Vasco

Vasco

sábado, 4 de junho de 2016

O VASCO NOSSO DE CADA DIA - 04.06

No calor do território africano e no calor da vitória, o Vasco rubranilou, desfogou e "campuscou" adversários nos 4 de junho. De quebra, tirou veneno de cobra. Esquisito? Veja o que aconteceu: 

VASCO 1 X 0 BONSUCESSO foi jogo do Campeonato Carioca-1939, em São Januário, com o tento cruzmaltino marcado pelo uruguaio Villadoniga. Os rubro-anis são fregueses de caderneta. 

VASCO 4 X 1 AL-MOURADA-SUD -  Em 1963, a "Turma da Colina" excursionava pelo continente africano. Fazia grande campanha, vencendo todos os adversários, com 19 gols, em sete jogos. Foi quando pegou pela frente o time do Sudão, em Klarium, em uma terça-feira, 4 de junho. Mais uma vez, não teve perdão. Mandou 4 x 1. Antes, havia vencido estes adversários: 05.05 - 3 x  0 Stade Abidjan, da Costa do Marfim; 09.05.1963 - 3 x  0 Kotoco, de Gana, em Kumasi; 25.05.1963 -  6 x  0 Seleção da Nigéria, em Lagos; 26.05 -  3 x  1 Seleção África Ocidental, em Ibadan, na Nigéria; 29.05 - 2 x  1 Seleção da Nigéria, em Lagos. No meio disso tudo, houve, ainda, um empate, por 0 x 0, com o  Real Republicans, de Gana, em Accra.

VASCO 2 X 0 BOTAFOGO valeu pelo Campeonato Carioca-1969, em uma quarta-feira, no Maracanã. Acelino, aos 38, e Nei Oliveira, aos 73 minutos, mexeram-no placar. Amílcar Ferreira apitou o clássico, que levou um bom público ao estádio,  82.468 pagantes. A rapaziada era treinada por Evaristo de Macedo e Vasco às custas de: Andrada, Fidélis, Moacir, Orlando e Lourival; Buglê, Benetti e Alcir; Nei, Bianchini (Valfrido) e Acelino. 
 
VASCO 2 X 0 CAMPO GRANDE-RJ - Pelo mesmo placar acima, o batido foi o "Campusca", no Estadual-1975, também, em uma quarta-feira, mas em São Januário. Roberto Dinamite e  Paulo César construíram o placar do jogo presenciado por 1.979 almas e apitado por José Marçal Filho. Mário Travaglini era o comandante da rapaziada, que foi: Andrada: Paulo César, Miguel, Renê e Celso Alonso; Alcir e Zanata; Carlinhos (Edu Coimbra), Roberto Dinamite, Dé (Jair Pereira) e Luiz Carlos Lemos.

VASCO 2 X 1 SANTA CRUZ-PE, em um domingo, em São Januário, foi vitória  importante porquê? Porque o “Almirante” afundou um tabu, de quatro jogos, sem vitórias contra a “Cobra Coral” pelo Brasileirão unificado. Aconteceu, em 2006, por um campeonato de fase única, com gols marcados por Abedi, aos 7, e por Ramon, aos 69 minutos. Renato “Gaúcho” Portaluppi era o teinador e o time reuniu:Cássio; Wagner Diniz, Fábio Brz, Jorge Luis e Diego Corrêa; Andrade, Morais, Abedi (Eder) e Ramon (Alberoni);  Valdiram (Ernani) e Faioli.                                                                 
                                                                EXCESSÃO-2

 VASCO 0 X 0 SELEÇÃO OLÍMPICA  é mais uma exceção aberta por aqui, onde são registradas só vitórias. Motivo?  Em 4 de junho de 1972, a "Turma da Colina" inaugurou o Estádio João Cláudio de Vasconcelos Machado, o "Machadão", em Natal-RN. Luís Meirelles apitou, 37.246 presenciaram e o time vascaíno foi armado, pelo treinador Mário Travaglini, com: Andrada; Haroldo, Miguel, Moisés e Eberval; Édson, Suíngue e Marco Antônio; Jorginho Carvoeiro, Silva e Gílson Nunes. Técnico: Mário Travaglini.  A garotada olímpica  era: Nielsen; Aloísio (Terezo), Abel, Wagner e Celso; Fred, Dirceu e Zé Carlos; Pedrinho, Tuca e Manoel. Técnico: Antoninho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário