Vasco

Vasco

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

O VASCO NOSSO DE CADA DIA - 05.01

Adversários e fregueses tradicionais. É o que se pode dizer de banguenses e botafoguenses quando encaram uma camisa cruzmaltina pela frente. Exemplos na caderneta de São Januário que marca a data 5 de janeiro:
  
VASCO 6 X 0 BANGU - Golear os "Mulatinhos Rosados de Moça Bonita" não era novidade para a "Turma da Colina". Em 1938, por exemplo, a rapaziada recebeu a visita daquela patota, em São Januário, para o 30º pega entre eles.  Era uma quarta-feira.  Niginho, com três gols, e Lindo, com mais dois, pintaram os canecos na cozinha alvirrubra. Pra completar, Alfredo também mexeu nas panelas. Os impiedosos? Rey, Poroto e Itália; Rafa, Zarzur e Alfredo; Lindo, Feitiço Niginho e Luna.

VASCO 1 X 0 BOTAFOGO – A rapaziada já contava com 20 refregas contra os alvinegros, pelo Campeonato Carioca, desde 22 de abril de 1923. Manteve invencibilidade até o nono jogo. Do décimo ao 20º, começaram a engrossar o caldo. Veio, então, a “pugna 21” e os cruzmaltinos lutaram muito para apagar a "Estrela Solitária" da Rua General Severiano. Somente Luna balançou o barbante do estádio da Rua Prefeito Serzedello Correia, no bairro carioca do Andaraí. O treinador por Harry Welfare teve este time apagador de desafiantes: Panello, Osvaldo Saldanha e Itália; Oscarino, Zarzur e Calocero; Orlando, Gradim (Tião), Luís de Carvalho, Kuko e Luna (Bahiano).


Nenhum comentário:

Postar um comentário