcedor vascaíno não perdoa é perder para o Flamengo, ou sofrer gol de jogador que  passou pelo clube rubro-negro. Mas, em 7 de agosto de 1983, a galera teve de anotar mais uma decepção às custas de Zico, que havia maltratado muito o "Almirante" na década-1970, quando este ficou tri vice-campeão carioca para o "rivalaço", assistindo ao maior rival carregar as taças de dos Estaduais-1974/78/79. Daquela vez, Zico defendia a italiana Udinese e jogava contra o Vasco, decidindo um torneio amistoso, na cidade de Udine. O "Galinho", mesmo não tendo marcado gols – Virdis, Marchetti e De Agostini bateram na rede – comandou o seu time na vitória, por 3 x 0. O vexame do dia foi por conta de: Acácio; Galvão, Chagas, Celso e Jorge Luís; Serginho, Ernâni e Amauri; Pedrinho, Marcelo (Geovani) e Marquinho (Dudu). A Udinese teve: Brini; Galparoli (Cattaneo), Tesser (Pancheri), Edinho (ex-Fluminense) e Gerolin; Mauro (Urban), Marchetti e Zico;  Causio, Virdis (De Agostini) e Borin.
UM 'GALINHO' MUITO, MUITO MALÃO


HISTORI& LENDAS - TROCADINHOS

1 - Os Estados Unidos da América, a pátria do capitalismo, já foi território, também, de o glorioso "Almirante" ir atrás de uns trocados para pagar a sua folha salarial mensal. Pois foi! No 27 de maio de 1990, a "Turma da Colina" foi ao cofre do Tio Sam e fez um amistoso "caça níquel" contra o Combinado da Costa Leste. de Quebra, faturou 5 x 0, , às custas de Tato, Sonny Anderson, Júnior ... (ficamos devendo dois gols)

2 -  Nos 27 de maio,  4 x 1 Fluminense é o sacode mais expressivo da rapaziada sobre os tricolores – o primeiro duelo rolou em  11 de março de 1923, com Vasco 3 x 2, amistosamente, na Rua Figueira de Mello. Valeu pelo Estadual-1979,  no Maracanã, com  Roberto Dinamite (3) e Paulinho na rede. Time da maldade: Leão; Orlando ‘Lelé’, Abel, Geraldo e Marco Antônio; Helinho (Toninho Vanusa), Dudu e Guina; Jader, Roberto Dinamite e Paulinho (Wilsinho).

3 - Em 2 de março de 2002, o Vasco participou do jogo número 4.000 da história da Portuguesa de Desportos. “Presenteou” a Lusa do Canindé com 4 x 1, em São Januário, pelo Torneio Rio-São Paulo. Era um sábado, na oitava rodada, com arbitragem de Lourival Dias Lima Filho e gols Alex Oliveira, aos 13; Euller, aos 20', e Romário, aos 29 e aos 37 minutos do 2º tempo. O time do estrago foi: Helton; Leonardo Moura (Rodrigo Souto), Wagner (Gomes) e João Carlos; Alex Oliveira, Jamir, Donizete Oliveira e Léo Lima e Felipe; Euller e Romário.
 PRESENTE DE PORTUGUÊS É PIOR DO QUE PRESENTE DE GREGO.

4 - Moacir Siqueira de Queiroz, o Russinho, artilheiro dos Campeonatos Cariocas de 1929 e 1931, foi eleito o melhor jogador do Rio de Janeiro, em 1930, pelo Concurso Monroe, promovido pela Grande Manufactora de Fumos Veado. Recebeu quase três milhões de votos e levou um carro apelidado por “Baratinha”. Era um conversível da Chrysler, zero km, lhe entregue na tarde do domingo 15 de junho de 1930, em São Januário, diante de grande público. O fato foi documentado, com fotos, pela revista “O Malho” Nº 1449, de 21 de junho de 1930. A votação foi descarregada nas urnas pela torcida vascaína.
                            QUE BARATO! LEVOU UMA BARATINHA.
 
 
 
 
 
 

 

segunda-feira, 18 de março de 2019

A BELA DO DIA DA COLINA - JUBITEN

A bela de hoje, Juliana Bittencourt, passou por uma nada fácil. Em 2014, ela contratou  a empresa de Bianca Andrade  para maquiá-la no dia do seu casamento. Mas ninguém apareceu no horário combinado.
O caso fo parara na Justiça e terminou com um acordo entre as duas, no último e deste mês, na 7ª Vara Cível do Rio de Janeiro, com Bianca pagando Juliana em R$15 mil.
O advogado de Bianca, Alexandre Salamoni, divulgou um comunicado sobre a audiência: “A Bianca não indenizou a noiva. Foi feito um acordo e este não reconhece direito a indenização ou condenação, mas sim encerra o processo sem a discussão se cada parte está certa ou errada. (Reproduzido do Jornal de Brasília).

Today's beauty, Juliana Bittencourt, has been through nothing. In 2014, she hired Bianca Andrade's company to make it on her wedding day. But no one showed up on time.
The case was stopped in court and ended with an agreement between the two, in the last and of this month, in the 7th Civil Court of Rio de Janeiro, with Bianca paying Juliana in R $ 15 thousand.
Bianca's lawyer, Alexandre Salamoni, issued a statement on the hearing: "Bianca did not indemnify the bride.
 An agreement has been made and the latter does not recognize the right to compensation or conviction, but terminates the proceeding without discussion if each part is right or wrong. (Source: Jornal de Brasília)


HISTORI & LENDAS - ORDEM DO REI

Dom Manuel  intitulava-se, "pela graça de Deus”, Rei de Portugal e de Algarves, neste e no outro lado do mar, na África, Senhor da Guiné e da Conquista, Navegação e Comércio da Etiópia, Arábia, Pérsia Índia” e tinha a obsessão de banir o islã da
 Devido àquela loucura, ele decepcionou-se com a falta de liderança de Pedro Alvares Cabral e o relegou ao ostracismo. Para dominar o comércio das Índias, só via um macho: Vasco da Gama que, desde os cinco de idade, já fazia parte da Ordem de Santiago, matadora de milhares de “infiéis”, pela ótica da igreja católica, em nome da fé cristã.
Don Manuel, em reprodução de
 www.memorialdodescobrimento
 Quando chegou ao Brasil, Pedro Álvares Cabral viajara levando no bolso do colete as informações de Vasco da Gama sobre a sua descoberta do caminho marítimo para as Índias. Por incompetência náutica, veio parar na Bahia, que achou ser uma ilha. Por aqui, nem pisou um pé no chão. Tempinho depois, Dom Manuel mandou Vasco da Gama voltar a navegar e fazer o preciso para ele libertar a Terra Santa, após limpar o comércio das Índias dos muçulmanos.
 O Vascão foi cruel, impiedoso. Bombardeou, matou, enforcou, pirateou, fez vassalos e levou para Portugal as riquezas que o rei queria, transformando a inexpressiva Lisboa no novo centro comercial da Europa, deixando Veneza para trás.
Com todo este bolão jogado durante a crueldade da conquista – antigamente, era assim – Dom Manuel deu-lhe o título de “Almirante da Índia”, podendo usar o “Dom. A formalização ocorreu em 30 de janeiro de 1502, na catedral de Lisboa. Mais tarde, ele tornou-se Conde de Vidigueira e Vice-Rei da Índia.
 Quando Pero Vaz de Caminha enviou carta ao rei, contando das riquezas da terra achada, Dom Manuel mandou dizer à rapaziada que iria recompensar geral. Para Vasco da Gama, que fornecera o caminho das pedras, criaria para ele, que gostava de remar, um clube de remo, o Club de Regatas Vasco da Gama. E, para a moçada da viagem de Cabral, um clube de tiro ao alvo. Poderiam matar todos os flamengos que voassem pela frente.
- Passou flamengo, flamingo pela frente, mande bala - ordenou.
 E a ordem foi cumprida, quando a moçada pegou o Flamengo pela frente, pela primeira vez, em 29 de abril de 1923. Mandou 3 x 1, pelo Campeonato Carioca.