Vasco

Vasco

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 27 DE AGOSTO

Data de raio caindo, por duas vezes, no mesmo lugar, de bater em velho rival, em gente dos Pampas e de atravessar o Atlântico, para fazer um servicinho, também, com espanhóis. E de até tomar um caneco deles. Vejamos:
 
VASCO 3 X 0 BANGU, vitória tranquila, pelo Torneio Rio-São Paulo, em São Januário,. José Teixeira de Carvalho apitou e a rapaziada marcou os seus gols, por intermédio de Fausto e de Carreiro, no primeiro tempo, e de Quarenta, na etapa final. O inglês Harry Welfare era o treinador que escalou: Rey; Lino e Itália; Tinoco, Fausto e Gringo; Baianinho, Nenê, Quarenta, Carnieri e Carreiro.

VASCO 3 X 2 BANGU teve o adversário por mandante, no Maracanã. Jogo de bom público – 58.140 –, pela terceira rodada do Campeonato Carioca-1950, favorecido pela goleada cruzmaltina – 6 x 0 – sobre o São Cristóvão, na rodada anterior. Alberto da Gama Malcher apitou  e Ademir Menezes abriu a conta, aos 26 minutos e Tesourinha fez o segundo, aos 40. No segundo tempo, Ademir voltou à rede, aos 17. O técnico Flávio Costa escalou: Barbosa, Augusto e Wilson; Ely, Danilo e Jorge; Tesourinha, Maneca, Ademir, Ipojucan e Lima. 

VASCO 2 X 0 BOTAFOGO comprovou que Mané Garrincha não entortava fácil  a "Turma da Colina". Naquele dia, foi entortado, no Maracanã, pelo Campeonato Carioca-1960, com Delém e Pinga comparecendo ao barbante. O ex-zagueiro cruzmaltino Ely do Amparo estava como treinador e escalou: Ita, Paulinho de Almeida, Bellini e Coronel; Écio e Orlando; Sabará, Delém, Wilson Moreira, Valdemar e Pinga. A "Turma do Mané" era: Manga, Cacá, Zé Maria e Chicão; Pampolini e Nilton Santos; Garrincha, Didi, Rossi, Quarentinha e Zagallo. Técnico: Paulo Amaral


VASCO 2 X 1 CÁDIZ foi vitória, de virada, sobre  time espanhol, com gols de Bismarck, aos 34 minutos do primeiro tempo, e de William, aos 30 da etapa final. O jogo abriu caminho para a rapaziada  "relevar" para São Januário o Troféu Ramón de Carranza-1988, o que já havia feito na temporada anterior. Foi uma dos mais tradicionais disputas de verão do futebol europeu, até a década-1980, quando convidava grandes times do futebol mundial.  Homenageava um antigo presidente do Cádiz e fora idealizado pelo seu sucessor, José León, com a primeira disputas em 1955.

VASCO 3 x 1 ESPANYOL, na casa do adversário,  estava na tabela da Taça Cidade de Barcelona-1993, um outro torneio de verão europeu. Organizado pelo Español, que mudou, depois, o seu nome para a grafia acima, entre 1974/1982,  era um quadrangular. A partir de 1983, passou para jogo único, exceto em 1995, que teve triangular, com jogos de apenas 45 minutos. Nova mudança aconteceu em 1996, 1996, com o Troféu Ciutat de Barcelona passando a chamar-se Memorial Fernando Lara, em homenagem a um ex-presidente.  Mais um titulo em uma temporada de glórias, quando pintaram o bicampeonato estadual; os bi das Taça Rio e Copa Rio de Janeiro; do Torneio João Havelange, entre times cariocas e paulistas, e, ainda, o Troféu Cidade de Zaragoza, também na Espanha. No jogo citado acima, Valdir "Bigode", aos 15 e aos 23 minutos, e Carlos Alberto Dias, aos 28, chegaram no placar. Liderados pelo treinador Alcir Portela, os carregadores de taça foram: Márcio; Pimentel, Torres, Jorge Luís e Cássio; Bernardo, Geovani, William (Yan) e Carlos Alberto Dias (Leandro); Hernande (Tinho) e Valdir.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário