Vasco

Vasco

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 26, 27 e 28 DE FEVEREIRO

26 DE FEVEREIRO  -  A data é “tri” para os cruzmaltinos; 3 x 0 Goytacaz-RJ; 3 x 1 Madureira e 3 x 1 Uberlândia. Trilegal!

Vasco 3 x   Uberlândia foi um amistoso dominical, em 1978,  na casa do convidante, o Parque do Sabiá, no Triângulo Mineiro. Tudo “tri”.  Paulinho (2) e Roberto Dinamite balançaram as redes, com o Vasco, treinado por Orlando Fantoni, jogando com: Mazaropi; Gaúcho, Marcelo, Geraldo e Marco Antônio; Zé Mário, Paulo Roberto e Guina; Capitão, Roberto Dinamite e Paulinho.

Vasco 3 x 1 Madureira  rolou pela 10ª rodada da primeira fase do Estadual-RJ-2003, no estádio da Rua conselheiro Galvão, na tarde de uma quarta-feira. Marcelinho Carioca, aos 29, e Edinho, aos 35 minutos, balançaram o filó, no primeiro tempo. Petkovic, aos 16 da fase final, fechou a escritura. Antônio Lopes era o treinador e o time foi: Fábio; Wellington Monteiro, Alex, Wellington Paulo e Edinho (Claudemir); Bruno Lazaroni, Henrique (Rodrigo Souto)e Petkovic; Marcelinho Carioca, Valdir e Sousa (Cadu).

 DUNGA CRUZMALTINO - Carlos Caetano Bledorn Verri, o volante Dunga vestiu a camisa cruzmaltina, pela primeira vez, em 26 de fevereiro de 1987, diante do Goytacaz, de Campos-RJ. Na estreia, já foi advertido com o cartão amarelo – o único do time – e não atuou por todo o jogo, sendo substituído por Mazinho.
Repetidor do gesto, de 1958, do zagueiro vascaíno Bellini, na Copa do Mundo da Suécia, Dunga ergueu a "taça do mundo”, em 1994, como o capitão da Seleção Brasileira do Mundial dos Estados Unidos. Pela “Turma da Colina” fez 17 jogos e um gol.
Na estreia, Dunga viu o lateral-esquerdo Lira, aos 25, e  Vivinho, aos 42 minutos do primeiro tempo, e  Romário, aos 10 do segundo, balançando o filó. O jogo rolou em São Januário, valendo pelo Campeonato Estadual do Rio de Janeiro, teve apito de Aluísio Viug e  público de 1.499 pagantes. Quem comandava a rapaziada era o ex-zagueiro da Cruz de Cristo, Joel Santana, que escalou: Acácio; Milton Mendes, Moroni, Donato e Lira; Dunga (Mazinho), Geovani e Vivinho; Mauricinho, Romário e Zé Sérgio (William).

DESFILES BANGU -  A data 26 e fevereiro marca, também, a vitória, por 1 x 0, sobre o Bangu, em 1966, pelo  Torneio Rio-São Paulo, em um sábado, no Maracanã. O ex-vascaíno Roberto Pinto, contra as próprias redes, marcou o gol do jogo apitado por José Aldo Pereira, que teve 13.964 pagantes. O Vasco era dirigido por “Seu Zezé Moreira”, que escalou: Pedro Paulo; Joel, Brito, Fontana e Oldair,  Maranhão e Lorico; Luisinho, Danilo Menezes, Célio e Zezinho.  
Vasco e Bangu se encontraram em cinco ocasiões, pelo Torneio Rio-São Paulo. Foi um desfile, isto é, um passeio vascaínos, com goleadas por 5 x 0 e 5 x 1. Confira: 28.05.1933 0 – Vasco 2 x 1; 27.08.1933 – Vasco 3 x 0; 11.03.1951 – Vasco 4 x 3; 06.02.1952 – Vasco 3 x 3 Bangu; 10.05.1953 – Vasco 5 x 0; 03.05.1964 -  Vasco 1 x 2 Bangu; 26.02.1966 – Vasco 1 x 0; 07.04.2002 – Vasco 5 x 1 Bangu.   

VASCO 3 X 0 GOYTACAZ - 
                                                                    .........................
 27 de fevereiro - Tem sido, para o Vasco, aquilo que todo time deseja: só vitórias. Goleada, por 5 x 0, sobre o Sergipe, amistosamente, em 1992, e jogo durom 3 x 2, contra outro sergipano, o Itabaiana, pela  Copa do Brasil der 2008. O calendário registra, também vitórias sobre outros dois clubes nordestinos: Ferroviário, do Ceará, o “Ferrim”, por 3 x 1, em 1983, e o pernambucano Santa Cruz, também, “duro de matar”, em 2002, por  1 x 0, o mesmo aplacar da vitória de 1964, sobre o Cruzeiro. E o mais importante: duas pancadas sobre o Fluminense (2 x 0, em 1977, e 2 x 1, em 2005), e uma pra cima do Flamengo (3 x 1, em 1994).
VASCO 3 X 1 FLAMENGO, em 27 de fevereiro de 1994, em um domingo, valeu pela quinta rodada do Estadual-RJ, com público espetacular: 107.999 presentes ao Maracanã, escutando o apito de Aloísio Viug. 
O ex-meia vascaíno Jair Pereira era o treinador e os gols foram marcados por Valdir ‘Bigode’, aos 12 minutos do primeiro tempo e aos 33 do segundo, aprontou. Da mesma forma que, Yan, aos  32 da etapa inicial. A rapaziada foi: Carlos Germano: Pimentel, Alexandre Torres, Ricardo Rocha e Sidnei; Leandro Ávila, Luisinho (Hernande), Yan (William) e França; Valdir e Dener, que foi expulso de campo
VASCO 2 X 0 FLUMINENSE, em 27 de fevereiro de 1977, foi um amistoso dominical, no Maracanã. Naquela tarde de verão escaldante, o detalhe ficou por conta do público pagante: 22.202. Tudo no dois – menos a renda: Cr$ 563.865,00.
O espanhol Segundo Bello Blanco apitou e os gols vascaínos foram marcados por Orlando, aos 27 minutos do primeiro tempo, e Luís Fumanchu, aos 7 do segundo, cobrando pênalti. Orlando  Fantoni era o treinador e o time aaateve: Mazaropi; Orlando 'Lelé', Abel, Geraldo e Luís Augusto; Zé Mário e Zanata; Luis Fumanchu, Ramon (William), Dirceu e João Paulo (Wilson).
VASCO 2 X 1 FLUMINENSE, em 27 de fevereiro de 2005, no mesmo “Maraca”, valeu pela segunda rodada Campeonato Estadual, com público dobrado: 45.892 pagantes e total de 54.214 presentes. A renda foi de R$ 310.952,00 e o apito de Edílson Soares da Silva (RJ).
O clássico rolou em um domingo e os tentos cruzmaltinos foram marcados por Aelxc Dias, aos 8 minutos do primeiro tempo, e Romário, aos 3 do segundo. Joel Santana era o treinador e o time foi: Cássio; Thiago Maciel, Fabiano, Daniel e Ricardinho; Ygor (Rubens), Gomes, Allan Delon (Rafael Nascimento) e Robson Luís;Aelx Dias e Romário (Marco Brito).
NORDESTIANOS -  Quando a “Turma Cruzcristense” – usa na faixa diagonal a cruz da Ordem de Cristo, que foi usada, também, pela Ordem de Malta –  se deparar com times nordestinos, nos 27, “sai da frente; sai de baixo; salta de banda” com o povo fala, com o apoio do escritor Antônio Cândido de Carvalho, para quem a língua tem que ser como a galera sapeca, e, não, como os gramáticos normatizam.
Em se tratando bokla, de perigos cruzcristenses ou cruazmaltinos – tá tudo em casa, segundo a História –, pergunte a Sergipe, Ferroviário-CE e Itabaiana se eles gostaram do que viram! Agora, nós é quem vamos ver. Desça de parágrafo, ”xi faz favoire”, como dizem os nossss amigos lusitanos.
 VASCO 5 X 0 SERGIPE  foi no Estádio João Hora Filho, em Aracaju, em uma quinta-feira. Um mês e um dia depois de estear no time principal vascaíno, Edmundo marcava o seu primeiro gol. Era  27 de fevereiro de 1992, no amistoso em que o Vasco goleou o Sergipe, amistosamente, no estádio Lourival Batista, em Aracaju.
O ‘Animal” foi à rede aos 23 minutos do primeiro tempo, quando Bebeto, aos 14 e aos 21 minutos, já havia passado por lá – Luisinho, aos 32, ainda da etapa inicial, e Júnior, fechando as cortinas, aos 45 da segunda etapa, completaram a balaiada.
Sidrack Marinho dos Santos (SE) apitou e o Vasco, escalado por Nelsinh Rosa, foi: Régis; Luis Carlos Winck (Dedé), Alexandre Torres (Tinho), Jorge Luís e Eduardo; Luisinho, Flávio e Bismarck (Júnior); Edmundo, Bebeto (Roberto Dinamite) e William. 

VASCO 3 x 0 FERROVIÁRIO, em 27 de fevereiro de 1983,  valia pela primeira frase do Campeonato Brasileiro.  Era uma tarde de domingo e a “Turma da Colina” fez um forró em cima do “Ferrim”. Até ali, nada demais. Afinal, a rapaziada já havia mandado 4 x 0 nos tricolores cearenses em 1960, amistosamente. Além disso, do total de cinco tertúlias entre eles, os cruzmaltinos botaram pra dançar em quatro e empataram só a primeira, em 1955.

O esquisito mesmo foi o público anunciado, de 50.090 almas. Exagero! A não ser que teve gente em cima das marquises do estádio, do telhado, e afins.
Muito bem! Bola rolando?  Elói, aos 45 minutos do primeiro tempo, e aos 27 do segundo, além de Pedrinho, aos 34, também da fase derradeira, sacudiram a sanfona nas redes do “Forroviário”. O ”Delega” Antônio Lopes aprumou o xaxado de sua patota, que tinha no salão: Acácio; Galvão, Chagas, Celso e Pedrinho; Dudu (Paulo César), Serginho e Eloi; Jussiê, Roberto Dinamite e Almir (Marquinho).  Antônio de Pádua Sales apitou e a grana atingiu Cr$ 5.567.500,00.
VASCODATA: 27.02.1964 – Vasco 1 x 0 Cruzeiro-MG; 27.02.1977 - Vasco 2 x 0 Fluminense; 27.02.1983 – Vasco 3 x 1 Feroviário-CE; 27.02.1985 – Vasco 1 x 0 Guarani de Campinas-SP; 27.02.1992 – Vasco 5 x 0 Sergipe; 27.02 – 1994 – Vasco 3 x 1 Flamengo; 27.02.2002 – Vasco 2 x 1 Santa Cruz-PE; 27.02.2005 - Vasco 2 x 1 Fluminense; 27.02.2008 – Vasco 3 x 2 Itabaiana-SE.
                                                     ...........................................

28 DE FEVEREIRO - O Vasco bateu de mais e de menos na data 28 de fevereiro. Fast Clube-AM, América-RJ, Friburguense, Fluminense e Santos foram as vítimas. Contra este último, em 1999, o Vasco começou a decidir  o título do Torneio Rio-São Paulo,  que a  “Tuma da  Colina” já havia papado, em 1958 e em 1966, neste último ano dividido com o próprio "Peixe", além de Botafogo e Corinthians, por falta de datas para um triangular decisivo, já que a então Confederação Brasileira de Desportos precisava iniciar os treinos do time canarinho que iria à Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra.  Diante do Flu, em um sábado, no Maracanã, o jogo foi amistoso, com Zandonaide marcando os dois tentos para o time então dirigido por Zagallo. Vamos ver o que aconteceu:

VASCO 6 X 0 FAST - Este "pancadaço" sobre o time manauara é o maior placar vascaíno na data. Rolou em 2007, em uma quarta-feira, em São Januário, pela Copa do Brasil. Os amazonenses tentaram se segurar no primeiro tempo, mas foram foi buscar a bola no filó aos 43 minutos, quando o baixinho Romário se invocou.  Na volta do intervalo, porém, não teve jeito. Wagner Diniz, aos 14; Leandro Amaral, aos 21; Romário, de novo, aos 31; Leandro Amaral, aos 35, e Renato, aos 37 minutos, completaram o serviço apitado por Rogério Pereira da Costa-MG e conferido por 836 testemunhas. Renato “Gaúcho” Portaluppi era o treinador vascaíno e estas a sua turma: Cássio; Wagner Diniz (André Dias), Dudar, Fábio Braz e Diego (Macelinho); Amaral, Roberto Lopes, Conca e Morais (Renato); Leandro Amaral e Romário.
 VASCO 3 x 1 SANTOS rolou em um domingo, no Maracanã, com apito de Paulo César Oliveira-SP, trilado apara 94.500 almas, qu viram Mauro Galvão abrir o placar, aos 15 minutos do primeiro tempo – no segundo, Juninho Pernambucano, aos 20, e Zezinho, aos 26 acabaram de enfiar o arpão no "Peixe", por determinação do “Delegado”  Antônio Lopes. A turma da isca foi: Carlos Germano; Zé Maria, Odvan, Mauro Galvão e Felipe; Nasa, Paulo Miranda (Alex), Juninho e Ramon (Alex); Donizete e Luizão.

VASCO 3 X 1 AMÉRICA, em 1982, teve mais gente, em um domingo de Maracanã festivo: 47.164 pagantes. O zagueiro Rondinelli, aos 28, e Dudu, aos 31 minutos do primeiro tempo, começaram a tocar fogo no "Diabo". Aos 27 do segundo, Roberto acabou de dinamitar a fera rubra. Antônio Lopes continuava no comando do time, que endiabrou-se por causa de: Mazaropi; Rosemiro, Rondinelli, Ivan e Pedrinho; Dudu (Da Costa), Marquinho e Serginho; Wilsinho, Cláudio Adão e Roberto Dinamite.

VASCO 3 X 0 FRIBURGUENSE, em 1988, o 28 de fevereiro caiu, também, em um domingo. E o Vasco foi para o Estádio Eduardo Guinle, valendo pela Taça Guanabara. Sob  o testemunho de 7.296 torcedores, que sentavam-se se levantavam-se das arquibancadas sempre que  Aloísio Viug autorizava novas saídas de jogo -  Romário, aos 26 e aos 43 minutos do primeiro tempo, e aos 44 da etapa final, patrocinou o "mexa-se" da galera. 
Por aquela época, o comandante da rapaziada era Sebastião Lazaroni, que ouriçou esta moçada: Acácio; Cocada, Célio Silva, Fernando e Lira; Zé do Carmo, Geovani e Dirceu; Vivinho (Mauricinho), Romário e Bismarck (Josenilton).  Quatro anos depois, o Friburguense voltou a apanhar do Vasco, mas, por apenas 1 x 0, em São Januário, pela sétima rodada da Taça GB, com Souza comparecendo à caçapa.





Nenhum comentário:

Postar um comentário