Vasco

Vasco

terça-feira, 14 de março de 2017

HISTORI&LENDAS VASCAÍNAS - DECÁLOGO

1- Aconteceu em 12 de dezembro de 1948. Na final do Campeonato Carioca, contra o Botafogo, que não era campeão há 13 anos, o time vascaíno encontrou o vestiário do estádio alvinegro, na Rua General Severiano, recém pintado, com cal virgem e sem água. A rapaziada ficou com os olhos ardendo. Pra piorar, a torcida, de 15 mil desalmados, atirou pó-de-mico sobre os jogadores cruzmaltinos, que terminaram caindo, por 3 x 1.

2- Em 14 de janeiro de 1951, valendo pelo campeonato da temporada anterior, o Vasco foi à forra conta os botafoguenses. Mandou 2 x 0, com dois gols de Ademir Menezes, na final, no Maracanã, sagrando-se bi. Em 1959 (também pelo campeonato do ano anterior) , o Vasco cobrou mais: 2 x 1. E, na rodada seguinte, ficou supercampeão (no 1 x 1, com o Flamengo). Em 29 de abril de 2001, o Vasco humilhou os alvinegros: 7 x 0, pelo Estadual, com três gols de Juninho Paulista, dois de Romário, um de Pedrinho e um de Euler.


3 - Em 8 de outubro de 2000, quatro jogadores vascaínos – Juninho Pernambucano, Juninho Paulista, Romário e Euller – estavam na Seleção Brasileira que goleou a Venezuela, por 6 x 0, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo-2002, no Estádio Pachencho Romero, em Maracaibo, com todos os gols da “Turma da Colina”:  Romário (4), Juninho Paulista e Euller.
Ubaldo Aquino apitou e Candinho foi o técnico destes canarinhos: Rogério Ceni (SP); Cafu (Roma), Antônio Carlos (Roma), Cléber (Cruz) e Sylvinho (Arsenal-ING); Donizete Oliveira (Cruz), Vampeta (Inter-ITA), Juninho Pernambucano (Vasco), Zé Roberto (BayLever-ALE) e Juninho Paulista (Vasco)(Ricardinho I-Cruz); Euller (Vasco) (Marques-Atl-MG) e Romário (Vasco).

4 - O Vasco estava invicto diante do "Tricolor dos Pampas", desde o 1 x 1 de 21 de julho de 2007, pelo Brasileirão,  Estádio Olímpico, em Porto Alegre. Em 9 de outubro de 2010, rolou um extraordinário 3 x 3, em São Januário. Naquela mesma temporada, houve novo empate, mas POR 1 x 1, em 19 de junho, na casa gremista, e uma goleada cruzmaltina, em 17 de setembro, por 4 x 0, na Colina. Este é o maior placar desse confronto de escores sempre apertados, desde o primeiro pela disputa nacional, em 10 de outubro de 1971.

5 - O Vasco tem várias ligações históricas com a Portuguesa da Ilha do Governador. Foi enfrentando-a que surgiu o termo "vai dar zebra", isto é, com a vitória dela, que não era a favorita, em um pega contra o "Almirante". Clube amigo do Vasco, A Lusa da Ilha convidou a rapaziada para inaugurar o Estádio do Morro dos Ventos Uivantes, como a turma apelidou a casa do clube, isto é, Estádio Luso-Brasileiro. Foi em 02.10.1965, em Vasco 2 x 0 Portuguesa, apitado por Frederico Lopes, com renda de Cr$ 10.406.500 e gols de Zezinho e Luisão (contra). Seu Zezé Moreira mandou o Vasco inaugurador de estádios rolar a bola com: Gainete; Joel, Brito, Fontana e Silas; Maranhão e Oldair; Mário, Célio, Saulzinho e Zezinho. A sua vizinha era: Wagner; Bruno e Luisão; Zózimo e Tião; Jedir e Mário Breves; Inaldo, Tito, Mauro e Zé Carlos. O técnico chamava-se Antonio Moraes.
 
6 - Temporadas de 1933 a 1940 – Alguns jogos do Vasco valeram pelo Campeonato Carioca e pelo Torneio Rio-São Paulo. Em 1990, as partidas vascaínas contra o Grêmio-RS valeram pela primeira fase da Taça Libertadores e pela Supercopa do Brasil.
 
7 - Temporada de 1997 - O Vasco negociou Edmundo, com a italiana Fiorentina, por US$ 9 milhões. O “Animal” ajudou o time a terminar em terceiro lugar na Serie A da temporada 1998/99, mas brigou com a torcida da “Viola”, por desfalcar a equipe para passar o Carnaval-1999 no Rio de Janeiro. Então, voltou para o Vasco, por US$ 15 milhões, e ficou de 1999 a 2003. Maior compra de um clube brasileiro, até então. Edmundo veio para o segundo turno do Estadual-RJ de 1999, que ajuda o Vasco a vencer, também.
 
8 - 14 de outubro de 1973 – O Santos foi ao Maracanã encarar o Vasco, pelo Campeonato Brasileiro. Era a primeira vez em que Pelé enfrentaria Roberto Dinamite, um garoto, de 19 anos, do qual se esperava tremer diante do “Rei do Futebol”. No entanto, aos 34 minutos do primeiro tempo, o lateral-direito Paulo César lançou, na medida, para o Dinamite ganhar na corrida do defensor santista Carlos Alberto Torres, e emendar, de sem-pulo, para a rede. Golaço! Pelé foi cumprimentá-lo e disse, após o jogo: “Foi o gol mais bonito que eu vi neste campeonato. Se o garoto for bem trabalhado, será um craque”.
Palavra de rei: nem o destino muda a história do futuro.

9  - Romário de Souza Faria, nascido em 29 de janeiro de 1966, no Rio de Janeiro, foi vascaíno de 1985 a 1988; de 2000 a 2002; de 2005 a 2006, e em 2007. Cria da casa, tornou-se artilheiro dos campeonatos de todas as categorias e campeão de quase todas. Na primeira passagem pela Colina, até 1988, marcou 50 gols, em 105 jogos pelas categorias de base, e 116, em 196 partidas pelo time A. Na segunda, do finalzinho de 1999 até meados de 2002, mandou 136 bolas nas redes. Na terceira, em 2005/2006, chegou aos 300 gols, como profissional vascaíno. Na última, em 2007, faltando 13 tentos para o milésimo, voltou ao Vasco. O ‘gol mil’ teve o número 313 coma camisa cruzmaltina.
 
10 - O Vasco disputou dois Torneios Extras da bola carioca: em 1934 e em 1952. Neste, chamado de Torneio Extra Carlos Martins da Rocha, entre times mistos, a denominação seria Torneio Extra de Suplentes, mas foi desprezada, por temer-se desmotivação dos torcedores. A Turma da Colina ficou em quinto lugar, no Grupo A, sem classificar-se ao quadrangular final, após 5 jogos, com uma vitória, um empate e 3 derrotas, fazendo 11 e sofrendo 11 tentos. Na primeira disputa, ao final do ano, após o campeonato da Liga Carioca de Futebol, entre os mesmos times e em três turnos, a rapaziada ficou em terceiro, com 6 vitórias, 4 empates e uma derrota, marcando 23 e sofrendo 16 gols. O Vasco abandonou a disputa, antes da última rodada do segundo turno, por estar rompido com o adversário, o Flamengo
Extra! Extra! O Almirante pulou fora do barco!
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário