Vasco

Vasco

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

O VASCO NOSSO DE CADA DIA - 09.11

Data de goleadas, uma delas sobre um dos maiores rivais cariocas.  Mordida no dono da jaula e tropas caseiras passadas em revista.  Tudo isso aconteceu nos 9 de novembro. Quer saber como?
 
VASCO 1 X 1 FLUMINENSE - A rapaziada havia estreado no Campeonato Carioca de 1930 vencendo o Bangu (06.04), por 2 x 1. Na segunda rodada (13.04),  3 x 1 sobre o Syiro e Libanez. Uma semana depois, 2 x 0 pra cima do São Cristóvão. Já era candidato ao título da temporada. Ainda mais quando repetiu placar diante de Bonsucesso (27.04), Brasil (04.05) e Andarahy (11.05), todos abatidos por 2 x 0.  Na sétima rodada (18.05), jogaria na casa do adversário Fluminense, nas Laranjeiras. Do lado cruzmaltino, a rapaziada – Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Paschoal, Paes, Moacyr, Ennes e Sant’Anna – botava mutia fé em seu taco. E rolou a bola. Os anfitriões abriram o placar, mas Russinho empatou: 1 x 1. Até que, enfim, alguém parava a “Turma da Colina”. 
Em todas aquelas rodadas, o técnico Harry Welfare mantivera uma defensiva constante: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco Fausto e Mola. No ataque, Pasachoal fora titular em todos os jogos, pela ponta direita, ocorrendo quase o mesmo com Sant´Anna, que assumira a titularidade a partir da terceira rodada, barrando Bauzinho. Nas demais posições, se revezavam Paes, Galego, Rainha, Carlos Paeso, Russinho, Ennes, Goiaba, Moacyr e Mário Mattos, este mais constante, com quatro escalações, em seis jogos.

VASCO 6 X 0 FLUMINENSE - Após empatar com os tricolores, os vascaínos cairam de produção, ficando no 1 x 1 com o América (25.05) e perdendo os dois jogos seguintes, 1 x 2 Botafogo e (08.05) e 0 x 2 Flamengo (14.05). O prestígio estava abalado. Viera, porém, o segundo turno e a equipe se recuperara, com novo 2 x 1 sobre o Bangu (21.09). Mas voltou a tropeçar: 0 x 1 ante o Syirio e Libanez (28.09), e  seguiu sem vencer, com 2 x 2 São Cristóvão (05.10.) A fase não era boa. Deu pra recuperar (12.10), com 3 x 2 Bonsucesso, e reanimar a torcida, goleando (19.10) o Brasil, por 4 x 0, e passando apertado (26.10) pelo Andarahy: 3 x 2.
 Haveria, no entanto, um domingo 9 de novembro de 1930. E o Vasco aplicou a sua maior pancada sobre o Fluminense. Rolou em São Januário, em duelo apitado por Waldemar Alves. Não fora goleada sobre um adversário qualquer. O Flu tinha um dos melhores técnico da época, Luís Vinhais, e um quadro respeitado. Mas caiu feio, ante os gols de  Sant'Anna, aos 12 e aos 14; Mário Mattos, aos 20 minutos do primeiro 
 Feito espetacular de: Jaguaré; Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Oitenta-e-Quatro, Russinho, Mário Mattos e Sant'Anna. Mas, em seguida, o Vasco não segurou o América (16.11), mas deu o troco do primeiro turno a Botafogo e Flamengo, respectivamente, por 2 x 0 (30.11) e 2 x 1 (07.12), terminando a temporada vice-campeão, com um ponto a menos do que os botafoguenses (32 x 31). Em 20 jogos, foram 14 vitórias e três empates.

VASCO 2 X 0 OLARIA -  Segundo turno do Campeonato Carioca-1947, casa do adversário. Apitado por Mário Vianna, o prélio teve os temíveis atacantes Friaça e Ismael chegando no filó. De negativo, só a expulsão de campo do "Príncipe" Danilo, que deu uma de ralé. O time que escapou do "alçapão" da Rua Bariri teve: Barbosa, Augusto e Wilson; Ely, Danilo e Jorge; Nestor, Maneca, Friaça, Ismael e Djalma

VASCO 3 X 1 SÃO CRISTÓVÃO  - Mais uma partida de segundo turno do Campeonato Carioca e apitada por Mário Vianna. Só mudou o gramado, que foi o de São Januário, e os goleadores, Ipojucan, Maneca e Ademir. Importância? Vitória de virada. Os viradores de placar? Barbosa, Augusto e Haroldo: Ely, Danilo e Jorge; Edmur, Ademir Menezes, Maneca, Ipojucan e Chico. O treinador, que terminou campeão da temporada foi Gentil Cardoso       

VASCO 1 X 0 MADUREIRA - Returno do Campeonato Carioca-1958, com bola rolando em São Januário e apito de Gualter Gama de Castro. O gol único foi de autoria do meia Rubens. Neste jogo aconteceu a expulsão de campo do atacante, Almir Albuquerque, o "Pernambuquinho". O treinador era Francisco de Souza Ferreira, o Gradim, que tinha este time que tornou-se SuperSuper campeão carioca da temporada:  Miguel, Paulinho de Almeida, Bellini e Coronel; Écio e Orlando; Sabará, Almir, Delém, Rubens e Pinga.
Técnico: Gradim
  
VASCO 2 x 0 BOTAFOGO - Clássico apitado por Valquir Pimentel, no Maracanã, válido pelo segundo turno do Estadual-1980, diante de 29 056 almas. Roberto Dinamite, cobrando pênalti, aos 2 minutos, e aos 29, ambos do primeiro tempo, foi o "cara"  do time treinado por Mário Jorge Lobo Zagallo. A formação: Mazaropi: Brasinha, Orlando, Léoo e Marco Antônio; Pintinho, Guina e  Marco Antônio Rodrigues (Serginho); Katinha, Roberto Dinamite e Wilsinho. Foi o jogo 132 entre os dois pela temporada estadual oficial.

 VASCO 3 X 2 SPORT-PE -  A data 9 de novembro tem dois confrontos entre o "Almirante" e o rubro-negro pernambucano" O placar acima rolou em uma quarta-feira, quando o "Bacalhau" mordeu o "Leão da Ilha" em sua jaula, em Recife, com gols de Bismarck, aos 24 minutos do primeiro tempo; Mazinho, aos 7, e Vivinho, aos 42 da etapa final.  O duelo, apitado por Dulcídio Vanderlei Boschillia-SP foi assistido por 11.867 pagantes, rendeu Cz$ 5.720.100,00 (cruzados) e valeu pelo Campeonato Brasileiro-1988. Treinado por Carlos Alberto Zanata, o time dele foi: Acácio; Paulo Roberto, Célio Silva, Marco Aurélio e Mazinho; Zé do Carmo, França e Bismarck; Vivinho, Sorato, e Ernâni – um outro jogo na data terminou no 0 x 0, em 1994, em uma quarta-feira, no mesmo local e pela mesma disputa. Teve público de 9.536 pagantes, renda de Cr$ 46.032,00 e apito de Luciano Augusto Almeida-DF. Sebastião Lazaroni era o técnico cruzmaltino e escalou: Carlos Germano; Pimentel, Ricardo Rocha, Sídnei e Bruno Carvalho; Leandro Ávila, Vianna, William e Gian (Preto); Valdir e João Paulo (Hernande).
 
VASCO 4 X 1 VITÓRIA-BA -  Rodada 27 do Campeonato Brasileiro-2002. Jogo em um sábado, em São Januário, apitado por Luciano Almeida-DF. Ao filó, compareceram: Russo, aos 39 minutos do primeiro tempo; Ramon, aos 2; Petkovic, aos 31, e Valdir "Bigode", aos 43 da etapa final.  Jogaram com a jaqueta cruzmaltina: Fábio, Russo (Rodrigo Souto), Rogério Corrêa, Rogério Pinheiro, Edinho (Siston), Marcelo, Henrique, Léo Lima, Petkovic (Bruno Lazaroni) e Valdir. O treinador era Antônio Lopes. 

VASCO 5 X 2 UNIVERSITÁRIO-PER - Estava em jogo a Copa Sul-Americana-2011. A moçada reverteu vantagem dos peruanos, que haviam vencido no jogo de ida, uma semana antes, em Lima. Fora a segunda virada naquela disputa continental – nas oitavas de final, o boliviano Aurora levara a melhor, em casa, mas caíra, por 8 x 3, em São Januário. Como voltava a precisar de três gols de vantagem, o time vascaíno foi logo ao ataque. Aos 24 minutos, Juninho Pernambucano sofreu pênalti e Diego Souza encaçapou: 1 x 0, mas a etapa inicial terminou no 1 x 1. No início do segundo tempo, aos 2 minutos, Rabanal chutou, a bola bateu em Dedé, enganou o goleiro Fernando Prass e os peruanos viraram: 2 x 1. A reação vascaína foi imediata. Aos 3 minutos, após a nova saída de bola, Juninho esticou passe para Elton cabecear e regualar: 2 x 2.
Diego Souza foi à rede e para o chuveiro... mais cedo
  A casa começou a ser colocada em ordem a partir dos 12 minutos, quando o zagueiro Dedé atacou e finalizou: 3 x 2. O mesmo Dedé, que fazia 100 jogos com a camisa cruzmaltina, marcou o quarto, em cabeçada, aos 27 minutos: 4 x 2. “Eu nunca tinha feito dois gols em um jogo", contou, o zagueiro-artilheiro, que ainda desviou a bola, de cabeça, para Alecsandro fechar o placar, aos 36 minutos da etapa final: 5 x 2.

O jogo foi muito nervoso e entre os expulsos de campo esteve o vascaíno Diego Souza. Os vencedores foram: Fernando Prass; Fagner (Allan), Dedé, Renato Silva e Diego Rosa; Nilton, Fellipe Bastos (Bernardo), Juninho Pernambucano e Diego Souza; Eder Luis (Alecsandro) e Elton. Técnico: Cristóvão Borges (interino).
A classificação foi um presente ao presidente Roberto Dinamite, que comemoraria, no dia seguinte,  29 anos da marcação do 500º gol, no jogo Vasco 1 x 1 Volta Redonda, pelo Cariocão-1982. Roberto é o jogador que mais gols marcou com a camisa cruzmaltina: 644 em 955 jogos.

A VASCODATA  9 de novembro tem mais: Vasco 1 x 1 São Cristóvão, em 1946, e Vasco 0 x 0 Atlético-MG, em 1986.

Nenhum comentário:

Postar um comentário