Vasco

Vasco

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

CENTENÁRIO DO FUTEBOL VASCAÍNO

O Club de Regatas Vasco da Gama celebra, hoje,  o centenário da criação do seu departamento de futebol. Surgido, em 21 de agosto de 1898, a agremiação se dedicou, inicialmente, só ao remo, tendo como primeiros barcos as canoas Vaidosa, Volúvel, Vítria e Loca.
 Da primeira vez em que colocou “bola no pé”, o “Almirante” levou 10 x 1, do Paladino, em 3 de maio de 1916, pelo Campeonato Carioca da Terceira Divisão, promovido pela Liga Metropolitana de Sports Athléticos.  A partida foi no campo do Botafogo, na Rua General Severiano,  e a primeira bola cruzmaltina na rede foi mandada por Adão Antônio Brandão.  A  primeira vitória só rolou em 29 de outubro do mesmo ano, 2 x 1, pela mesma disputa, sobre o River, que atuou com nove jogadores, no campo do São Cristóvão, à Rua Figueira de Mello.
Em seu primeiro Carioca, o Vasco fez nove jogos, perdendo oito. Marcou 10 e sofreu 37 tentos. Além de ter vencido o River, ganhou, por W x O, do SC Brasil, na última rodada, em jogo que deveria ser em General Severiano. Anote os primeiros placares vascaínos: 13.05.1916 – 1 x 10 Paladino; 13.05 – 1 x 5 Brasil; 28.05 – 0 x 4 Icarahy;  14.07 – 2 x 4 Parc Royal; 16.07 – 3 x 4 River; 03.09 – 0 x 2 Paladino; 07.09 – 0 x 3 Parc Royal; 22.10 – 1 x 4 Icarahy; 29.10 – 2 x 1 River;  05.11 – W x 0 Brasil.  

SURGIU! – Após várias reuniões, em uma salinha do sobrado Nº 80 da Rua Teófilo Ottoni, 63 desportistas se reuniram, em 21 de agosto de 1898, no Clube Dramático Filhos de Talma, à Rua da Saúde Nº 293 (atual Sacadura Cabral) e fundaram Um clube náutico, elegendo presidente Francisco Gonçalves Couto Júnior. Em 29 do mesmo mês, a primeira diretoria foi empossada, na sede da Estudântica Arcas, no Largo do Crismpim, desaparecido para o surgimento da Avenida Presidente Vargas.
Oito dias depois da posse, já havia uma sede provisória, no Largo da Imperatriz, demolido para a construção do cais do porto do Rio de Janeiro. Passado um mês, a turma estava com uma garagem de barcos na Ilha das Moças, na praia Formosa, também desaparecido com o aterro do cais do porto.
 Um ano depois da fundação, rolava a primeira crise política cruzmaltina. Cinco figuras fortes da fundação – Francisco, Antônio, Adolfo, José, o Juca, e Alfredo, todos da família Couto –  desentenderam-se com os colegas e abandonaram o Vasco, para formar o Clube de Regatas Guanabara. Foram embora, levando junto todos  os barcos do clube, que lhes pertenciam
Os Couto deixaram o Vasco, porque a sua proposta, de mudança de endereço, para Botafogo, fora derrotada, em assembleia. Mesmo assim, quando uma grande maré derrubou a ponta, de 20 metros, que ligava a Ilha das Moças ao continente, eles demonstraram amor ao Vasco, mandando reconstruir uma ponte maior, com 80 metros, em três dias, tudo por sua conta. O restante da história você tem companhado aqui, pelo “Kike”.  
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário