Vasco

Vasco

sábado, 18 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 16, 17 E 18 DE FEVEREIRO

16.02 - Quem não tem Gato (Félix), caça com o quê? Para o Vasco, não interessa. Mas, nesses casos, o "Time da Colina" vai à caça com Dinamite.
Foi o que rolou em 16 de fevereiro de 1986. Gato Félix, o goleiro do Goytacaz, pintou na Colina, pra defender a "cidadela" (como diriam os locutores de antigamente) do time campista, mas não deu pra ser tão esperto. Três explosões do Dinamite – aos 3 e aos 18 minutos do primeiro tempo, e na penúltima bola do jogo, aos 44 do segundo, além de dois tapinhas do "Baixinho" Romário no filó, aos 15 minutos da etapa inicial e aos 24 da final, além de mais uma mordidinha de Gersinho, no segundo minuto do segundo tempo, fizeram-lhe de rato na ratoeira.
Tudo de primeira. Valeu pela primeira rodada do primeiro turno do Campeonato Estadual-RJ aquela primeira vitória vascaína na temporada, no primeiro dia da semana, o domingão.
Wilson Carlos dos Santos apitou e 6.893 almas viram tudo, em São Januário. Antônio Lopes era o treinador cruzmaltino e a sua rapaziada era: Acácio; Paulo Roberto, Donato, Moroni e Lira, Vítor, Mazinho e Gersinho; Mauricinho, Roberto Dinamite e Romário.
COSTELAS TRICOLORES - Com 20 voltas do ponteiro do relógio do árbitro Luís Carlos Félix, o glorioso Cláudio Adão arrancou a primeira costela dos tricolores. Quatro minutos depois, Roberto explodiu mais uma. E mais uma, faltando cinco minutos para o final da primeira parte da "sessão-tortura". Na segunda fase, Rômulo remou para mais uma crueldade, aos 8 minutos. Por fim, Roberto dinamitou a última vértebra da tricolada, aos 37.
Foi assim que os cruéis vascaínos escreveram a história dos 5 x 3 sobre o Fluminense, no sabadão  16 de fevereiro de 1985, pela primeira fase do primeiro turno do Campeonato Estadual do Rio de Janeiro. O clássico rolou no Maracanã e foi assistido por 18.159 pagantes.
 O meia-atacante vascaíno da década-1970, Eduardo Antunes Coimbra, o Eduzinho, era o chefe da moçada que bateu no Flu, isto é: Acácio; Edevaldo, Donato, Nenê e Aírton; Vítor, Geovani e Cláudio Adão (Oliveira); Mauricinho, Roberto Dinamite e Rômulo (Gilberto).
(Foto de Roberto Dinamite reproduzida do arquivo do Jornal de Brasília). Agradecimento.
XX       XX
17.02 -A data de 17 de fevereiro marca caneco nas prateleiras da Colina. A "Turma da Colina", em 1973, conquistou o Torneio Erasmo Martins Pedro, empatando, por 0 x 0, com o América-RJ, em jogo disputado em um sábado, em São Januário. A competição teve, ainda Botafogo e Flamengo, com a rapaziada chegado à final vencendo o Flamengo, por 1 x 0, em 10 de fevereiro, por 1 x 0, com gol de Tostão, aos 34 minutos do segundo tempo, também em São Januário.
No 0 x 0, com o "Diabo", o jogo foi apitado por José Marçal Filho, assistido por 2.252 pagantes e o O Vasco jogou com: Andrada; Paulo César, Miguel, Moisés e Pedrinho; Alcir e Zanata; Jorginho Carvoeiro (Luis Carlos, Roberto Dinamite (Luis Fumanchu), Tostão e Dé.
EX-FLUMINENSES - O Vasco rapaziada bateu dois times que, até a década-1970, eram do estado fluminense, o antigo Rio de Janeiro: 3 x 1 Cabofriense e  3 x 0 Americano.
Vasco 3 x 1 Cabofriense rolou em uma tarde de sábado, pela  quinta rodada da Taça Guanabara, em São Januário, testemunhado por 1.500 presentes. Carlos Manoel Calheiros apitou e Juninho Paulista, de bicicleta, complementando cruzamento de Clébson, abriu o placar, aos 39 minutos do primeiro tempo. No segundo, Romário fechou a conta, aos 17 e aos 23. Emocionante!
O Vasco foi mandado a campo, pelo treinador Joel Santana, com esta turma: Hélton, Clébson (Maricá), Geder, Alexandre Torres e Jorginho Paulista; Henrique (Léo), Nasa, Juninho Paulista e Pedrinho; Romário e Euller (Viola). Técnico: Joel Santana.
A vitória valeu a classificação às semifinais da Taça GB e teve um detalhe: Romário perdeu dois pênaltis, pela primeira vez: aos 14, sofrido por ele mesmo (o goleiro defendeu e a bola ainda bateu na trave) e aos 37 minutos do 1º tempo. Neste, Euller foi derrubado dentro da área, o “Baixinho” cobrou e o goleiro, novamente, defendeu. Mas emplacou o terceiro cobrado. Aos 17 minutos do 2º tempo, Euller voltou a sofrer um pênalti, que o astro não perdoou. Fora o seu primeiro gol na disputa. Com aquelas duas bolas no filó, Romário chegou aos 71 gols, em 71 jogos, desde que trocara o Flamengo pelo Vasco, em dezembro de 1999 (sem contar os jogos pela Seleção Brasileira).
 VASCO 3 x 0 AMERICANO, no 17 de fevereiro de 2002, em tarde domingueira, em São Januário, valeu pela sexta rodada do Torneio Rio-São Paulo. Edílson Soares da Silva (SP) apitou e Romário, aos 14 minutos do primeiro tempo e aos 42 do segundo, além de André Silva, aos 3 da etapa final, marcaram. Evaristo de Macedo treinava o Vasco, que alinhou: Hélton; Leonardo Moura, Géder, João Carlos e André Silva (Alex Oliveira); Bóvio, Rodrigo Souto, Léo Lima (Souza) e Felipe (Fabão); Ely Thadeu e Romáriode André Silva, aos 3 da etapa final, marcaram. Evaristo de Macedo treinava o Vasco, que foi: Hélton; Leonardo Moura, Géder, João Carlos e André Silva (Alex Oliveira); Bóvio, Rodrigo Souto, Léo Lima (Souza) e Felipe (Fabão); Ely Thadeu e Romário.


18.02 -
Válter entre o presidente Pires do técnico Flávio Costa (D)
A foto é de 18 de fevereiro de 1956, um sábado, quando o Vasco mandou 3 x 1, de virada, pra cima do no Bonsucesso, no Maracanã, durante a campanha do título carioca da temporada.
O meia Válter Marciano, autor de dois tentos, contou ao repórter da Manchete Esportiva: “Já estava encabulado com a frustração dos nossos ataques, quando fiz os gols. Como perdemos chances, minha Nossa Senhora!”. Mas enquanto Válter cobrava, seu colega Pinga o elogiava: “Que obras primas, os gols do Wálter!”.
O golaço de bicicleta de Walter
Detalhe: a grafia correta era Válter, mas a rapaziada usava com W. Quanto ao jogo,  marcou a estreia de cruzmaltinos e rubro-anis no turno decisivo do Estadual. O “Bonsuça” mexeu no placar, aos 55 segundos. O empate saiu aos 28, quando “Wálter recebeu um ótimo passe de Pinga, e, num rodopio espetacular, venceu a cidadela leopoldinense”, contou a revista. No segundo tempo, o Vasco desempatou, aos 33, com Pinga, lançado por Alvinho. Aos 39, Walter fechou a conta. “Pinga recebeu um centro de Parodi e cabeceou na trave. A bola voltou para Wálter que, numa ‘bicicleta’ espetacular selou a sorte do encontro”.
Manuel Machado apitou, a rende foi deCr$ 35 mil, 139 cruzeiros e 60 centavos. A “Turma da Colina” ateve: Hélio; Paulinho de Almeida e Haroldo; Laerte, Orlando e Beto; Sabará, Válter, Pinga, Alvinho e Parodi.  Confira a foto do gol de bicicleta, do grande Valter. 

INVITAÇO - Sete jogos e sete vitórias – 2 x 0 Americano; 3 x 1 Duque de Caxias; 3 x 1 Bangu; 2 x 0 Friburguense; 3 x 0 Volta Redonda: 2 x 1 Fluminense e 1 x 0 Boavista. Era assim se contava a trajetória cruzmaltina na fase eliminatória da Taça Guanabara. Com um cartel 100%, 21 pontos, o "Time da Colina" terminava a etapa em primeiro lugar no Grupo B, classificado para enfrentar o Flamengo (segundo do Grupo A),a, decidindo uma vaga de finalista.
O Vasco jogou com time misto, pois o técnico Cristóvão Borges queria descansar os titulares mais desgastados. Além disso, o zagueiro Rodolfo, não jogou. O gol da vitória foi marcado pelo atacante Kim, aos 34 minutos do segundo tempo da partida assistida por 1.743 pagantes. Este foi o time: Fernando Prass; Fagner, Renato Silva, Douglas e Max; Nilton, Eduardo Costa, Diego Rosa e Diego Souza (Jonathan); Willian Barbio (Johncley) e Alecsandro (Kim). Técnico: Cristóvão Borges.

PIAUIPIURRA - No  18 de fevereiro, o Flamengo do Piauí, também, achou de pintar diante da “Turma da Colina”. E, por duas vezes apanhou muito: 5 x 0, em 2004, e 4 x 1, em  2009. Em ambas, voou da Copa do Brasil, e na primeira fase.
O primeiro desses jogos rolou em uma quarta-feira à noite, em São Januário. Como a galera não botava muita fé no time visitante, só pintaram nas bilheterias 418 pagantes, que deixaram a graninha de apenas R$ 2.090,00, que deu “pra comprar as bolas da goleada”. Cleber Wellington Abade (SP) apitou e os “sacodes” vascaínos começaram com Marcelinho Carioca, aos  16 minutos do primeiro tempo. No segundo,  Morais, aos 3; Ygor, aos 17; Valdir, aos 20, e Victor Boleta, aos 38, acabaram de arrochar os rubro-negros piauienses. Geninho era o comandante da rapaziada impiedosa, que era:  Fábio, Claudemir, Wescley (Fabiano), Santiago (Coutinho) e Victor Boleta; Ygor, Rodrigo Souto, Morais (Léo Macaé), e Robson Luis; Marcelinho Carioca e Valdir ‘Bigode”.
O segundo pancadão foi em uma nova noite e quarta-feira, daquela vez no Estádio Alberto Silva, em Teresina, jogo de ida. Francisco de Assis Almeida Filho (CE) pegou o apito e mandou o time do técnico Dorival Júnior dar novas saídas de bola, pro causas dos gols de Jéferson, aos 9, e de Élton, aos 25 minutos do primeiro tempo, bem como os de Paulo Sérgio, aos 23 da etapa final, quando Élton voltou ao filó, aos 43.
A turma da pancada foi: Tiago; Paulo Sérgio, Fernando, Titi e Ramon; Amaral, Nilton, Jéferson (Mateus) e Carlos Alberto (Alex Teixeira); Rodrigo Pimpão (Faioli) e Élton.

Nenhum comentário:

Postar um comentário