Vasco

Vasco

sábado, 24 de junho de 2017

KIKE VENENO-30 - ENGRAÇADINHAS, MAS (NEM TANTO) MUITO ORDINÁRIAS

1 -  Jânio Quadros aguardava pela chegada do seu sucessor ao governo paulista, Carvalho Pinto, que já havia deixado a Assembleia Legislativa, onde assinara o termo de posse. Com fora impossível controlar os curiosos nas dependências do Palácio dos Campos Elísios, o povão assustou o cachorrinho de Tutu Quadros, sua filha. Sumido o totó, acionada a  Polícia Militar, ele foi encontrado, assustado, escondendo-se na cozinha palaciana.

 2 -  Chegado o cortejo que acompanhava Carvalho Pinto,  Jânio e o sucessor foram para o Salão Vermelho, fazer a transmissão de cargo. Com capacidade para 30 almas, o local recebia mais de 150. Encerrada a solenidade, avisaram ao “ex” que grande número de populares queria carrega-lo nas costas à saída do palácio. Jânio retrucou: “Espero que seja gente com os ombros bem macios”.

3 – “O biografo pesquisa uma história feita pelo biografado. Não cria, narra a história que não é dele, mas do biografado. Mas, a partir de quando escreve, passa a ser dono daquela história. Isso não é certo”.  Opinião do cantor/compositor Roberto Carlos, durante entrevista ao programa “Fantástico”, da TV Globo, em 2013, querendo que a legislação sobre biografias não-autorizadas tivessem “um ajuste”. 
A mais bela "Primeira Dama" brasileira  

4 – Pelos inícios das década-1990, o comunistas brasileiros estudavam banir a foice e o martelo do símbolo do partido. Indagado se a atitude poderia tirar a identidade do “PC brasuca”, o então deputado federal Roberto Freire respondeu:  “Não me preocupo com ferramentas. Não vamos criar uma nova religião” – indaga-se: desde quando martelo, foice, alicate, picareta, etc têm a ver com religião? Talvez, picareta tenha.
5 – Pouco antes da queda do presidente João Goulart, em 1964, a "Primeira Dama" Maria Teresa foi presenteada, pelo embaixador de Israel, Arieh Eshel, e seu primeiro-secretário, Aharon Ofri, com uma muda de árvore de natal trazida das colinas da de Jerusalém. A presenteada prometeu planta-la na Granja do Torto, uma das residências do presidente – a Terra Santa mandou frutos para o Cerrado.
 
6 – Ao assumir a presidência do Banco Central, em 1991, Francisco Gros disse esperar não seguir  o exemplo do antecessor, Ibrahim Eris, que havia perdido mais de 10 quilos durante o exercício do cargo. “Temo não tê-los em números suficientes para ofercê-los à nação”, justificou – sem levar em conta o salário, que poderia quebrar a balança.


Edith Cresson, a vovó cozinheira
7 -  Indicada, pelo presidente François Miterrand, em 15 de maio de 1991, Edith Cresson assumiu o cargo de primeiro-ministro. A França, porém,  que esperasse, que não fazia nada antes de preparar o café da manhã para o maridão Jacques. Pelo Natal, dava folga à empregada e fazia questão de preparar a ceia familiar, que reunia mais duas filhas e dois genros. Chegada a Páscoa,  dispensava, novamente, a assessora no fogão e ia preparar um bolo russo, à base de queijo branco e frutas cristalizadas. Em 2 de abril de 1992,  ela saiu do poder e entrou, definitivamente, para a cozinha. Em seu livro  autobiográfico (Avec le Soleil),  explicou  ser de esquerda “por aversão à direita” –  convenhamos que seria difícil um francês de direita servir à esquerda. Seguramente, em explicações político-partidárias, Edith Cresson era ótima cozinheira. Isso, quando não estava pentelhando os netos. Até pelo telefone!

8 – Na Suécia, pela tradição, a coroa – feita em 1751, de prata e ornamentada com diamantes – só pode ser  usada  se a realeza for uma mulher. A rainha Sílvia casou-se, com o Rei Carlos Gustavo, usando um diadema – Sílvia, que vivera grande parte de sua solteirice no Brasil, quando ia a Diadema, via muito coroa – alguns barrigudos e outros esqueléticos. Também, em Santo André e São Bernardo.
                      
                                           DA COR DE CARREIRA DE JEGUE

Extraterrestres-1 - A astronauta Shannon Matilda Wells Lucid foi a primeira mulher norte-americana a habitar a estação orbital russa Mir. Aconteceu em 1985. Desde 1978, servindo à NASA, ela bateu o recorde mundial de permanência feminina de um patrício lá por cima, por causa de um foguete atrasadinho. Este, encarregado de levar comida à moçada, deixou a turma sem a merenda. Que horror!  Quando nada, serviu para dar a Shannon Lucid  o recorde, de 115 dias de jejum espacial, só quebrado 12 anos depois (por Sunita Williams). Se fosse para a CLT brasileria aprecisar o caso, o marido dela teria sido demitido do emprego. Por justa causa. Passou quase quatro meses “sem comparecer ao departamento.


Helen Sharman, vestida, em "foto
divulgação"
Extraterrestres-2 – Em 18 de maio de 1991, a química inglesa Helen Sharman, de 27 anos, após vencer 13 mil concorrentes, tornou-se a terceira mulher em um voo espacial da então União Soviética – 12ª a viajar ao espaço. A missão chamou-se Juno, foi a primeira entre soviéticos e ingleses, e ela pesquisou para biotecnologia, biologia e medicina. Beleza! De errado (para os astronautas russos Sergei Krikalev, Anatoly Artesebarski, Viktor Afanasyev e Musa Maranova) só Helen trocar de roupa sem se importar com os seus olhos. O treinamento mental deles não previra  “strep-tease” espacial a bordo da Soyuz TM-12. Por falta de espaço privativo, segundo a moça. Na volta dos três, Moscou agraciou Helen, com a Ordem da Amizade Entre os Povos – ela compareceu vestida, para recebê-la.

Nenhum comentário:

Postar um comentário