Vasco

Vasco

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

O VASCO NOSSO DE CADA DIA - 23.12

Em vésperas do Natal, tudo é festa. Até vestir a camisa do maior rival. Aconteceu!. Mas foi por uma boa causa e com sucesso. A data 23 de dezembro teve mais  festas para o "Almirante". Vamos ver:

VASCO  3 X 2 BOQUEIRÃO DO PASSEIO - Jogo 27º da rapaziada, que ainda disputava a Segunda Divisão do Campeonato Carioca. Como ainda não tinha um estádio, o "Almirante" teve que ir às Laranjeiras,  em um domingo. Naquela temporada, a moçada disputou 18 jogos, com nove vitórias, quatro empates e cinco quedas. Marcou 43 e sofreu 37 gols.  

VASCO/FLAMENGO 3 X 1  RACING/INDEPENDIENTE-ARG - No 23 de dezembro de 1955 o Campeonato Carioca esteve interrompido, para rubro-negros e vascaínos formarem o combinado que enfrentou uma formação argentina. Motivo: homenagear a memória do ex-presidente do clube da Gávea, Gilberto Cardoso, que o coração matara 17 dias antes, após um jogo de basquete de seu clube.  
O Vas-Fla venceu os "hermanos", por 3 x 1, atuando com as camisas do "Urububu", no Maracanã, em prélio apitado pelo inglês Harry Davis e com gols marcados por Paulinho, aos 7 minutos; Rodolfo Michelli, aos 15; e Dida, aos 25 do primeiro tempo, e Parodi, aos 11 da etapa final. A formação juntou: Hélio (Vsc); Paulinho de Almeida (Vsc) e Pavão; Jadir, Dequinha e Jordan; Joel, Paulinho, Ademir Menezes (Vsc), Dida (Ademir Meneses (Vsc), Vavá (Vsc), Pinga (Vsc) e Parodi (Vsc). Os argentinos forame: Dominguez (Rac), Anido (Rac) e García Perez (Rac); Vicente (Rac) (Varacka (Ind)(Brito (Ind)), Vladilao (cap Rac) e Sivo (Rac); Rodolfo Michelli (Ind), Juárez (Ind)(Bianco (Rac), Bonelli (Ind), Grillo (Ind) e Oswaldo Cruz (Ind).

VASCO 1 X 1 OLARIA - Neste, que foi o jogo 1.639 da história cruzmaltina, a rapaziada fechou a campanha que valeu o título do Campeonato Carioca-1956, com 16 vitórias, em 22 compromissos, além de quatro empates e só dois tropeços. Foram 57 gols marcados e 17 sofridos, o que mostra a força do time montado por Martim Francisco. Naquele 23 de dezembro, a chamada "chave de ouro" fechou os portões do Estádio Doutor Mourão Filho, o chamado "alçapão" da Rua Bariri, visitada por por: Hélio, Ortunho e Bellini; Orlando, Laerte e Coronel; Valmir, Válter, Livinho, Vavá e Lierte, o autor do gol vascaíno.     
 
VASCO 3 X 1 CRUZEIRO - Aconteceu no 23 de dezembro de 2000 e a rapaziada ganhou um presentaço que a aproximou do título de campeão brasileiro da temporada.  Era um sábado, no Mineirão, em Belo Horizonte e o estádio recebera  64.287 almas, a maioria na expectativa de  ver a "Raposa" afogar o "Almirante". Mas rolou o contrário.  Aos 32 minutos, Juninho Pernambucano fez 1 x 0. Os mineiros não queiram entregar o ouro e empataram, aos 40 minutos, fechando o primeiro tempo no 1 x 1. Veio a etapa final e, aos 22 minutos, um mineirinho que havia se bandeado para as hostes cruzmatinas, o atacante Euller,  sujeito tão veloz que diziam ser “Filho do Vento, desempatou a refrega. A galera já achava que a fatura estivesse liquidada, quando Romário foi ao filó, aos 45 minutos, e fechou a conta. O anfitrião foi mal visitado pelo treinador Joel Santana e esta patota:  Hélton; Clébson, Odvan, Júnior Baiano e Jorginho Paulista;  Jorginho Amorim (Henrique), Nasa, Juninho Pernambucano (Paulo Miranda) e Juninho Paulista; Euller e Romário (Pedrinho).  Aconteceu em 23 de dezembro de 2000. Pelas vésperas do Natal, um grande presente. Com ele, o Vasco aproximou-se do título de campeão brasileiro da temporada.

            "ALMIRANTE" CARREGA CANECO DOS ASPIRANTES PARA A COLINA 

 Este título saiu de uma disputa em melhor de quatro pontos, com o Fluminense. O primeiro jogo foi em 16 de dezembro, no Maracanã – preliminar da decisão do campeonato principal, entre Flu e Bangu – com os cruzmaltinos mandando 1 x 0. José Mário Vinhas apitou e o ponta-direita Joãozinho, aos 44 minutos do primeiro tempo,  mandou a bola na rede. O segundo duelo, apitado pro Geraldino César, rolou quatro dias depois, no mesmo local e, novamente, como preliminar do jogo citado acima. Houve empate, por 0 x 0.
 O pontinho que o Vasco precisava para conquistar o título dos "aspiras" foi ganho nos 2 x 1 da noite de 23 de dezembro, de virada. João Márcio abriu o placar para os tricolores, aos 20 minutos do primeiro tempo, mas Rubilota se encarregou de mudar a história, aos 44 da etapa inicial e aos 31 do período final. Pipico, aos 29 minutos do primeiro tempo, e Lula, aos 33 do segundo, foram expulsos de campo. Carlos Floriano Vidal apitou a finalíssima, também no Maracanã, auxiliado Otávio Vítor do Espírito Santo e Eurípedes Matos Carmo. O Vasco foi: Pedro Paulo; Massinha, Caxias, Russo e Jorge Andrade: Odmar e Alcir;  Joãozinho, Altamiro, Rubilota e Ronaldo. O Fluminense teve: Jorge Vitório; Laurício, Zé Luís, Lula e Baiano; Luís Henrique e Tito: Mateus, Pipico, Antunes e João Márcio.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário