Vasco

Vasco

sexta-feira, 10 de junho de 2016

O VASCO NOSSO DE CADA DIA - 10.06

O 10 de junho emplaca na história vascaína como data bem ao estilo do espírito do "Almirante", repleta de emoções. A galera comemorou goleadas e rangeu os dentes com placares apertados. Faz parte! 
VASCO 3 X 2 SÃO CRISTÓVÃO é uma boa lembrança do primeiro título da rapaziada na elite do futebol carioca. O placar foi apertado, mas o jogo esteve pra lá de emocionante. 
VASCO 2 X 0 BOTAFOGO - Em 1944, rolava o Torneio Municipal. O Vasco, que ainda não tinha aquela taça, se aproximava dela, fazendo grande campanha. Tropeçara no São Cristóvão (1 x 2), mas vencera Fluminense (3 x 1); Canto do Rio (2 x 1); Madureira (5 x 3); Bonsucesso (3 x 0) e América (3 x 2). Se passasse pelo Botafogo, ficaria faltando atropelar só Bangu e Flamengo.  O duelo com os alvinegros foi nas Laranjeiras, em um sábado. Nesta disputa entre 10 times, em turno único, por pontos corridos, Alfredo e Isaías “estufaram os cordões da cidadela alvinegra”, como falavam os antigos ‘speekersr’.  Na matéria do próximo dia 24 leremos sobre a conquista, que foi em cima do Flamengo e constou de 7 vitórias, um empate e só uma queda, com Isaías sendo um dos matadores da disputa, totalizando 10 dos 23 gols marcado pelo time, que tinha por base: Oncinha, Rubens e Rafanelli; Alfredo (Figliola), Berascochea e Argemiro; Djalma, Lelé, Isaías, Jair (Ademir) e Chico.
 CONFRONTO – Confira a lista do jogos Vasco x Botafogo pelo Torneio Municipal: 16.06.1938 – Vasco 2 x 1; 10.07.1938 – Vasco 2 x 5; 22.05.1943 – Vasco 0 x 2; 10.06.1944 - Vasco 2 x 0; 03.06.1945 – Vasco 5 x 3; 21.04.1946 – Vasco 1 x 1 Botafogo; 31.05.1947 – Vasco 0 x 4 Botafogo; 13.06.1948 – Vasco 2 x 2 Botafogo; 20.06.1951 – Vasco 0 x 3.
PREFEITÃO -  O Torneio Municipal foi criado, pela Prefeitura do Rio de janeiro, em 1938, colocando em disputa a Taça Prefeitura do Distrito Federal, já que a capita brasileira da época era a “Cidade Maravilhosa”. O torneio, no entanto, quase foi inviabilizado, pelas dificuldades do calendário do futebol carioca. Assim ficou esquecida entre 1939 a 1943. Voltou em 1944, e teve seis sequências. Em 1949 e em 1950 voltou ao esquecimento, para ter a sua última disputa em 1951.
VASCO 3 X 1 MADUREIRA -  Três pegas, três pancadas no “Tricolor Suburbano”  nos 10 de junho. Começando por 1945, este foi do Torneio Municipal, em um domingo, em General Severiano. Berascochea e Djalma marcaram os tentos cruzmaltino, no sétimo e antepenúltimo jogo da corrida pelo caneco. Antes, a rapaziada distribuíra “sacodes” em cima de Bangu (3 x 0); São Cristóvão 6 x 1); Flamengo (5 x 1); Bonsucesso (6 x 0)  e Botafogo (5 x 3). Só pegara leve contra o Canto do Rio (2 x 1). Derrubando o “Madura”, ficava faltando só Fluminense e América para a rapaziada – o time-base era: Barcheta, Augusto e Sampaio (Rubens); Berascochea, Nilton (Dino) e Argemiro; Santo Cristo, Lelé, João Pinto (Isaías), Ademir Menezes (Jair Rosa Pinto) e Chico – carregar o caneco.  
 VASCO 5 X 0 FERROVIÁRIA DE ARARAQUARA - O clube paulsita procurava uma grande atração, de preferência a maior sensação do futeol brasileiro, para inaugurar o Estádio Doutor Adhemar Pereira de Barros, a chamada “Fonte Luminosa”, no domingo 10 de junho de 1951.  Com muita luta, o fundador do clube, Antônio Tavares Pereira Lima, conseguiu uma vaguinha na agenda da "Turma da Colina". E lá se  foi ela fazer o que a cidade considerou de “atuação de gala”: 5 x 0, com Albino Cardoso Friaça marcando o primeiro gol da casa que fica na Praça Scalamandré Sobrinho, S/N, à Vila Ferroviária.
O Vasco é um tradicional inaugurador de praças esportivas. Antes da Fonte Luminosa, já havia inaugurado os estádios Salles de Oliveira, na mineira Juiz de Fora, e o Doutor Mourão Fiho, do Olaria, na Rua Barirti, no Rio de Janeiro. Em Araraquara, o jogo foi apitado por Alberto da Gama Malcher, auxiliado pelos bandeirinhas locais Ernani Salvador Volpi e Rolando Volpi. Friaça (4) e Tesourinha foram às redes, por este VASCO: Barbosa; Augusto (Laerte) e Clarel; Ipojucan (Lola), Danilo e Alfredo; Tesourinha, Ademir (Amorim), Friaça, Maneca e Djair (Chico) / Técnico: Flávio Costa. FERROVIÁRIA: Sandro (Tino); Sarvas (Espanador) e Aléssio; Pierre, Basso e Pimentel (Rudge); Guardinha (Baltazar), Fordinho (Milton Viana), Marinho, Gonçalves e Baltazar (Tonhé)  Técnico: Zezinho.
VASCO 3 X 2 SPORTNG-POR - este jogo teve dois fatos importantes: a inauguração do Estádio José Alvalade, do clube português, e a despedida de Ademir Menezes, com a camisa cruzmaltina – depois, fez um outro jogo, com a jaqueta do Sport Recife. Vavá (2), que foi substituído pelo "despedinte" e conterrâneo "Queixada", e Sabará marcaram os gols do time dirigido pro Martim Francisco, que alinhou, naquele domingo: Hélio, Paulinho de Almeida e Haroldo; Orlando, Laerte e Coronel; Sabará, Válter Marciano, Vavá)/Ademir, Livinho (Artoff) e Djayr. O Sporting foi: Carlos Gomes; Caldeira, Pasos (Falais), Cabrita, Pacheco , Juca (1), Hugo, Vasques (Quin), Miltinho (1), Travasspos (Imbeloni) e Martins. Técnico: Juca e Miltinho.

 VASCO 5 X 0 CLUBE DO REMO-PA  - Diante das travas das chuteiras cruzmaltinas, nos 10 de junho, teve lance, também, na base do carimbó. Que o digam os paraenses que foram, naquele dia, ao Estádio Mangueirão, isto é,  Governador Alacid Nunes, em Belém, pela segunda fase do Campeonato Brasileiro-1978. O jogo, assistido por 14.102 pagantes, teve o estrago nas redes do time azulino iniciado por Ramon Pernamucano, aos 23 minutos do primeiro tempo, etapa na qual o árbitro Oscar Scolfaro-SP mandou o anfitrião fazer duas nova saída de bola, aos 29 e aos 36, quando Paulinho e Helinho, respectivamente, mexeram no placar. Guloso de gols, Paulinho voltou a balançar o filó, aos 45 da etapa final.   O “Titio” Orlando Fantoni, ex-atleta vascaíno, era o chefe da rapaziada, que botou o Remo pra dançar formando com: Mazaropi; Orlando ‘Lelé” (Fernando), Marcelo, Gaúcho e Marco Antônio; Zé Mário, Zanata e Helinho; Guina, Ramon (Paulo Roberto)  e  Paulinho.
 VASCO 2 X 0 MADUREIRA  foi jogo do primeiro turno da Taça Guanabara-1979, em um domingo, em São Januário. Paulinho marcou os dois gols do time que era treinado por Carlos Froner, diante de 10.118 pagantes. A moçada foi do dia era: Leão: Orlando ’Lelé”, Abel, Gaúcho e Marco Antônio: Helinho, Dudu e Guina; Wilsinho (Jader), Roberto Dinamite e Paulinho.
VASCO 4 X 1 MADUREIRA  - Esta golada foi em uma quarta-feira, no estádio de Marechal Hermes. Fez parte da Taça-BG-1981, com os “matadores” sendo Renato Sá (2), César e Dudu. O jogo teve público de 1.865 pagantes e Vasco, treinado por Mário Jorge Lobo Zagallo, mandou ver como: Mazaropi; Rosemiro, Orlando, Léo e João Luiz; Dudu, Zandonaide (Serginho) e Renato Sá; Wilsinho, César (Ticão) e Silvinho.
 VASCO 2 x 0 FLUMINENSE – Este foi outro clássico, contra um tradicional adversário, vencido pelos cruzmaltinos. Acontece em uma quinta-feira, pelas finais do Estadual-1993, o chamado “jogo de ida”. A pelota rolou no Maracanã, diante de 49.475 pagantes e apito de José Roberto Wright. Valdir ‘Bigode’ foi o “cara”, mexendo no placar, aos 19 minutos do primeiro tempo, e aos 30 do segundo. O treinador Joel Santana escalou estes vencedores: Carlos Germano; Pimentel, Jorge Luís, Alexandre Torres e Cássio; França, Leandro Ávila, Geovani e Bismarck; Valdir (Hernande) e Gian (Sidnei).

VASCO 2 X 1 BAHIA -  A rapaziada esteve demais no começo de Campeonato Brasileiro-2012. No 10 de junho, venceu na cada do adversário, chegando aos 12 pontos e mantendo-se com 100% de aproveitamento. A diferença para o segundo colocado, o Atético-MG, erade dois pontos.
O primeiro gol foi marcado por Juninho Pernambucano, em uma bela cobrança de falta, aos 7 minutos. O segundo teve a assinatura de Diego Souza (foto), aos 31 da mesma etapa, também, muito bonito. Ele fez um passe, com o peito, para Alecssandro, recebeu a devolução e partiu para a área dos baianos, vencendo dois marcadores. Diante do goleiro Marcelo Lomba, deu um toquinho por cima.
O técnico Cristóvão Borges mandou a campo esta formação: Fernando Prass: Allan, Renato Silva, Rodolfo (Dedé) e Felipe ( Thiago Feltrti); Nílton, Fellipe Bastos e Juninho Pernambucano; Éder Luís, Diego Souza e Alecsandro.
 A VASCODATA  10 de junho teve, também, em  1982 – Vasco 1 x 0 Taguatinga-DF.  
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário