Vasco

Vasco

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 29 DE FEVEREIRO

O Vasco rolou a bola em três ocasiões bissextas: 1948/1984/2012. O clube já usou todas datas do calendário, exceto a 24 de dezembro, desde 21 de agosto de agosto de 1898. Confira  os três jogos  "bissextões":  

VASCO 1 X 0 EMELEC foi em um domingo, pelo Campeonato Sul-Americano de Clubes Campeões, no Chile.  Com público de 38.500 presentes e gol de Ismael,  depois de venceremos equatorianos, duas rodadas depois, a rapaziada conquistaria o título, o primeiro de um clube brasileiro no exterior. Barbosa, Augusto e Rafangnelli; Ely, Danilo e Jorge;  Djalma, Maneca (Dimas), Friaça, Lelé (Ismael) e Chico (Nestor) foi a rapaziada escalada pelo treinador  Flávio Costa para bater a equipe do Equador.
OBS: este jogo aparece em várias publicações como tendo sido disputado no dia 28 de fevereiro, mas o tempo chuvoso e falta de luz natural levaram-no para o dia seguinte. O problema acarretou, ainda, a mudança de outros compromissos vascaínos. Assim, Vasco x River Plate, que seria em 3 de março, ficou para o dia 7, e Vasco x Colo-Colo, marcado para esta data, passou para 14 de março.

VASCO 1 X 2 FORTALEZA -  A noite da quarta-feira 29 de fevereiro de 1984 tinha o "Almirante" no Estádio Castelão, na capital do Ceará. Jogou pela primeira fase do Campeonato Brasileiro, assistida por 22.074 torcedores, que pagaram Cr$ 16 milhões,798 mil e 600 antigos cruzeiros (moeda da época) e ouviram o apito do pernambucano Laerte Marquezini. Todos os gol saíram no primeiro tempo: Tangerina, aos 25; Luisinho, aos 29, e o vascaíno Marquinho, aos 44 minutos.
Alecsandro deixou o dele, abrindo o placar
O Vasco , treinado por Eduardo Antunes Coimbra, o Eduzinho, formou com: Roberto Costa; Edevaldo, Daniel González, Nenê e Aírton; Pires, Geovani e Arthurzinho; Jussiê, Roberto Dinamite e Marquinho. Perlo lado anfitrião o técnico Caiçara escalou: Sérgio Monte; Caetano, Pedro Basílio, Tadeu e Luisinho; Serginho, Vágner e Betinho; Valdir, Tangerina, Evilásio.

VASCO 2 X 2 BONSUCESSO - Passados 28 anos, treinada por Cristóvão Borges, treinador vice-campeão brasileiro-2011, a patota da Colina recebeu a visita do adversário rubro-anil durante a noite de 29 de fevereiro de 2012, valendo pela primeira rodada da Taça Rio. A bola rolou a partir das 19h30 deste 29 de fevereiro de 2012, em São Januário, neste terceiro jogo bissexto da rapaziada.
O Vasco chegou a abrir dois gols de frente, por intermédio de Alecsandro, aos dois minutos do primeiro tempo, e de Felipe, aos 13 do segundo. Mas bobeou no jogo assistido por 909 pagantes, que rendeu R$ 23.310,00 e foi apitado por Eduardo Cordeiro Guimarães-RJ. O Vasco "bissextou" com: Fernando Prass; Fagner, Renato Silva, Rodolfo e Thiago Feltri; Fellipe Bastos (Nílton), Eduardo Costa e Felipe (Diego Souza); Carlos Tenório (Juninho Pernambucano). Wiliam Barbio e Alecsandro.
OBS: No primeiro tempo o Vasco usou a camisa preta e no segundo a branca. (Foto reproduzida de http://www.crvascodagama.com.br/) Agradecimentos.  
 

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 28 DE FEVEREIRO

O Vasco bateu de mais e de menos na data 28 de fevereiro. Fast Clube-AM, América-RJ, Friburguense, Fluminense e Santos foram as vítimas. Contra este último, em 1999, o Vasco começou a decidir  o título do Torneio Rio-São Paulo,  que a  “Tuma da  Colina” já havia papado, em 1958 e em 1966, neste último ano dividido com o próprio "Peixe", além de Botafogo e Corinthians, por falta de datas para um triangular decisivo, já que a então Confederação Brasileira de Desportos precisava iniciar os treinos do time canarinho que iria à Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra.  Diante do Flu, em um sábado, no Maracanã, o jogo foi amistoso, com Zandonaide marcando os dois tentos para o time então dirigido por Zagallo. Vamos ver o que aconteceu:

VASCO 6 X 0 FAST - Este "pancadaço" sobre o time manauara é o maior placar vascaíno na data. Rolou em 2007, em uma quarta-feira, em São Januário, pela Copa do Brasil. Os amazonenses tentaram se segurar no primeiro tempo, mas foram foi buscar a bola no filó aos 43 minutos, quando o baixinho Romário se invocou.  Na volta do intervalo, porém, não teve jeito. Wagner Diniz, aos 14; Leandro Amaral, aos 21; Romário, de novo, aos 31; Leandro Amaral, aos 35, e Renato, aos 37 minutos, completaram o serviço apitado por Rogério Pereira da Costa-MG e conferido por 836 testemunhas. Renato “Gaúcho” Portaluppi era o treinador vascaíno e estas a sua turma: Cássio; Wagner Diniz (André Dias), Dudar, Fábio Braz e Diego (Macelinho); Amaral, Roberto Lopes, Conca e Morais (Renato); Leandro Amaral e Romário.
 
 VASCO 3 x 1 SANTOS rolou em um domingo, no Maracanã, com apito de Paulo César Oliveira-SP, trilado apara 94.500 almas, qu viram Mauro Galvão abrir o placar, aos 15 minutos do primeiro tempo – no segundo, Juninho Pernambucano, aos 20, e Zezinho, aos 26 acabaram de enfiar o arpão no "Peixe", por determinação do “Delegado”  Antônio Lopes. A turma da isca foi: Carlos Germano; Zé Maria, Odvan, Mauro Galvão e Felipe; Nasa, Paulo Miranda (Alex), Juninho e Ramon (Alex); Donizete e Luizão.

VASCO 3 X 1 AMÉRICA, em 1982, teve mais gente, em um domingo de Maracanã festivo: 47.164 pagantes. O zagueiro Rondinelli, aos 28, e Dudu, aos 31 minutos do primeiro tempo, começaram a tocar fogo no "Diabo". Aos 27 do segundo, Roberto acabou de dinamitar a fera rubra. Antônio Lopes continuava no comando do time, que endiabrou-se por causa de: Mazaropi; Rosemiro, Rondinelli, Ivan e Pedrinho; Dudu (Da Costa), Marquinho e Serginho; Wilsinho, Cláudio Adão e Roberto Dinamite.

VASCO 3 X 0 FRIBURGUENSE, em 1988, o 28 de fevereiro caiu, também, em um domingo. E o Vasco foi para o Estádio Eduardo Guinle, valendo pela Taça Guanabara. Sob  o testemunho de 7.296 torcedores, que sentavam-se se levantavam-se das arquibancadas sempre que  Aloísio Viug autorizava novas saídas de jogo -  Romário, aos 26 e aos 43 minutos do primeiro tempo, e aos 44 da etapa final, patrocinou o "mexa-se" da galera. 
Por aquela época, o comandante da rapaziada era Sebastião Lazaroni, que ouriçou esta moçada: Acácio; Cocada, Célio Silva, Fernando e Lira; Zé do Carmo, Geovani e Dirceu; Vivinho (Mauricinho), Romário e Bismarck (Josenilton).  Quatro anos depois, o Friburguense voltou a apanhar do Vasco, mas, por apenas 1 x 0, em São Januário, pela sétima rodada da Taça GB, com Souza comparecendo à caçapa.
 
 

 


segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 27 DE FEVEREIRO

 O 27 de fevereiro tem sido, para o Vasco, aquilo que todo time deseja: só vitórias. Goleada, por 5 x 0, sobre o Sergipe, amistosamente, em 1992, e jogo durom 3 x 2, contra outro sergipano, o Itabaiana, pela  Copa do Brasil der 2008. O calendário registra, também vitórias sobre outros dois clubes nordestinos: Ferroviário, do Ceará, o “Ferrim”, por 3 x 1, em 1983, e o pernambucano Santa Cruz, também, “duro de matar”, em 2002, por  1 x 0, o mesmo aplacar da vitória de 1964, sobre o Cruzeiro. E o mais importante: duas pancadas sobre o Fluminense (2 x 0, em 1977, e 2 x 1, em 2005), e uma pra cima do Flamengo (3 x 1, em 1994).
VASCO 3 X 1 FLAMENGO, em 27 de fevereiro de 1994, em um domingo, valeu pela quinta rodada do Estadual-RJ, com público espetacular: 107.999 presentes ao Maracanã, escutando o apito de Aloísio Viug. 
O ex-meia vascaíno Jair Pereira era o treinador e os gols foram marcados por Valdir ‘Bigode’, aos 12 minutos do primeiro tempo e aos 33 do segundo, aprontou. Da mesma forma que, Yan, aos  32 da etapa inicial. A rapaziada foi: Carlos Germano: Pimentel, Alexandre Torres, Ricardo Rocha e Sidnei; Leandro Ávila, Luisinho (Hernande), Yan (William) e França; Valdir e Dener, que foi expulso de campo
VASCO 2 X 0 FLUMINENSE, em 27 de fevereiro de 1977, foi um amistoso dominical, no Maracanã. Naquela tarde de verão escaldante, o detalhe ficou por conta do público pagante: 22.202. Tudo no dois – menos a renda: Cr$ 563.865,00.
O espanhol Segundo Bello Blanco apitou e os gols vascaínos foram marcados por Orlando, aos 27 minutos do primeiro tempo, e Luís Fumanchu, aos 7 do segundo, cobrando pênalti. Orlando  Fantoni era o treinador e o time aaateve: Mazaropi; Orlando 'Lelé', Abel, Geraldo e Luís Augusto; Zé Mário e Zanata; Luis Fumanchu, Ramon (William), Dirceu e João Paulo (Wilson).
VASCO 2 X 1 FLUMINENSE, em 27 de fevereiro de 2005, no mesmo “Maraca”, valeu pela segunda rodada Campeonato Estadual, com público dobrado: 45.892 pagantes e total de 54.214 presentes. A renda foi de R$ 310.952,00 e o apito de Edílson Soares da Silva (RJ).
O clássico rolou em um domingo e os tentos cruzmaltinos foram marcados por Aelxc Dias, aos 8 minutos do primeiro tempo, e Romário, aos 3 do segundo. Joel Santana era o treinador e o time foi: Cássio; Thiago Maciel, Fabiano, Daniel e Ricardinho; Ygor (Rubens), Gomes, Allan Delon (Rafael Nascimento) e Robson Luís;Aelx Dias e Romário (Marco Brito).
NORDESTIANOS -  Quando a “Turma Cruzcristense” – usa na faixa diagonal a cruz da Ordem de Cristo, que foi usada, também, pela Ordem de Malta –  se deparar com times nordestinos, nos 27, “sai da frente; sai de baixo; salta de banda” com o povo fala, com o apoio do escritor Antônio Cândido de Carvalho, para quem a língua tem que ser como a galera sapeca, e, não, como os gramáticos normatizam.
Em se tratando bokla, de perigos cruzcristenses ou cruazmaltinos – tá tudo em casa, segundo a História –, pergunte a Sergipe, Ferroviário-CE e Itabaiana se eles gostaram do que viram! Agora, nós é quem vamos ver. Desça de parágrafo, ”xi faz favoire”, como dizem os nossss amigos lusitanos.
 VASCO 5 X 0 SERGIPE  foi no Estádio João Hora Filho, em Aracaju, em uma quinta-feira. Um mês e um dia depois de estear no time principal vascaíno, Edmundo marcava o seu primeiro gol. Era  27 de fevereiro de 1992, no amistoso em que o Vasco goleou o Sergipe, amistosamente, no estádio Lourival Batista, em Aracaju.
O ‘Animal” foi à rede aos 23 minutos do primeiro tempo, quando Bebeto, aos 14 e aos 21 minutos, já havia passado por lá – Luisinho, aos 32, ainda da etapa inicial, e Júnior, fechando as cortinas, aos 45 da segunda etapa, completaram a balaiada.
Sidrack Marinho dos Santos (SE) apitou e o Vasco, escalado por Nelsinh Rosa, foi: Régis; Luis Carlos Winck (Dedé), Alexandre Torres (Tinho), Jorge Luís e Eduardo; Luisinho, Flávio e Bismarck (Júnior); Edmundo, Bebeto (Roberto Dinamite) e William. 
VASCO 3 x 0 FERROVIÁRIO, em 27 de fevereiro de 1983,  valia pela primeira frase do Campeonato Brasileiro.  Era uma tarde de domingo e a “Turma da Colina” fez um forró em cima do “Ferrim”. Até ali, nada demais. Afinal, a rapaziada já havia mandado 4 x 0 nos tricolores cearenses em 1960, amistosamente. Além disso, do total de cinco tertúlias entre eles, os cruzmaltinos botaram pra dançar em quatro e empataram só a primeira, em 1955.
O esquisito mesmo foi o público anunciado, de 50.090 almas. Exagero! A não ser que teve gente em cima das marquises do estádio, do telhado, e afins.
Muito bem! Bola rolando?  Elói, aos 45 minutos do primeiro tempo, e aos 27 do segundo, além de Pedrinho, aos 34, também da fase derradeira, sacudiram a sanfona nas redes do “Forroviário”. O ”Delega” Antônio Lopes aprumou o xaxado de sua patota, que tinha no salão: Acácio; Galvão, Chagas, Celso e Pedrinho; Dudu (Paulo César), Serginho e Eloi; Jussiê, Roberto Dinamite e Almir (Marquinho).  Antônio de Pádua Sales apitou e a grana atingiu Cr$ 5.567.500,00.
VASCODATA: 27.02.1964 – Vasco 1 x 0 Cruzeiro-MG; 27.02.1977 - Vasco 2 x 0 Fluminense; 27.02.1983 – Vasco 3 x 1 Feroviário-CE; 27.02.1985 – Vasco 1 x 0 Guarani de Campinas-SP; 27.02.1992 – Vasco 5 x 0 Sergipe; 27.02 – 1994 – Vasco 3 x 1 Flamengo; 27.02.2002 – Vasco 2 x 1 Santa Cruz-PE; 27.02.2005 - Vasco 2 x 1 Fluminense; 27.02.2008 – Vasco 3 x 2 Itabaiana-SE.


 

domingo, 26 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 26 DE FEVEREIRO

A data de 26 de fevereiro é “tri” para os cruzmaltinos; 3 x 0 Goytacaz-RJ; 3 x 1 Madureira e 3 x 1 Uberlândia. Trilegal!
Vasco 3 x  1  Uberlândia foi um amistoso dominical, em 1978,  na casa do convidante, o Parque do Sabiá, no Triângulo Mineiro. Tudo “tri”.  Paulinho (2) e Roberto Dinamite balançaram as redes, com o Vasco, treinado por Orlando Fantoni, jogando com: Mazaropi; Gaúcho, Marcelo, Geraldo e Marco Antônio; Zé Mário, Paulo Roberto e Guina; Capitão, Roberto Dinamite e Paulinho.
Vasco 3 x 1 Madureira  rolou pela 10ª rodada da primeira fase do Estadual-RJ-2003, no estádio da Rua conselheiro Galvão, na tarde de uma quarta-feira. Marcelinho Carioca, aos 29, e Edinho, aos 35 minutos, balançaram o filó, no primeiro tempo. Petkovic, aos 16 da fase final, fechou a escritura. Antônio Lopes era o treinador e o time foi: Fábio; Wellington Monteiro, Alex, Wellington Paulo e Edinho (Claudemir); Bruno Lazaroni, Henrique (Rodrigo Souto)e Petkovic; Marcelinho Carioca, Valdir e Sousa (Cadu).
 
 DUNGA CRUZMALTINO - Carlos Caetano Bledorn Verri, o volante Dunga vestiu a camisa cruzmaltina, pela primeira vez, em 26 de fevereiro de 1987, diante do Goytacaz, de Campos-RJ. Na estreia, já foi advertido com o cartão amarelo – o único do time – e não atuou por todo o jogo, sendo substituído por Mazinho.
Repetidor do gesto, de 1958, do zagueiro vascaíno Bellini, na Copa do Mundo da Suécia, Dunga ergueu a "taça do mundo”, em 1994, como o capitão da Seleção Brasileira do Mundial dos Estados Unidos. Pela “Turma da Colina” fez 17 jogos e um gol.
Na estreia, Dunga viu o lateral-esquerdo Lira, aos 25, e  Vivinho, aos 42 minutos do primeiro tempo, e  Romário, aos 10 do segundo, balançando o filó. O jogo rolou em São Januário, valendo pelo Campeonato Estadual do Rio de Janeiro, teve apito de Aluísio Viug e  público de 1.499 pagantes. Quem comandava a rapaziada era o ex-zagueiro da Cruz de Cristo, Joel Santana, que escalou: Acácio; Milton Mendes, Moroni, Donato e Lira; Dunga (Mazinho), Geovani e Vivinho; Mauricinho, Romário e Zé Sérgio (William).
Obs: sobre a vitória contra o “Goyta” você vai ler na matéria de baixo. Combinado?

DESFILES BANGU -  A data 26 e fevereiro marca, também, a vitória, por 1 x 0, sobre o Bangu, em 1966, pelo  Torneio Rio-São Paulo, em um sábado, no Maracanã. O ex-vascaíno Roberto Pinto, contra as próprias redes, marcou o gol do jogo apitado por José Aldo Pereira, que teve 13.964 pagantes. O Vasco era dirigido por “Seu Zezé Moreira”, que escalou: Pedro Paulo; Joel, Brito, Fontana e Oldair,  Maranhão e Lorico; Luisinho, Danilo Menezes, Célio e Zezinho.  
Vasco e Bangu se encontraram em cinco ocasiões, pelo Torneio Rio-São Paulo. Foi um desfile, isto é, um passeio vascaínos, com goleadas por 5 x 0 e 5 x 1. Confira: 28.05.1933 0 – Vasco 2 x 1; 27.08.1933 – Vasco 3 x 0; 11.03.1951 – Vasco 4 x 3; 06.02.1952 – Vasco 3 x 3 Bangu; 10.05.1953 – Vasco 5 x 0; 03.05.1964 -  Vasco 1 x 2 Bangu; 26.02.1966 – Vasco 1 x 0; 07.04.2002 – Vasco 5 x 1 Bangu.   
 

 
 

sábado, 25 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 25 DE FEVEREIRO

 O 25 de fevereiro marca mais uma grande vitória vascaína rumo ao primeiro título de um clube brasileiro no exterior: 4 x 0 sobre o peruano Municipal, pelo Sul-Americano de Clubes Campeões, em 1948, no Chile. Friaça (2), Ismael e Lelé marcaram os gols. Antes, o Vasco havia mandado 2 x 1 no boliviano El Litoral e 4 x 1 no uruguaio Nacional.
 Vasco 4 x 0 Municipal rolou em uma quarta-feira, assistido por 29.452 espectadores e com o técnico Flávio Costa mandando a campo: Barbosa (Barcheta), Wilson e Rafagnelli; Ely, Danilo e Jorge; Djalma, Friaça, Maneca (Dimas), Lelé (Ismael) e Chico.
Na mesma data há uma goleada, por 5 x 1, sobre o mexicano Necaxa. Foi em 1954, amistosamente, com Alvinho (2), Ademir Menezes, Sabará e Djair balançando as redes. O time mandou ver com: Ernâni, Mirim (Alfredo-II) e Bellini; Fernando Fantoni, Danilo e Jorge; Sabará, Maneca, Alvinho (Vavá), Ademir Menezes e Djayr.
 Mas teve um time mais castigado nos 25 do "fevera": o América, de Três Rios-RJ, que levou uma balaiada por 6 x 0, em 1993.
SACODE -   Os 6 x 0 sobre o América de Três Rios foram testemunhado por 1.029 pagantes, numa quinta-feira, em São Januário, valendo pelo Campeonato da Série A do Rio de Janeiro e apitado por Aloísio Viug.
Valdir Bigode (2), Bismarck (2), Carlos Alberto Dias e Alexandre Torres mexeram no placar. Treinado por Joel Santana, o time mandou ver com: Carlos Germano; Cláudio Gomes (Tinho), Jorge Luiz, Alexandre Torres e Cássio; Luisinho, Leandro Ávila (Sidney), William e Carlos Alberto Dias; Bismarck e Valdir.
Outro que se dobrou à força vascaína nos 25 de fevereiro foi o Madureira, em 2004, por 2 x 1.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 24 DE FEVEREIRO

 Da primeira vez que visitou São Januário, o paraguaio Libertad mandou 3 x 1, sem a menor cerimônia. Mas o Vasco devolveu a insolência, em dobro. No 24 de fevereiro de 1946, em novo amistoso na Colina, o goleou, por impiedosos 6 x 1. 
O "sacode" aconteceu em um domingo,  com Isaías (4 gols) e Santo Cristo (2) fazendo a festa. O time era dirigido pelo uruguaio Ondino Vieira e jogou com: Barbosa, Rubens e Sampaio; Ely, Alfredo II e Dino; Djalma, João Pinto (Lelé), Santoa Cristo, Isaías e Elgen (Friaça).

TRICOLADA -Os Fluminenses, também, sofreram com os vascaínos nos 24 de fevereiro. O original levou 4 x 2, em 1996, e o xará, de Nova Friburgo, apanhou mais feio, por 4 x 0.
Vasco 4 x 2 Fluminense, em 1996, foi em um sábado, pela sexta rodada da Taça Cidade Maravilhosa, competição em turno único, com jogo no Estádio Caio Martins, em Niteroi. Léo Feldman apitou, o povão gastante chegou a 2.406 e Alcir Portella era o comandante da "Turma da Colina", que apresentou-se com: Caetano; Pimentel, Zé Carlos, Tinho e Bill; Leandro Ávila, Juninho Pernambucano, Luisinho (Nélson) e Válber; Serginho e Nílson (Bruno Carvalho.
Na marcha da contagem, Nilson abriu a porteira, aos dois minutos; Válber aumentou, aos 6; Pimentel triplicou, aos 16 minutos do primeiro tempo, e Zé Carlos fechou a conta, aos 22 da etapa final.

VASCO 4 x 0 FLUMINENSE/NF foi no 24 de fevereiro de 1979, também em um sábado, mas valendo pelo primeiro turno do Campeonato Estadual Especial. Rolo rolado na Colina.
O Vasco só encarou o Flu de Nova Friburgo por três ocasiões. Bateu nas três: 24.02. 1979 - 4 x 0;  01.04.1979 - 3 x 0; 11.07.1979 - 5 x 0. Portanto, um cartel 100%, com 12 bolas no bagaço e média de 4 tentos por jogo. Vale ressaltar que o segundo jogo foi, também, pelo Estadual Especial, e o terceiro pelo Estadual-RJ, já com as federações da antiga Guanabara e do Estado do Rio já fundidas em uma só .
 
TRICOLOR PAULISTA - Um outro time que apanhou da "Turma da Colina" nos 24 de fevereiro foi o São Paulo: 3 x 1, em uma quarta-feira, no Morumbi, a casa do adversário, pelo Torneio Rio-São Paulo. Daquela vez, até Odvan, o "zagueiro-zagueiro" compareceu ao filó, aos 7 minutos do primeiro tempo – Vágner, aos 32, e Guilherme, aos 35 da etapa final, fizeram os outros gols.
Cláudio Vinicius Cerdeira apitou, Antônio Lopes era o treinador cruzmaltino e seu time foi: Carlos Germano; Zé Maria, Odvan, Mauro Galvão e Felipe; Nasa, Paulo Miranda, Juninho Pernambucano (Vágner), e Ramón; Donizete (Zezinho) e Luizão (Guilherme).

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 23 DE FEVEREIRO

Destaque na data: goleada, por 6 x 1, sobre o Comercial, de Campo Grande-MS, na estreia vascaína, na Colina, na Copa do Brasil-2011. Fellipe Bastos, aos 2; Marcel, aos 16 (pênalti), e aos 24, e Jéferson, aos 45 minutos do primeiro tempo; Éder Luís, aos 15, e Rômulo, aos 21 minutos do segundo tempo, marcaram os gols. O árbitro foi Antônio Denival de Moraes (PR) e o time teve: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Anderson Martins e Ramon (Márcio Careca); Rômulo (Eduardo Costa), Fellipe Bastos, Felipe (Bernardo) e Jéferson; Marcel e Éder Luís. Técnico: Ricardo Gomes.
No segundo destaque dos 23 de fevereiro, o terreiro era o do "Galo" e o Vasco o fez ciscar pra trás. Mandou-lhe 4 x 0 na crista, pela primeira fase do Campeonato Brasileiro de 1992, no Mineirão, em Belo Horizonte, na presença de 15.145 pagantes. José Mocelim-RS apitou a pugna, que teve os gols da rapaziada marcados por Bismarck, aos 13 minutos do primeiro temo; Bebeto, aos 2, e Edmundo, aos 10 e aos 37 da etapa final. Nelsinho Rosa era o comandante da patota, que era: Régis; Luís Carlos Winck, Jorge Luís, Alexandre Torres e Eduardo; Luisinho, Geovani e William; Edmundo, Bebeto e Bismarck.
Quatro anos antes, em 23 de fevereiro de 1986, a pauleira foi pra cima do Mesquita, pela segunda rodada da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Estadual do Rio de Janeiro: 3 x 0, em um domingo, em São Januário. Roberto Dinamite, aos 17 e aos 34 minutos do primeiro tempo, e Gersinho, aos 37 do segundo, explodiram o visitante, a mando do "Delegado" Antônio Lopes, o treinador da rapaziada. Apitado por Aluísio Felisberto de Carvalho, o encontro foi prestigiado por 9.471 pagantes. O Vasco do dia foi: Acácio; Paulo Roberto, Donato, Moroni e Lira; Vitor, Mazinho e Gersinho: Mauricinho, Roberto Dinamite e Romário.
MAURO MIL - Em 23 de fevereiro, pelo Torneio Rio-São Paulo-2000, o zagueiro Mauro Galvão atingiu a marca de mil jogos. Foi na partida em que o Vasco venceu o São Paulo, por 2 x 1, com dois gols de Romário, aos 8  minutos do primeiro tempo e aos 41 do segundo, em uma quarta-feira, em São Januário, perante 7.750 pagantes. O jogo valeu pelas semifinais da competição e  foi apitado por Romildo Corrêa (SP). Para atingir a marca, o capitão vascaíno havia atuado, antes, por Internacional-RS, Bangu, Botafogo e Seleção Brasileira.  O seu time do "Jogo1000" foi:  Helton; Jorginho (Maricá), Odvan, Mauro Galvão e Gilberto;  Válber, Felipe (Alex Oliveira), Amaral e Paulo Miranda (Rogério); Viola e Romário. Técnico: Antônio Lopes.
 

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLNA - 22 DE FEVEREIRO


 "A Turma da Colina" encara até quem vier armado com peixeira. E fura o bucho do desafeto. Caso do Botafogo, da Paraíba. Em um pega pra capar, pela Copa do Brasil-2006, a rapaziada rasgou 7 x 0 no filó. Os paraibanos poderiam "botar fogo" lá na terra deles. Na Colina, não! Por ali, naquele 22 de fevereiro, apenas 1.231 almas testemunharam a lambança.
 Romário, aos 17; Éder, aos 22, e Morais, aos 29 minutos do primeiro tempo, foi começo do "xaxado". No segundo temo, Romário voltou a botar a moçada pra dançar, aos 29 e aos 33, para Valdiram fechar a sacola, aos 35 e aos 37 minutos.
Phillipe Lombard-SP apitou aquele pancadão e o técnico Renato Gaúcho escalou: Roberto; Claudemir, Jorge Luiz, Éder e Diego (Thyago); Ygor, Abedi (Ricardinho), Ramón (Ernane) e Morais; Valdiram e Romário.
Mas nem só o Botafogo da Paraíba sofreu no bico das chuteiras cruzmaltinas nos 22 de fevereiro. O amazonense Nacional, de Manaus, afogou-se em uma goleada, amistosamente, por 4 x 1, em 1953, enquanto o América Mineiro caiu, por 3 x 1, em 1967, no amistoso disputado em uma quarta-feira, no Maracanã. Sobrou, também, 1 x 0, diante do Vitória, da Bahia, em  1959. E para os flamenguistas, em 2012.

Diego Souza, o homem da virada
 BLOCO DA RAPINA - A noite da quarta-feira de cinzas do 22 de fevereiro de 2012 foi de espumas, para o Vasco. De virada, venceu o Flamengo, por 2 x 1, sofrendo gol com dois minutos de jogo. Além do vira-vira que o levou ao final da Taça Guanabara, encerrou a conversa rubro-negra de que não vencia o "Urubu" desde 22 de março de 2009. Foi tudo  pro espaço.
Com aquela virada, a rapaziada atingia oito jogos invictos na Taça GB: 2 x 0 Americano; 3 x 1 Duque de Caxias; 3 x 1 Bangu; 2 x 0 Friburguense; 2 x 1 Fluminense; 3 x 0 Volta Redonda: 1 x 0 Boavista e 2 x 1 Flamengo.
O gol que marcou o rumo da vitóra saiu 14 minutos. Juninho Pernambucano bateu forte, de fora da área. O goleiro rubro-negro rebateu e Alecssandro chegou mandando a bola para o seu canto esquerdo. O tento da vitória aconteceu  no segundo tempo. Aos 32 minutos, Kim cruzou pelota na área, procurando a cabeçada de Fagner. O camisa 1 flamenguista deu novo rebote, agora para a cabeça de Diego Souza, que botou na rede. Era o "Tima da Virada" em ação.
Treinado por Cristóvão Borges, o Vasco que botou pra jambrar teve: Fernando Prass; Fagner, Rodolfo (Renato Silva), Dedé e Thiago Feltri; Nilton, Fellipe Bastos, Juninho Pernambucano (Felipe) e Willian Barbio (Kim); Diego Souza e Alecsandro. (Foto reproduzidas de http://www.crvascodagama.com.br/). Agradecimento.
 

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - FEVEREIRO, 21

Está no caderninho: em 21 de janeiro de 1945, o Vasco goleou o São Paulo Railway, por 9 x 1, amistosamente, em um domingo, em São Januário. Há quem pense se tratar do atual São Paulo Futebol Clube, em sua fase passada. Nada disso. O atual "Tricolor do Morumbi" é filho do chamado São Paulo da Floresta. Explicado?  Então, fica assim: 
 
1 - VASCO 9 X 1 SÃO PAULO RAILWAY foi o único jogo entre os dois. 2 - O Vasco encarou o São Paulo da Floreta entre 13 de maio de 1930 e 8 de agosto de 1934, em nove ocasiões, com cinco vitórias vascaínas (55,56%), um empate (11,11%) e 18 gols marcados. 3 - Com o atual São Paulo Futebol Clube, os duelos iniciaram-se em 4 de junho de 1940, e já são 96, com 34 vitórias cariocas (35,42%), três a mais do que o rival. Vale ressaltara que o outro São Paulo que aparece nas estatísticas vascaínas é gaúcho, da cidade de Rio Grande. Já foram registrados quatro amistosos com ele, entre 24 der abril de 1940 e 29 de junho de 1977, com três vitórias da rapaziada da Rua General Almério de Moura e um empate.
 
VASCO 3 X 0 SÃO CRISTÓVÃO - Quando baixa o santo no terreiro da Colina, é demais. Por exemplo?  No 21 de fevereiro de 1979, a moçada mandou o "Santo"e rezar três “eu pecador” e zero ave marias”. No confessionário do Maracanã, em uma quarta-feira, pelo primeiro turno do Campeonato Estadual Especial. A castigo divino teve 9.575 fiéis presentes, o “dízimo” de Cr$ 353.145,00 e o apito de  Arnaldo César Coelho.  Washington Oliveira, aos 21,  e Guina, aos 31minutos do primeiro tempo, além de Ramón, aos  35 do segundo, infernizaram, para estes infernais:  Leão; Orlando ‘Lelé”, Abel,  Geraldo e  Marco Antônio (Gaúcho), Helinho e Paulo Roberto; Guina, Wilsinho (Zé Mário), Ramón e Washington Oliveira.
 
VASCO 2 X 0 AMÉRICA-RJ -  Rolava a primeira fase do Estadual, a Taça Guanabara, em uma quarta-feira, quando  a "Turma da Colina" ralou os chifres do "Diabo".  O fogo daquela vitória foi aceso, no verdejante gramado  do Maracanã, esquentando 16.501 almas, que escutaram o apito de Sérgio Cristiano do Nascimento. Alcir Portella era o treinador e a sua patota que mando tudo pro inferno tinha: Acácio; Luis Carlos Winck (foto) , Marco Aurélio, Quiñonez e Mazinho; Andrade, William (Roberto Dinamite), Tita e Bismarck; Bebeto e Sorato (França). Detalhe infernal: quando o Diabo atenta, até um sujeito calmo, tranquilão, mórmon, como o Tita, terminou expulso de campo.
                                                          
VASC0 5 X 0 RIO NEGRO-AM - Nesta aí, a rapaziada escureceu o Rio Negro, deixando o time amazonense turvo, durante a noite daquele 21 de fevereiro, uma quinta-feira, quando desaguou na Colina. Caiu na rede do "Bacalhau" malvado.
O jogo valeu pela primeira fase da Copa do Brasil-1991 e o apito foi de Carlos Alberto Muniz Valente. Antônio Lopes (foto) era o treinador e, entre os seuss "pescadores", o pernambucano Zé do Carmo, que não era muito disso, foi às redes por duas vezes, aos 37 minutos do primeiro tempo e aos 29 do segundo – Sorato, aos 41 da etapa inicial;  tempo; Júnior, aos 3, e Luciano, aos 45 da fase final completaram a conta cobrada por: Acácio: Ayupe, Jorge Luís, Tosin e Eduardo; Luisinho Quintanilha, Roberson e William (Luciano). Sorato e Tiba (Júnior) 
 
Outras vitórias vascaínas na data foram: 21.02.1943 - Vasco 1 x 0 Santos; 21.02.1957 - Vasco 1 x 0 Grêmio-RS; 21.02.1968 – Vasco 2 x 1 Atlético-MG;  (Fotos de Antônio Lopes reproduzida do site do treinador). Agradecimento.


                                                                         
 

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 20 DE FEVEREIRO


Nada mais gratificante do que vencer um grande rival por um gol de diferença. Principalmente com gol nas últimas bolas da partida. Gera mais discussões e choros do que uma goleada. Aconteceu nos 20 de fevereiro, em duelos contra os rivalaços Flamengo e Fluminense, ambos pelo Torneio Rio-São Paulo.  
VASCO 1 x 0 FLAMENGO rolou em 1952, no Maracanã, com gol marcado por Ipojucan, aos 74 minutos. Um inglês tratado por Mister Mead apitou e o Vasco venceu com: Barbosa, Lola e Clarel; Ely, Danilo (Aldemar) e Jorge; Salvini (Vivinho), Ademir Menezes, Friaça, Ipojucan e Jansen.
 
VASCO 2 x 1 FLUMINENS foi assistida por 35.235 pagantes e teve tentos de Saulzinho e de Luizinho Goiano.  Armando Marques apitou e o time cruzmaltino era este: Levis; Joel, Brito, Fontana e Barbosinha (Pereira); Maranhão e Lorico (Quincas); Luisinho, Célio, Saulzinho (foto) e (Mário Tilico) e Zezinho.
 

SERGIPANOS - A data 20 de fevereiro parece ter sido escolhida pelos cruzmaltinos, também, para baterem no Sergipe. Em 1997, eles mandaram 5 x 3 e, em 2002, apertados 2 x 1, ambas as vezes valendo pela Copa do Brasil. No primeiro jogo, o placar vascaíno andou assim: Mauricinho, aos 18, e Ramón, aos 21 minutos do primeiro tempo; Almir, aos 8; Mauricinho, aos 10, e Ramon, aos 38 da etapa final. Antônio Lopes era o treinador naquela noite de quinta-feira, no Estádio Lourival Batista, em Aracaju, onde trilou o apito de Paulo Jackson Mota Silveira-BA.
  Diante de 7.742 pagantes, o Vasco goleante mostrou: Carlos Germano; Pimentel, Nelson, Jorge Luís e Felipe; Cristiano, Juninho Pernambucano (George), Ramon Mineiro e Fabrício (Luizinho); Mauricinho e Almir (Pedrinho). 

 Na partida de 20 de fevereiro de 2002, uma quarta-feira, em São Januário, Heber Roberto Lopes (PR) apitou. Euller, aos 17, e Felipe, aos 22 minutos do segundo tempo, balançaram a rede, e o Vasco, treinado por Evaristo de Macedo, apresentou: Helton; Leonardo Moura, Geder, João Carlos e André Silva; Rodrigo Souto, Ricardo Bóvio, Felipe (Gomes) e Léo Lima (Alex Oliveira); Euller (Ely Thadeu) e Romário.

 DÁLE CAMPEON - O verão de 1982 fervia no Uruguai, quando a “Turma da Colina” chegou a Montevidéu, para disputar aqueles tradicionais torneios da estação. E não deixou por menos. Em 20 de fevereiro daquele ano, um sábado, a rapaziada carregou a taça, vencendo o Peñarol, na decisão, por 1 x 0, com gol de Da Costa, no Estádio Centenário.
O Peñarol é um tradicional freguês continental da “Turma da Colina”. Em 17 jogos, os cruzmaltinos venceram nove (52,94%), marcando 31 gols, à média de 1,82 por partida.

domingo, 19 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 19 DE FEVEREIRO

A data 19 de fevereiro registra uma  impiedosa pancada  cruzmaltina:  9 x 0 sobre a paraense Tuna Luso, pelo Campeonato Brasileiro de 1984. Um sacode só superado por Corinthians 10 x 1 Tiradente-PI (09.10.1983), embora a diferença de gols seja a mesma.
 Disputada em São Januário, a partida teve apito de Roque José Gallas e  público de 12.855 pagantes.  Arthurzinho, aos 5; Geovani, aos 22; Aírton, aos 29, e Arthurzinho, aos 40 minutos do tempo, iniciaram o arraso. Na segunda etapa, Arthurzinho, aos 4; Marcelo, aos 8, aos 9, e aos 29, e Arthurzinho, aos 45, completaram o estrago. Edu Coimbra era o treinador e o Vasco daquele dia massacrou por contas de: Acácio (Roberto Costa); Edevaldo, Daniel Gonzales, Nenê e Aírton; Pires, Geovani e Arthurzinho; Jussiê, Marcelo e Marquinho (Cláudio José).
O CARA - Autor de quatro tentos naquele jogo, Arthur dos Santos Lima, o meia-atacante Arturzinho, pesava 60 quilos no auge da forma, bem condizentes com o seu 1m62cm de altura. Canhoto e muito habilidoso, chegou à Seleção Brasileira. No Vasco, participou de uma formação que tinha mais três baixinhos terríveis, Mauricinho, Geovani e Mário, turma que foi vice-campeã  brasileira na temporada.
Naquela campanha, Arthurzinho marcou 14 gols, dois a menos do que o principal goleador da disputa, o também vascaíno Roberto Dinamite. Nascido em 13 de maio de 1956, no Rio de Janeiro, Arhurzinho ficou pouco na Colina, por apenas 28 jogos  que renderam 16 gols. Saiu porque brigou com o presidente Antônio Calçada.

MAIORES GOLEADAS - Antes daquele estragaço, o saco de maldades vascaíno havia sido aberto em: 06. 09;1947 - Vasco 14 x 1 Canto do Rio; 29. 12.1937 - 12 x 0 Andarahy; 01.05. 1927 -  11 x 0 Brasil-RJ; 03.07.1949 -  11 x 0 São Cristóvão; 22.05.1959 - 11 x 0 IFK Östersund-SUE; 01.06.1961 - 11 x 0 Combinado de Trondheim-NOR; 13.02.1988 - 11 x 0 Combinado de Petrópolis-RJ; 16.06.1935 - 10 x 0 Brasil-RJ; 21.05.1944 -  10 x 0 Bonsucesso; 09.05.1954 - 10 x 0 Colatinense-ES; 04.06.1961 -  10 x 0 Eif IF-NOR;  21.10.1945 - 9 x 0 Bonsucesso; 01.07.1950 -  9 x 0 Estrela do Norte-ES; 23.07.1960 - 9 x 0 Seleção  de Ilhéus-BA; 23; 02;1969 - 9 x 0 Combinado de Vassouras-RJ. Depois disso, só foi aberto em: 12.02.2011 - Vasco 9 x 0 América-RJ.  
Desses jogos, os oficiais foram: Vasco 14 x 1 Canto do Rio; 12 x 0 Andarahy;  11 x 0 Brasil-RJ;  11 x 0 São Cristóvão;  10 x 0 Brasil-RJ (anulado);  9 x 0 Bonsucesso; 9 x 0 Tuna Luso-PA e  9 x 0 América-RJ.

O QUE QUE OS BAIANOA NÃO TINHAM - Além de Vasco 9 x 0 Tuna Luso-PA, a data 19 de fevereiro tem duas apimentadas goleadas sobre times baianos: Vasco 6 x 1 Ypiranga, em1959, e Vasco 4 x 1 Vitória, em 1981.   O segundo desses jogos foi em uma quarta-feira, no Maracanã, pela primeira fase do Campeonato Brasileiro. Romualdo Arppi Filho apitou e o time vascaíno teve: Mazaropi; Rosemiro, Orlando, Ivan e João Luís; Dudu e Zandonaide (Guina); Alcides, César, Roberto Dinamite.
  Como dizem que baiano não tem muita pressa, o Vasco tinha. Abriu o placar a um minuto, por intermédio de Maquinho, e fez o segundo dois minutos depois, com César, que voltou ao tabuleiro da baiana, aos 15. No segundo tempo, Marquinho, que, também, gostou do tempero nas redes, lambusou de vatapá outra bola no barbante, aos 23 minutos. E olha que o chefe da rapaziada era um famoso retranqueiro, Mário Jorge Lobo Zagallo.
Como a data era boa mesmo pra “matar”, a turma fez  mais um servicinho: 3 x 1 Olaria, em uma outra quarta-feira, mas de 2003, na Rua Bariri, pela oitava rodada do Estadual-RJ.   Daquela vez, o apito ficou com Luís Antônio Silva dos Santos (RJ) e os gols pro conta de Souza, aos 40 minutos do primeiro tempo; Petkovic, aos 16, e Marcelinho Carioca, aos 27 do segundo. Antônio Lopes era o treinador. O seu time: Fábio; Russo, Alex, Wellington Paulo, Siston e Henrique; Bruno Lazaroni (Rodrigo Souto), Marcelinho Carioca e Petkovic; Valdir (Cadu) e Souza.  

sábado, 18 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 18 DE FEVEREIRO




Válter entre o presidente Pires do técnico Flávio Costa (D)
A foto é de 18 de fevereiro de 1956, um sábado, quando o Vasco mandou 3 x 1, de virada, pra cima do no Bonsucesso, no Maracanã, durante a campanha do título carioca da temporada.
O meia Válter Marciano, autor de dois tentos, contou ao repórter da Manchete Esportiva: “Já estava encabulado com a frustração dos nossos ataques, quando fiz os gols. Como perdemos chances, minha Nossa Senhora!”. Mas enquanto Válter cobrava, seu colega Pinga o elogiava: “Que obras primas, os gols do Wálter!”.
O golaço de bicicleta de Walter
Detalhe: a grafia correta era Válter, mas a rapaziada usava com W. Quanto ao jogo,  marcou a estreia de cruzmaltinos e rubro-anis no turno decisivo do Estadual. O “Bonsuça” mexeu no placar, aos 55 segundos. O empate saiu aos 28, quando “Wálter recebeu um ótimo passe de Pinga, e, num rodopio espetacular, venceu a cidadela leopoldinense”, contou a revista. No segundo tempo, o Vasco desempatou, aos 33, com Pinga, lançado por Alvinho. Aos 39, Walter fechou a conta. “Pinga recebeu um centro de Parodi e cabeceou na trave. A bola voltou para Wálter que, numa ‘bicicleta’ espetacular selou a sorte do encontro”.
Manuel Machado apitou, a rende foi deCr$ 35 mil, 139 cruzeiros e 60 centavos. A “Turma da Colina” ateve: Hélio; Paulinho de Almeida e Haroldo; Laerte, Orlando e Beto; Sabará, Válter, Pinga, Alvinho e Parodi.  Confira a foto do gol de bicicleta, do grande Valter. 

INVITAÇO - Sete jogos e sete vitórias – 2 x 0 Americano; 3 x 1 Duque de Caxias; 3 x 1 Bangu; 2 x 0 Friburguense; 3 x 0 Volta Redonda: 2 x 1 Fluminense e 1 x 0 Boavista. Era assim se contava a trajetória cruzmaltina na fase eliminatória da Taça Guanabara. Com um cartel 100%, 21 pontos, o "Time da Colina" terminava a etapa em primeiro lugar no Grupo B, classificado para enfrentar o Flamengo (segundo do Grupo A),a, decidindo uma vaga de finalista.
O Vasco jogou com time misto, pois o técnico Cristóvão Borges queria descansar os titulares mais desgastados. Além disso, o zagueiro Rodolfo, não jogou. O gol da vitória foi marcado pelo atacante Kim, aos 34 minutos do segundo tempo da partida assistida por 1.743 pagantes. Este foi o time: Fernando Prass; Fagner, Renato Silva, Douglas e Max; Nilton, Eduardo Costa, Diego Rosa e Diego Souza (Jonathan); Willian Barbio (Johncley) e Alecsandro (Kim). Técnico: Cristóvão Borges.

PIAUIPIURRA - No  18 de fevereiro, o Flamengo do Piauí, também, achou de pintar diante da “Turma da Colina”. E, por duas vezes apanhou muito: 5 x 0, em 2004, e 4 x 1, em  2009. Em ambas, voou da Copa do Brasil, e na primeira fase.
O primeiro desses jogos rolou em uma quarta-feira à noite, em São Januário. Como a galera não botava muita fé no time visitante, só pintaram nas bilheterias 418 pagantes, que deixaram a graninha de apenas R$ 2.090,00, que deu “pra comprar as bolas da goleada”. Cleber Wellington Abade (SP) apitou e os “sacodes” vascaínos começaram com Marcelinho Carioca, aos  16 minutos do primeiro tempo. No segundo,  Morais, aos 3; Ygor, aos 17; Valdir, aos 20, e Victor Boleta, aos 38, acabaram de arrochar os rubro-negros piauienses. Geninho era o comandante da rapaziada impiedosa, que era:  Fábio, Claudemir, Wescley (Fabiano), Santiago (Coutinho) e Victor Boleta; Ygor, Rodrigo Souto, Morais (Léo Macaé), e Robson Luis; Marcelinho Carioca e Valdir ‘Bigode”.
O segundo pancadão foi em uma nova noite e quarta-feira, daquela vez no Estádio Alberto Silva, em Teresina, jogo de ida. Francisco de Assis Almeida Filho (CE) pegou o apito e mandou o time do técnico Dorival Júnior dar novas saídas de bola, pro causas dos gols de Jéferson, aos 9, e de Élton, aos 25 minutos do primeiro tempo, bem como os de Paulo Sérgio, aos 23 da etapa final, quando Élton voltou ao filó, aos 43.
A turma da pancada foi: Tiago; Paulo Sérgio, Fernando, Titi e Ramon; Amaral, Nilton, Jéferson (Mateus) e Carlos Alberto (Alex Teixeira); Rodrigo Pimpão (Faioli) e Élton.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 17 DE FEVEREIRO

A data de 17 de fevereiro marca caneco nas prateleiras da Colina. A "Turma da Colina", em 1973, conquistou o Torneio Erasmo Martins Pedro, empatando, por 0 x 0, com o América-RJ, em jogo disputado em um sábado, em São Januário. A competição teve, ainda Botafogo e Flamengo, com a rapaziada chegado à final vencendo o Flamengo, por 1 x 0, em 10 de fevereiro, por 1 x 0, com gol de Tostão, aos 34 minutos do segundo tempo, também em São Januário.
No 0 x 0, com o "Diabo", o jogo foi apitado por José Marçal Filho, assistido por 2.252 pagantes e o O Vasco jogou com: Andrada; Paulo César, Miguel, Moisés e Pedrinho; Alcir e Zanata; Jorginho Carvoeiro (Luis Carlos, Roberto Dinamite (Luis Fumanchu), Tostão e Dé.
EX-FLUMINENSES - O Vasco rapaziada bateu dois times que, até a década-1970, eram do estado fluminense, o antigo Rio de Janeiro: 3 x 1 Cabofriense e  3 x 0 Americano.
Vasco 3 x 1 Cabofriense rolou em uma tarde de sábado, pela  quinta rodada da Taça Guanabara, em São Januário, testemunhado por 1.500 presentes. Carlos Manoel Calheiros apitou e Juninho Paulista, de bicicleta, complementando cruzamento de Clébson, abriu o placar, aos 39 minutos do primeiro tempo. No segundo, Romário fechou a conta, aos 17 e aos 23. Emocionante!
O Vasco foi mandado a campo, pelo treinador Joel Santana, com esta turma: Hélton, Clébson (Maricá), Geder, Alexandre Torres e Jorginho Paulista; Henrique (Léo), Nasa, Juninho Paulista e Pedrinho; Romário e Euller (Viola). Técnico: Joel Santana.
A vitória valeu a classificação às semifinais da Taça GB e teve um detalhe: Romário perdeu dois pênaltis, pela primeira vez: aos 14, sofrido por ele mesmo (o goleiro defendeu e a bola ainda bateu na trave) e aos 37 minutos do 1º tempo. Neste, Euller foi derrubado dentro da área, o “Baixinho” cobrou e o goleiro, novamente, defendeu. Mas emplacou o terceiro cobrado. Aos 17 minutos do 2º tempo, Euller voltou a sofrer um pênalti, que o astro não perdoou. Fora o seu primeiro gol na disputa. Com aquelas duas bolas no filó, Romário chegou aos 71 gols, em 71 jogos, desde que trocara o Flamengo pelo Vasco, em dezembro de 1999 (sem contar os jogos pela Seleção Brasileira).
 VASCO 3 x 0 AMERICANO, no 17 de fevereiro de 2002, em tarde domingueira, em São Januário, valeu pela sexta rodada do Torneio Rio-São Paulo. Edílson Soares da Silva (SP) apitou e Romário, aos 14 minutos do primeiro tempo e aos 42 do segundo, além de André Silva, aos 3 da etapa final, marcaram. Evaristo de Macedo treinava o Vasco, que alinhou: Hélton; Leonardo Moura, Géder, João Carlos e André Silva (Alex Oliveira); Bóvio, Rodrigo Souto, Léo Lima (Souza) e Felipe (Fabão); Ely Thadeu e Romáriode André Silva, aos 3 da etapa final, marcaram. Evaristo de Macedo treinava o Vasco, que foi: Hélton; Leonardo Moura, Géder, João Carlos e André Silva (Alex Oliveira); Bóvio, Rodrigo Souto, Léo Lima (Souza) e Felipe (Fabão); Ely Thadeu e Romário.
 

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 16 DE FEVEREIRO

Quem não tem Gato (Félix), caça com o quê? Para o Vasco, não interessa. Mas, nesses casos, o "Time da Colina" vai à caça com Dinamite.
Foi o que rolou em 16 de fevereiro de 1986. Gato Félix, o goleiro do Goytacaz, pintou na Colina, pra defender a "cidadela" (como diriam os locutores de antigamente) do time campista, mas não deu pra ser tão esperto. Três explosões do Dinamite – aos 3 e aos 18 minutos do primeiro tempo, e na penúltima bola do jogo, aos 44 do segundo, além de dois tapinhas do "Baixinho" Romário no filó, aos 15 minutos da etapa inicial e aos 24 da final, além de mais uma mordidinha de Gersinho, no segundo minuto do segundo tempo, fizeram-lhe de rato na ratoeira.
Tudo de primeira. Valeu pela primeira rodada do primeiro turno do Campeonato Estadual-RJ aquela primeira vitória vascaína na temporada, no primeiro dia da semana, o domingão.
Wilson Carlos dos Santos apitou e 6.893 almas viram tudo, em São Januário. Antônio Lopes era o treinador cruzmaltino e a sua rapaziada era: Acácio; Paulo Roberto, Donato, Moroni e Lira, Vítor, Mazinho e Gersinho; Mauricinho, Roberto Dinamite e Romário.
 
COSTELAS TRICOLORES - Com 20 voltas do ponteiro do relógio do árbitro Luís Carlos Félix, o glorioso Cláudio Adão arrancou a primeira costela dos tricolores. Quatro minutos depois, Roberto explodiu mais uma. E mais uma, faltando cinco minutos para o final da primeira parte da "sessão-tortura". Na segunda fase, Rômulo remou para mais uma crueldade, aos 8 minutos. Por fim, Roberto dinamitou a última vértebra da tricolada, aos 37.
Foi assim que os cruéis vascaínos escreveram a história dos 5 x 3 sobre o Fluminense, no sabadão  16 de fevereiro de 1985, pela primeira fase do primeiro turno do Campeonato Estadual do Rio de Janeiro. O clássico rolou no Maracanã e foi assistido por 18.159 pagantes.
 O meia-atacante vascaíno da década-1970, Eduardo Antunes Coimbra, o Eduzinho, era o chefe da moçada que bateu no Flu, isto é: Acácio; Edevaldo, Donato, Nenê e Aírton; Vítor, Geovani e Cláudio Adão (Oliveira); Mauricinho, Roberto Dinamite e Rômulo (Gilberto).
(Foto de Roberto Dinamite reproduzida do arquivo do Jornal de Brasília). Agradecimento.
 

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 15 DE FEVEREIRO


Caxias do Sul é a gaúcha terra da uva. E tinha um time que, sempre, armava zagas pegando  pesado. Pra entrar nela, o atacante teria que fazer o seu testamento. Uma de suas duplas de “xerifões” foi formada por dois caras da pesadíssima: Luiz Felipe e Cedenir. Sai de baixo!
O Caxias usa camisa da cor do vinho. Mas, no 15 de fevereiro de 1978 não deu pra embebedar vascaíno, quando se pegaram pela terceira fase do Campeonato Brasileiro, no Estádio Centenário, na serra gaúcha. Todos botavam muita fé no artilheiro da terra, o dentistas Bebeto, que até arrancou um dente do "Almirante". Mas este devolveu o insulto com anestesia: 5 x 1, mediados por Abel Santos-MG.
 Orlando Fantoni organizava a “Turma da Colina” e quem botou pra azedar a moçada vinho da terra foi: Mazaropi; Orlando ‘Lelé’, Abel, Gaúcho, Marco Antônio; Zé Mário, Paulo Roberto e Guina (Helinho); Wilsinho, Roberto Dinamite e Ramon  (Zandonaide).
Daquela peleja, deu pra sacar que, se o pernambucano Ramon fosse gaúcho, com certeza, seria um bom colhedor de uvas. Pelo menos, colocou três na cesta dos serranos:  aos 14 minutos do primeiro tempo e aos 5 e aos 22 do segundo – Guina, aos 38 da etapa inicial e Roberto Dinamite, aos 42 da final, também, explodiram o balaio. Quanto ao tal do Luiz Felipe, o becão de roça do Caxias, hoje, ele aparece nos jornais como Luiz Felipe Scolari, treinador que é campeão por onde passa. O time dele tinha: Bagatini; Cegato, Luiz Felipe, Cedenir e Jorge Tabajara; Clóvis, Luis Freire e Paulo César; João Carlos, Bebeto e Serginho.

MAIS CINCO - Que beleza! No 15 de fevereiro de 1995, uma quarta-feira, a “Turma da Colina" pegou o leito das goleadas e entortou o Entrerriense: 5 x 0. Valeu pela primeira fase do primeiro turno do Estadual-RJ, em São Januário, com 3.415 conferentes na casa.
Léo Féldman apitou e o Vasco só marcou no segundo tempo: Gian, a 1 e aos 12; Clóvis, aos 5 e aos 27, e Luisinho, aos 33 minutos. Nelsinho Rosa era o treinador e sua turma era: Carlos Germano; Pimentel, Tinho, Ricardo Rocha e Bruno Carvalho; Leandro Ávila, Luisinho, Richardson e Gian; Valdir 'Bigode" e Clóvis.

CONTA MENOR – No 15 de fevereiro de 2009, o batido foi o Madureira. Por uma placar menor, 3 x 0, pela sétima rodada da Taça Guanabara. Era um domingão, no Engenhão, e 5.113 pagantes ouviram o trilar do apito de Leonardo Noel Laranja. Carlos Alberto, aos 28 minutos do primeiro tempo, e Jéferson, aos 17, além de Élton, aos 40 do segundo, descoloriram o “Tricolor Suburbano”. Dorival Júnior era o treinador e sua rapaziada alinhava: Tiago; Paulo Sérgio (Mateus), Fernando, Titi e Ramon; Amaral, Nilton e Jéferson (Enrico); Alex Teixeira (Élton), Carlos Alberto e Rodrigo Pimpão.

MACHADADA EM PALMEIRAS –  Os palmeirenses são os adversário mais difícil dos vascaínos, desde 28 de setembro de 1924, quando o duelo começou (amistosamente), e o clube paulista ainda se chamava Palestra Itália. Na fase  Sociedade Esportiva Palmeiras, os pegas partiram de 14 de fevereiro de 1943.
 Mas, em 15 de março de 1992, quem se deu bem foi a “Turma da Colina”, com 2 x 1, em um domingo, na então casa do “Verdão”, o  Parque Antarctica, pela primeira fase do Campeonato Brasileiro. O pega foi conferido por 21.457 pagantes e gols vascaínos marcados por Bebeto, aos 17 e aos 30 minutos do primeiro tempo.
Com apitos de Márcio Rezende de Freitas-SC e time treinado por Nelsinho Rosa, o Vasco foi: Regis; Luis Carlos Winck, Jorge Luís, Alexandre Torres e Eduardo (Cássio); Luisinho, William e Flávio; Edmundo, Bismarck e Bebeto.
A data teve ainda,  em 15.02.2009, - Vasco 3 x 0 Madureira.

CONTRARIADO? - Em  2012, o Vasco fez tudo ao contrário de 2011, quando perdeu os quatro primeiros jogos da Taça Guanabara. Na nova temporada, chegou à sexta vitória consecutiva: 3 x 0 sobre o Volta Redonda, em São Januário. O placar garantiu à rapaziada o primeiro lugar Grupo B do primeiro turno do Campeoanto Estadual do Rio de Janeiro, com 18 pontos.
O primeiro gol saiu aos 14 minutos. Willian Barbio atacou, pela direita, e bateu para o meio da pequena área. Depois de goleiro do "Voltaço" tentar afastar, a bola sobrou limpa para Alecsandro marcar o seu sétimo gol em sete jogos: 1 x 0. Dois minutos depois, Willian Barbio aumentou. Ele recebeu um lançamento nas costas da zaga do "Voltaço", que estava em linha, entrou na área e  tirou o goleiro do lance, para fazer 2 x 0. Aos 38, Bernardo lançou Thiago Feltri, que sofreu o pênalti. Alecsandro cobrou e fechou a conta: 3 x 0.
 Marcelo Benito Pacheco apitou o jogo que teve 1.955 torcedores. Naquele dia, o Vasco, que jogou, pela segunda vez, com o terceiro uniforme, o azul. Quem o usou? Fernando Prass; Fagner, Dedé, Rodolfo e Thiago Feltri (Max); Eduardo Costa, Juninho, Felipe Bastos e Bernardo (Jonathan); William Barbio (Kim) e Alecsandro. Técnico: Cristóvão Borges.
Obs: o terceiro uniforme, o azul, tinha uma enorme Cruz de Cristo no peito. O primeiro uso havia sido contra o Friburuense. A data teve ainda,  em 15.02.2009,  Vasco 3 x 0 Madureira.
 

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 14 DE FEVEREIRO



O  Club de Regatas Vasco da Gama tem nome de um mestre dos mares e foi criado em uma cidade litorânea. Mas, em 1948, pareceu detestar assuntos marítimos. Pelo menos, pegou o Litoral, da Bolívia (que não tem litoral) e mergulhou-lhe 2 x 1. Tremenda onda! Era o caminho marítimo descoberto pelo “Almirante” para carregar a taça do Campeonato Sul-Americano de Clubes Campeões, disputa armada pelos chilenos para consagrar o então melhor time do mundo, o argentino River Plate, chamado de "Lá Máquina" e que reunia os cracaços Di Stefano e Labruna.
 Os organizadores, no entanto, esqueceram-se de combinar com o Vasco, o campeão carioca de 1947, temporada em que não teve adversários. Pois bem! O Vasco estreou em 14 de fevereiro de 1948, remando para o primeiro título de um clube brasileiro no exterior, com os citados 2 x 1 lá de cima. Os gols daquela vitória foram de Lelé, diante de 34 mil almas que viram desfilar pelo gramado do Estádio Nacional de Santiago estes carinhas: Barbosa, Rafanelli (Augusto) e Wilson; Ely, Danilo e Jorge; Djalma (Friaça), Lelé, Ismael (Maneca) e Chico. O técnico era o "sargentão" Flávio Costa.
Prova de que o Vasco não gostava mesmo de assuntos mariscos foi uma outra vitória sobre um time de litoral. Mas de litoral mesmo. Em 14 de fevereiro de 1982, a “Turma da Colina” afogou o Peixe, apelido dos santistas, com 3 x 0, pelo Campeonato Brasileiro. Daquela vez, fisgou os três pontos no gramado do Maracanã, com iscas colocadas na rede por Cláudio Adão, aos 37 minutos do primeiro tempo; Pedrinho, aos 9, e Wilsinho, aos 35 minutos da segunda etapa.
Vasco 3 x 0 Santos teve apito de Sérgio Rosa Martins (RS) e foi assistido por 42.959 pagantes. Com Antônio Lopes no leme, o Vasco remou com a força de: Mazaropi; Rosemiro, Rondinelli, Ivan e Pedrinho; Serginho, Marquinho e Dudu: Wilsinho, Cláudio Adão, Roberto Dinamite e Renato Sá.
VITORIA SECA - Em 1979, as federações de futebol dos antigos estados do Rio de Janeiro e da Guanabara fundiram-se em uma só e criaram um campeonato extra, concebido como a fase final da primeira disputa do mais novo estado do país, o Rio de Janeiro. Então, as competições de 1978, de clubes cariocas e fluminenses, foram concebidas como fases classificatórias para 1979, por determinação da Resolução Nº 4/78 do extinto Conselho Nacional de Desportos.
Em 25 de janeiro de 1979, após o término das fases citadas acima e que representaram os últimos campeonatos dos antigos Estados da Guanabara e do Rio de Janeiro, rolou o "Campeonato Especial" de 1979. Já o I Campeonato Estadual do novo RJ fcou para os meses de maio a setembro daquele mesmo ano.
No meio de todo aquele rolo, em 14 de fevereiro de 1979, no Maracanã, o Vasco mandou 3 x 0 no Goytacaz, de Campos, diante de 9.391 pagantes. Valquir Pimentel apitou e Folha (contra) abriu a conta, aos 21 minutos do primeiro tempo. Washington Oliveira, aos 30, da mesma etapa, aumentou a fatura, fechada por Gaúcho, aos 15 minutos da fase final. A rapaziada era: Leão; Orlando ‘Lelé’, Abel Braga, Geraldo e Marco Antônio; Hélinho, Paulo Roberto e Washington Oliveira. Ramón; Paulinho (Zé Mário) e Paulo César (Gaúcho). A data teve ainda, em1999, - Vasco 2 x 0 Cabofriense, e, em 2007, Vasco 2 x 1 Fast Club-AM.
NOITE DE TERROR NA SELVA - Chamado de “Rolo Compressor”, pela imprensa manauara,  Fast Club era o adversário vascaíno em 14 de fevereiro de 2007, no jogo ida da Copa do Brasil, no Estádio Vivaldo Lima, da capital amazonense. Também chamado, pela sua torcida, de “Tricolor de Aço”,  o time da terra orgulhava-se de ter sido um dos dois clube amazonenses a já terem conseguido vencer os vascaínos (27 de junho de 1968), que eram uma lenda no Amazonas – o outro foi o Rio Negro, por 3 x 2, coincidentemente, em um outro 27 de julho, o de 1984,  ambos amistosamente.
O Vasco encantava os amazonenses porque, desde 1953, na época do “Expresso da Vitória”, quando se apresentara, pela primeira vez, na região, totalizava 46 duelos contra representações estaduais, carregando o cartel de 35 vitórias, algumas por goleadas que chegaram a 8 x 1,  7 x 0, 7 x 2 e 5 x 0, só para citar  quatro.  
 Veio, então, aquele jogo de 2007, em uma quarta-feira. O Vivaldão quase lotou: 27.821 pagantes do total de 34.696 presentes, com os caronas, gerando a extraordinária renda, para a cidade, de R$ 374.062,50. Vencer era uma obrigação para a “Turma da Colina” que, até então, só havia disputado duas refregas com o “Rolo”. Como vencera a primeira, em 8 de outubro de 1955, por  2 x 1, o confronto estava pa-a-pau: 1 x 1.  
O tira-teima foi uma autêntica noite de terror diante das “feras da selva”, que tinham nomes engraçados, como Labilá, Kitó, Gibi, Guará e Bazinho. E o pior: o Fast endureceu o jogo e abriu o placar. Pra complicar mais o Vasco, seu meia Madson foi expulso de campo. Às duras penas, nas últimas bolas do jogo, o “Almirante” conseguiu virar o placar, que lhe deixava atrás desde os 11 minutos do segundo tempo:  2 x 1, com gols de Renato e de Marcelinho, respectivamente, nas 86ª e 87ª voltas dos ponteiros do relógio do juiz Françuar Fernandes da Silva (RR).
 Renato ‘Gaúcho’ Portalupi era o treinador vascaíno e o time dele teve: Cássio; Eduardo Santos, Gustavo Breda (Anderson Luiz), Jorge Luiz e Sandro; Amaral, Júnior (Renato), Madson e Morais; Marcelinho e  Alessandro (Alan Kardeck).
 
 

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 13 DE FEVEREIRO

Em 13 de fevereiro de 1988, o município de Petrópolis-RJ, ficou debaixo de uma torneira furada do Céu. Situação de calamidade pública. São Pedro só não foi demitido por que, malandro, armou um amistoso lá em cima da serra, pra morder uma graninha em benefício dos flagelados. Reconhecendo o esforço do seu assessor, para reparar a bola foras, o Jota Cristo botou aquela na conta dele e o perdoou pelo descalabro administrativo. Só quem deu perdão (aos caras da terra) foi um baixinho invocado, um tal de Romário. 
Na época rolava um tremendo sabadão de Carnaval. Doutor em bola e em folia, Romário de Souza Faria botou o bloco na rua, isto é, nas redes dos munícipes, pipocando as malhas por três sambinhas mal dançados pela defesa petropolitana. Pois é! Se o anfitrião era ruim de samba e pelota no pé, o problema era dele e do empresário da pesca São Pedro (nos tempos bíblicos).
O certo foi que até o futuro presidente da Câmara Legislativa da capital do Espírito Santo, o capixaba Geovane, que  nem era muito de fazer crueldades com os goleiros, administrou, muito bem, a contagem. Aproveitou a animação da charanga cruzmaltina e tocou mais três marchinhas no barbante. Pra manter a banda no tom, Lira não desafinou. Também foi visitar o filó. E animou Fernando, Willian, Vivinho e Bismarck a entrarem no seu compasso. Temporal de gols. E, assim, conta-se a história de como a "Turma da Colina" evitou que o glorioso São Pedro, porteiro (sem concurso público, do Céu) perdesse o emprego lhe arrumado pelo chapinha Jota Cristo.
Acácio (Paulo César); Cocada, Fernando, Célio Silva e Mazinho (Lira); Zé do Carmo, Geovane e Dirceu (Willian); Mauricinho, Romário (Vivinho) e Bismarck (Josenílton) seguraram as pontas, para o santo, sob o apito de Jorge Emiliano dos Santos.

URUBU AMASSADO -  Pra vascaíno, pra valer mesmo, o que conta nos 13 de fevereiro foram os 2 x 1 sobre o maior rival, o Flamengo, em 1977, mesmo amistosamente – em uma tarde de domingo, no Maracanã.
Naquele dia, com tempo seco, Ramon Pernambucano nordestinou bola na rede, aos 74 minutos. Unzinho depois, o paranaense Dirceu Guimarães completou o serviço, apitado por Roberto Coelho e conferido por 25.019 almas.
Comandado por Orlando Fantoni, o Vasco do dia teve: Mazaropi; Orlando "Lelé", Abel Braga, Geraldo e Gílson Paulino (Luís Augusto); Zé Mário, Zanatta e Dirceu; Luís Fumanchu (Helinho), Ramon e João Paulo (Wilsinho). 
Na temporada-1977, de cinco pugnas roladas, o Vasco bateu o grande rival em duas  e empatou outas duas, todas por 0 x 0. E, com menor peso, a data teve, ainda, Vasco 2 x 0 Olaria, em 1997,m e Vaco 1 x 0 Itabanana-SE, o que significa que a rapaziada não fez mais do que cumprir a sua obrigação. Confere?