Vasco

Vasco

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

HISTORI&LENDAS DA COLINA - GOLEIROS

3 - O primeiro goleiro gringo cruzmaltino foi o paraguaio Víctor Gonzalez, que defendeu o clube nos anos de 1954 e 55, mas posteriormente se transferiu para o Fluminense. O segundo foi o argentino Errea. O terceiro marcou época na Colina. O também argentino Andrada, um dos heróis do primeiro título brasileiro do clube, o Brasileirão-1974. Foram sete anos defendendo as redes do Vasco, tempo suficiente para se tornar ídolo e uma referência do time na década-1970. Trinta anos após os vascaínos levantarem a primeira taça de campeão nacional, o clube voltou a apostar em um estrangeiro para o gol. O sérvio Tadic aportou em São Januário por indicação de seu compatriota Petkovic, que na época vestia a 10 vascaína. Fracasso. Com atuações muito aquém do esperado, deixou o clube poucos jogos depois. Quase quatro décadas após o sucesso de Andrada, um sul americano voltou a vestir a camisa 1, o uruguaio Martín Silva

2 - O último grande goleiro feito em São Januário, Hélton, esteou com titular em 3 de agosto de 1999, diante do uruguaio, pela antiga Copa Mercosul, que virou Copa Sul-Americana. De lá para cá, todos os goleiros utilizados vieram de outras equipes. A lista pós-Helton: Fábio - revelado no União Bandeirantes-PR;  Cássio - revelado no Olaria-RJ; Tadic - sérvio; - Éverton - tirado do Volta Redonda-RJ; - Fabiano Borges - saído do Criciúma-SC;  Elinton -buscado no Bangu; Erivélton, ex-Americano-RJ; Roberto - ex-Criciúma-SC; - Sílvio Luís - ex-São Caetano-SP; Tiago - ex-Portuguesa de Desportos-SP; Rafael - ex-Itumbiara-GO; Fernando Prass - repatriado doo União Leiria-POR; - Alessandro - ex-Grêmio-RS;  Michel Alves - ex-Criciúma; Diogo Silva - ex-Nova Iguaçu-RJ; Martín Silva - ex-Olímpia-PAR.
3 - Em 16 de março de 2008, o Almirante esperou, em SãoJanuário,  pelo Cardoso Moreira, e mandou 4 x 1, pelo Estadual-RJ. Era a quarta vitória consecutiva pela Taça Rio, deiando-a líder do Grupo B, com 100% na caçapa. Aos nove minutos, o lateral-direito Wagner Diniz sofreu pênlaiti e a galera pediu cobrança pelo goleiro Tiago. Mas foi Edmundo quem faturou.  Aos 14, Alan Kardec aumentou a conta. Aos 20 do segundo tempo, o adversário diminuiu e tirou a invencibilidade de Tiago, de 360 minutos sem levar gols no returno. Aos 26, novo pênalti favorável ao Vasco da Gama. Então, Edmundo pegou a maricota e chamou o goleiro pra bater. Tiago vacilou, porque Morais o impedira de cobrar um, no jogo anterior. A torcida, então, exigiu. Tiago bateu, converteu, os companheiros o abraçaaram e todos gritaram os nomes dele e de Edmundo (pelo gesto). Era o segundo gol por pênalti  batido por Tiago. O primeiro fora diante do Mesquita, em 26 de janeiro do mesmo 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário