Vasco

Vasco

terça-feira, 15 de novembro de 2016

O VASCO NOSSO DE CADA DIA - 15.11

O Club de Regatas Vaso da Gama tem vivido, absolutamente, sob regime presidencialista. Na Colina, o  "homem"  manda, e acabou. E assim  tem sido, também, no placar. O  15 de novembro,  data da proclamação da república no Brasil, é a data com mais comemorações da galera. São 20 vitórias e seis empates. Nem na data de aniversário, 21 de agosto, rola tanta festa. De quebra, com quatro goleadas. Conferindo?

VASCO 6 X 1 CARIOCA-RJ – Amistoso de 1931, dos primeiros seis anos de bola rolando nos pés da rapaziada. Russinho marcou três e Tinoco, Mário Mattos e Sant´Ánna completaram a balaiada. Entre Segunda e Primeira Divisões, e um jogo de um tal Tornei Preparatório-1932, o "Almirante" cruzou por 16 vezes com o adversário já inexistente, vencendo 9, empatando 3 e escorregando em outros 3 pegas.   

VASCO 4 X 0 PORTUGUESA SANTISTA –  Jogo 577 da história cruzmaltina, em 1935, e o terceiro dos cinco amistosos disputados contra o time de Santos-SP, batido em quatro deles. Este sacode rolou São Januário, com Luís de Caarvalho, Kuko, Itália e Zarzur batendo no filó. DETALHE: o primeiro encontro entre os dois clubes, em 1928, foi, também,  na Colina, e a "Lusinha" mandou 5 x 3, mesmo placar de Vasco x Santos, na inauguração da casa colineiro, em 3 de março de 1927.

VASCO 2 X 0 BANGU - Campeonato Carioca-1936, domingo, no estádio da Rua Ferrer. Era o 7º encontro entre os dois, por Estaduais, sendo que aquele fora por um dos dois disputados durante uma bagunçada temporada, come jogos pela Federação Metropolitana de Desportos, vencida pelo "Almirante", e pela Liga Carioca de Football. Virgílio Fredrighi apitou e Jaci e Lauro marcaram os gols do time do treaandor Harry Welfare, que escalou: Rei, Poroto e Itália; Oscarino, Zarzur e Calocero; Orlando, Jaci, Lauro, Nena e Luna.
VASCO 7 x 1 OLARIA - Campeonato Carioca-1937, em uma segunda-feira, no campo da Rua Cândido Silva, com apito de José Pinto Lopes, o Badu. O "Almirante" já navegava sob o comando do uruguaio Carlos Scarone e teve as sus bolas no barbante mandadas por  Lindo (2), Alfredo (2), Luna, Niginho, e Feitiço. Enfeitiçaram o time da Rua Bariri: Joel, Poroto e Italia; Oscarino, Zarzur e Calocero; Lindo, Alfredo, Niginho (Raul), Feitiço e Luna.
 DETALHE: pesquisadores divergem sobre a escalação de Oscarino, ou de Rafa, na chamada linha média.

VASCO 3 X 1 SAMPAIO-RJ - Amistoso de 1942, fora de casa, com gols marcados por Xavier (2)  e Argemiro. Jogo 877 da história cruzmaltina.  
 
VASCO 8 X 0 JABAQUARA – Segundo dos dois amistosos  já disputados pelos dois clubes. Friaça (3), Lelé (2), Ipojuan (2) e Isaías castigaram o desafiante, que caía, pela segunda vez, pelo mesmo número de gols. Em 7 de janeiro de 1945, amargara 8 x 1, em São Januário. DETALHE: um atacante que fez muito sucesso, em início de carreira, no “Jabuca”, tornou-se um dos maiores ídolos da torcida vascaína na década-1960, o  goleador Célio Taveira Filho, o quarto agachado, da esquerda para a direita, nesta foto enviada pela sua filha Camila.
 
VASCO 2 X 0 SANTO ANTÔNO - Terceiro dos cinco amistosos disputados com o clube capixaba, vencido em todos. Este aconteceu em uma terça-feira em que o "Santo" convidou o "Almirante" para aproveitar o feriado e tomar umas pingas. Do que Pinga levou a sério e desceu um gole no filó, mesmo gesto de Sabará. E, já que o feriadão era dia de molhar o pescoço por dentro, o técnico Flávio Costa mandou à farra  quase todo o seu grupo: Victor Gonzalez, Paulinho de Almeida (Dario), Bellini (Haroldo), Orlando, Beto, Laerte (Jophe), Sabará (Ademir Menezes), Válter Marciano (Iedo), Vavá, Pinga e Parodi (Alvinho).    
VASCO 4 x 1 CRUZEIRO - Décimo dos 18 amistosos com os estrelados, "desbrilhados" em 10 – houve mais 5 empates e 3 pisadas vascaínas na cebolinha. Rolo de uma quinta-feira de 1956, mais esculhambado do que o citado acima. O "Almirante" mandou ao relvado todos os seus titulares e reservas. Sacanagem do técnico Martim Francisco, que era mineiro. Aconteceu no Estádio da Alameda, em Belo Horizonte, com goleada de virada. Pinga, aos 22, empatou. No segundo tempo, Laerte, aos 3; Artoff, aos 6, e Valmir, aos 8, deixaram a Raposa de quatro. Martim Francisco foi o técnico vascaíno e a formação esta: Carlos Alberto (Sivuca),  Paulinho de Almeida (Ortunho), Bellini (Haroldo), Orlando (Jophre), Laerte (Delci), Coronel (Cléver), Sabará (Valmir),  Livinho (Ceninho), Vavá (Artoff), Válter (Roberto Pinto) e Pinga (Lierte).   

VASCO 5 x 1 BRASIL BANDEIRANTE – O adversário que convidou para este amistoso de 1957, é da cidade paulista de Marília. O "Almirante" o registrou como a sua 1.709ª navegação de cabotagem.
 
VASCO 4 X 2 BOTAFOGO - A proclamação da república deu-se no Campo Aclamação, que virou Praça da República, no Rio de Janeiro de 1889. Longe do Maracanã, 70 anos depois da troca de nomes, a rapaziada proclamou uma goleada. Alberto da Gama Malcher apitou e até o  "Enciclopédia" Nílton Santos, que sabia tudo de bola, colaborou, marcando um gol contra os alvinegros.Pinga pingou mais dois e Sabará fechou a conta. Francisco de Souza Ferreira, o Gradim, anotou em sua grade: Miguel, Paulinho de Almeida, Russo, Bellini, Écio, Coronel, Sabará, Almir, Delém, Roberto Pinto e Pinga estavam lá. 
 
VASCO 3 X 1 YPIRANGA-BA - Sétimo dos nove amistosos preliados com o "time canário" da Boa Terra, todos em Salvador, com sete vitórias cruzmaltinas e duas pisadas no acarajé. Este foi em 1960, na antiga Fonte Nova, com Delém (2) e Sabará provando do tempero da baiana, em uma apimentada terça-feira.

VASCO 5 X 0 CANTO DO RIO – Campeonato Carioca-1962 e goleada na casa do adversário, o estádio Caio Martins, em Niterói.  Cláudio Magalhães apitou e o meia baiano baixinho Viladônega foi o "cara", deixando dois na caçapa. Da Silva, Saulzinho e Lorico esticaram o placar para o time de Jorge Viei, que lançou:  Ita (Humberto Torgado), Paulinho de Almeida, Brito, Barbosinha, Coronel, Maranhão, Lorico, Sabará, Villadoniga, Saulzinho e Da Silva. Jogo 44 entre os dois times, por Estaduais, jogado em uma terça-feira.
 
VASCO 2 X 0 PORTO ALEGRE-RJ – Único amistoso entre os dois times, rolado em um domingo, de 1964, na casa do adversário, com a dupla infernal Mário "Tilico" e Célio levando trabalho ao preenchedor de súmula. Jogo 1.161 da história vascaína.

VASCO 3 x 0 TREZE-PB - Em 1975, amistoso a convite de um clube alvinegro. Paulo Roberto (2) e Roberto Dinamite "robertizaram" o placar naquela que foi a 2.893ª apresentação da esquadra do "Almirante", daquela vez, aportando em Campina Grande, terra de  muitos torcedores vascaínos paraibanos. 

VASCO 1 X 0 CENTRAL -  Campeonato Brasileiro-1979, em uma quinta-feira, no Estádio Pedro Vitor de Albuquerque, na pernambucana  Caruaru. Único pega entre os dois times, com Zandonaide aparecendo na rede, aos 8 minutos. Saul Mendes-BA apitou e Oto Glória escalou: Leão; Paulinho II, Orlando "Lelé", Ivan e Paulo César; Zé Mário, Guina  (Dudu) e Zandonaide; Katinha, Roberto Dinamite e Paulinho Massariol (Wilsinho). 

VASCO 1 X 0 BANGU - Terceiro turno do Estadual-1981, no
Estádio Proletário Guilherme da Silveira Filho. Roberto Dinamite explodiu o filó, aos 33 minutos do segundo tempo desse jogo apitado por Edson Alcântara Amorim-MG, assistido por 8 328 pagantes. Foi o 126º encontro entre ambos, pela temporada oficial carioca, quando Antônio Lopes levou à Moça Bonita, em um domingo: Mazaropi; Rosemiro, Serginho, Ivã e João Luis; Dudu, Amauri e Marquinho; Wilsinho, Roberto e Zé Luis (Zinho).   

VASCO 6 X 1 AVAÍ-SC - No 15 de novembro de 1983, quando entregou à sua torcida o estádio Aderbal Ramos da Silva, mais conhecido por Ressacada, o alviazul catarinense convidou o "Almirante" para a sua festa. Com capacidade para 27 mil espectadores,  à Rua Tenente Calandrini, s/nº, em Florianópolis, a casa teve as suas redes inauguradas pelo vascaíno Vilson Taddei, aos 5 minutos. E ele voltou a "beijar o véu da noiva", aos 12. Aí desembestou a coisa. Marcelo, aos 19, fez o seu primeiro, e voltou ao filó, aos 40 e aos 45 do segundo tempo. No meio disso, aos 42 da mesma etapa final, Dudu havia passado por lá. Celso Bozzano apitou e, a convite de Oto Glória,  esta moçada participou e fez a festa: Roberto Costa; Edevaldo, Chagas, Nenê e Roberto Teixeira; Serginho, Oliveira (Geovani), Vílson Tadei e Ernâni (Dudu); Marcelo e Paulo Egídio (Júlio César). O Avaí foi: Gílson; Assis, Gildo (Caco), Gilberto e Tião; Careca, Bira Lopes, Osmarzinho (Zé Carlos), e Amarildo; Bizu (Décio) e Passos (Nezinho). Técnico: Ladinho.

 VASCO 3 X 0 JUVENTUDE-RES - Semifinais do Campeonato Brasileiro-1997. Em um sábado, no antigo Estádio Olímpico, em Porto Alegre, a rapaziada venceu até com tranquilidade, embora o zagueiro Odvan tivesse sido expulso de campo. Juninho Pernambucano, aos 28; Adílson (contra), aos 45, e Edmundo, aos 90 minutos, selaram o placar da partida em que os cruzmaltinos quebraram um tabu: venceram o time de Caxias do Sul, pela primeira vez, em quatro jogos do Brasileirão. Para isso, o treinador Antônio Lopes mandou a campo: Carlos Germano; Maricá (Válber), Odvan, Mauro Galvão e Felipe; Luisinho Quintanilha, Nasa, Ramon Menezes e Juninho Pernambucano (Nélson); Edmundo e Evair (Alex Pinho).  
  
VASCO 2 X 0 GRÊMIO-RS - Romário, aos 33 minutos do primeiro tempo, e Léo Lima, aos, 6 da etapa final, foram os caras que aconteceram neste pega de uma quinta-feira, pela 24º rodada do Campeonato Brasileiro-2001, em São Januário. O juiz foi Edílson Pereira de Carvalho-SP e este foi o jogo 4.842 da história vascaína – 32º entre os dois times, por Brasileirões. O treinador Paulo César Gusmão agradeceu a: Helton, Rafael (André Ladaga), Geder, João Carlos, Gilberto, Fabiano Eller, Jamir, Donizete Oliveira, Geovani (Botti), Romário  e Léo Lima (Ely Thadeu). Com o resultado, a rapaziada atingiu quatro duelos de invencibilidade diante dos gaúchos, pela competição.      

Engrossam a VASCODATA 15 de novembro: 1 x 1 Palestra Itália-SP, em 1924;  Vasco 1 x 1 Flamengo, em 1925; Vasco 2 x 2 América-RJ, em 1927;  Vasco 1 x 1 América-RJ, em 1929; 1973 - Vasco 1 X 1 Olaria; Vasco 1 x 1 Santos, em 1993

Nenhum comentário:

Postar um comentário