Vasco

Vasco

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

CALENDÁRIO DA COLINA - 28 DE FEVEREIRO

O Vasco bateu de mais e de menos na data 28 de fevereiro. Fast Clube-AM, América-RJ, Friburguense, Fluminense e Santos foram as vítimas. Contra este último, em 1999, o Vasco começou a decidir  o título do Torneio Rio-São Paulo,  que a  “Tuma da  Colina” já havia papado, em 1958 e em 1966, neste último ano dividido com o próprio "Peixe", além de Botafogo e Corinthians, por falta de datas para um triangular decisivo, já que a então Confederação Brasileira de Desportos precisava iniciar os treinos do time canarinho que iria à Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra.  Diante do Flu, em um sábado, no Maracanã, o jogo foi amistoso, com Zandonaide marcando os dois tentos para o time então dirigido por Zagallo. Vamos ver o que aconteceu:

VASCO 6 X 0 FAST - Este "pancadaço" sobre o time manauara é o maior placar vascaíno na data. Rolou em 2007, em uma quarta-feira, em São Januário, pela Copa do Brasil. Os amazonenses tentaram se segurar no primeiro tempo, mas foram foi buscar a bola no filó aos 43 minutos, quando o baixinho Romário se invocou.  Na volta do intervalo, porém, não teve jeito. Wagner Diniz, aos 14; Leandro Amaral, aos 21; Romário, de novo, aos 31; Leandro Amaral, aos 35, e Renato, aos 37 minutos, completaram o serviço apitado por Rogério Pereira da Costa-MG e conferido por 836 testemunhas. Renato “Gaúcho” Portaluppi era o treinador vascaíno e estas a sua turma: Cássio; Wagner Diniz (André Dias), Dudar, Fábio Braz e Diego (Macelinho); Amaral, Roberto Lopes, Conca e Morais (Renato); Leandro Amaral e Romário.
 
 VASCO 3 x 1 SANTOS rolou em um domingo, no Maracanã, com apito de Paulo César Oliveira-SP, trilado apara 94.500 almas, qu viram Mauro Galvão abrir o placar, aos 15 minutos do primeiro tempo – no segundo, Juninho Pernambucano, aos 20, e Zezinho, aos 26 acabaram de enfiar o arpão no "Peixe", por determinação do “Delegado”  Antônio Lopes. A turma da isca foi: Carlos Germano; Zé Maria, Odvan, Mauro Galvão e Felipe; Nasa, Paulo Miranda (Alex), Juninho e Ramon (Alex); Donizete e Luizão.

VASCO 3 X 1 AMÉRICA, em 1982, teve mais gente, em um domingo de Maracanã festivo: 47.164 pagantes. O zagueiro Rondinelli, aos 28, e Dudu, aos 31 minutos do primeiro tempo, começaram a tocar fogo no "Diabo". Aos 27 do segundo, Roberto acabou de dinamitar a fera rubra. Antônio Lopes continuava no comando do time, que endiabrou-se por causa de: Mazaropi; Rosemiro, Rondinelli, Ivan e Pedrinho; Dudu (Da Costa), Marquinho e Serginho; Wilsinho, Cláudio Adão e Roberto Dinamite.

VASCO 3 X 0 FRIBURGUENSE, em 1988, o 28 de fevereiro caiu, também, em um domingo. E o Vasco foi para o Estádio Eduardo Guinle, valendo pela Taça Guanabara. Sob  o testemunho de 7.296 torcedores, que sentavam-se se levantavam-se das arquibancadas sempre que  Aloísio Viug autorizava novas saídas de jogo -  Romário, aos 26 e aos 43 minutos do primeiro tempo, e aos 44 da etapa final, patrocinou o "mexa-se" da galera. 
Por aquela época, o comandante da rapaziada era Sebastião Lazaroni, que ouriçou esta moçada: Acácio; Cocada, Célio Silva, Fernando e Lira; Zé do Carmo, Geovani e Dirceu; Vivinho (Mauricinho), Romário e Bismarck (Josenilton).  Quatro anos depois, o Friburguense voltou a apanhar do Vasco, mas, por apenas 1 x 0, em São Januário, pela sétima rodada da Taça GB, com Souza comparecendo à caçapa.
 
 

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário