Vasco

Vasco

sábado, 30 de junho de 2012

HISTÓRIA DA HISTÓRIA - LIBERTADORES-1998


 VASCO 2 X 1 BARCELONA-EQU - Neste jogo, na noite de uma quarta-feira, em Guyaquil, no Equador, o "Almirante" conquistou o principal título de sua navegação. Fora de casa,  contra toda a pressão da torcida adversário, foi lá buscar o caneco, em jogo apitado pelo argentino Javier Castrilli, auxiliado pelos compatriotas Claudio Rossi e Jorge Rattalino, tendo, ainda, Claudio Martin por árbitro reserva, diante de estimados 85 mil torcedores – a renda não foi divulgada.
O Vasco construiu a vitória no primeiro tempo, com Luizão, aos 24, e Donizete "Pantera", aos 46 minutos – De Avila descontou, aos 34 da etapa final. Treinado por Antônio Lopes, o time campeão foi: Carlos Germano; Vágner, Odvan, Mauro Galvão e Felipe; Luizinho (Vítor, aos 43min do 2º tempo), Nasa, Juninho e Pedrinho (Ramon, aos 29 do 2º tempo); Donizete e Luizão (Alex, aos 37 do 2º trempo). No banco dos reservas, ficaram o goleiro Márcio, com a camisa 12; o apoiador Nélson (17), o zagueiro Válber (18) e o atacante Mauricinho (21). O Barcelona alinhou: Cevallos; Gómez, Noriega (Aires 1' do 2º), Montanero, Quiñónez e George; Carabali, Morales e De Avila; Asencio e Delgado. Técnico: Ruben Insúa. 
O jogo, por ser uma final, não deixou de ter seus momentos de nervosismo. Tanto que  De Avila, Gómez, Montanero, Carabali, Quiñonez e Delgado (Barcelona); Odvan, Juninho, Carlos Germano, Ramon e Felipe (Vasco) receberam o cartão amarelo.

CAMPANHA: 04.03.1998 – Vasco 0 x 1 Grêmio-RS; 17.03.1998 – Vaco 0 x 1 Guadalajara-MEX; 20.03.1998 – Vasco 1 x 1 América-MEX; 26.03.1998 – Vasco 3 x 0 Grêmio-RS; 03.04.1998   – Vasco 2 x 0 Guadalajara-MEX; 09.04.1998 – Vasco 1 x 1 América-MEX; 15.04.1998 – Vasco 2 x 1 Cruzeiro-MG; 13.05.1998 – Vasco 1 x 1 Grêmio-RS; 27.05.1998 – Vasco 1 x 0 Grêmio-RS; 30.05.1998 – Vasco 0 x 0 Cruzeiro-MG; 16.07.1998 – Vasco 1 x 0 River Plate-ARG; 22.07.1998 – Vasco 1 x 1 River Plate-ARG; 12.08.1998 – Vasco 2 x 0 Barcelona-EQU; 26.08.1998 – Vasco 2 x 1 Barcelona-QUE. (fotos reproduzidas da Revista do Vasco).





.....

sexta-feira, 29 de junho de 2012

HISTORI & LENDAS - CARLOS ROBERTOS

1 - Dois Operário trabalharam mal, em partidas contra o Vasco da Gama, e foram demitidos no placar, pelo chefe da navegação, o Almirante xará do time carioca. O primeiro saiu de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, pra passar vexame em São Januário, onde a Turma da Colina sapecou-lhe três bolas na caçapa, isto é, Fred, Roberto Dinamite e Marião, este contra as próprias redes. História do Brasileirão de 1974, quando o caneco ficou pelas prateleiras da Rua General Almério de Moura. O outro Operário era da cidade de Dourados, da mesma região mato-grossense, e levou 4 x 0, com Dudu Coelhão, Roberto Dinamite, Paulo Roberto e Peribaldo fazendo a festas, amistosamente, em 1980. Coincidentemente, a data foi a mesma: 29 de junho.


2 - Em 22 de julho de 1973, e Carlos Roberto de Oliveira ainda não era o camisa 10 da Turma da Colina. Era tarde de um domingo, no Maracanã, e o Vasco da Gama venceu o Flamengo, por 2 x 1, com gol marcado pelo apoiador que vestia a jaqueta 10, Carlos Roberto. Só que Orrigo da Cunha. ]

3 - Enquanto um Carlos Roberto era carioca, o outro nascera gaúcho e tinha o apelido de Gaúcho. Foram colegas no time juvenil vascaíno e, naquela partida, o tchê deixara o carica, então com 19 de idade, usando a camisa 9. Futuramente, ele seria maior ídolo da torcida, com a 10. O clássico da vez teve 79.219 pagantes e o treinador da rapaziada era Mário Travaglini, que escalou: Andrada; Paulo César Puruca, Moisés, Renê e Alfinete; Zanata, que marcou o outro gol vascaíno, Alcir e Gaúcho (Dé); Luís Fumanchu (Buglê), Roberto Dinamite e Luís Carlos Lemos.


quinta-feira, 28 de junho de 2012

28, 29 e 30 DE JUNHO

                                                   28 DE JUNHO
1846 — Adolphe Sax patenteia o saxofone; 1895 — El SalvadorHonduras e Nicarágua formam a República da América Central.1911 — O meteorito Nakhla, o primeiro a sugerir sinais de processos aquosos em Marte, cai na Terra, na região de Nakhla, AlexandriaEgito.1914 — O arquiduque Francisco Fernando da Áustria-Hungria e sua esposa Sofia são assassinados em Sarajevo; este é o casus belli da Primeira Guerra Mundial1919 — O Tratado de Versalhes é assinado, terminando o estado de guerra entre a Alemanha e os Aliados da Primeira Guerra Mundial; 1922 - Instituída, pela primeira vez, na República Federativa do Brasil, a instituição do Tribunal do Júri; 1972 — O Congresso Nacional aprova a criação da empresa Telecomunicações Brasileiras S/A (Telebras).

Nascimentos: Henrique VIII de Inglaterra (1491 a 1547); Peter Paul Rubens, pintor flamengo (15778 a 1640); Jean-Jacques Rousseau, filósofo franco-suíço (1712 a 1778); Garorto, compositor e violonista brasileiro (1915 a 1955).Itamar Franco, político brasileiro (1930 a 2011); Raul Seixas, cantor e compositor brasileiro (1945 a 1989); 1982 - Grazi Massafera, modelo e atriz brasileira;  

1977 -Perdigão, futebolista brasileiro.Cleilton Eduardo Vicente,[1] mais conhecido como Perdigão (Curitiba28 de junho de 1977) atuava como meia.Em junho de 2007, o jogador foi anunciado como reforço do Vasco da Gama, assinando contrato válido até o fim de 2008. Porém ele permaneceu no clube apenas por seis meses,disputando só29 jogo e não marcandogols.

Foto Netvasco.............
Em 28 de junho de 1931, o Vasco iniciava campanha de 11 jogos pela Europa, na primeira excursão e de um clube carioca pelo “Velho Mundo”. Na estreia, perdeu, do Barcelona, por 3 x 2. Mas teve troco. No dia seguinte, mandou 2 x 1. O mesmo ocorreu diante do Celta. Derrota, por 2 x 1, devolvida, com goleada: 7 x 1. Com 12 gols marcados e duas vitórias, em território espanhol, estava de bom tamanho, para começo de conversa.


 Da Espanha, a rapaziada seguiu rumo a Portugal. De cara, sapecou 5 x 0 no Benfica. Depois, 4 x 2 no Combinado de Lisboa. O Porto, também, queria encarar. Levou 3 x 1. Com o quarto adversário foi bem pior: 9 x 2 pra cima do  Combinado Varzim/Boavista. E, pra não parar de golear, 6 x 2 diante do Ovarense.  Como já tinha vencido cinco times lusitanos, mandando 27 bolas nas redes, os vascaínos concederam uma revanche ao Porto: 2 x 1 pra eles. Seguiu-se um empate, 1 x 1, com o Vitória de Lisboa, e mais uma goleada, na despedida do giro: Vasco 4 x 1 Sporting. Confira datas, placares e gols vascaínos do giro.

28.06.1931 – Vasco 2 x 3 Barcelona-ESP- Amistoso. Local: Barcelona. Gols: Carvalho Leite. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Nilo, Carvalho Leite, Russinho e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.

29.6.1931 0 Vasco 2 x 1 Barcelona-ESP. Amistoso. Local: Barcelona. Gols: Russinho e Carvalho Leite. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Benedicto, Russinho, Carvalho Leite (foto) e Santana. Técnico: Harry Welfare.

05.07.1931 – Vasco 1 x 2 Celta-ESP. Amistoso. Local: Vigo (ESP). Árbitro: Ganda. Gol: Russinho. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Benedito, Nilo, Russinho, Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.

07.07.1931 – Vasco 7 x 1 Celta-ESP. Amistoso. Local: Local: Vigo. Gols: Russinho (2), Nilo (2), Bahianinho (2) e Mário Matos. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Italia, Tinoco, Fausto e Mola (Fernando); Bahianinho (Benedito), Carvalho Leite, Nilo, Russinho e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.

10.07.1931 – Vasco 5 x 0 Benfica-POR. Amistoso. Local: Lisboa. Árbitro: Rosmaninho. Gols: Russinho (2), Márito Matos (2) e Nilo. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Carvalho Leite, Nilo, Russinho e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.


15.07.1931 – Vasco 4 x 2 Combinado de Lisboa-POR. Amistoso - Local: Lisboa. Árbitro: Santos Junior. Gols: Russinho (3) e Nilo. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Carvalho Leite, Nilo, Russinho e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.


19.07.1931 – Vasco 1 x 2 Porto-POR – Amistoso - Local: Porto (POR). Árbitro: José Guimarães. Gols: Russinho. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Italia, Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Carvalho Leite, Nilo, Russinho e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.

22.07.1931 - Vasco 9 x 2 Combinado Varzim/Boavista-POR. Amistoso. Local:: Porto (POR). Árbitro: Silva Rocha. Gols: Benedito (3), Tinoco (3), Santana (2) e Fernando. VASCO: Valdemar, Itália, Nesi, Fernando, Mola, Bahianinho, Benedito, Rainha, Ghizone, Mário Matos e Santana. Técnico: Harry Welfare.


24.07.1931 – Vasco 6 x 2 Ovarense-POR. Amistoso. Local: Ovar (POR). Árbitro: Silva Rocha. Gols: Russinho (3), Nilo, Bahianinho e Carvalho Leite. VASCO: Valdemar, Nesi, Fernando, Rainha, Mola, Bahianinho, Nilo, Carvalho Leite, Russinho, Benedito e Santana . Técnico: Harry Welfare.
26.07.1931 – Vasco 1 x 2 Porto-POR.Amistoso. Local: Porto (POR). Gol: Carvalho Leite. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Carvalho Leite, Nilo, Russinho e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.

30.07.1931 – Vasco 1 x 1 Vitória de Lisboa-POR. Amistoso. Local: Campo da Amoreiras (POR). Gol: Carvalho Leite. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Nilo, Russinho, Carvalho Leite e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare.

02.08.1931 – Vasco 4 x 1 Sporting-POR. Amistoso. Local: Porto (POR). Gols: Nilo (2), Carvalho Leite e Ghizone. VASCO: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Nilo, Russinho, Carvalho Leite e Mário Matos. Técnico: Harry Welfare. (fotos reproduzidas da revista "Grandes Clubes".

                              A FORÇA DO ALMIRANTE  BOTAVA PRA AFUNDAR
Nos 28 de junho, o Vasco aprontou outras, dentro e fora de casas. Em 2003, foi ao Ceará vencer o Fortaleza, por 1 x 0, com gol de Marcelinho Carioca, pelo Campeonato Brasileiro. Três temporadas depois, convidado para um amistoso, no norte do país, subiu até o Amazonas e cumpriu com a sua obrigação, mandando 2 x 1 no São Raimundo, com gols de Ramón Menezes e de Valdiram. Confiras mais dois estragos:

VASCO 3 X 1 CORINTHIANS  -  Domingão de muitas emoções, no Maracanã, pelo Torneio Rivadávia Correa Meyer-1953, a disputa que substituiu a Copa Rio, primeira competição reconhecida pela FIFA nos moldes dos atuais Mundiais interclubes. Os alvinegros paulistas estavam ansiosos pela devolução dos 4 x 2 mandado pelos vascaínos, quatro dias antes, no mesmo local. Mas não deu. A “Turma da Colina” sapecou-lhes 3 x 1 e passou à final da competição que homenageava o presidente da Confederação Brasileira de Desportos-CBD. Aquele prélio, com arbitragem de Erik Westmann, teve Maneca abrindo o placar, aos 15, e Sabará aumentando, aos 36 minutos do primeiro tempo. Dejayr fechou a conta cruzmaltina, aos 35 da etapa final. O time, treinado por Flávio Costa, foi: Ernâni, Mirim e Bellini; Ely, Danilo e Jorge; Sabará, Maneca, Ademir Menezes (Ipojucan) Pinga e Dejayr. 

VASCO 2 X 1 BONSUCESSO - A moçada estava há 12 temporadas sem conquistar um Campeonato Carioca. Em 28 de junho de 1970,  estreava na primeira competição da década, treinado por Elba de Pádua Lima, o Tim, que fora um dos maiores craques do futebol brasileiro.  Na expectativa de ver o tabu acabar, 2. 876 pagaram para conferir o que iria rolar em São Januário. De início, a tentativa cruzmaltina não fora muito animadora. A rapaziada levara 43 minutos para balançar a rede rubro-anil. Pelas metadades do segundo tempo, o “Bonsuça” empatou. Estava feia a coisa.  A galera da arquibancada já estava indo embora, aos 40 minutos do segundo tempo, quando o “Batuta” Silva, que havia aberto o placar, marcou o gol da vitória. Era o início do fim do tabu, avisado por: Andrada; Fidélis, Moacir, Joel Santana e Batista; Alcir e Buglê (Willi); Luis Carlos Lemos (Jaílson), Silva, Valfrido e Gílson Nunes foi o time.

VASCO 4 X 2 IPATINGA-MG - Em um sábado 28 de junho, em São Januário, o Vasco disputou o seu primeiro jogo contra o mineiro Ipatinga. E o venceu, pro 4 x 2, valendo pela fase única do Campenato Brasileiro-2008. Ao abrir o placar, aos três minutos, Alex Teixeira entrou para o time dos mais rápidos “Matadores da Colina” . E fez mais um, aos 11 minutos – Jean, aos 36, e Leandro Amaral, aos 41, resolveram a parda logo no primeiro tempo da partida iniciadas às 18h30. O treinador Antônio Lopes escalou: Tiago (Roberto); Rodrigo Antônio, Vílson, Eduardo Luiz e Wagner Diniz; Jonílson, Morais e Madson (Pablo); Alex Teixeira (Beto Cachaça), Jean e  Leandro Amaral. 

                                                            29 DE JUNHO
1613 — O Globe Theatre, em Londres, onde William Shakespeare apresentou suas peças, é destruído por um incêndio.1720 — Revolta de Filipe dos Santos, em Vila RicaMinas Gerais.1880 — França anexa o Taiti.1975 — Steve Wozniak testa seu primeiro protótipo do computador Apple I1995 - Programa do ônibus espacial: Missão STS-71 (Atlantis) acopla pela primeira vez com a estação espacial russa Mir.
Nascimentos: Pedro Juan Caballero, político paraguaio (1786 a 1821); Júlio de Castilhos, jornalista e político brasileiro (1860 a 1903); Antoine de Saint-Exupéry, aviador e escritor francês (19800 a 1944);1945 — Chandrika Kumaratunga, política cingalesa ; 1958Rosa Mota, ex-atleta portuguesa; 1964 — Tereza Seiblitz, atriz brasileira; 1972 - Cristina Pîrv, ex-jogadora de vôlei romena.
1986 - Serena Deeb, ex-wrestler norte-americana; .

Tereza m.famousfix.com

Leovegildo Junior - 1954 Júnior, ex-futebolista e comentarista esportivo brasileiro

1977 - Pedrinho4 -Pedro Paulo de Oliveira é o Pedrinho fera-fera da Colina. A Dona Cegonha o entregou no 29 de junho de 1977, no Rio Janeiro, para ele brilhar como vascaíno, de 1995 a 2001, por 2011 jogos e 47 bolas na rede. Saiu e voltou, para mais oito jogos, sem gols, em 2008. Nova saída e uma tentativa de apenas um jogo, em 2013.
Este Pedrinho começou a sua vidas vascaína como ferinha do futebol de salão, ao lado do seu inseparável amigo Felipe, junmto com o qual foram promovidos, em 1995, passado por todas s categorias de base.
Ele começou a mostrar o seu veneno durante o Cameonto Brasileiro-1997, formando a meiúca, com Ramon Menezes e Juninho Pernambucano, que criava jogdas para Edmundotornar-se o melhor jogador do planeta naquela temporada. Em1998, foi peça importantíssima na conquista da Taça Libertadores, o que valeu-lhe convocação para a Seleção Brasileira. No entanto, dois dias antes da apresentaçã, teve contusão grave no joelho direito, passando sete meses em recuperação. Voltou a sentir após a volta a campo,  e foram mais 11 meses em tratamento.
Seus títulos pelo Vasco da Gama foram: Campeonato Brasileiro-1997; Taça Libertadores-1998; Estadual-RJ-1998; Taça Guanabara-1998; Taça Rio-1998; Torneio Rio-São Paulo-1999; Brasileirão-2000; Copa Mercosul-2000; Taça Guanabara-2000 e Taça Rio-2001.  




 Taça Guanabara-199?, nos 5 x1  Flamengo, Pedrinho foi comemorar com gestos mandando a torcida rival se calar. Pouco depois, antes de ser substituído, recebeu um passe no lado do campo e fez algumas embaixadas. A atitude irritou parte da equipe adversária. O rubro-negro Juan recebeu o cartão amarelo por tentar atingir com um carrinho o meia vascaíno logo após o lance, e alguns jogadores do Flamengo foram para cima de Pedrinho, iniciando uma confusão generalizada dentro de campo. 


     Três times cariocas estão na conta dos devedores vascaínos nos 29 de junho: Bonsucesso, São Cristóvão e Campo Grande, velhos “fregueses”. De caderninho, diga-se de passagem. O mais importante, porém, foi a primeira vitória carioca em gramados europeus. E mais duas, por aqui, sobre times com o mesmo nome. Vamos ver este forrobodó.

    VILLADONIGA
    VASCO 3 X 2 BONSUCESSO, pelo Campeonato Carioca-1941, teve o a galera da Colina como visitante ao estádio da Rua Teixeira de Freitas, em um domingo. Alfredo II, Villadoniga (foto) e Orlando marcaram os gols do time do treiador Telêmaco Frazão de Lima. O “Kike da Bola” encontrou uma escalação com nove nomes – Chiquinho, Osvaldo Saldanha, Florindo, Figliola, Alfredo II, Argemiro, Orlando, Villadoniga e Gonzalez. No entanto, a base de 1941 era: Chiquinho, Jahu (Osvaldo Saldanha) e Florindo; Figliola, Zarzur (Paulista) e Dacunto (Argemiro); Armandinho (Manuel Rocha), Alfredo I (Alfredo II), Villadoniga (Carlos Leite), González (Nino) e Orlando, que não fizeram um bom Estadual. Em 28 jogos, por quatro turnos, venceram 15, empataram sete e perderam seis. Ficaram em quarto  lugar, marcando 69 gols, média de 2,46 por jogo, e sofrendo 39, um saldo de 30. 
    VASCO 5 X 3 SÃO CRISTÓVÃO – No 29 de junho de 1946, o carioca na reta do "Almirante" era o "Santo", que o convidou para um amistoso, na Rua Figueira de Mello. E teve de ajoelhar-se, por conta de um rosário de gols desfilados por Mário (2), Lelé, João Pinto e Ipojucan.  Os cruzmaltinos só enfrentaram os alvos em apenas seis amistosos: três na casa do adversário, no estádio da Rua Figueira de Mello, duas em São Januário, e uma no antigo campo do América, à Rua Campos Salles. 
     ESTATÍSTICA: 20.09.1932 – Vasco 5 x 1; 12.09.1937 – Vasco 3 x 1; 30.10.1944 – Vasco 2 x 3 São Cristóvão; 29.06.1946 – Vasco 5 x 3; 26.05.1960 – Vasco 5 x 3; 22.07.2000 – Vasco 3 x 0.


    VASCO 1 X 0 CAMPO GRANDE, em um domingo, no Maracanã, foi o primeiro dos dois jogos disputados pelos rivais na Taça Guanabara. Neste, de 29 de junho de 1969, o gol foi marcado por Nei Oliveira, que teve do seu lado: Andrada; Fidélis, Moacir, Fernando e Eberval; Alcir, Beneti e Buglê; Silvinho, Nei, Bianchini e Valfrido. Com esta formação, o técnico Evaristo de Macedo definira a defesa que Elba de Pádua Lima, o Tim, usaria durante a conquista do título carioca de 1970. Alcir e Buglê seriam, também, titulares no meio-de-campo, enquanto o ataque trocaria Nei e Bianchini, por Silva e Gílson Nunes, fazendo companhia ao Valfrido, o “Espanador da Lua”.  O Vaso fez uma péssima Taça Guanabara-1969. Terminou em sexto lugar, entre oito disputantes, inclusive, atrás do Bonsucesso. Somou seis pontos, em sete jogos, com duas vitórias dois empates e três derrotas, marcando cinco e sofrendo quatro tentos. (Foto reproduzida da revista Esporte Ilustrado).

     VASCO 3 X 0 OPERÁRIO -  Este adversário é da cidade de Campo Grande, a capital sul-mato-grossense. Time alvinegro, encarou a rapaziada pelo Campeonato Brasileiro-1974, em em São Januário, em um sábado. Fred, Roberto Dinamite e Marião (contra) balançaram o filó.  Mário Travaglini era o triniador e a sua turma era: Andrada; Fidélis, Joel, Miguel e Alfinete; Alcir (Gaúcho) e Zanata; Jaílson, Fred, Roberto Dinamite e Jorginho.

    VASCO 4 X 0 OPERÁRIO-DOR - O  time da cidade de Dourados chamou par este único amistoso entre os dois clubes, em 1980. O "Almirante" mordeu a grana e o filó, isto é, Dudu, Roberto Dinamite, Paulo Roberto e Peribaldo.


                                                                       30 DE JUNHO
    1859 — O acrobata francês Charles Blondin atravessa as Cataratas do Niágara em uma corda bamba; 1934 — Na Noite das Facas LongasAdolf Hitler manda matar vários membros do Partido Nazista, identificados por ele como possíveis inimigos no futuro.1936 — O imperador Haile Selassie, da Abissínia, pede ajuda à Liga das Nações contra a invasão do seu país pela Itália.1966 — Fundada a Organização Nacional da Mulher, a maior organização feminista dos Estados Unidos.1990 — Alemanha Oriental e Alemanha Ocidental fundem suas economias; 1997 — Reino Unido transfere a soberania sobre Hong Kong para a China.

    Nscimento:  Susan Hayward, atriz estadunidense (1917 a 1975); Lena Horne, cantora e atriz estadunidense (1917 a 2010); 1945 — Bobby di Carlo, cantor brasileiro.1966 - Mike Tyson, ex-pugilista estadunidense; 1969 - Dira Paes, atriz brasileira; 1982 - Lizzy Caplan, atriz estadunidense; 1984 - Gustavo Ilha, velejador brasileiro. 1985 - Michael Phelps, nadador estadunidense. 1995 - Marina Ruy Barbosa, atriz brasileira.
    .
     Entre os nascidos para serem vascaínos, chegaram os meios-campistas Ramon  e Guarin, um mineiro e o outro  colombiano. 
    Ramon Menezes Hubner foi entregue, pela Cegonha, no 30 de junho de 1972, na mineira Contagem. Esteve meia-atacante da Turma da Colina, em três oportunidades, conquistando seis títulos. E se destacou como grande cobrador de faltas, autor de 91 gols, em 252 jogos. Muitos deles em bola parada.
     A melhor fase dele pela Turma da Colina foi entre 1997 a 2000, quando colocou no peito as faixas de campeão brasileiro-1997; das Taças Guanabara, Rio de Janeiro e Liberadores-1998; do orneio Ro-São Paulo e da Taça Rio-1999. Também, foi vice-campeão Mundial.2000, organizado pela FIFA  e não conquistado pelo time ter desperdiçado cobrança de pênaltis pelo critério da decisão.
    Quando Ramon Menezes vestiu, pela segunda vez, a jaqueta vascaína, foi peça decisiva no time do Brasileirão-2000, marcando 15 tentos e ganhando a Bola de Prata, das revistas paulistsana Placr, como o melhor de suaosiçõ, somando a média de 0,88 gols por jogo.
    Encerrada a carreira de atleta, em 2013, Ramon voltou Vasco da Gama, pela terceira vez, para trabalhar como auxiliar-técnico, apartir de 27 de dezembro de 2018. No 30 de março deste 2020, ele foi promovido a treinador do grupo principal, devido a saída do treinador Abel Braga. Estreou, em 28 deste junho de 2018, vencendo o Macaé, por 3 x 1, em prélio com portões de São Januários fechados ao público, devido a pandemia do coronavírus – desde 11 de março que uenão rolava futebol ao vivo noRio de Janeiro, proibido pelas autoridades estaduais e municipais.
    A estreia de Ramón Menezes no comando do time cruzmaltino foi em tarde dominical, apitada por Grazianni Maciel Rocha e com o argentino Germán Cano marcando os três gols - 13', 21' e 43 minutos, para estaformação: Fernando Miguel; Yago Pikachu, Ricardo, Leandro Castan, Henrique; Fellipe Bastos (Marcos Júnior), Andrey (Raul), Benítez (Bruno César); Vinicius (Lucas Santos), Talles Magno (Cláudio Winck) e Cano. Em seus tmpos de atleta vascaíno, Ramón Menezes jogou ao lado e craques como Juninho Pernambucano, Romário e Edmundo, ente outros
    Adeppis do jogo, Ramn falou  à imprensa e Mateus Baboanotou e colocou no site oficial do www.vasco.com.br

    - Fiquei muito feliz pelo resultado (da) minha estreia como treinador do Vasco. O que falei no vestiário foi que a vitória foi deles (jogadores). É muito pouco tempo de trabalho. O futebol é uma construção. Uma ideia, mudança de comportamento interessante... saio (da partida) satisfeito.



    1086- Fredy Guarín, futebolista colombiano




    ...........

    Na década-1930, o Vasco ficou na frente do Flamengo: 8 x 7 no placar das vitórias (e dois empates). Quando começaram os anos-1940, os dois só foram se encontrar pelo Campeonato Carioca, no domingão 30 de junho. A “Turma da Colina” visitou o Estádio Álvaro Chaves, nas Laranjeiras, e mandou 3 x 2.  O clássico, apitado por Carlos de Oliveira Monteiro, o ‘Tijolo’, teve os “executores” cruzmaltinos identificados por Figliola, Alfredo I e Lindo. O treinador Harry Welfarer escalou: Nascimento (Chiquinho), Osvaldo Saldanha, Florindo, Figliola; Zarzur, Alfredo I, Villadoniga, Lindo, Orlando, Dacunto e Gonzalez.

    Harry Welfare, treianador
     vascaíno na década-1940

    ESTATÍSTICA - Na década-1940, o Vasco venceu os rubro-negros, por  21 vezes, em 42 duelos por várias competições (além de 12 empates), marcando  60 gols. Confira as vitórias e empates vascaínos no período: 30.06.1940 – Vasco 3 x 2 (Estadual); 24.1941 – Vasco 3 x 1 (amistoso); 27.04.1941 – Vasco 0 x 0 Flamengo (Torneio Início);  09.11.1941 – Vasco 1 x 1 Flamengo (Estadual). 26.04.1942 – Vasco 1 x 1 Flameno (Estadual); 16.03.1943 – Vasco 1 x 1 Flamengo (Torneio Relâmpago); 28.03.1943 – Vasco 1 x 1 Flamengo (Torneio Início). 31.07.1943 – Vasco 1 x 1 Flamengo (Estadual). 19.03.1944 – Vasco 5 x 2 (Torneio Relâmpago); 26.03.1944 – Vasco 3 x 1 (Torneio Início); 24.06.1944 – Vasco 2 x 2 Flamengo (Municipal); 26.08.1944 – Vasco 2 x 1 (Estadual). 13.05.1945 – Vasco 5 x 1 (Municipal); 16.09.1945 – Vasco 2 x 1 (Estadual); 18.11.1945 – Vasco 2 x 2 Flamengo (Estadual). 24.03.1946 – Vasco 2 x 0 (Relâmpago); 19.05.1946 – Vasco 3 x 1 (Municipal); 03.08.1946 – Vasco 2 x 2 Flamengo (Estadual); 06.10.1946 – Vasco 4 x 3 (Estadual).

    O Vasco já aplicou duas goleadas em cima do Bonsucesso, na data 30 de junho: 6 x 1, amistosamente, em São Januário, em uma quinta-feira de 1960, e 5 x 1, em 1943. No jogo de maior escore, Pinga (2), Ronaldo, Nivaldo e Roberto Pinto e Sabará fizeram o estrago. Amistosamente, os cruzmaltinos só encararam o “Bonsuça” em seis oportunidades: 28.12.1941 – Vasco 4 x 2; 21.05.1944 – Vasco 10 x 0; 14.04.1954 – Vasco 5 x 1; 04.02.1959 – Vasco 2 x 1; 30.06.1960 – vasco 6 x 1; 26.04.1975 – Vasco 1 x 1 Bonsucesso.

    VASCO 5 x 1 BONSUCESSO valeu pelo Campeonato Carioca-1943 da fase em que o treinador uruguaio Ondino Viera estava montando o “Expresso da Vitória”, o timão quase invencível. Foi em uma quarta-feira, no estádio da Rua Conselheiro Galvão, dos rubro-anis, e os gols cruzmaltinos criação de Ademir Menezes (3), Lelé e Alfredo II. O time teve: Roberto; Aroldo e Rubens; Figliola, Tião e Argemiro; Djalma, Alfredo II Lelé, Ademir e Chico.
    
    
    Pinga pingou na rede
    VASCO 5 X 2 BENFICA, em 1957, fez parte de excursão por gramados europeus. Era domingo, em revaldo lisboeta, amistosamente, quando a rapaziada do treinador Martim Francisco encantou a torcida da terra. O "Almirante" chegou às redes lusitanas por intemédio de Válter Marciano (2), Sabará, Livinho e Pinga, navegando com esta tripulação: Carlos Alberto (Hélio), Viana e Ortunho; Orlando, Laerte e Dario; Sabará, Livinho, Vavá, Valter  (Roberto Pinto)  e Pinga. Aquele foi o segundo dos quatro amistosos disputados com os benfiquistas. O primeiro rolou em julho de 1931, com goleada, por 5 x 0. Em 1965, houve empate, no Maracanã, por 1 x 1, repetido, em 1984.


    Sasulzinho (E) ao lado de
    Viladônega
    VASCO 4 X 1 PORTUGUESA-RJ  – Além de duas balaiadas sobre o “Bonsuça”, o Vasco mandou mais uma nos 30 de junho. Vítima: a "Zebra" da Ilha do Governador, pelo Campeonato Carioca-1963, no Maracanã. Laçadores: Saulzinho (2), Célio e Sabará acharam o pescoço dela, para gáudio do chefe Jorge Vieira, que colocou o laço nos poderes de: Humberto Torgado, Joel Felício, Brito, Barbosinha e Dario; Maranhão e Lorico; Sabará, Célio Saulzinho e Ronaldo. José Gomes Sobrinho apitou a partida.   

    VASCO 3 X 2 PONTE PRETA - "Relíder". Não inventaram  "reestreia", para o primeiro jogo do atleta que retorna a um clube? Não falam "relançou", quando o meia aciona o atacante em dois lances seguidos? Logo, se o Vasco retomava a ponta, era "relíder". Estava "reliderando" o Campeonato Brasileiro-2012, segundo o neologismo da vez. O "Time da Virada" virou o placar e "retomou" a ponta da tabela, naquele 30 de junho. Pisou no gramado de São Januário, com 13 pontos, e saiu com 16, vendo a concorrência lá de cima. A "Macaca", marcou primeiro, a moçada empatou e a visitante desempatou, no primeiro tempo. No segundo, o "Almirante" "reempatou"  e "redesempatou". Que sabadão emocionante" Fabricio Neves Correa-RS apitou e os gols vascaínos foram de Alecsandro, aos 21 min do 1º tempo;  Éder Luís, aos 3, e Diego Souza (pen), aos 32 min do 2º tempo. O time do técnico Cristóvão Borges: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Renato Silva e Felipe (Eduardo Costa); Nilton, Fellipe Bastos, Juninho e Carlos Alberto (William Matheus); Éder Luis (Diego Souza e Alecsandro.
    Alecsandro, Diego Souza e Juninho Pernambucano comemoram

     .