Vasco

Vasco

segunda-feira, 17 de abril de 2017

HISTORI&LENDAS DA COLINA - DIVIDIDA

1 -  8 de junho de 1966 - O Vasco dividira (por falta de datas para uma decisão), o título do Torneio Rio-São Paulo, com Santos, Botafogo e Corinthians. E colocado Brito, Fontana, Oldair e Célio entre os convocados para a Seleção Brasileira que treinaria para a Copa do Mundo da Inglaterra. Por aquela época, a dupla de zaga Brito-Fontana era uma das mais famosas do país. Ela usou a camisa canarinha durante a vitória, por 3 x 1, sobre o Peru, amistosamente, no Maracanã.  Apitado pelo escocês William Syme, o prélio foi assistido por 109.380 pagantes, em uma rodada dupla, com dois escretes nacionais indo a campo. No outro jogo, a seleção que tinha Pelé venceu a Polônia por 2 x 1.

2 - Da partida em que Brito e Fontana estiveram juntos, pode-se brincar e dizer que todos os gols foram vascaínos. Para o Brasil, marcaram o banguense Fidélis e o cruzeirense Tostão, que vestiram a camisa cruzmaltina, tempos depois. E o gol peruano foi marcado apor Brito, contra.  O time, escalado pelo técnico Vicente Feola, teve: Ubirajara; Fidélis, Brito, Fontana e Oldair; Roberto Dias e Denílson; Paulo Borges, Alcindo, Tostão e Edu Américo.    

3 - A gravadora RGE acabara de colocar na praça, em 1964, o primeiro compacto simples de (vinil), de Erasmo Carlos, com as músicas "Terror dos Namorados" e "Jacaré". Pouco depois, ele foi divulga-lo em São Paulo, pois  no Rio de Janeiro, o futuro "Tremendão" não conseguia emplacar. Aos seus shows, só iam ele e os garçons do estabelecimento.

4 - Estava Erasmo em "Sampa", quando o "disckjoquei" Ademar Dutra convidou-o a cantar em uma boate, em Santos. Usando só um violão, ele cantava, além das duas músicas já citadas, dois sucessos de Roberto Carlos – "Parei na Contramão" e "Splish Splash" –,  alguns sambinhas e alguns rocks. Estava, então, o show rolando na boate santista, quando Erasmo cantou "Moleque Trinta", que terminava fazendo referência a Pelé. E o que aconteceu? Pelé estava escondidinho, em um cantinho da boate, com uma namorada. Achou interessante a letra da música. Avisado, Erasmo foi falar com o "Rei". Ao se abraçarem, o "Tremendão" foi desatando: "Eu estava no Maracanã (junho de 1957) e vibrei com três gols seus, com a camisa do Vasco (Tornei Internacional do Morumbi), naquele jogo (Combinado Vasco/Santos), contra o (português) Belenenses. Quando se encontrou com Roberto Carlos, Erasmo não perdeu tempo. Foi logo contando: "Bicho! Sabe quem foi ao meu show? O Pelé!" 

5 - 11 de junho de 2000 - O time feminino de futebol do Vasco passou por cima do seu maior rival, o Flamengo, mandando 2 x 0. E conquistou o penta do Campeonato Carioca.  Superioridade indiscutível! Cruzmaltinas deslumbrantes, impiedosas! O Campeonato de Futebol Feminino-RJ vem sendo disputado desde 1983, quando foi organizado pela Divisão Feminina de Futebol de Campo. Nunca teve regularidade. A partir de 2008, passou para o comando da Federação de Futebol do Estado doa Rio de Janeiro.

 6 - O Vasco é o papão de canecos, já tendo carregado oito, seguido pelo Radar com seis. Para o Flamengo, sobraram dois vices. Confira algumas conquistas das gatinhas cruzmaltinas: campeãs brasileiras em 1994, 1995 e em 1998.  Mais? Em 1993, o "Almirante" Vasco da Gama representou o selecionado do RJ e foi o campeão, também nessa. Os títulos estaduais foram conquistados pelas meninas   nestas temporadas: 1995/96/97/98/99/2000/2010/2012; da Taça Cidade de Nova Iguaçu-2010/2011; da Copa Almirante Adalberto Nunes-2010; do Torneio Início do Centro de Educação Física Adalberto Nunes-2010 e do Torneio Início do Rio de Janeiro-1999/2000.

7 - Final do Estadual-1958 – Um cartola vascaíno “achou de achar” que  a "Turma da Colina" caíra, inesperadamente, de produção, porque gente importante, como os zagueiros Bellini e Orlando; o meio-campista Écio e o atacante Almir, entre outros, andavam badalando pelas agitadas “night” de Copacabana, aliado à insatisfação pelo valor dos “bichos” por vitórias. O capitão Bellini, que dividia um apartamento com Almir, na “zona de fogo ardente de Copa”, conseguiu apagar o incêndio, convencendo os dirigentes que eles estavam vendo fantasmas. O time foi para o supercampeonato, venceu o Botafogo e empatou com o Flamengo e carregou a taça para a Colina, em 17 de janeiro já de 1959. Mas deixara Bellini muito magoado.
SINCERAMENTE, se frequentando inferninhos, o Bacalhau virava o diabo, imagine se tivesse um time só de santinhos!.

8 - Antes da final carioca-1958, o Vasco só havia decidido, com o Flamengo em 29.10.1944, no jogo em que o argentino Valido empurrou um zagueiro vascaíno, para fazer Fla 1 x 0, com a anuência de um árbitro botafoguense, que desejava impedir o título cruzmaltino. Há foto do lance provando o erro da arbitragem. O Vasco respondeu, em 13 de junho de 1976, levando a Taça Guanabara, com 5 x 3 nos pênaltis, após 1 x 1 no tempo normal de jogo, e em 28 de setembro de 1977, carregando a Taça Rio, por 5 x 4 nos pênaltis, após 0 x 0 durante os 90 minutos. 
SEGURAMENTE, esta é uma guerra de batalhas eternas de choro livre bilateral.

9 - Final de 1999 – O atacante Edmundo volta a conviver, em São Januário, com Romário, com quem brigara em 1998. O ‘Animal’, inicialmente, aceita o ‘Baixinho’, com a promessa do presidente Eurico Miranda, de que Romário ficaria só para o Mundial de Clubes da FIFA, em janeiro de 2000. Ambos fazem uma trégua e arrasam o inglês Manchester United. Edmundo, de costas para o marcador Mikaël Silvestre, com um toque na bola, chapelou o adversário, deixou-o ao chão, aplicou outro toque na pelota, encobriu o goleiro Mark Bosnich e levantou a torcida vascaína no Maracanã. Vasco 3 x 1, naquela tarde domingueira.
ACÚMULO DE VAGAS - Além de atleta do futebol, o ‘Animal’ tinha outra profissão: chapeleiro.

 10 - Final do Campeonato Carioca de 1987 - Mílton Queiroz da Paixão, o meia-atacante carioca vascaíno tinha valentia, habilidade, velocidade e boa pontaria. Campeão brasileiro, em 1989, e da Taça Guanabara de 1990, ele marcou o gol do título estadual de 1987, na final contra o Flamengo. E comemorou correndo com a camisa encobrindo o rosto, gesto que passou a ser imitado pelo país inteiro.
DATA FATAL: para os flamenguistas, que revelaram Tita, aquilo não poderia ter sido verdade. Mas Tita nascera mesmo no “Dia da Mentira” – em primeiro de abril de 1958.

  

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário