Vasco

Vasco

segunda-feira, 12 de março de 2018

OS ARQUEIROS DA COLINA - 25 - ROBERTO COSTA

Foto reproduzida de www.netvasco

 Ele não foi  badalado como muitos colega da década-1980. Mas merecia. Chegou à Seleção Brasileira e a São Januário levando como cartão de apresentação um sensacional Campeonato Brasileiro que rendeu-lhe a "Bola de Ouro" da revista “Placar”, o maior prêmio individual que um atleta poderia aspirar, o que significa ter sido o maior destaque da competição da temporada-1983.
 Quando contratou Roberto Costa Cabral, de 1m83cm de altura, em 1984, o Vasco da Gama reunia um grupo repleto de muitos novatos, tendo as suas defesas sido importantíssimas para o “Almirante” ser o campeão da Taça Guanabara e decidir título do Brasileirão, contra o Fluminense. 
RC saiu vice do Nacional, mas bisou a “Bola de Ouro” da revista paulistana e foi convocado para o seu único jogo canarinho – 10.06.1984, 0 x 2 Inglaterra, no Maracanã - por um time que começou com três flamenguistas, três "fluminensistas" e três vascaínos, um autêntico combinado carioca, reforçado por um gremista e um corintiano  – Roberto Costa; Leandro (Wladimir/Cor), Mozer, Ricardo Gomes e Leovegildo Júnior; Pires, Zenon/Cor  e Assis; Renato Portaluppi/Grem, Roberto Dinamite (Reinaldo Lima/Atl-MG) e Tato, dirigidos pelo treinador Edu Coimbra (Vsc). 
Leandro, RC,Pires, Mozer, Ricardo Gomes e Junior (e,m pé);
Renato Gaúcho, Zenon, Dinamite, Assis e Tato reproduzidos
de wws.gazetadoparaná
 Paulista, de Santos – 08.12.1954 -, Roberto Costa começou pelo clube de Pelé, tendo vivido os últimos momentos do “Rei do Futebol” na casa. Antes da cruzmaltinagem, passou pelo Criciúma-SC, Atlético-PR e Coritiba. Em 1981, foi o goleiro menos vazado do Brasileirão. 
Fazedor de milagres, estes chegaram ao conhecimento do “Almirante”, que foi busca-lo para ajudar-lhe a ser vice-campeão brasileiro-1984, decidindo contra um favoritíssimo Internacional-RS, que o levou, em 1985.

 O Inter marcou o início do fim de linha de Roberto Costa, que voltou ao “Furcão”, sem ser o mesmo de tantas glórias que
Dali por diante, Roberto Costa passou por seis clubes pequenos, como o Taguatinga-DF, pelo qual foi campeão candango-1989), até encerar a carreira pela Caldense-MG, em 1990.

Nenhum comentário:

Postar um comentário